sexta-feira, abril 28, 2006

Douradinhos

Conforme já tinha dito em comentários anteriores, o assunto da recente absolvição de certas personagens em algumas das acusações do processo Apito Dourado é algo sobre o qual não tenho grande vontade de escrever. Porque tudo me irrita e enoja de sobremaneira, e é uma espécie de murro no estômago que me recorda o país da treta em que vivemos, infestado de caciquismo, tráfico de influências e corrupção.

Mas mais do que a absolvição, o que me irrita mesmo é a justificação para a mesma. Porque não me custaria nada ver alguém absolvido caso fosse provada a sua inocência com base em factos concretos. Agora usar como argumento para a não prossecução do processo algo tão subjectivo como 'O FC Porto de Mourinho não precisaria de favores da arbitragem para vencer o modesto Estrela da Amadora' é que eu não consigo engolir. E depois ainda me enerva mais a atitude do género quod erat demonstrandum com que alguns comentam esta decisão, como se o argumento em causa consistisse prova irrefutável de inocência. Artigos como o de Manuel Tavares n'O Jogo (surprise, surprise...) são exemplificativos deste tipo de atitude. Não interessa se houve algum acto esconso (provado) por parte do acusado. O que interessa é que pela lei das probabilidades o FC Porto não precisaria de um favor deste tipo, ergo não houve qualquer corrupção. Porque, como sabemos, os resultados finais dos jogos são sempre os previstos, e todas as semanas há milhões de portugueses a acertarem no Totobola. Haverá prova mais convincente que esta?

Seguindo esta mesma lógica de raciocínio, se eu for roubar para a FNAC e for apanhado em flagrante, então devo ser absolvido. É que tendo em conta todo o dinheiro que eu já lá gastei, não se perceberia a necessidade que eu teria em andar a roubar por lá.

Considerando que existem provas que pessoas ligadas ao FC Porto forneceram de facto as prostitutas ao trio de arbitragem do referido jogo, o que eu posso concluir então é que é perfeitamente normal um árbitro querer o serviço de prostitutas, e nesse caso recorrer aos préstimos do FC Porto para obtê-lo. Tudo normal. Aliás nem sequer convém perguntarmo-nos por que razão o árbitro sabia que podia recorrer ao FC Porto para lhe fornecerem esse serviço. Aquilo foi tudo espontâneo: o árbitro teve uma vontade súbita de estar com uma menina, num acto espontâneo lembrou-se que se calhar até podia pedir a pessoas ligadas ao FC Porto que lha arranjassem, e estas, apesar da surpresa de um pedido tão estranho por parte do árbitro, conseguiram num instante satisfazê-lo apesar de ser algo que nunca tinham feito antes. Tudo limpo, tudo às claras. Se calhar até foi um erro processual: o pedido de uma prostituta chegou ao FC Porto e foi processado de forma automática sem que dessem por isso. A exemplo do que aconteceu com uma conta relativa a umas certas férias no Brasil.

O artigo que referi contém uma parte que para mim foi a punch line perfeita para a anedota que este processo foi, uma autêntica estocada final que me dá a volta ao estômago:

"Porque pode não se gostar de Pinto da Costa, o que não se pode é negar que os títulos conquistados pelo FC Porto resultaram de mais trabalho e trabalho mais competente. Deste ponto de vista, o arquivamento também é uma boa notícia para o futebol português."

Considerando qual é o tipo de 'trabalho' mais competente em questão, se me dizem que isto foi uma boa notícia para o nosso futebol a minha resposta só pode ser: Vão gozar com outro.

39 Comments:

At 4/28/2006 2:37 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O MST é um nojo. Mas o pior é a última frase:

"Falta apenas saber se o tribunal mediático se renderá à sentença do tribunal da justiça."

Mas qual sentença? O ministério publico desistiu. Não houve julgamento. Pelo contrário, o que ficámos todos a saber é que mesmo em jogos da treta o fequepe prepara as coisas. Da fama de serem um clube de proxenetas que só ganha coisas devido a um exército de prostitutas já ninguém os livra.

 
At 4/28/2006 4:11 da tarde, Blogger Superman Torras said...

Não tenho o teu polimento d'arcy, pois se fosse eu a escrever este artigo a ultima palavra empregue na expressão "Vão gozar com outro" seria outra e rima com pénis.

 
At 4/28/2006 4:21 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Mas o mais triste é o silêncio em que a questão está envolvida.Os comentadores desportivos, e os defensores da ética disseram alguma coisa? É um nojo. São todos uma cambada de cobardes. O homem leva arbitros ao Brasil, o homem corrompe, o homem bate em mulheres e namoradas, o homem saca os terrenos á cidade,etc... Mas que país é este?
Isto é um nojo, é repulsivo.

 
At 4/28/2006 5:32 da tarde, Blogger Pedro Neto said...

A única hipótese é termos alguém igual ou mais mafioso que o Pinto da Costa.

Enquanto no Benfica não se tomar estas atitudes vai ser sempre a lutar contra todos e a ser gamados no final. São 25 anos de máfia, corrupção, tráfico de influências, etc...

Isto é um escândalo tão grande que não sei como não há reacção oficial por parte de dirigentes do Benfica.

 
At 4/28/2006 5:35 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Blame it on Yoko.

 
At 4/28/2006 5:43 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Pedro: a mim custar-me-ia muito ver o Benfica ganhar e desconfiar que poderia haver algo mais por detrás das vitórias do que o simples mérito desportivo. Não gostaria mesmo nada de ter um presidente 'mafioso'. Prefiro uma vitória séria a cinco vitórias à siciliana.

 
At 4/28/2006 6:07 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

 
At 4/28/2006 6:08 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Parvo foi quem pensou que o apito dourado ia ser diferente...desde os anos 90 que estes casos aparecem. Viagens, quinhentinhos por ai fora.
Cada vez mais me convenço que o apito dourado era a ponta de um ice-berg muito profundo que envolveria a grande negocio da construção, politicos corruptos e que o futebol era apenas uma das vertentes do grande cancro do pais.
Por isso o mais natural vai ser isto não dar em nada.
Contudo, e ao contrario do que o Pedro diz, eu acho que se pode dar a volta por cima, dá mais trabalho mas é possivel...e apesar de tudo acho que tem havido uma evolução (pouca) positiva no futebol português, basta lembrarem-se da peitada do kostadinov e das consequências (nenhumas) que ela teve para ver isso.

 
At 4/28/2006 6:13 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Vamos lá ver uma coisa: o sistema do PC limitou-se a substituir um sistema de mais de 30 anos controlado pelo Sporting e pelo Benfica. Enquanto os benfiquistas não conseguirem encarar este facto acho que não os consigo levar a sério.

Toda a gente conhece as dificuldades que o Porto tinha em atravessar a Ponte D.Luis nos tempos anteriores so PC.

Depois há outros factos que temos de observar quando falamos dos últimos 25 anos.

Vamos começar pela evolução da força das equipas (medida pela quantidade campeonatos ganhos) nos últimos 25 anos.

Observamos um padrão interessante: nos primeiros 15 épocas (épocas de 81/82 a 95/96) temos o Porto com 8 campeonatos, o Benfica com 7 e o Sporting com 1. em relação a este periodo acho que voces não Têm razões de queixa. As coisas eram equilibradas.

De facto as coisas no perido de 1970 a 1982 coriam-vos melhor (Benfica - 6, Sporting - 3, Porto -2).

E nos periodos anteriores desde 1945 então as coisas eram completamente dominadas pelo Sporting e pelo Porto (só há o Belenenses em 45/46 e o Porto em 55/56 e em 58/59).

Isto deveria dizer algo às pessoas acerca da existência dum Sistema... É verdade que o sporting tinha uma equipa espectacular nos anos 50 e que o Benfica tinha uma equipa ainda mais espectacular nos anos 60... Mas o Porto teve grnades equipas na segunda metade dos anos 80, na segunda metade dos anos 90 e nos dois anos fantásticos do Mourinho.

Mas quase 40 anos de futebol dominados por 2 clubes? Pá, cheira a esturro a 10000000 km de distancia. Nestes anos também deve ter havido muito putedo e muita corrupção. A diferença é que os tempos eram outros e o respeitinho (palavra tão amado pelos benfiquistas) era coisa séria.. E ainda bem que os tempos mudaram!

Por isso, é que os benfiquistas deveriam encarar este dominio por parte do FC Porto com naturalidade. Em tempos foi o Sporting e o Benfica, agora é o Porto.

É óbvio que é sempre melhor quando somos nós a mandar mas devemos ser democraticos e deixar os outros meninos brincar, não acham?

PS. Bem, falar de democracia neste blog é um bocado esquisito, não é?

 
At 4/28/2006 6:15 da tarde, Blogger Harry Lime said...

O último comentário do D`Arcy é um pouco hipocrita. É que mesmo que o Benfica tivesse uma vitória à siciliana, o D`Arcy era incapaz de reconhecer o facto... por isso festejava-a na mesma!

 
At 4/28/2006 6:20 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Tem lá juizinho, que não tens qualquer autoridade para fazeres juízos morais sobre mim.

 
At 4/28/2006 7:28 da tarde, Blogger Pedro Neto said...

Eu compreendo que existam adeptos que tal como tu, D'Arcy, se incomodariam com Campeonatos mafiados por parte do Benfica.

Eu, abominava, vencer um jogo com um único lance duvidoso de arbitragem. Mas para mim tudo mudou com esta decisão, as regras têm de ser iguais para todos.

Se uns roubam e não são castigados vamos ficar feitos tansos a vê-los engolir todos os títulos e nós a ficarmos com a "nobreza" e a "justiça"?

Nunca, "Para velhaco, velhaco e meio!"

 
At 4/28/2006 7:35 da tarde, Anonymous Anónimo said...

as colaboradoras do Reinaldo têm todos os dados para meter na pildra esta tropilha de trapaceiros.
já agora, digam-me: como é que o Reinaldo consegue chegar onde chegou na sad dos "andrades"? este é um dos pilares onde acenta a incriminação de toda esta jagunçada.será que estas mulheres terão a coragem para debitarem tudo o que sabem ?a própria carolina estará disposta a falar? consta que a anterior mulher de pinto da bosta já passou para o papel e em logar seguro tudo o que sabia.

 
At 4/28/2006 8:08 da tarde, Blogger koelhone said...

Certo. De acordo, pelo menos no essencial.

Ou seja, não devem existir processos obscuros para ganhar campeonatos.


Sim, eu sei que os juízes são humanos e também fazem asneiras - basta ver que os membros do Conselho de Disciplina (ou será de Justiça?), que são juízes de direito, têm sempre um olho de lince fantástico para avançarem com sumaríssimos aos jogadores do Porto, mas já não encontram nada nos outros jogos. Devem ser portistas ferrenhos, para verem os jogos do Porto com tanta atenção! :)

Apesar disso, dois casos arquivados por falta de provas (Calheiros no Brasil e FCP x EAmadora) fazem-me crer que é mais provável que não se tenha passado nada de ilícito do que o contrário.
Certezas absolutas só os directamente envolvidos podem ter. Eles, e os iluminados pela fé.


A sentença (afirmação) do tribunal de justiça em como não existem provas suficientes é, com toda a certeza, mais fundamentada que qualquer opinião que algum de nós possa ter.

Isto nada me diz quanto às restantes acusações, que nem sei ao certo a que se referem... Mas para já basta-me.

 
At 4/28/2006 8:43 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Guy Fawkes, tens noção que o primeiro arbitro a ser irradiado do futebol foi o Calabote e por beneficiar o Benfica, e ao que parace, o caso Calabote foi bastante extrapolado...repara bem...o arbitro foi punido, isto diz bem do poder que o Benfica tinha no futebol.
Não acho que estejas totalmente errado, é claro que o Benfica e Sporting já tiveram mais poder do que o que têm hoje, mas acho que nunca houve no futebol português um poder tão sujo e mal intencionado como foi (e pelo visto vai continuar) a oligarquia de Pinto da Costa.
Não me faz confusão que os clubes (grandes) vão alternando o poder que têm no futebol, acho que isso em qualquer actividade acontece, mas o sentimento de impunidade que se vive é brutal e não tem paralelo no resto da historia do futebol português...

 
At 4/28/2006 8:55 da tarde, Blogger D'Arcy said...

koelhone, o que se passou as pessoas sabem: o árbitro requisitou e obteve os serviços de prostitutas através de pessoas ligadas ao FCP, com conhecimento e aprovação do PC. Há escutas que o comprovam. O que não se consegue provar é que isto tenha uma relação directa com o referido jogo, ou seja, que seja uma qualquer compensação por favores ou serviços prestados pelo árbitro. Agora temos que pensar numa coisa: será normal que um clube ou pessoas ligadas a esse clube estejam envolvidas num processo destes? Será normal que um árbitro que tenha desejos desse tipo recorra a pessoas associadas a um clube cujo jogo ele por acaso vai apitar? Porque o que me incomoda aqui é que pensem que as pessoas sejam assim tão ingénuas. Pondo isto de forma mais explícita: se o árbitro teve a atitude que teve, das duas uma: ou já lhe tinham prestado esse tipo de serviços anteriormente, ou então alguém lhe fez saber que poderia obtê-los dessa forma. Por outras palavras, ninguém me faz acreditar que situações dessas não se tenham passado antes.

Que não se consiga provar uma ligação directa entre o que se passou e o referido jogo é uma coisa, agora apresentarem como argumentação que o FCP não teria motivos para precisar de ajudas nesse jogo é um enorme disparate, e é o que me deixa a pensar que estão a gozar comigo. É que por essa lógica, os ricos nunca roubam. Mesmo que sejam apanhados em flagrante, a verdade é que nunca teriam motivos ou necessidade de fazê-lo, e como tal deveriam ser absolvidos sem necessidade de julgamento. Tens que admitir que esta lógica é ridícula. Julgo que foi o Pedro Neto quem já mencionou isto: o Marselha que foi campeão europeu também em teoria não precisaria de ajudas para ganhar ao modesto Valenciennes. No entanto todos sabemos o que aconteceu, e o Tapie foi bater com os costados na cadeia à custa disso.

Quanto à presumível inocência, claro que acreditarás naquilo que te poderá deixar com a consciência mais tranquila. A forma como eu vejo isto é que não há coincidências, e já são casos a mais. No caso Guímaro (em que foi o Reinaldo Teles quem foi apanhado em flagrante e quem acabou irradiado foi o presidente do Leça), no caso Calheiros, e agora neste, a verdade é que há um denominador comum: o nome do FCP aparece sempre envolvido.

Eu obviamente não sei mais do que os juízes sobre este caso. Mas o pouco que sei é suficiente para perceber quando estão a gozar comigo.

 
At 4/28/2006 10:39 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Vocês não percebem nada disto:
Em primeiro lugar, os douradinhos de que o D'Arcy fala são da Igloo...logo têm de ser congelados.

Em segundo lugar, nunca ninguém falou em "prostitutas", vocês perceberam mal! É o que dá fazer escutas telefónicas com equipamento de linha branca...

O que pediram foram uma chuteiras "substitutas", pois o Sr. árbitro reparou que as dele estavam rotas e foram entregá-las ao quarto do hotel.

Isto é assim tão difícil de compreender?

 
At 4/29/2006 12:33 da manhã, Anonymous Anónimo said...

o pior é que esta situação já é conhecida há pelo menos 10 anos, qd o jornalista marinho neves publicou um livro em que denunciava este tipo de esquemas...e curiosamente com muitos dos actuais intervenientes!
Não, o livro não se chama "apito dourado", chama-se "Golpe de Estádio".

 
At 4/29/2006 12:40 da manhã, Anonymous Anónimo said...

De facto, subscrevo e por isso concordo em absoluto com tudo aquilo que o D'Arcy diz, em particular no que toca aó seu último comentário. A sensação com que ficamos depois disto(independentemente do clube pelo qual torcemos), é que o crime compensa quando o poder é grande, como parece que é. Goste-se ou não do Pinto da Costa e do Porto, parecem de facto casos a mais e resultados demasiado iguais. Reina a impunidade. Espero que o levantamento de mais este caso sirva pelo menos para acabar de vez com estes procedimentos mafiosos. Senão, qualquer dia serão mesmo apanhados. Vou pelo menos acreditar nisso...até ao próximo caso.

 
At 4/29/2006 2:37 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Conheço bem o 'Golpe de Estádio', que já li há alguns anos.

bem litrado: Eu por acaso tenho exactamente a opinião oposta. Depois de levantado este caso, e escapando-se assim os suspeitos, o sentimento de impunidade neles deve ser ainda maior, e o meu medo é que passemos a assistir a coisas ainda piores.

 
At 4/29/2006 5:58 da manhã, Anonymous Anónimo said...

O fequepe usou da sua influência para prestar um serviço ao árbitro no dia do jogo. Esta promiscuidade tem que estar proibida em algum lugar dos regulamentos. O Al Capone, apesar de todos os crimes que se atribuem, só foi preso por fuga aos impostos, e o PC só seria apanhado com um grande descuido. O descuido aconteceu, só que o gajo emendou a mão.

Há factores socioeconómicos, mais que um "sistema", que explicam a situação nos anos 50 e 60. O fequepe tinha poucos adeptos, e o Porto e toda a região envolvente eram (e ainda são) muito mais pobres que Lisboa. Essa história de o fequepe ser um clube coitadinho sempre a ser roubado faz parte da mitologia que o PC inventou para branquear o que tem feito. O fequepe estava para Benfica e seportem tal como o Valência está para Real Madrid e Barcelona.

Algo equivalente aos anos 80 em Portugal, com um clube de segundo plano a ultrapassar os "históricos", está a acontecer agora em Inglaterra, mas aí o Chelsea teve que abrir os cordões à bolsa. Ao fequepe bastou-lhe ir à fruteira.

 
At 4/29/2006 5:04 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Sim, o Calabote foi apanhado porque a coisa foi demasiado flagrante.

E depois o Calabote foi corrompido pelo Benfica não foi? Isso vem ao encontro das minhas alaegações de que já havia corrupçãomuito antes do PC entrar em cena (e da qual o Calabote foi a ponta vizivel do iceberg.

Eu digo o seguinte. é muito provável que tenha havido "malandrices". Mas numa sociedade civilizada é no tribunal que se compete provar a culpa dos arguidos. A acusação não teve arte nem engenho para o fazer e por isso os acusados forma ilibados. Parece simples e é simples.

O árbitro queria "divertimento" para o noite do jogo com o Estrela da amadora e pediu-a ao PC. O PC deu-lha. a partir daqui tudo o resto me parece obscuro: a arbitragem, pelo que foi dito na imprensa na altura, não teve nada de irregular e o jogo não se revestia de particular importancia.

O que me parce é que o PC apenas queria "fazer amigos entre os animais" (se calhar com a intenção de lhe pedir favores futuros quando necessitasse deles) e o Jacinto Paixão apenas queria um bocado de divertimento.

Isto diz muito acerca do (mau) caracter dos envolvidos. Nas até prova em contrário não vejo nenhum crime nisto.

E depois, não é mim (sportinguista) nem a um bando de benfiquistas (pessoas com interesse na condenação) que compete julgar isto. é ao tribunal. Isto não é ser sportinguista nem benfiquistas. é ser civilizado.

A não ser que os Benfiquistas agora queiram criar Brigadas de Vigilantes para fazer justiça pelas próprias mãos... Já estivemos mais longe disso.

 
At 4/29/2006 5:07 da tarde, Blogger Harry Lime said...

As declarações dos benfiquistas enchem-me os olhos de lágrima.de repente só desejam que o seu clube vença "fair and square".

Tendo em conta as amostras que eu tenho visto neste blog posso chegar al dusa conclusões: quando os Benfica é +refudicado é resultado duma qualquer conspiração. quando o SLb é benficiado "o arbitro via melhor porque estava melhor colocado".Verdade ou Mentira?

Também acredito que os fanáticos do Porto digam o apito dourado é uma conspiração dos poderes ocultos lisboetas.

Este tipo de conversa é tipica de um adepto de futebol (eu incluido). Nenhum adepto acredita que o seu clube ganhou injustamente. Mesmo que as provas saltem aos olhos arranja-se sempre uma desculpa esfarrapada.

Por isso espero quando eu disse aquilo lá em cima não estava a fazzer nenhum atauqe ao carácter ao D`Arcy. Ele é benfiquista fanático e um bocado maluco mas é gajo honesto :)))

 
At 4/29/2006 7:31 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Acho que não sabes nada sobre o caso Calabote, por isso o melhor é não te pronunciares. Ele foi irradiado não por ter sido 'corrompido' pelo Benfica, mas sim por ter sido acusado de mentir num boletim de jogo.

O suposto caso Calabote é uma autêntica lenda, que foi muito divulgada pelo PC à boa moda goebbeliana. Todos os jornais da época contam o que realmente se passou em relação ao suposto tempo de descontos exagerado.

 
At 4/29/2006 8:20 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Os factos do Sr Calbote pode ser encontrada aqui.

Não sei se esta é a versão mais fidedigna mas se encontrarem outra mais fiável publiquem, por favor. No entanto parece-me cada vez mais que não é "uma autêntica lenda, que foi muito divulgada pelo PC à boa moda goebbelina". De resto parece-me que houve algo mais na história do que uma mentira no boletim de jogo, como nos diz o D`Arcy.

É verdade que o Calabote não deu nenhum campeonato ao Benfica mas não há dúvida nenhuma de que se esforçou para que isso acontecesse...

Isto prova que noutros tempos havia "funny stuff" tal como hoje. E o problema dos benfiquistas não é a "funny stuff" em sí.É o facto de não terem o controle sobre a "funny stuff" como no passado.

 
At 4/29/2006 8:52 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Essa versão está errada. O tempo de descontos dado pelo árbitro foi de três a quatro minutos, e o Benfica entrou em campo com seis minutos de atraso (foi inclusivamente multado pela Federação por causa disso), o que deu a tal diferença de dez minutos para o jogo na Luz acabar depois do do FCP. E os jornais da época consideram mais que justos os quatro minutos de compensação dados. Isto foi o que foi escrito na crónica d'A Bola ao jogo sobre o assunto:

O recurso sistemático aos pontapés para fora do rectângulo, a demora ostensiva na marcação dos livres e lançamentos de bola lateral, as simulações de lesionamentos, o uso e abuso, enfim, de todos esses vulgarizados meios de “queimar tempo” (…) dificilmente encontram, no caso de ontem, outra justificação se não esta: a Cuf não jogou, exclusivamente, para si mas
também para uma outra equipa (a do FC Porto) que estava à margem da luta travada na Luz.


No Record: Deu quatro minutos (…) pela demora propositada dos jogadores da Cuf – alguns deles foram advertidos – na reposição da bola em jogo. Não compreendemos porque não usou do mesmo critério no final do primeiro tempo, dado que aquelas demoras se começaram a registar desde início.

Quanto aos três penalties, as crónicas da altura dizem que dois deles parecem ter sido evidentes, enquanto que um foi duvidoso.

Portanto andar a dizer, como o PC sempre fez, que o Calabote prolongou o jogo por dez minutos à espera que o Benfica marcasse, e que andou a inventar penalties a torto e a direito é uma mentira, em que infelizmente muitos acreditam. Até porque o sétimo golo do Benfica foi marcado aos 38 minutos da segunda parte. Se o árbitro queria mesmo gamar, então bastava ter inventado um penalti nos onze minutos de jogo que se seguiram.

Já agora, convém dizer que no jogo de Torres Vedras, a dois minutos do fim (logo a seguir ao Benfica ter marcado o 7-1 - que o fazia campeão nacional) o FCP vencia por 1-0. Nesses dois últimos minutos o FCP acabou por marcar, contra o Torreense reduzido a nove (ao 2-0 estava com 10, e logo a seguir foi expulso mais um jogador), os dois golos de que precisava para ser campeão, e no final do jogo os responsáveis do Torreense queixaram-se da arbitragem.

Isto é muito fácil contar apenas as partes da historia que nos interessam, da maneira que nos interessa. E a verdade é que hoje em dia há muita gente que conta a história que foge muito da realidade. Daí que eu refira um fenómeno goebbeliano nisto.

 
At 4/30/2006 12:10 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Caro D'Arcy,
Gostaria de ter o seu link, mas no meu blog são as visitas que se linkam! Por isso e se for da sua vontade, vá até lá e clique no logotipo do "Páginas Amar-ela", o dos morangos, para fazer o registo e adicionar o seu blog!
Um abraço amigo,
Daniela

 
At 4/30/2006 3:55 da manhã, Blogger Giovanni Falcone said...

DÁrcy,

Este teu amigo Guy é um tipo giro! Só podia ser do Cepórtem. Deve ser da Linha! Queque! O futebol deve ser para ele uma coisa muito gira, muito cool! Pois...tábem!

De facto tens apanhado muito bem o essencial do processo Putas Douradas.

A situação é dramática não pelo resultado em si, mas por trazer mais uma vez à tona (nos últimos anos será a 5ª ou 6ª vez) o estado efectivo em que se encontra a nossa justiça.

Se há coisa em que PTG nada deve aos outros países em termos de conhecimento e desenvolvimento, é exactamente no da ciência jurídica. Basta lembrar que o curso de Direito é contemporâneo com a criação da Universidade de Coimbra, no séc. XII. São séculos e séculos de conhecimento. Milhares de pessoas pensaram sobre o sistema legislativo e desenvolveram-no até um estado quase perfeito, regulando as relações entre as pessoas e estas e as instituições , garantindo cada vez mais os direitos individuais e colectivos, num ordenamento harmonioso, criando simultâneamente e em paralelo um sistema processual para a efectivação, supervisão e garantia desses mesmos direitos.

O problema, como em quase tudo na vida, é que o sistema é gerido por pessoas. O problema não está nas leis, está nas pessoas que as aplicam e as interpretam.

Existe uma crise muito profunda de valores sociais e éticos na nossa (e nas outras tb) sociedade de tal modo que princípios de vivência em sociedade que até há muito pouco tempo eram aceites naturalmente e cumpridos, hoje não são mais que meros aspectos típicos e engraçados que meia dúzia de malucos teimam em querer manter.

Aqui chegados, direi que nada me admira na decisão que o MP do Porto proferiu ácerca do Processo das Putas Douradas ( o Apito é o de Gondomar).

O facto de ter sido o MP Porto não é despiciendo. O facto de alguém se ter lembrado de desmembrar o processo principal também não é despiciendo, embora sob a capa de uma qualquer regra processual sobre competência territorial dos tribunais, a qual a ser tão certa devia ter implicado que desde o 1º minuto o processo tivesse sido remetido ao Porto. E não foi. Pois não?

Se virmos as relações familiares de alguns dos advogados com magistrados e alguns advogados que já foram magistrados, começamos a vislumbrar que a lei e a busca da verdade, se calhar, ficaram um pouco à margem.

Se a memória não me falha, até há umas décadas atrás, os estatutos dos magistrados proibia o exercício das profissões nas comarcas de onde eram naturais. Percebe-se porquê! Eu era juíz na minha terra e via entrar no meu tribunal, a toda a hora, os meus amigos e os meus inimigos, os meus familiares, etc, etc, etc.

Para abreviar direi que se nota na decisão mais do que a mera aplicação da lei, a vontade de alguém arquivar depressa o processo por, das duas uma, ou não despiu a camisola, ou teve medo.
Mas a lei processual permitia ou não aquela decisão? Permitia sim senhor. Então? Havia outras hipóteses. Mais sérias e mais justas, nomeadamente em fazer regressar o processo a Gondomar considerando que os factos e as provas constantes do processo eram insuficientes para se realizar um inquérito rigoroso e objectivo. Os factos ali constatntes só ganham relevância jurídico penal se integrados com os demais factos constantes do processo principal. Aqui ter-se-ia percebido a relevância das putas, não para aquele jogo em concreto, mas para um sistema hierarquizado de corrupção e tráfico de influências, que, se calhar desaguaria numa acusação de associação criminosa.

Mas isto sou eu que sou maluco!

 
At 4/30/2006 12:01 da tarde, Anonymous Anónimo said...

No livro "GOLPE DE ESTÁDIO" de Marinho Neves, vem lá bem explícito de como as coisas eram feitas. O que foi feito não é só a corupção directa sobre um determinado jogo. O Ministério Público sofre de ingenuidade pura quando fala no «nexo de causualidade». O facto está e sempre esteve na criação de "amizades" e "FAVORES" com a oferta "desinteressada" de determinadas "PRENDAS". Tal como vem descrito nesse livro de Marinho Neves: "quem é que é capaz depois de negar um favor a um amigo?"
Ora! Somos todos tolos?

 
At 5/01/2006 12:44 da manhã, Blogger Harry Lime said...

Falconne,

Eu vivo em Queluz. Será suficientemente proletáŕio para ti? E mais uma vez se queres falar de pretensões aristocráticas talvez seja melhor falares com o D`Arcy ;-)

E depois, o que eu descrevo em cima é a forma civilizada de fazer as coisas. Com todos os defeitos que tribunais possam ter ainda são a forma mais civilizada e justa de fazer justiça.

Concordo com tudo o que tu dizes (um arrazoado de vulgaridades diga-se de passagem) mas a pergunta que eu faço é aseguinte: qual a solução que propões?

Linchamentos por brigadas populares benfiquistas? E o que é que nos garante que a justiça dessas brigadas é melhor do que a dos juizes?

E já agora não achas que há problemas maiores na nossa sociedade do que as parvoices do futebol? Eu ficava muito contente se toda a corrupção e todos os julgamentos manhosos em Portugal tivessem apenas a ver com bola...

Por isso vai com esse discurso todo (um monte de lugares-comuns) para outra freguesia.

Em frente.

D`Arcy

Em frente, tu acreditas no que quiseres. A Bola para ti é a Biblia. Eu posso fazer pairar sobre essas afirmações da Bola as mesmas suspeitas que tu normalmente fazes pairar sobre o que o Record publica, não posso?

Tudo bem. A versão que eu apresentei (link aqui mais uma vez) é uma versão escrita muitos anos depois já com a cabeça fria e sem segundas intenções branqueadoras.

É de assinalar que foi escrito num diário não-desportivo (o Correio da Manhã não é grande coisa mas sempre é muito mais fidedigno do que o melhor dos jornais desportivos) e o tom do artigo é claramente crítico em relação ao uso que os portistas costumam fazer do caso..

Já agora seria boa ideia que publicasses as tuas fontes da mesma forma que eu publiquei a minha para as pessoas poderem ler o que foi escrito no seu contexto e não apenas através de "passagens seleccionadas" ou melhor podes seleccionar citações mas junta os artigos inteiros para a gente poder ter uma perspectiva geral do que foi escrito. É asim que as pessoas crescida costumam fazer.

De qualquer forma como podes observar em qualquer das hipoteses o que se passou foi um bocado mais grave do que "uma mentira no boletim de jogo", como tu nos quizeste fazer impingir da primeira vez que falaste no assunto.

Prefiro a versão do Sr. Cartaxana que me parece equilibrada (ou seja defende que houve irregularidades mas que elas não tiveram a monstruosidade que os portistas insinuam) do que a tua (claramente benfiquista).

E depois porque tu mudaste de opinião da primeira vez que falaste na coisa ("uma mentira no boletim de jogo") para a segunda ("afinal "não aconteceu nada de anormal"). Pá, assim não vais lá...

 
At 5/01/2006 4:08 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Dá-te ao trabalho de ler os comentários dos outros (e não em diagonal, como obviamente fazes) antes de despejares as tuas prosas.

 
At 5/01/2006 7:00 da manhã, Blogger Giovanni Falcone said...

De facto um tipo que acredita piamente que o C.Manhã é um jornal fidedigno, só podia ser de Queluz!

 
At 5/01/2006 11:49 da manhã, Blogger Unknown said...

I Encontro de Blogues de Vila Viçosa

Dia 22 de Julho venha até Vila Viçosa conviver com os seus amigos, traga a sua família, tenha a oportunidade de se maravilhar com a beleza de Vila Viçosa, passe um dia diferente no I Encontro de Blogues de Vila Viçosa!

Divulgue também o I Encontro de Blogues de Vila Viçosa, falando do mesmo no seu blogue, criando também um link. Pode criar um link personalizado, copiando o código do selo do I Encontro de Blogues de Vila Viçosa e colando-o no seu blogue.

Poderá obter mais informações em:

http://www.encontrodeblogues.pt.vu/
http://orestaurador.googlepages.com/home
http://orestauradordaindependencia.blogspot.com/
http://empregoalentejo.blogspot.com/
http://www.tabernainconformados.blogspot.com/
http://cidadela-dos-incultos.blogspot.com/
http://abata-afefe.blogspot.com/
http://quintoimperiodigital.blogspot.com/

Já somos 12 inscritos no I Encontro de Blogues de Vila Viçosa. Porque espera? Vamos descentralizar a blogosfera! Até Julho, em Vila Viçosa!

 
At 5/01/2006 3:30 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

 
At 5/01/2006 3:34 da tarde, Blogger Giovanni Falcone said...

Gostava de te ver fazer alguma coisa na vida, lá isso gostava!

 
At 5/01/2006 3:42 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Eu li o que os postadores escreveram invariavelmente benfiquistas com a excepção do koelhone que foi o único que escapou ao tom revanchista e indignado da turba contituida por virgens púdicas que apenas querem Justiça, Paz na Terra e Boa Vontade Entre os Homens (desde, obviamente , que o Benfica ganhe).

Li inclusivamente o que tu escreveste e a forma como a tuas posição variou de comentário para comentário. Por isso estou tranquilo. Pelo andar da carruagem, ainda te hei-de ouvir que o Benfica já foi beneficiado pelas arbitragem no passado (nomeadamente no caso Calabote).

Acho que o que vos choca é o facto da verdade nem sempre coincidir com o que a vossa fé benfiquista vos impele a acreditar. E aí acredito que fiquem confusos. Mas isso é problema vosso não meu.

PS Eu não disse que o Correio da Manhã é fidedigno. Eu disse que é mais fidedigno do que qualquer jornal desportivo. O que não é dificil.

PPS. Já agora D`Arcy, parece-me óbvio que este jovem Falconne anda à procura de porrada. Tu, como moderador não deverias fazer algo em relação a isso? É que se tu não fazes nada, eu faço. A escolha é tua.

 
At 5/01/2006 4:18 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Backseat moderating. Cada vez melhor.

 
At 5/01/2006 10:28 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Backseat moderating... Não leves isso demasiado a sério porque senão ainda te lixas, meu!

Podias ter adoptado essa atitude há mais tempo. Mas parece-me que backseat moderating é só às vezes e só para alguns não é?

 
At 5/01/2006 10:57 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Era melhor teres ficado calado, em vez de mostrares que não fazes ideia do que é que estás a falar...

 

Enviar um comentário

<< Home