domingo, outubro 29, 2006

Injusto

Uma tremenda injustiça. É o comentário possível ao resultado desta noite. E apesar de alguma infelicidade, o Benfica deve sobretudo queixar-se de si mesmo por não ter conseguido sair do Dragão com o empate, ou até mesmo a vitória.

Antes do jogo especulou-se sobre se o nosso treinador apostaria no Kikin ou no Paulo Jorge para o onze titular. Ele acabou por apostar em ambos, fazendo a equipa alinhar num esquema mais próximo do 4-2-3-1. Infelizmente acabou por ser uma aposta duplamente falhada, uma vez que ambos estiveram pouco inspirados, e aliás foi notória a subida de rendimento da equipa após as suas substituições. O Benfica começou muito mal o jogo (ou podemos dizer que foi o FC Porto quem o começou bem). O meio-campo foi muito permissivo, a equipa defendeu mal, permitindo grandes espaços aos jogadores adversários, e o ataque praticamente não exisitiu, pelo que assistimos a um assalto continuado do Porto à nossa área. O resultado disto foi que aos vinte minutos de jogo já estávamos com dois golos de desvantagem, isto depois de o Quim já ter salvo um remate à queima roupa do Lucho. O primeiro golo é um autêntico 'chouriço' do Hélder Postiga (ou será que o golo deve ser atribuído ao Lisandro?). Já o segundo, foi um golo bastante bonito, mas fico sempre com a dúvida se aquilo foi intencional, ou se foi um 'centro-remate'. De qualquer forma, o que conta é que a bola entrou. E tendo em conta aquilo que estava a ver, cheguei a temer que o Porto não ficasse por ali.

Mas a partir da meia-hora de jogo o Benfica começou finalmente a acalmar, a trocar a bola, e a aproximar-se da baliza adversária com perigo. Isto acontecia sobretudo através de iniciativas do Léo e do Simão (e por vezes do Paulo Jorge) pelo lado esquerdo do nosso ataque, explorando as (muitas) lacunas defensivas do lateral-direito do Porto, o uruguaio Fucile. Fomos infelizes ao não conseguir marcar um golo durante esses últimos quinze minutos da primeira parte, mas também tal aconteceu muito por mérito do Hélton, que com duas grandes defesas negou o golo ao Kikin e ao Paulo Jorge. Quando o árbitro apitou para o intervalo já me sentia um pouco mais confiante, já que acabámos os primeiros quarenta e cinco minutos a controlar o jogo, e a carregar sobre o adversário. O problema é que já lhes tínhamos dado dois golos de avanço...

A segunda parte iniciou-se com uma tendência semelhante à da primeira, sendo o Benfica quem revelava maior controlo das iniciativas de jogo, enquanto que o Porto se mostrava numa posição naturalmente mais expectante, e a tentar explorar o contra-ataque. A sensação que eu tinha ao ver aquilo era a de que se o Benfica marcasse, o Porto iria tremer muito. O Fernando Santos acabou por mexer na equipa ainda durante os primeiros quinze minutos, retirando as 'apostas' Paulo Jorge e Kikin, entrando para os seus lugares o Nuno Assis e o Mantorras, e passando assim a equipa a jogar num esquema mais próximo do 4-3-3. E no minuto imediatamente a seguir à entrada do Mantorras o Benfica marcou. Foi na sequência de um canto do Simão na direita, com o Katsouranis a surgir ao primeiro poste antecipando-se ao Fucile (sem surpresas...) e cabeceando para as redes. Confesso que cada vez me agrada mais este grego. É um jogador bastante completo e muito disciplinado tacticamente, sendo que neste momento só me parece que precisa de ter um pouco mais de segurança no passe.

Se o Benfica já estava na mó de cima antes do golo, a partir daqui o nosso domínio começou a ser muito mais evidente. Agora era o Porto quem já quase não conseguia atacar, e limitava-se praticamente a repelir as nossas investidas. Entusiasmei-me com o futebol que jogávamos, com a bola a circular muito em passes curtos entre os nossos jogadores, sempre em progressão. O Léo continuava muito activo no lado esquerdo, e do outro lado era o Nélson quem começava a surgir cada vez mais no apoio ao ataque, forçando até o treinador do Porto a substituir um dos extremos de forma a tentar travar estas investidas dos laterais. E golo surgiu com uma certa naturalidade, após uma solicitação do Mantorras para o Nélson na direita, que centrou de primeira para o golo do Nuno Gomes (e vão três assistências consecutivas do Nélson nos últimos três jogos do campeonato). Fiquei obviamente contente com o empate, mas confesso que tendo em conta a forma como o jogo decorria, desejei que não abrandássemos, e fôssemos em busca da vitória. Infelizmente tal não aconteceu. Pareceu-me que o Benfica abrandou um pouco, e apesar de a esse abrandamento não ter correspondido um regresso do Porto ao ataque, a verdade é que deixámos de jogar tanto no meio-campo adversário. Depois no último minuto veio aquilo que todos sabemos: um golo perfeitamente idiota quase às três tabelas, no seguimento de um lançamento de linha lateral, e que me deixou com um profundo sentimento de injustiça.

A mim custa-me muito perder um jogo em que fiquei com a sensação que não fomos inferiores ao adversário, e fomos até a melhor equipa durante longos períodos do jogo. Mas conforme disse, só nos podemos queixar de nós próprios. Num jogo destes não se pode dar meia-hora e dois golos de avanço ao adversário. E pior ainda, depois de incrivelmente melhorarmos o nosso rendimento ao ponto de recuperarmos dessa desvantagem, não se pode sofrer um golo estúpido daqueles no seguimento de um lançamento lateral. É preciso não esquecer que o Bruno Morais apareceu completamente sozinho junto à baliza a cabecear. Mas confesso que apesar da tristeza, por outro lado me sinto cada vez mais confiante nas capacidades desta equipa. O que o Benfica fez hoje, ao reagir à adversidade, encostar o Porto lá atrás, mandar no jogo e recuperar de dois golos de vantagem em casa do adversário não é algo que se deva menosprezar. Esta derrota custou, mas não é o fim do mundo. Estamos a seis pontos do primeiro lugar, temos um jogo a menos, e ainda há muito campeonato para jogar. Eu acredito nos nossos jogadores, e acredito que isto vai ao lugar.

P.S.- Esta crónica hoje está sem fotos, porque os simpáticos senhores do FC Porto responsáveis pela organização do jogo resolveram não dar a acreditação à Isabel Cutileiro para que fizesse a reportagem fotográfica no Estádio do Dragão, e assim nos presenteasse com as suas habituais excelentes fotografias. Pelos vistos terem lá 50.000 sócios azuis e brancos a apoiá-los não era suficiente, e tiveram receio de deixar entrar uma benfiquista que fosse.

26 Comments:

At 10/29/2006 10:47 da manhã, Blogger Superman Torras said...

Eu ainda nem sei como estou. Se frustrado pela derrota, tendo em conta a a altura em que surgiu e com o adversário que foi; se irritado pela infantilidade de sermos a primeira equipa, em muito muito tempo, a sofrer um golo a partir de um lançamento lateral; se contente pela reacção da equipa e pela sensação de que, tratando-se de um jogo de campeonato, saímos de lá com as esperanças intactas em ganhar o título.

Não devemos esquecer que não apresentamos dois elementos fundamentais para o nosso meio campo e que o mais importante neste momento é ver se a equipa vai dar continuidade à 2ª parte de ontem nos próximos jogos do campeonato. Há que perceber que a distância que nos separa para os primeiros classificados neste momento não quer dizer nada, ou que pelo menos quer dizer muito pouco, e sinceramente entre todas as reacções possiveis e imaginárias, posso dizer que foi uma derrota que me custou muito menos a digerir do que se tivesse ficado 2:0 ou se de alguma forma se tivesse visto uma superioridade imensa do fcp sobre o SLB.

Em relação ao jogo jogado, a 1ª parte limitou-se a confirmar os meus receios de que a dupla Petit/Katsouranis tem muita dificuldade em ocupar espaços alargados do campo, mais parecendo por vezes que se estão a marcar um ao outro. Não tendo estado presente no estádio é me dificil dizer o que mudou na 2ª parte para se verificar um cenário completamente diverso, ainda que com os mesmos elementos em campo. Não pode ter sido só a entrada do Assis em cena. Ou pode? Houve muitos períodos dos últimos 45 minutos em que iniciavamos a pressão defensiva no meio campo do porto e foram várias as recuperações de bola na sequência desta mudança de atitude.

Pensando bem talvez a entrada do Assis tenha sido mesmo fundamental, não só pelo que ele veio trazer em termos directos (creio que nunca o vi a jogar tanto desde que veio para o Benfica, como o tem feito nos últimos 5,6 jogos) bem como em termos indirectos (mudança de atitude da dupla de médios defensivos, e encosto do Simão à linha saíndo daquela posição de médio ofensivo que nada o beneficia).

Agora é ganhar concludentemente ao Celtic e continuar a recuperação no campeonato nacional que apenas foi interrompida por mera casualidade no dragão.

Há que motivar as tropas F.Santos, e por favor faça-o com garra e emoção, mesclada com a frieza dos que sabem o que fazem obviamente, mas nunca com a complacência e "cabisbaxismo" com que o costumo ver no banco!

Vamos lá...

 
At 10/29/2006 11:45 da manhã, Blogger Filipe Nuno said...

Há muita gente que pensa que o Benfica não tem equipa nenhuma! Posso ter perdido contra o Porto, mas ficou claro que temos equipa. E só tende a melhorar com Micolli, karagounis e Rui Costa de regresso. Gosto da forma como o Benfica joga, com dois pontas de lança e o Simão e o Assis soltos em todo o campo!
Se antes achava que faltava um médio box to box, com o karagounis passamos a colmatar essa falha. Mas mesmo assim acho q precisamos de um central. Costuma-se dizer que as defesas é que ganham os campeonatos e o Benfica sofre demasiados golos. Precisamos de um defesa central de grande classe de forma urgente ou tudo ficará mais difícil...

 
At 10/29/2006 12:11 da tarde, Blogger Pedro said...

Eu preferia perder por 3 ou 4 do q perder assim. Doi menos...daqui a uma semana se calhar falo na "vitória moral" q foi a nossa exibição mas, recuperar de 2-0para 2-2 e depois sofrer um golo daqueles a um minuto do fim ...não consigo aceitar.

Pq raio o Fernando Santos não fez a ultima substituição naquela altura????
Pq raio o homem não queimou tempo nos desconto com a arma q dispunha???

Jogamos bem...aliás jogámos muito bem. Demonstramos q temos uma grande equipa e demonstramos q somos superiores a eles. A equipa tem é q acreditar...e a forma como controlamos o jogo na segunda parte mostra q a equipa acreditou. Agora o treinador...enfim...

Venha de lá o Celtic para esquecermos rapidamente este resultado...se isso for possivel...

 
At 10/29/2006 12:20 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Significativo foi a imagem dos rostos dos "andrades" nas bancadas. aquela imagem de pessoas tremendamente assustadas e em fase de pré- panico como quem está sabendo que está iminente um terramoto devastador e não sabe em que buraco se refugiar. reparem bem nas imagens televisionadas e apreciem os "andrades" prestes a borrarem-se.

 
At 10/29/2006 12:37 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O que noto neste Benfica, nesta altura, é alguma falta de entreajuda, quando é preciso defender. Vêem-se muitas vezes jogadores parados a ver os outros defenderem e quando acordam, já é tarde. Penso que o espírito de equipa deve ser reforçado prque parece estar a decair.
Quanto ao resultado, deixa um sabor muito amargo dado que recuperamos de dois golos de desvantagem (coisa rara neste tipo de jogos) e acabamos por perder num golo inacreditável numa altura em que já não havia tempo para qualquer reacção. O Benfica tem de se manter concentrado, sobretudo na defesa. Infelizmente, estas desconcentrações têm sido uma constante. Só me resta lamentar, secar as lágrimas e FORÇA BENFICA!!!

 
At 10/29/2006 12:40 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Só mais uma coisa, o Mantorras (que critico muitas vezes) entrou muito bem abrindo alguns espaços e fazendo alguns passes como já não lhe via fazer há algum tempo. Terá sido por isso um dos principais obreiros da reviravolta. Merece por isso o meu destaque.

 
At 10/29/2006 1:25 da tarde, Blogger Renato said...

parecia que se iam borrar...

 
At 10/29/2006 1:29 da tarde, Blogger dezazucr said...

a mim cheira-me q este ano vamos continuar sempre com a sensação de que poderíamos tirar algo mais dos jogos.
Alguém que me explique como é que se dá 30m de avanço ao adversário, deixando-o jogar e controlar o jogo a seu bel'prazer.
Factos:
- Este ano sempre que o Benfica jogou com uma equipa +/-, nem digo boa, saiu de lá vergado com 3 golos sofridos
- Este ano, o sector que nos últimos anos dava mais segurança parece ser o mais permissivo: é tão fácil marcar um golo ao Benfica - basta querer.
- O Fernando Santos não tem personalidade. Basta a imprensa ou os adeptos pedirem um jogador e ele coloca-o. Não estava a equipa a jogar bem com o Nuno Assis? Qual a necessidade de forçar o Paulo Jorge se ele vinha de lesão?
- o Benfica este ano não consegue ganhar 2 jogos seguidos. A única excepção (para confirmar a regra) foi o Aves e o Leiria.

Sinceramente, há que reflectir muito sobre este Benfica este ano... muito mesmo. E não adianta tapar o sol com a peneira, pois mesmo que ganhemos ao Celtic, cheira-me que encostamos em Aveiro.
Costumo ser muito optimista, mas este ano cheira-me demasiado a síndrome de Peseiro se é que vocês me entendem.

 
At 10/29/2006 1:37 da tarde, Blogger Pedro F. Ferreira said...

Perdemos este jogo de forma estúpida. Há duas coisas que são inadmissíveis: dar 30 mintos de avanço aos andrades, e permitir um golo, no último minuto, num lançamento lateral. Indesculpável, o primeiro aspecto; ridículo, o segundo.
Um Benfica à Benfica, com ONZE jogadores à Benfica e um treinador com "eles" no sítio, teria ganho este jogo.
Da-se!!

 
At 10/29/2006 2:12 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Concordo contigo D´arcy.

Esta derrota custa muito pela forma como ela aconteceu... mas o teu ultimo paragrafo acho que diz tudo.
Para mim, o mais importante que fica do jogo de ontem é que o complexo de jogar fora com o Porto é definitivamente coisa do passado e que realmente este é o melhor plantel do Benfica dos ultimos anos, e que a sua qualidade se irá impor (a nivel nacional, claro). Não nos podemos esquecer que jogamos sem 3 dos nossos melhores jogadores (miccoli, rui costa e karagounis) e que temos um treinador que é o Pato Donald do futebol português, ás vezes tenho a impressão que o homem quando lança um dado sai-lhe o 0 ;).
...Só uma palavra para um jogador que acho que todos gostamos mas não me parece que lhe da-mos um devido valor, o Leo, para mim é cada vez mais um fora-de-serie que chegou tarde ao Benfica, é um jogador que raramente tem duvidas e poucas vezes se engana...e a bola quando chega ao pezinhos dele é sempre bem tratada, cada vez mais entendo o porquê de no Brasil lhe chamarem "maradoninha".

Vamos Benfica!

 
At 10/29/2006 2:44 da tarde, Blogger antitripa said...

Já agora....alguém que me elucide: Com que parte do corpo é que o shrecktinóni tocou a bola para o burro moraes fazer o 3-2???? Terei sido só eu a ver?

 
At 10/29/2006 2:45 da tarde, Blogger Filipe Nuno said...

Eu acho q em termos defensivos n é espírito de ajuda que falta.O que falta é qualidade mesmo. Um Luisão é um lider, um bom jogador, mas não podemos olhar para ele como um muro intranponível, não o é! Em relação ao rocha, basta ver a forma como ele em vez de cortar a bola, cabeceia para trás no lance do terceiro golo. Precisamos de um central. Alguém que venha e que seja titular, mas de caras. O Benfica já leva 9!!!golos sofridos. Que me lembre já é a terceira vez que sofre 3 golos num jogo!

 
At 10/29/2006 8:03 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O que me aborreceu neste jogo foi constatar que entre o Marcel e o Kikin preferia o Marcel. Quanto ao último golo do fequepe, também não percebo porque é que não houve aquelas cem repetições do costume quando os golos são do Benfica. Não me parece que o passe tenha sido com o braço mas gostava ao menos de ficar esclarecido.

Os andrades lançaram um comunicado sobre a lesão do novo ronaldinho do mais hilariante que já vi. No record

"Anderson foi vítima da violência de uma equipa que, a ter em conta a folha disciplinar, não é propriamente bem comportada".

 
At 10/29/2006 8:29 da tarde, Blogger dezazucr said...

o corte foi com o braço... mas como é contra o Benfica, ninguém liga a isso...

 
At 10/29/2006 9:29 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O comunicado dos Filhos da Corrupção é simplesmente orgásmico. É de ir às lágrimas de tanto rir!

 
At 10/29/2006 11:12 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Pois a mim nao me da graca nenhuma
E assim que se fazem as intrujices e patrnahas em Portugal
No proximo jogo vamos ter mais um abilidoso do apito, e mais uma catrefada de cartoes.
O pior ainda e que ja li uns poucos de artigos, un deles na Bola, a apelidarem a lesao do Anderson de "agresao barbara".
Para bom entendedor, meia palavra basta

 
At 10/30/2006 1:45 da manhã, Blogger Super Esbutenado said...

Fomos muito anjinhos ontem e ficou mais que provado que temos mais do que equipa para sermos campeoes, assim haja a necessaria CORAGEM para que isso aconteca.
O FS nao inventou tanto como noutros jogos, mas mesmo assim nao consigo gostar do gajo. Como alguem disse, e muito bem, porque raio nao faz uma substituicao no ultimo minuto?? Mais, sofrer um golo daqueles, de lancamento lateral, ja nem em Inglaterra se vem golos destes, e quem sofre um golo assim, perde o jogo e justamente, nao merece ganhar.
O clube-bordel teve uma sorte descomunal, mas a sorte tambem se acaba. O Nelson e' comido que nem um junior no segundo golo e o Ricardo Rocha no terceiro, no comments. Alias, parece-me que precisamos e' de ir comprar defesas em Dezembro, porque analisando a frequencia com que levamos 3 golos, assim nao vamos a lado nenhum.
Deste jogo, o que mais me preocupa sao as provas claras das vacas sagradas que existem no Benfica. A nao ser que estejam lesionados ou castigados, Luisao, Petit, Rui Costa, Simao e Nuno Gomes jogam sempre e nunca sao substituidos. Neste momento o Petit nao e' titular do Benfica, tao simples quanto isto. Sem lesoes, o meio campo do Benfica tem que ser formado pelos gregos mais o Rui Costa. Duvido muito e' que o FS tenha a coragem para sentar o Petit no banco.
Enfim, o ano passado ganhamos os 2 jogos ao porco e eles e' que ganharam o campeonato. Siga a marinha, que ainda ha muita bola para rolar.

 
At 10/30/2006 10:10 da manhã, Anonymous Anónimo said...

A insustentável leveza de perder pontos nos minutos finais
Começo o balanço desta jornada com as palavras de Simão Sabrosa: “Fizemos uma segunda parte fantástica”. Pois…. Mas os jogos têm 90 minutos, não se pode jogar somente 45 e, além disso, acabam quando o árbitro manda os jogadores para o balneário.
Realmente, ainda não se percebeu bem o que vale este Benfica de Fernando Santos (sim, de Fernando Santos, porque com outro treinador valeria muito mais, coisa que não seria muito difícil), capaz do 8 e do 80. Depois de uma primeira parte absolutamente desastrosa, com os jogadores incapazes de segurar e circular a bola, o Benfica transfigura-se e empata o jogo. Com todas as condições para, no mínimo, empatar, a defesa tem mais uma paragem cerebral e nova derrota, com mais um golo sofrido nos minutos finais. E assim se perdem três pontos, basta lembrar Paços de Ferreira….
Analisando o jogo, na minha opinião, o empate seria o resultado mais justo, mas equipa que defende como o Benfica, nunca poderá ter muitas aspirações. Relembro aqui as palavras de Paulo Bento a propósito do terceiro golo do Beira – Mar: “ A um minuto do fim, o jogo tem de acabar, não se pode jogar bonito”. Exactamente, sem mais…. E só nesta jornada o FC Porto amealha um bom avanço, devido a erros defensivos de palmatória.
A nível individual:
Simão Sabrosa (quem me conhece sabe que não morro de amores pelo capitão do Benfica): Foi o único a ter momentos de lucidez naquele naufrágio que foi a primeira parte do desafio.
Ricardo Rocha ( um dos meus ódios de estimação): Uma vez mais, como é seu hábito, Rocha está ligado aos golos do adversário. No primeiro golo, deixa Postiga virar-se para rematar; no terceiro dos dragões, deixa que haja um adversário cabeceie no interior da área. Para os mais atentos, recordemos as principais derrotas do Benfica e todas têm a marca deste jogador que, segundo alguns, é dos melhores centrais portugueses (é tal e qual Argel, mas goza de uma protecção inexplicável. O marketing da comunicação social deve ajudá-lo…)
Petit: Muito daquilo que se passa no meio campo do Benfica deve-se a Petit, que não joga absolutamente nada e a defender é um autêntico desastre. “Que pasa”?
Quim: Quim não atravessa um bom momento, não tenhamos dúvidas. Se já fui defensor da sua titularidade e acho que o último título passou muito por ele, temos de ser realistas… Bolas para a pequena área em cruzamento são golo praticamente certo. Acho que não está isento de culpas nos golos de Quaresma e Bruno Moraes.
Nelson: Já aqui o disse. Está irreconhecível. Apesar de atacar bem, ainda tem muito que aprender a defender. Além disso, não deveria estar preparado para Quaresma???
Globalmente, a equipa revela-se um conjunto muito bom quando tem bola, mas não sabe jogar sem ela e isso, no futebol dos nossos dias, é tão ou mais importante do que a posse de bola. E equipa que marca dois golos no Estádio do Dragão não pode perder o jogo, de maneira alguma. E para mim, ao contrário do que diz Fernando Santos, isto não é futebol, é falta de preparação física, técnica, táctica e, principalmente, MENTALIDADE.
Uma vez mais, como é apanágio deste “pseudo – treinador” a equipa entrou medrosa, confusa, sem disciplina táctica, enfim…. Cada vez mais me convenço que o Benfica já perdeu meses só por estar a ser treinada por Fernando Santos. Será que a defesa do Benfica não treina os lances por alto? É que são golos de cabeça (na pequena – área) do Boavista, do Paços, do Estrela, do Porto, etc, etc, etc…
Relativamente ao Sporting, as palavras de Paulo Bento dizem tudo: não se podem perder pontos daquela maneira, ainda mais no último minuto do jogo.
P.S: Acabo de saber que o Marítimo ganhou em Braga por 4-1. Deve estar a preparar-se mais uma enorme exibição com o Benfica na capital do Minho.
P.S 2: Vem aí o Celtic e o Beira – Mar que, confesso, são equipas que não me deixam muito optimista. Os escoceses têm um espírito de luta absolutamente fabuloso (capacidade que o Benfica não tem), e a equipa de Aveiro tem Jardel com um velho hábito de marcar sempre ao Benfica.
P.S 3: Após sete jogos no campeonato já são seis pontos de diferença para o primeiro classificado e, ainda mais grave, oito pontos perdidos…. A manter esta média nem à Taça Uefa vamos.
www.malucodofutebol.blogspot.com

 
At 10/30/2006 10:11 da manhã, Anonymous Anónimo said...

A insustentável leveza de perder pontos nos minutos finais
Começo o balanço desta jornada com as palavras de Simão Sabrosa: “Fizemos uma segunda parte fantástica”. Pois…. Mas os jogos têm 90 minutos, não se pode jogar somente 45 e, além disso, acabam quando o árbitro manda os jogadores para o balneário.
Realmente, ainda não se percebeu bem o que vale este Benfica de Fernando Santos (sim, de Fernando Santos, porque com outro treinador valeria muito mais, coisa que não seria muito difícil), capaz do 8 e do 80. Depois de uma primeira parte absolutamente desastrosa, com os jogadores incapazes de segurar e circular a bola, o Benfica transfigura-se e empata o jogo. Com todas as condições para, no mínimo, empatar, a defesa tem mais uma paragem cerebral e nova derrota, com mais um golo sofrido nos minutos finais. E assim se perdem três pontos, basta lembrar Paços de Ferreira….
Analisando o jogo, na minha opinião, o empate seria o resultado mais justo, mas equipa que defende como o Benfica, nunca poderá ter muitas aspirações. Relembro aqui as palavras de Paulo Bento a propósito do terceiro golo do Beira – Mar: “ A um minuto do fim, o jogo tem de acabar, não se pode jogar bonito”. Exactamente, sem mais…. E só nesta jornada o FC Porto amealha um bom avanço, devido a erros defensivos de palmatória.
A nível individual:
Simão Sabrosa (quem me conhece sabe que não morro de amores pelo capitão do Benfica): Foi o único a ter momentos de lucidez naquele naufrágio que foi a primeira parte do desafio.
Ricardo Rocha ( um dos meus ódios de estimação): Uma vez mais, como é seu hábito, Rocha está ligado aos golos do adversário. No primeiro golo, deixa Postiga virar-se para rematar; no terceiro dos dragões, deixa que haja um adversário cabeceie no interior da área. Para os mais atentos, recordemos as principais derrotas do Benfica e todas têm a marca deste jogador que, segundo alguns, é dos melhores centrais portugueses (é tal e qual Argel, mas goza de uma protecção inexplicável. O marketing da comunicação social deve ajudá-lo…)
Petit: Muito daquilo que se passa no meio campo do Benfica deve-se a Petit, que não joga absolutamente nada e a defender é um autêntico desastre. “Que pasa”?
Quim: Quim não atravessa um bom momento, não tenhamos dúvidas. Se já fui defensor da sua titularidade e acho que o último título passou muito por ele, temos de ser realistas… Bolas para a pequena área em cruzamento são golo praticamente certo. Acho que não está isento de culpas nos golos de Quaresma e Bruno Moraes.
Nelson: Já aqui o disse. Está irreconhecível. Apesar de atacar bem, ainda tem muito que aprender a defender. Além disso, não deveria estar preparado para Quaresma???
Globalmente, a equipa revela-se um conjunto muito bom quando tem bola, mas não sabe jogar sem ela e isso, no futebol dos nossos dias, é tão ou mais importante do que a posse de bola. E equipa que marca dois golos no Estádio do Dragão não pode perder o jogo, de maneira alguma. E para mim, ao contrário do que diz Fernando Santos, isto não é futebol, é falta de preparação física, técnica, táctica e, principalmente, MENTALIDADE.
Uma vez mais, como é apanágio deste “pseudo – treinador” a equipa entrou medrosa, confusa, sem disciplina táctica, enfim…. Cada vez mais me convenço que o Benfica já perdeu meses só por estar a ser treinada por Fernando Santos. Será que a defesa do Benfica não treina os lances por alto? É que são golos de cabeça (na pequena – área) do Boavista, do Paços, do Estrela, do Porto, etc, etc, etc…
Relativamente ao Sporting, as palavras de Paulo Bento dizem tudo: não se podem perder pontos daquela maneira, ainda mais no último minuto do jogo.
P.S: Acabo de saber que o Marítimo ganhou em Braga por 4-1. Deve estar a preparar-se mais uma enorme exibição com o Benfica na capital do Minho.
P.S 2: Vem aí o Celtic e o Beira – Mar que, confesso, são equipas que não me deixam muito optimista. Os escoceses têm um espírito de luta absolutamente fabuloso (capacidade que o Benfica não tem), e a equipa de Aveiro tem Jardel com um velho hábito de marcar sempre ao Benfica.
P.S 3: Após sete jogos no campeonato já são seis pontos de diferença para o primeiro classificado e, ainda mais grave, oito pontos perdidos…. A manter esta média nem à Taça Uefa vamos.

 
At 10/30/2006 10:23 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Acho que hoje ainda me sinto arrasado com a derrota, mas também houve coisas que gostei, daí não compreender alguns comentários que aqui andam. Já se "malha" no Quim, Rocha, Petit... é a mania de tratar mal os jogadores que suam e lutam por aquela camisola, e esquecer tudo o que eles fizeram pelo nosso Glorioso. E criticar o FS por não ter queimado tempo??? Por favor, decidam-se! O Benfica estava a jogar bem, continuou a trocar bem a bola, e penso que os nossos jogadores acredtivam que podiam ganhar e queriam que o FS desse um sinal para parar o jogo e ficar com o empate? Não comparem com o que o Paulo Bento disse porque o Sporting estava a ganhar!
Mas claro que também me preocupa a insegurança da nossa defesa (não consigo perceber o que se passa) e o adormecimento inicial, mas deu-me gozo ver o Benfica a mandar no Dragão e aqueles porcos todos borrados nas bancadas...vamos lá ganhar 4ª e esquecer isto!

 
At 10/30/2006 10:46 da manhã, Blogger tma said...

Mais uma vez segui o jogo através de relato radiofónico.
Sinceramente só li o teu post de relance, mas fico com a noção que a tua opinião acerca do jogo é mto semelhante à minha: inexplicável a forma como o Benfica se deixou dominar por completo durante grande parte do primeiro tempo (talvez acusando aquele 1º golo esquisito...), e temi bem pior que o 0-2 com que chegámos ao intervalo... Fiquei um pouco mais tranquilo com o final da primeira parte, e nunca perdi a esperança de que o Benfica "desse a volta" (ou "meia-volta", pelo menos, i.e., chegar ao empate) na 2ª parte.
Fiquei com a sensação que a entrada do Nuno Assis foi fundamentarl, já que ele era o elemento que faltava para agilizar as transições entre o meio campo e o ataque.
Fiquei bastante radiante quando o Nuno Gomes (em quem as rádios estavam invariavelmente a "cascar"...) fez o empate, e cheguei até a pensar, pelo que estava a ouvir, que o Benfica podia ganhar. Como dizes, recuperar dois golos de desvantagem no campo do FCP e ainda para mais chegar à fase final a dominar o jogo é algo que deve ser elogiado (considerando que tenho sido um crítico do F. Santos, tb lhe reconheço mérito quando ele o merece). Mas não se sofre golos como aquele no último minuto... É de uma infatilidade extrema. Por acaso, calhou estar a fazer zapping e ver o Dito a falar na RTP N, e acho que o comentário dele foi bastante acertado: a fase mais complicada do Benfica, em termos de "identidade" do seu jogo, já passou (embora na minha opinião, aqueles 30 e tal mins iniciais ainda demonstrem que há mto trabalho a fazer) - o Benfica já não é uma equipa sem rumo... No entanto, ainda falta "maturidade" e auto-controlo (algo que se ganha com a confiança transmitida por bons resultados) para lidar com situações destas. É verdade que estavam a dominar, mas talvez mais valesse segurarem a bola e ter a certeza que o empate não fugiria (como disse o Pedro, talvez o FS devesse ter feito a 3ª substituição nessa altura...)
Em suma, fiquei bastante chateado com a forma como perdemos e com a parte inicial do jogo, mas o facto de termos recuperado do 0-2 leva-me a pensar com algum optimismo (moderado, claro) nos próximos jogos. Pelo menos, acho que temos a obrigação de na 4ª feira ganhar ao Celtic e creio que temos tudo para o fazer. Podemos até não nos conseguir apurar para os oitavos (pq não dependemos de nós próprios), mas ao menos que ganhem os jogos que têm obrigação de ganhar e o de 4ª é um deles.

 
At 10/30/2006 11:26 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Aquilo foi mesmo azar. Veremos o que se passa no futuro; talvez tenhamos perdido o jogo, mas ganho uma equipa. É só não perderem pontos com os pequenos, que este resultado não fará grande diferença. Mas aqueles andrades tiveram cá uma sorte. Se nós tivessemos esta sorte (bolas ao poste do PJorge na LCE p,ex) talvez as coisas fossem diferentes.

 
At 10/30/2006 11:44 da manhã, Anonymous Anónimo said...

O Benfica não esteve sozinho. Na Bancada Sapo/ADSL estavam perto de mim 5 Benfiquistas. Sempre serenos... E os Diabos lá conseguiram 300 bilhetes. Entraram aos 17 minutos e calaram o Dragon na segunda parte. Como os campeonatos não se perdem com os grandes, fico com a sensação que poderemos ter ganho apartir deste momento uma equipa. Pois a reacção na 2ª parte foi fenomenal, se bem que me custou ver que em vez de lutarmos para o 3º, abdicámos completamente de tentar. Percebo que neste caso face à forma como decorreu o jogo os profissionais pensem" Já está!". mas só mais uma bola para a área e chegávamos lá. O 3º golo dos azuis custa, porque o Leo faz uma ronhazinha e a falta dele na marcação ao Bruno Moraes na área seria o suficiente para ele não aparecer sozinho. Mas reagimos, ganhando ao Belenense ficamos a 3 pontos, e a um sportem, que se tudo correr bem dia 1 de Dezembro ganhamos e assim estamos lá! Onde merecemos: na frente!

 
At 10/30/2006 3:29 da tarde, Blogger último! said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

 
At 10/30/2006 3:34 da tarde, Blogger último! said...

Criticar o treinador é muito normal para alguns benfiquistas mas há muito tempo que não tínhamos um treinador que fizesse tantas vontades aos sócios:

- Joga dois avançados, tenta mandar no jogo independentemente do campo, joga na luz sem trincos se necessário contra equipas mais fracas, deixámos de jogar à defesa... agora se isto dá resultados já é outra questão.

Para mim o homem não tem é sorte ou estrelinha nenhuma, o primeiro golo é um remate desviado acidentalmente, o último é as três tabelas!?
Que culpa pode ter um treinador nestes golos!

Continuo a afirmar que temos o melhor plantel dos últimos 20 anos e no fim faremos as contas.

Obs: não é com mudanças de treinador que se ganham campeonatos, e os que criticam o Fernando Santos são os mesmos que criticavam o Koeman e o Trapa

Força Benfica

 
At 10/30/2006 6:29 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Neste momento estou plenamente de acordo contigo, rato. Por norma sou sempre contra chicotadas.

 

Enviar um comentário

<< Home