quinta-feira, maio 26, 2005

Festa

Bem, se calhar já é um pouco tarde para isto, mas não queria deixar de escrever sobre o jogo que marcou o fim de um triste período de dez anos sem ganharmos o campeonato. Até porque este post já estava preparado desde Domingo à noite.


O Benfica entrou em campo mais uma vez nos braços da incrível onda vermelha que durante as últimas jornadas da Superliga nunca deixou de empurrar a nossa equipa para o título. Apresentando aquele que se pode considerar o nosso onze base, o Benfica começou o jogo com uma grande calma, e para minha grande satisfação, parecendo querer ir à procura da vitória, em vez de jogar para o empate que serviria perfeitamente as nossas aspirações. Fiquei muito confiante com esta entrada no jogo, porque a equipa parecia muito segura e controlada, empurrando o Boavista para a defesa sem no entanto jogar em ataque desenfreado. Todos esperavamos o golo que nos sossegasse um pouco, mas não parecia estar fácil, até porque o Khadim estava inspirado.

O golo surgiu finalmente a apenas sete minutos do intervalo, na transformação de um penalti pelo Simão, a punir um corte com a mão do Cadu. Claro que, fiel ao meu fatalismo, desde o momento em que o Pedro Henriques (que é sem dúvida o meu árbitro português preferido) apitou, até a bola beijar as redes que passei o tempo todo a pensar 'O Simão vai falhar isto'. Mas ele não falhou, teve os nervos de um campeão e atirou o guarda-redes para um lado, e a bola para o outro. A partir daqui o meu pensamento passou a ser 'Não se deixem empatar antes do intervalo!'. Só que estamos mesmo destinados a sofrer, e na sequência de um canto, num dos raríssimos remates que o Boavista conseguiu fazer, uma desatenção da nossa defesa resultou num golo sofrido de forma infantil. Este golo foi um rude golpe na minha confiança, porque estava convencido que chegando ao intervalo a ganhar, tudo seria mais fácil.


Logo no início da segunda parte, o Simão quase marcava, mas o Khadim fez uma defesa incrível, que me fez pensar logo 'Pronto! Agora é que não marcamos de certeza!'. Este lance deu início à parte pior da tarde, em que eu só andava de um lado para o outro à frente da televisão, sem me conseguir sentar, e quase sem coragem para ver o jogo. No Dragão o FC Porto marcava, e na minha óptica o Benfica estava a ceder a iniciativa de jogo ao Boavista. Quando o Trapattoni tirou o Geovanni para meter o João Pereira desesperei, porque me parecia que estávamos a abdicar de lutar pela vitória cedo demais. Em retrospectiva, e agora que tudo está resolvido, parece-me que a minha preocupação era disparatada demais, e fruto sobretudo do nervosismo. A verdade é que não me consigo recordar de uma única oportunidade de golo do Boavista durante a segunda parte, nem sequer de uma defesa mais apertada do Quim.

A partir dos setenta minutos de jogo, o Benfica pareceu querer resolver o assunto de vez. Voltámos a crescer, o apoio da nossa fantástica massa associativa motivava a equipa, e o título estava ali tão perto. Passou-se a jogar mais no meio-campo boavisteiro, mas os minutos pareciam passar tão, tão devagar. Até que, cerca dos 88 minutos de jogo, e durante a eternidade que aqueles últimos cinco minutos demoravam, ouve-se uma explosão de alegria no Bessa. A minha querida Briosa tinha dado uma ajuda, e marcou no Dragão. O Álvaro Magalhães, como sempre com o coração muito perto da boca, começou a festejar, e as lágrimas começaram a aparecer-me nos olhos. Senti que já estava, já ninguém nos tirava este título. O jogo acabou logo a seguir, e comecei imediatamente a ouvir a euforia benfiquista lá fora.


Depois, ao longo da noite, fui vendo a nossa festa deflagrar um pouco por todo o país, e por esse mundo fora onde existem benfiquistas. Ver esta festa foi uma alegria quase comparável à do próprio título. Vila Real, Bragança, Porto, Aveiro, Covilhã, Castelo Branco, Coimbra, Lisboa, Évora, Faro, Funchal, Açores... por toda a parte a mancha vermelha invadia as ruas, e dava largas à sua alegria. E depois por esse mundo fora: Genève, Paris, Bruxelas, Newark, Maputo, Luanda, Bissau... soube tão bem ver toda esta festa, que foi apenas manchada pela atitude de um punhado de energúmenos (que eu seguramente não confundo com os adeptos portistas em geral) que na escala evolucional do homem estagnou algures na época do Cro Magnon e do Neanderthal (até vinham armados com as tradicionais clavas). Mas as imagens que vi do trajecto do autocarro da nossa equipa, e da chegada ao Aeroporto Sá Carneiro foram por demais evidentes da realidade que estes animais tentavam à força esconder. É que há mesmo muito vermelho no Porto!


E a festa terminou já depois das quatro da manhã, num Estádio da Luz quase cheio (onde eu me incluo), numa demonstração de fervor clubístico como há muito não via. Naqueles momentos, só me vinha à cabeça a frase inicial do nosso hino: "Sou do Benfica, e isso me envaidece!".

16 Comments:

At 5/26/2005 5:11 da manhã, Anonymous hugbubble said...

essa festa toda q vimos em tantas cidades do país e em tantas cidades do mundo, demonstra de forma inequívoca quem é grande e quem pensa que é.

e o Benfica é grande.
o Benfica é que é grande.
por muito q isso custe aos outros.
ponto final parágrafo.

em relação aos poios de merda q bateram com paus, bastões e tacos de basebol em portuenses q vivem na mesma cidade q eles, não te iludas d'arcy, aquilo é o típico adepto portista.
aquilo não são excepçoes, aquilo é a regra.

excepçoes podem ser alguns adeptos q tu conheces, como eu tb conheço alguns.

mas aqueles são o protótipo do adepto portista.
e não vimos apenas grunhos dos SD's, vimos velhos, vimos mulheres, vimos crianças e mais nao sei quê a enxovalhar pessoas da mesma cidade, o q torna as coisas mais graves.
é q nao eram meia duzia de no names ou diabos vermelhos, eram familias q simpatizam e sao adeptas do benfica q festejavam na sua cidade.

e o tipico adepto portista, basico ignorante e analfabeto como é, acha-se acima da lei e de todos os direitos civicos e pensa q pode fazer o q quer e o q lhe dá na real gana..

antigamente dizia-se q só ia para polícia quem era ignorante.
como os polícias q lá estavam eram do antigamente, é só somar 2+2 e perceber como é q isto foi permitido.

 
At 5/26/2005 11:15 da manhã, Blogger Pedro F. Ferreira said...

Ser do Benfica é ter o prazer, mas também a responsabilidade, de ser imensamente grande. Os outros não têm esse prazer, nem essa responsabilidade. Por isso, muitos, são uns irresponsáveis tristes.

Sobre a jantarada, enviar-te-ei um mail em breve. Saudações benfiquistas.

 
At 5/26/2005 9:54 da tarde, Blogger Ahab said...

Então e o Trapp, fica ou vai?

Esta é a questão que vai tirar a limpo o que é os benfiquistas pensam na realidade acerca do que aconteceu esta época.

Se quiserem que ele fique é porque acham que ele teve mérito e que a vossa vitória não foi por acaso.

Se quiserem que ele vá embora é porque no fundo, para lá de toda a retórica e da mistica benfiquista, voces acham que ganharam este campeonato por pura sorte e por falta de mérito dos adversários. Que, atenção!, é uma forma tão válida de vencer um campeonato como qualquer outra!

D´Arcy, em face de todos os posts "anti-Trapp" que aqui escreveste o que achas que deve acontecer?

 
At 5/26/2005 10:20 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Quando a época acabar, escrevo sobre o assunto.

 
At 5/27/2005 1:48 da manhã, Anonymous Anónimo said...

O Couceiro tinha razão. Ele disse antes da jornada começar que o campeonato se ia decidir nos últimos 10 minutos, e teve toda a razão.
Espero que aprendam uma lição. Só se devem lançar os foguetes no fim da festa e não antes.
Eu sou do Benfica e tenho todo o orgulho de o ser, e esta época sempre disse que no fim é que se iam fazer as contas, nunca andei a dizer, como disse noutros anos "que este ano é que é".
O titulo foi dificil de conquistar, mas com um pouco de sorte(a sorte faz parte do jogo) à mistura, lá se conseguiu quebrar um jejum de onze anos.
Eu sei que não temos a melhor equipa, o plantel mais equilibrado da superliga, como as equipas dos nossos rivais, mas esta equipa foi a mais regular, e se calhar também a mais estável e únida do campeonato.
Não interessa falar se o conseguimos com ajuda deste ou daquele(à quem diga até que o Feher lá em cima nos ajudou nalguns golos).
Todos os grandes foram ajudados e prejudicados mas quem somou mais pontos fomos nós, O Glorioso.
Agora é só andar para a frente, porque o que passou passou, e o que interessa são os novos titulos que ai veêm, porque se tudo correr bem, com ou sem Trapalhone, com ou sem Camacho o futuro há-de ser vitorioso como sempre foi e sempre será.
Viva o Benfica e domingo seja o que Deus quiser.

 
At 5/27/2005 1:49 da manhã, Anonymous hugbubble said...

o trapp ganhou um campeonato na sua 1ª epoca em portugal.
ainda pode ganhar uma taça de portugal, mas mesmo q nao ganhe isso ja nao lhe vai tirar o lugar especial q terá reservado para sempre na historia do benfica.

o peseiro, na sua 2ª epoca em portugal, perdeu numa semana o campeonato, uma final da uefa e o acesso directo à liga dos campeoes.

acho q nao sao os benfiquistas q têm de estar preocupados se o seu treinador fica ou nao fica..

 
At 5/27/2005 2:05 da manhã, Blogger João Pedro said...

Outro excelente post que mostra toda a emoção na hora da vitória.
Estive no Bessa (moro a quatrocentos metros), a trâs filas do relvado com o banco do Benfica virado para mim. O golo do boavista custou muito, as pessoas enervaram-se, os poucos adeptos de xadrez gozavam conosco, eu já via o caso malparado. Mas a entrada de Mantorras, como sempre, deu novo ânimo à equipa, que tomou de aaslto a baliza de Khadim. E de repente, o grande momento: golo da Briosa. Incêndio no estádio, tido aos saltos, até ao momento inesquecível da apito final. Gente a gritar, gente a chorar, pessoas que não se conheciam de parte nenhuma aos abraços, os jogadores a agradecer...E depois, toda a noite a Avenida da Boavista, indiferente a portistas trombudos (um ou outro, apelidados de "cabeçudos")pintada de vermelho, e as milhares de pessoas que seguiram a camioneta e a brindaram (sobretudo de Matosinhos, terra do lencarnado Leixões), e depois a apoteose em Pedras Rubras, como nem o Porto tinha conseguido...enfim, uma noite que não esquecerei nunca, uma noite em que o Porto se coloriu de vermelho.

 
At 5/27/2005 8:11 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Aquilo que os SD fizerem na avenida dos aliados, comparado com o que os "NN bois" fizeram na final da taça o ano passado, foi uma bincadeira.
Os benfiquistas nem podem falar em "fair play" pois é o clube que mais casos tem, basta recordar o very light e as barbaras agressões á equipa de Hoquei do FCP, que passaram sempre impunes. Por isso não admira ver o Capitão e a equipa a ter canticos vergonhosos e condenáveis sem ninguém os referir nem condenar. Por muito menos o ETO veio publicamente pedir desculpas e foi multado pesadamente, mas aos benfiquistas tudo é permitido, os outros é que são sempre condenados, basta ter uma CD da liga "comprada".
Essas atitudes jogarão sempre contra quem os pratica, cada vez os benfiquistas, apesar de serem muitos, estão cada vez mais sós, cresce a onda anti-benfiquista, não a anti-benfica.

 
At 5/27/2005 9:39 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Pelo que me recordo, os NN não foram os únicos culpados do que se passou o ano passado. Os inefáveis SD também estiveram (para variar) metidos ao barulho.

De qualquer forma, não estou a defender os NN. O que eu gostava de saber é se este último comentário é por acaso uma tentativa de desculpabilização da atitude dos SD. As atitudes idiotas continuam a ser idiotas, venham elas de onde vierem, sejam da minha claque ou da dos outros. Estar a dizer 'Ah, e tal, os nossos foram bárbaros, mas só o foram porque os outros também foram' não faz sentido nenhum.

Já que mencionas as bárbaras agressões à equipa de hóquei do FCP, vamos falar sobre o assunto. Isso passou-se há cerca de oito anos, e eu por acaso até estive no pavilhão da Luz nesse dia. O jogo terminou, se a memória não me falha, 5-5. Durante o mesmo, os jogadores do FCP, com especial realce para o Tó Neves (que era o capitão de equipa), passaram o tempo todo a provocar a claque do SLB. Tendo em conta que era um jogo decisivo para o título, tendo em conta que a rivalidade é grande, e tendo em conta que num jogo de hóquei o público está muito perto dos jogadores, este tipo de atitude não me parece de forma alguma sensato. Quando, após o fim do jogo, os jogadores do FCP abandonaram o estádio, e mesmo sabendo que havia membros das claques que estavam ainda lá fora, sairam de sticks em punho, e voltaram a insultar as pessoas que lá estavam. Mais uma vez, isto não me parece uma atitude sensata.

A minha opinião sobre o assunto? Foi uma atitude vergonhosa e lamentável por parte dos membros das claques que agrediram os jogadores do FCP. Deveriam ter sido punidos severamente. Sou um adepto confesso do hóquei, e detestei ver a tribo do futebol ir para o hóquei e levar com ela aquilo que de pior o futebol tem. Mesmo as atitudes lamentáveis do Tó Neves não justificam de forma alguma o que se passou. Percebes o que eu estou a querer dizer? Pelos vistos tu achas que a atitude dos SD é justificável, porque antes já houve pessoas do SLB que tiveram atitudes condenáveis, e porque o nosso capitão, entre benfiquistas, e para benfiquistas, terá dito algo que não te agradou.

O que os SD fizeram é vergonhoso. E quando digo que acho vergonhoso, não quer dizer que não ache outras atitudes do género levadas a cabo pelos benfiquistas não sejam igualmente vergonhosas. Mas neste caso específico dos SD, a vergonha é ainda maior porque o que eles fizeram foi PREMEDITADO. Eles planearam e até se deram ao luxo de ameaçar veladamente o que iriam fazer com dias de antecedência. O que desde já impede que isto caa exactamente no mesmo saco que os exemplos que referiste, que foram situações 'instantâneas'. Ou achas que o Hugo Inácio andou a semana toda a pensar 'Vou levar uns very-lights para o Jamor e matar um sportinguista'? Na minha opinião o gajo devia ser tão ignorante que nem sequer fazia ideia que podia matar alguém com aquilo.

O Eto'o foi multado pelo clube, não pela justiça federativa. E o que ele disse não foi 'muito menos'. E quanto ao CD da Liga comprado, já nem sequer me vou dignar a responder. Já dei para esse peditório. Quando vejo adeptos do FCP a queixarem-se de 'compras', e de corrupção, a ironia da situação é tanta que me retira um bom bocado da minha capacidade de argumentação.

 
At 5/27/2005 11:59 da manhã, Blogger tma said...

E já agora, relativamente ao episódio das agressões à equipa de hóquei do FCP, deve-se acrescentar que a semana que precedeu o jogo foi caracterizada pelos habituais discursos incendiários do PdaC.
Mas tamém acho que de forma alguma isso é justificação para o que se sucedeu na altura. Atitudes dessas não só me repugnam enquanto adepto do desporto mas também como cidadão português.

 
At 5/27/2005 1:50 da tarde, Blogger Ahab said...

É bom que os benfiquistas se pronuniciem depressa acerca do que pensam do futuro do Trapp porque o LFV (esse santo do Benfiquismo) já veio dizer que o Trapp fica e que o Veiga também fica...

Acho que os benfiquistas vão acreditar mais uma vez que as decisões do LFV foram iluminadas pelo espirito santo da mistica benfiquista.

Acho que esse é um dos dogmas da fé benfiquista: a crença na infalibilidade do Sr. Presidente... pelo que as suas decisões não podem nunca ser questionadas nem postas em causa.

Assim, de novo, pergunto ao D`Arcy o que é que ele vai aqui escrever acerca do assunto. Porque o que está aqui em causa é: acreditam que este é o melhor rumo para o clube e que o titulo surgiu na sequencia duma estratégia segura e estruturada(AH!AH!AH!AH!AH!AH!AH!AH!) ou que o titulo foi fruto do acaso e que no fundo o Benfica precisa de mudar para funcionar melhor.

Esta é a questão que se vai pôr aos benfiquistas nos próximos tempos e é o que vai distinguir os benfiquistas inteligentes dos benfiquistas fanáticos e seguidores acefalos de todas as patranhas que lhes são vendidas pelos seus dirigentes.

 
At 5/27/2005 8:10 da tarde, Anonymous hugbubble said...

uma vez mais, volto a dizer, o trapp ganhou um campeonato na sua 1ª epoca em portugal e, pode ainda vir a ganhar a taça de portugal.

o peseiro, perdeu o campeonato, uma final da taça uefa e o 2º lugar q dava acesso directo à champions. tudo isto em apenas uma semana e depois de já ter sido arrumado da taça.. pelo trapp.

continuo a achar q nao sao os benfiquistas q devem estar preocupados se o trapp continua ou nao...

e ja agora, o q dizem os sportinguistas acerca das tentativas de agressao ao joao moutinho?
por acaso tem piada andaram mais preocupados com o 'trappatoni fica nao fica'...

em relaçao ao hoquei, a triparia ja esqueceu a stickada do paulo alves numa criança (sim, era um puto..) aquando dum benfica - fcp há meia duzia de anos?
é q nao lhes reconheço moral nenhum para falarem em 'agressões bárbaras'...

 
At 5/28/2005 10:33 da manhã, Blogger Oscarito said...

Texto de Leonor Pinhão
Era isto que não queriam ver
Sportinguistas e portistas explicam agora aos filhos que aquela multidão na rua pelo país todo não eram pessoas a sério. Era, como nos filmes de Hollywood, uma multidão desenhada no computador, um efeito especial multiplicador do género humano
ERA precisamente disto que os nossos adversários tinham receio. Era isto que não queriam ver.Mais do que o Benfica ganhar o campeonato era do que se ia passar a seguir. E do que se passou. Sportinguistas e portistas explicam agora aos filhos que aquela multidão na rua pelo país todo nãoerampessoasasério.Era, como nos filmes de Hollywood,umamultidão desenhada no computador, umefeito especial multiplicador do género humano, bastando meia dúzia de figurantes para os transformar em milhões, tal como o exército de Alexandre, o Grande, no filme de Oliver Stone. Como devido respeito, é agora a vez deles de fantasiar, de mentir um bocadinho às crianças. Os portistas dizem aos filhos que o Benfica ganhou o campeonato porque criou uma rede de viagens turísticas à margem sul e de distribuição de fruta e de caramelos que manteve os homens do apito sob a sua alçada psicológica. Os sportinguistas explicam aos seus rebentos como foram superiormente bem assinalados aqueles 47 penalties para Mário Jardel, no ano do último título. Os portistas mais velhos explicam aos portistas mais novos que o Joeano nunca existiu e que aquele golo da Académica foi objectivamente marcado pelo dr. Cunha Leal, director executivo da Liga, disfarçado de moreninho, porque para o Benfica o mais importante de tudo é dispor de funcionários com um bom pé direito na sede da Liga. E explicam mais: que aquele senhor que se parecia com o Vítor Baía e que deu os parabéns ao Benfica pelo título conquistado não era nada o Vítor Baía. Era, porque se estava na Casa da Música, o maestro António Vitorino de Almeida, indecentemente disfarçado de Vítor Baía. Os sportinguistasmais velhos explicam aos mais novos que os organizadores da Gala da Super- Liga eram benfiquistas perversos, porque só assim se explicam os 32 prémios entregues a José Peseiro, obrigando-o a subir ao palco a noite toda para que ninguém se esquecesse. E explicam mais: que todos os golos irregulares marcados pelo Nacional da Madeira em Alvalade foram para ajudar o Benfica e nunca para ajudar o nosso grande amigo FC Porto que, objectivamente, nem precisava daquele desaire sportinguista para garantir o acesso directo à Liga dos Campeões.

resposta a leonor Pinhão
A propósito da crónica intitulada “Era isto que não queriam ver”, por Leonor Pinhão

História nenhuma terei que contar aos meus filhos, não preciso de o fazer...
Os meus filhos são e serão educados com base no desportivismo, na educação e no respeito pelos amigos que torcem por outras cores, e não adversários como lhes chama. Adversários são dentro do campo, mas a sua mente distorcida não lhe permite ver isso. Na hora das derrotas e, muito importante, também na hora das vitórias. O desporto deve ser vivido com base na confraternização, convivência e troca de argumentos, para além da paixão inerente às opções de cada um.
Prezo-me de ter muitos amigos benfiquistas e portistas com quem, de uma forma saudável e respeitosa, posso e folgo em discutir futebol. Mal do desporto se todos o vivessem da forma doentia como o faz.
E história nenhuma terei que contar aos meus filhos porque nada aconteceu nos festejos do Benfica campeão, que não tenha acontecido nos festejos do Sporting campeão. Isto se tiver a alegria de que sejam adeptos do Sporting, pois serão livres para escolher.
Mas deixe-me avivar-lhe a sua curta memória Leonor Pinhão.
Os meus filhos sabem que também quando o Sporting ganha se enchem o Marquês de Pombal, a Avenida da Liberdade, os Restauradores, a Praça do Municipio e, já agora, o Estádio de Alvalade. Também no Porto, Coimbra, Faro, Beja, Leiria, Viseu, Braga, e onde mais queira a Sra. Leonor Pinhão não ver, se comemoram as vitórias do Sporting. Também em Luanda, em Maputo, na Praia, em Bissau, em Timor, no Rio de Janeiro, em Paris se comemoram as vitórias do Sporting. Também os Sportinguistas saem com os cachecóis à rua no dia seguinte à vitória.
Ou terá uma memória tão curta que não vá a mais de 3 anos atrás???
E não confunda o Sporting com o FC Porto no que respeita a dimensão nacional. O Sporting tem, tal como o Benfica, adeptos nos 4 cantos do País e do mundo.
São em maior numero os benfiquistas...?!!? São sim senhor, e que mal há nisso?! É alguma novidade?? Parece que só a Sra. tem dúvidas a esse respeito, senão não teria perdido o seu tempo a escrever esta crónica.
Devo mesmo dizer-lhe que esperava mais da festa benfiquista... Muito mais!! Esperava que fosse avassaladoramente maior que a do Sporting... mas não foi! É que sabe Leonor Pinhão eu estive acordado até às 4 da manhã a ver a bonita festa do Benfica. Assim como participei até às muitas da manhã das bonitas festas do Sporting. E mais, tenho gravado, caso lhe interesse ver!!!
Avassaladora foi a festa que 500.000 pessoas fizeram na recepção ao Liverpool, isso sim.
Não queira fazer do Benfica maior do que é, nem desvirtue a sua grandeza cara Senhora. Este é aliás um mal de que padecem muitos benfiquistas, vivem em bicos de pés.. Querem ser maiores do que realmente são... E não sabem falar de outra coisa... os 6 milhões... e os 6 milhões .... E outra vez os 6 milhões.... Digam mais qualquer coisa.... Evoluam... Até o vosso Presidente já diz menos Hããs... Mas mesmo assim ainda falou em “...‘atordoardas’ contra a Instituição...” na noite da vitória! Até já têm uma estatistica encomendada a dizer que são 14 milhões... Há, no fundo, mais benfiquistas do que portugueses. Devem ter contado também com o Robinho que, segundo o padeiro lá da rua dele no brasil, também é benfiquista desde pequenino. Agora, por orientação do seu empresário, deve ir a uma padaria de um espanhol que diz que afinal ele sempre foi do Real Madrid!
É o que eu digo, sempre em bicos de pés, têm a fobia da grandeza.
Não contarei aos meus filhos histórias sobre os penalties para o Jardel, tal como não contarei sobre o lindo voo da águia Karadas dentro da área contra o Estoril. Nem lhes contarei como se marca um penalty quando a bola bate no cotovelo de um jogador quando este está de costas. Nem mesmo lhes contarei como se expulsa um jogador em 25 minutos de jogo.
Vou antes tentar mostrar-lhes que no desporto e quando se defrontam 2 equipas há pessoas que têm afinidade por um clube e outras por outro e que, para além dos que vão para participar de uma festa, há uns quantos débeis mentais, dos dois lados, que transportam as suas frustrações para dentro de um estádio, ou para as páginas de um jornal. E não me vai custar arranjar exemplos...
E sabe porque ganhou José Peseiro o titulo de Treinador do Ano? Porque foi ele na verdade o grande artífice da vitória do Benfica. Foi oferecer o Campeonato em pleno Estádio da Luz! Ele deveria também ter sido convidado a participar das comemorações. Foi uma injustiça não o terem feito....
Como médico não me é dificil diagnosticar em si um perfil paranóide, Leonor Pinhão. Que problema tem você com a vida?? Destila ódio em cada palavra que escreve. Sabia que deixei de ler A Bola assiduamente por causa de uma crónica sua?!
E usando uma linguagem mais de acordo com os seus valores, dane-se você e o seu odioso e doentio benfiquismo! O futebol não precisa de gente assim!!
Já agora mais um conselho Leonor Pinhão, veja se dá um trato nessa imagem, lavar esse cabelo de vez em quando, é que não são só as suas crónicas que metem nojo...

Atenciosamente e ao dispôr no que a uma cópia da cassete video das comemorações do Sporting diz respeito

Óscar Prim da Costa

P.S.: Por que razão vejo sempre maior quantidade de Jornais *A Bola” do que “Record” nas bancas?? Serão só sportinguistas a comprar? Mas afinal há assim tantos??

 
At 5/28/2005 12:22 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Se calhar porque A Bola tem uma maior tiragem... normalmente se deixo a compra do jornal para mais tarde depois de uma vitória importante do Benfica, o Record consegue-se sempre encontrar, A Bola é que não.

Um comentário tão extenso provocado pelo texto da Leonor Pinhão não é senão uma prova que o seu propalado desportivismo não passa de uma palavra oca. Porque começa por falar nele, e logo a seguir cai nos comentários nada originais e carregados de azia que têm sido habituais em todos os anti-benfiquistas. O que só mostra que a nossa vitória e respectivos festejos o devem mesmo ter incomodado.

A Leonor Pinhão incomoda muita gente. Porquê? Porque responde à letra ao autêntico exército de cobras cuspidoras que, motivados pelo jejum de dez anos, têm andado a vilipendiar o Benfica nessa imprensa desportiva, com o recurso às acusações mais baixas que se possam imaginar. E é por isso que nós benfiquistas gostamos dela, porque ela diz o que os nossos inimigos (sim, no caso de muitas das pessoas que escrevem barbaridades nos jornais, eles já deixaram de ser adversários, e passaram a ser autênticos inimigos) não gostam de ouvir. A sua reacção não é senão uma demonstração cabal disso mesmo.

Uma crónica da Leonor Pinhão fê-lo deixar de ler A Bola. Mas calculo que crónicas escritas por Miguel Sousa Tavares, José António Lima, Bernardo Ribeiro, ou Daniel Reis já não o incomodem tanto, pois não? (embora deva referir que no último caso, ele escreveu um crónica bem objectiva e com grande desportivismo sobre a vitória do Benfica no campeonato).

 
At 5/28/2005 3:09 da tarde, Anonymous hugbubble said...

ainda bem q a resposta (?) à leonor pinhão veio aqui parar porque, por momentos, pensei q ela escrevesse as suas crónicas num jornal desportivo...

o spiny-norman é grande!!! :DD

e ainda bem porque assim temos oportunidade de testemunhar 'in loco' toda a urticaria deles ;D

ahhh dez anos a "felicitarem-nos" por ganharmos taças amizade e torneios de pré-epoca e agora estão eles a pensar q nós vamos ser rasteiros também...

 
At 5/28/2005 3:38 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Por acaso isso foi a primeira coisa em que pensei... porque é que uma resposta à Leonor Pinhão é posta aqui?!? Será que o autor pensa que a Leonor é visitante deste blog? ;)

 

Enviar um comentário

<< Home