domingo, março 13, 2011

Aposta

E à quinta foi de vez. Depois de, pela quinta vez consecutiva, permitirmos aos visitantes que se adiantassem no marcador, hoje já não conseguimos a reviravolta no resultado, talvez por culpa das várias poupanças feitas - e poderíamos até ter perdido o jogo, já que apesar de termos atacado sempre mais, as melhores oportunidades acabaram por pertencer ao Portimonense.

Se era para poupar jogadores, então poupou-se mesmo: nada menos do que dez dos habituais titulares ausentes do onze, mantendo-se apenas o Aimar, a quem coube a honra de envergar pela primeira vez a braçadeira de capitão. A baliza foi entregue ao Moreira, defesa com Luís Filipe, Carole, Jardel e Roderick, meio campo com, para além do Aimar, Airton, Peixoto e Meneses, e o ataque entregue a Kardec e Jara. Apesar de tantas ausências, desde início que se assistiu a um jogo com o perfil habitual dos jogos na Luz, como Benfica a ter a iniciativa e o adversário a fechar-se o mais possível atrás, tentando sair depois no contra-ataque. O problema é que cedo se percebeu também a falta de capacidade da equipa que tínhamos em campo para encontrar soluções para chegar ao golo. O jogo parecia um autêntico solteiros contra casados, com passes fáceis falhados, jogadores a não conseguirem controlar uma bola, e a quase ausência de jogadas com princípio, meio e fim. O único sinal de perigo foi dado por uma cabeçada do Kardec, logo aos cinco minutos, mas pouco mais se viu depois disso. Quando o Portimonense resolveu vir até à frente, primeiro enviou uma bola à trave, num remate de fora da área sem hipóteses para o Moreira, e no minuto seguinte (aos vinte e sete), beneficiou de um penálti, cometido de forma muito infantil pelo Roderick, colocando a mão na bola num lance aparentemente sem qualquer perigo. Só nos últimos cinco minutos é que o Benfica conseguiu pressionar de forma mais consistente, criando algumas ocasiões de perigo - em particular uma situação em que o Airton, na pequena área e com tudo para marcar, conseguiu não acertar na bola.

A segunda parte trouxe o Salvio e o Gaitán nos lugares do péssimo Meneses e do Carole. Trouxe também mais ataque do Benfica, mas com o Portimonense a conseguir aguentar-se sem muitas aflições, e a mostrar-se sempre perigoso nas saídas para o contra-ataque, já que na maior parte do tempo a nossa equipa esteve literalmente partida ao meio, com os cinco jogadores mais avançados a não recuarem para defender. Se havia um canto ou um livre a nosso favor, em que os centrais e o Airton subiam, caso o Portimonense recuperasse abola, conseguia quase sempre fazer um contra-ataque em igualdade ou mesmo superioridade numérica. Num destes lances, colocaram um jogador isolado na cara do Moreira, e a bola, depois de picada sobre ele, acabou por acertar no poste. No minuto seguinte (setenta e sete), o Benfica chegou ao empate: canto na esquerda, cabeçada do Jardel para defesa apertada, tentativa de recarga do Roderick, e finalmente o inevitável Nuno Gomes, quase sobre a linha, a cabecear para o golo. A partir daqui a pressão do Benfica intensificou-se, obrigando o guarda-redes do Portimonense a bastante trabalho até final - negou o golo ao Nuno Gomes e ao Jara. No entanto, mais uma vez num contra-ataque, o Portimonense podia também ter marcado, valendo-nos a defesa do Moreira com o pé.

Do jogo de hoje salvaram-se talvez o Moreira e o Jara. Gostaria que o Nuno Gomes tivesse jogado de início, ou pelo menos que tivesse entrado mais cedo. O Carole - havia a curiosidade de ver a sua estreia - não comprometeu. Mas a verdade é que a maior parte dos que jogaram hoje mostraram que não são titulares por alguma razão. Não quero estar a particularizar e a desancar alguns jogadores, porque também compreendo que há factores como a falta de ritmo, ou mesmo estar em campo toda uma equipa que praticamente nunca jogou junta, acusando por isso uma natural falta de entendimento. Mas não tenho dúvidas de que alguns dos jogadores que vimos esta noite em campo não estarão no plantel da próxima época.

Foi uma aposta arriscada do nosso treinador, e acabou por perdê-la. Mas compreendo-a: a liga já nos foi roubada, e os objectivos são agora outros. Temos um jogo importante na quinta-feira, e se havia ocasião para descansar jogadores, era esta. Agora é concentrarmo-nos naquilo que podemos ganhar.

8 Comments:

At 3/14/2011 12:39 da manhã, Anonymous JFilipe said...

Acho que o Jesus abusou, devia ter metido Nuno Gomes e Weldon de início. Poupar é uma coisa, agora abdicar de ganhar não. É certo que estava pouco público mas havia que respeitar os adeptos que foram ao estádio.

Sem querer desancar muito nos jogadores fiquei muito desapontado com o Carole. Espero que seja apenas falta de ritmo, pois a forma como perdia metros em qualquer corrida com os adversários assustou-me.

Kardec nem chega a ser desilusão, foi mais do mesmo.

 
At 3/14/2011 12:44 da manhã, Anonymous Anónimo said...

"Mas não tenho dúvidas de que alguns dos jogadores que vimos esta noite em campo não estarão no plantel da próxima época.".

Não houve um único, que mostrasse qualidade, atitude e carácter para vestir esta camisola.

 
At 3/14/2011 8:36 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Concordo convosco.

Isto não é o clube a que eu me habituei a ver jogar.

Estes jogadores, a quem se deu uma oportunidade para mostrarem valor, demonstraram-se sim, que "não prestam" para ali estarem.

A minha cadeira ficará vazia até ao final da época, o que assistimos ontem foi uma ofensa.

 
At 3/14/2011 2:50 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Quando poupa é porque poupa, quando não poupa é porque não poupa. O campeonato está roubado desde há meses, e levou com o prego finalno caixão em Braga; o jogo de ontem para pouco interessava, sobretudo tendo em conta os restantes objectivos da época. Os que jogaram fizeram o que podiam e sabiam, o que significou mais do dobro dos remates do adversário, o triplo dos ataques, e quase 65% de posse de bola. Faltou talento para concretizar esse domínio em golos e chegarmos à vitória; era um risco que se corria.

O que para mim é uma certeza é que há benfiquistas que só parecem estar bem a criticar. Aliás, parecem mesmo ficar felizes se arranjarem uma oportunidade que seja para falar mal. São os benfiquistas que eu gosto de apelidar de 'não-te-dissistas'. Se alguma coisa correr mal, ficam contentes porque assim podem dizer 'Eu não te disse que ia ser assim?'. Para eles é mais importante mostrarem aos outros que tinham razão do que o Benfica ganhar. Se ganharmos vinte jogos de seguida, ao perdermos o vigésimo primeiro aproveitam logo para rasgar vestes, berrar e criticar de forma absurda tudo e todos. São felizes assim, ainda bem para eles. Eu não alinho nisso, paciência.

 
At 3/14/2011 10:12 da tarde, Anonymous SLB4ever said...

Não percebo o q esperavam com a equipa q alinhou de início e preferia q o JJ até tivesse poupado o Aimar de tal jogo.
Fico + 1 vez é desiludido e preocupado com a proteção de JJ ao Peixoto jogador q na primeira parte foi dos piores da equipa e no segundo tempo passa para LE posição onde já nos causou vários dissabores.
Nuno Gomes é um jogador perfeitamente identificado com o clube e pela massa adepta e acrescenta muita experiencia e qualidade ao plantel, espero q continue no SLB.
Esperava ter visto o LFernandes e tb ñ sei pq o Weldon nunca + jogou.
Prefiro ñ queimar jogadores em um jogo com estas condicionantes mas atualmente ter no plantel jogadores como o LFilipe ou o Peixoto é deprimente (té estou a ser nice :) ), o FMeneses se não mostrar + e melhor pode ser emnprestado, retornando o David Simão. O mesmo digo de Kardec e Nélson Oliveira.
Um empate da equipa B na já perdida liga da mentira ñ é grave e acho q foi oportuno dar a oportunidade a outros assim como poupar certos jogadores.
Venha a liga europa e o PSG e que seja mais uma vitória categórica.

 
At 3/14/2011 11:08 da tarde, Anonymous JFilipe said...

D'Arcy, não concordo. O Benfica pode poupar, agora não pode é apresentar uma equipa incapaz de se bater em casa (!) com o último. É inadmissível sobretudo porque o Jesus não precisava de fazer aquilo. O Benfica ainda é um grande!

Além disso é um erro estratégico. Ao retirarmos a pressão sobre o fequepe vamos permitir-lhes que eles também façam poupanças. Podemos muito bem der dado a Liga Europa aos gajos.

Depois de andar a bater nos adversários, não se importar de levar baile em casa frente ao último classificado tira-me do sério. Defendi o Jesus aquando das derrotas no início da época mas agora espero que vá embora.

 
At 3/14/2011 11:22 da tarde, Anonymous Anónimo said...

D´Arcy,

com todo o respeito e como o comum dos mortais, alinhamos no que achamos que devemos alinhar e umas vezes acertamos, outras nem por isso.

O que está em causa não é a estratégia do Jesus. Áqui concordo contigo. Era o que deveria ser feito atendendo às competições que aí vêm.

O que está em causa é o rendimento de um conjunto de jogadores, que vestem "AQUELA CAMISOLA ENCARNADA", a jogar em CASA, contra o ULTIMO classificado e treinado pelo CARLOS AZENHA.
Quem não ganha nestas circunstâncias é muito mau, não presta.

Os jogadores que evoluiram neste Domingo, mostraram que não prestam. Não prestam por ausência de qualidade desportiva, por ausencia de dignidade e por ausência carácter.

E nisso eu não alinho.

 
At 3/15/2011 8:00 da tarde, Blogger joão said...

Mais um post que traduz fielmente o que se passou em campo.

JFilipe o Weldon é que não era apenas mais do mesmo que vimos.

Anonymous 3/14/2011 12:44 AM isso é um exagero porque existem jogadores como o Moreira, e a este nem sequer temos nada a apontar, o Jara, o Jardel ou o Airton que se é verdade que não fizeram um bom jogo a verdade é que em termos de atitude não se lhe pode ser apontado nada. Concordo contigo que outros nem qualidade nem atitude.


Anonymous 3/14/2011 8:36 AM primeiro o que este treinador fez nem sequer é novidade para quem esqueceu Toni no seu primeiro ano de treinador fez exactamente o mesmo quando ficamos apurados para a final da taça dos campeões, alias foi criticado por não ter poupado mais a primeira equipa evitando assim a lesão do Diamantino.
Segundo esta equipa já fez um jogo o último da fase de grupos da taça da liga e se o resultado foi muito diferente a exibição principalmente na primeira parte foi igual agora as circunstancias eram outras e na altura conseguimos pôr-nos em vantagem o que não aconteceu neste jogo e como se pode ver pelo exemplo a diferença numa equipa menos rodada entre golear e empatar é muito pequena e mesmo criticando o que existe para criticar temos que levar em conta as atenuantes.

 

Enviar um comentário

<< Home