domingo, dezembro 19, 2004

Medíocre

Vencemos o Penafiel ontem por 1-0. Salvou-se o resultado, porque a exibição, uma vez mais, deixou muito a desejar. O golo foi marcado pelo meu odiozinho de estimação, que até terá sido, provavelmente, o melhor jogador do Benfica em campo, o que atesta bem a qualidade da exibição da equipa. A primeira parte ainda foi razoável, e notou-se que os jogadores estavam um pouco mais empenhados do que nos últimos jogos (sobretudo o Geovanni), mas na segunda parte voltaram os medos, os retraimentos, e a quase exclusiva ausência de uma jogada com princípio, meio, e fim. O futebol do Benfica é hoje jogado aos repelões, e a equipa parece entrar em campo sem um objectivo concreto que não seja, eventualmente, o de defender com unhas e dentes a vantagem mínima assim que a consegue. Mentalidade de equipa pequena, portanto. Nos últimos três jogos em casa, contra Rio Ave, Estoril, e Penafiel (esses colossos do futebol...), acabámos sempre com o coração nas mãos. Há muito tempo que não me lembro de ver o Benfica jogar assim.



Em relação à estreia de Alcides, apesar de um jogo não servir de muito para avaliar um jogador, gostei de ver a velocidade dele (é mesmo muito rápido para um defesa-central), e parece gostar de sair a jogar com a bola nos pés, em vez de despachá-la para a frente de qualquer maneira. Pareceu-me também que falhou algumas vezes no tempo de salto. É um jogador ainda jovem (19 anos), e estas primeiras indicações parecem mostrar que poderá ser uma opção válida para o centro da defesa no futuro, especialmente se se confirmar a venda de Luisão no final da época.




Fiquei surpreendido com a troca do Moreira pelo Quim, e ainda mais depois de ouvir a explicação de Trapattoni para isto. Segundo ele, depois de termos sofrido vários golos nos últimos jogos, embora sem culpa do guarda-redes, era muito importante para a equipa em termos psicológicos fazer a troca de guarda-redes agora. Quer dizer, nos últimos 4 jogos sofremos 9 golos, sem culpas para o guarda-redes (palavras do próprio Trapattoni), e por isso é importante trocá-lo. E a um jogador que tem responsabilidade directa na maioria desses golos sofridos (Argel), é-lhe dada oportunidade atrás de oportunidade. Acho que não vou tentar compreender esta lógica. Acho apenas que é uma má decisão trocar de guarda-redes após um jogo em que ele sofreu 4 golos sem culpa alguma, e ainda terá evitado outros tantos. Assim está a passar a mensagem que, de alguma forma, responsabiliza o Moreira pelo que aconteceu no Restelo. Ao contrário de Trapattoni, acho que o timing para esta troca é completamente errado.

3 Comments:

At 12/20/2004 12:03 da manhã, Blogger Ahab said...

Pá, a coisa com o Petit corre-vos muito melhor. Vê-se que conseguem segurar melhor o meio campo e têm mais poder de fogo na hora de marcar livres.

Também reparei que o Argel tem a mania de se armar em quarter-back e passa o tempo a fazer passes alucinados de 50 metros para os avançados. É óbvio que, como isto não é futebol americano e o gajo é um tosco, a coisa não corre lá muito bem.

Eu também achei bizarro que o Trapp não tivesse convocado o Moreira para titular. Algo de esquisito se passa. Mas pronto, no Benfica já nada me surpreende...

Rui Silva

 
At 1/08/2005 7:05 da manhã, Blogger Quetzal Guzman said...

Desde a lesão do Luisão que se nota falta de entendimento entre os jogadores... Parece não haver voz do comando. Ora se há caracteristica onde Moreira ainda é inferior a Quim é na comunicação com os defesas.
Quanto a timmings, concordo com Trap. É nestas alturas que se justifica a troca para dar um safanão na equipa. Além do mais, seria bem mais dificil de justificar a opção se o Benfica tivesse vencido.

 
At 1/08/2005 7:06 da manhã, Blogger Quetzal Guzman said...

falta de entendimento entre os jogadores... da defesa, obviamente

 

Enviar um comentário

<< Home