segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Batota

É bom estar a escrever esta crónica passadas que estão algumas horas sobre a farsa a que assisti no Estádio do Ladrão. Não que o sentimento de revolta tenha desaparecido, mas pelo menos já estou suficientemente calmo para que não tenha que recorrer a um dicionário de vernáculo para me ajudar a escrever este post.

Este era um daqueles jogos que eu queria assistir ao vivo. Isto porque, desde há bastante tempo, que mantinha a fé quase inabalável que o venceríamos. A imprensa avençada bem pode levar nas palminhas a equipa dos ladrões, e tentar convencer-nos que são a melhor invenção desde o pão fatiado, mas eu sei que somos melhores. Eles são tão fantásticos que, em cento e oitenta minutos contra nós, só lá conseguiram chegar de penálti, mesmo quando chegaram a jogar praticamente contra sete dos nossos, como na primeira volta. Além disso (e quem já o tiver experimentado saberá do que falo), gosto de apoiar o Benfica quando tem jogos teoricamente difíceis fora - o que costuma ser o caso das deslocações ao Estádio do Ladrão - porque entre os adeptos do Benfica se vive o jogo de uma forma diferente. Há uma empatia total com a equipa, e um apoio incessante. Vive-se o Benfica, e esse benfiquismo flui da bancada para o relvado. Um passe falhado, uma jogada mal conseguida, nunca resultam num coro de assobios ou protestos, mas sim num aplauso ou em gritos de incentivo. Nestas situações sente-se sempre, mas sempre, que estamos ali todos por um ideal, por um clube. Et pluribus unum. O meu benfiquismo renova-se a cada saída destas. E esta noite, mais uma vez, fiquei com a sensação de que houve um apoio fantástico à equipa. Durante boas partes do jogo, naquele Estádio do Ladrão, o único som que se ouvia era o do sector benfiquista, enquanto que a ladroagem hipócrita se quedava muda nos seus lugares, provavelmente à espera da intervenção (nada) divina que acabou mesmo por aparecer, porque raramente costuma falhar naquele templo da vigarice.

Quando a equipa saiu para o aquecimento, ficaram esclarecidas as dúvidas que tinha em relação ao nosso onze (embora estas fossem as escolhas que julgava serem as mais óbvias). Sídnei, Reyes e Suazo foram os escolhidos, Miguel Vítor, Di María e Cardozo os preteridos. O que vale é que eu conheço muito bem os nossos jogadores, porque se não fosse esse o caso, e me fosse fiar nos serviços do Estádio do Ladrão, então estava tramado, já que anúncio da constituição do Benfica nem ouvi-lo, embora tenha visto a lista dos nomes passar num ápice pelo placard electrónico. Da parte da gatunagem não houve qualquer surpresa, sendo por demais evidente a esperança por eles depositada num golo ou qualquer malabarismo da Meretriz Uruguaia (eles, por algum motivo, parecem estar convencidos que nos 'roubaram' - acto este que, obviamente, os enche sempre de orgulho e satisfação - a Meretriz Uruguaia, e não que ela foi descartada da Luz, porque nós por cá não gostamos de gente dessa laia, adepta da aldrabice e da falta de palavra). A Camorra lá entrou a todo o gás na partida, com muita correria e chuto para a frente. A Meretriz Uruguaia conseguiu passar uma vez pelo Maxi no início do jogo, e a barraca quase veio abaixo. Infelizmente para eles, não voltou a conseguir fazê-lo durante o resto da partida.

Da nossa parte, vi uma equipa que soube manter-se sempre muito calma e organizada, com bastante personalidade. O que me aumentou a confiança, ainda para mais quando via que a bandidagem não conseguia jogar de forma organizada no ataque e entrar na nossa defesa, recorrendo por isso aos lançamentos longos para a área, e ao estratagema bizarro (dada a nossa superioridade no jogo aéreo) de despachar a bola para dentro da nossa área em cada livre de que beneficiavam - o que, graças à tendência irritante do Pedrito Providência para apitar de cada vez que um ladrão caía e pedia uma falta, acontecia com alguma frequência. Não importava se o livre era a quarenta metros da área. O Providência silvava, e os ladrões lá iam todos para dentro da área à espera do despejo. O balão de oxigénio dos salteadores deu para cerca de meia hora. Depois, foi visível a crescente dificuldade para se aproximarem sequer da nossa área, enquanto o Benfica ia assentando o seu jogo e trocando a bola cada vez mais à vontade. Esta não foi a primeira vez que fui ao Estádio do Ladrão, e antes disto também visitei diversas vezes o Estádio dos Sacripantas, mas raras foram as vezes (exceptuando, talvez, há três anos quando ganhámos com os dois golos do Nuno Gomes) em que me senti tão pouco preocupado com a possibilidade de um golo dos patifes. A confiança, aliás, parecia aumentar em toda a bancada benfiquista, de forma que, quando mesmo sobre o intervalo beneficiámos de mais um canto, muita gente parecia adivinhar 'É agora!'. E foi mesmo. Bola do Reyes para o Yebda saltar quase à vontade e provocar uma explosão vermelha na nossa bancada, enquanto que a bandidagem fitava o relvado em silêncio e, entre dois traques, um fio de baba escorria pelo queixo do ancião ladrão-mor.

Questão para a segunda parte: seriam os sevandijas capazes de cair em cima de nós e pressionar na busca do empate? Resposta rapidamente evidente: não. Foi, aliás, bem pior do que na primeira parte. Desta vez os bandoleiros eram mantidos bem à ilharga da nossa baliza, por uma equipa personalizada e imperturbável. Meio campo e defesa sempre a actuarem num bloco muito sólido, grande entreajuda entre os jogadores, de forma que aparecia sempre alguém para ganhar a segunda bola ou a terceira, se preciso fosse. O melhor que conseguiram foi um remate de fora da área por parte do herói Marvel. Era evidente, e não só para nós benfiquistas, a incapacidade deles chegarem ao golo, o que se expressava claramente pelo silêncio fúnebre que ia envolvendo as bancadas do Ladrão, entrecortado apenas pelos cânticos do sector benfiquista. Estava o jogo embalado neste ritmo, cheirando cada vez mais a vitória benfiquista, quando o Malandro Lopéz teve uma apoplexia ao passar junto do Yebda. Solícito, Pedrito Providência bufou no apito e, com um menear efeminado da cabeça coberta de gosma, indicou impante a marca de penálti. Assim. Caído literalmente do céu. Rejubilou a turba batoteira, fazendo-se ouvir pela primeira vez na segunda parte. Eu, na bancada oposta, a mais de cem metros do lance, e não sendo especialista de arbitragem, consegui ver que era um mergulho. O Pedrito Providência, em cima do lance, e supostamente especialista, não conseguiu ver o mesmo. Ou melhor, se calhar até viu, mas como tem amor às rótulas, ou à condição de internacional (que as insígnias da FIFA devem fazer furor entre a comunidade efeminada cheia de gosma na cabeça), decidiu silvar como se não tivesse visto.

O Chulo González, tal era o medo, marcou o penálti à cobarde (para o meio da baliza) e, mais do que um festejo de golo, o que se ouviu foi a gatunagem soltar um longo e prolongado suspiro de alívio. Mais uma vez, a providência tinha vindo em seu auxílio. Como tantas vezes o fez durante quase três décadas, quando foi preciso ela surgiu. Curiosamente, a gatunagem parece ter especial prazer nestas coisas. Eles parecem celebrar ainda mais intensamente as vigarices perpetradas pela sua equipa. Não são apenas desonestos, eles gostam e têm orgulho em sê-lo. Afinal de contas, estamos a falar de adeptos que assobiam os jogadores da sua própria equipa sempre que eles devolvem uma bola que foi atirada para fora para que um adversário fosse assistido. E com mais esta roubalheira, esta época já são nove os jogos (em dezassete jogados) em que sofremos erros grosseiros de arbitragem que nos prejudicaram, em contraponto a um jogo em que fomos beneficiados. Mas não, não podemos nem temos o direito de protestar com arbitragens. Mas alguém duvida que somos o alvo a abater desde o início da época? Poderíamos até ter uma equipa que começasse com o Buffon na baliza e acabasse com o Messi no ataque, que na esterqueira do futebol português uma equipa com Cissokhos e Fernandos conseguiria ganhar. E a imprensa avençada ainda nos tentaria fazer crer, com o maior desplante, que os Cissokhos e os Fernandos, bem vistas as coisas, até eram bem melhores do que o Messi. O jogo para mim acabou ali, apenas mais um assalto no relvado, a juntar à já longuíssima história das nossas visitas ao Ladrão e às Sacripantas.

Não me agrada, após um jogo destes, em que fomos uma verdadeira equipa, estar a fazer destaques. Digo apenas que gostei muito do Yebda, do Sídnei, e do Aimar. E antes que alguém venha reclamar, estou apenas a dizer que gostei muito do jogo que fizeram; não estou a dizer que foram melhores ou piores do que os outros, até porque no final do jogo estava demasiado irritado para estar a pensar quem é que tinham sido os melhores ou os piores.

A equipa foi despedida do relvado sob os aplausos dos benfiquistas como merecia, ou seja, como vencedora. Porque nós, esta noite, vencemos no relvado. Fomos melhores, fomos mais equipa, e marcámos mais um golo. E vencemos também nas bancadas, porque a minoria benfiquista presente no estádio foi muito, mas muito melhor do que a multidão desonesta vestida de azul. Perdemos, infelizmente, contra um homúnculo efeminado coberto de gel, que decidiu ditar ele próprio o rumo de um jogo. Agora tenho muita, mas muita curiosidade em ver duas coisas: primeiro, como é que vai ser feito o branqueamento de mais esta palhaçada (aposta pessoal: vão rever o jogo frame a frame, até encontrarem um lance qualquer em que supostamente o clube dos salteadores foi prejudicado); e segundo, se o Pedrito Providência virá pedir desculpa por aquilo que fez. Afinal de contas, a lagartagem, por exemplo, tem sempre direito a pedidos de desculpas. Aposto que se vai ouvir muitas vezes a justificação habitual sempre que o Benfica é prejudicado: "Era um lance muito difícil de ajuizar". Infelizmente, para o Pedrito Providência, nunca parece ser nada difícil ajuizar contra o Benfica. Por isso é-me mesmo muito difícil acreditar que foi um simples erro. E já agora, será que este tipo não poderá ser expulso de sócio? Afinal de contas, as suas acções já tiveram consequências demasiado nefastas para o nosso clube. Ah, aguardo também com alguma ansiedade o desfilar da idnignação por parte da nomenklatura da lagartagem, fiel à sua forma 'isenta e independente' de estar no futebol. Vá, o transformismo pode esperar um bocadinho; venha daí essa indignação.

Lá ficámos retidos dentro do Ladrão durante largos minutos após o fim do jogo, pelo que tivemos a oportunidade de ver a equipa regressar ao relvado para um ligeiro treino de recuperação. E mais uma vez, os jogadores foram recebidos pelos adeptos como vencedores. Foi também possível observar mais alguns comportamentos sui generis da parte da gatunagem, que me permitiram elaborar a seguinte lista:

Como ser provincianamente pequenino em seis simples passos:

1- Não anunciar a constituição da equipa adversária;
2- Omitir a bandeira do adversário nas bandeiras oficiais do jogo;
3- Fazer o emblema do adversário claramente mais pequeno do que o nosso no placard electrónico (e não, não é apenas uma questão de grafismo porque eu estive lá há três anos e na altura os emblemas tinham tamanhos semelhantes);
4- Colocar um speaker histérico a gritar 'E quem não salta é lampioum';
5- Após o final do jogo, quando os jogadores da equipa adversária efectuam a corrida de recuperação, atirar-lhes com os paus das bandeiras, numa clara demonstração de desportivismo;
6- Ainda após o final do jogo, numa altura em que apenas os adeptos adversários estão no estádio, aumentar desmesuradamente o volume da música, numa tentativa pífia de abafar os aplausos que esses mesmos adeptos dirigem à sua equipa.

Fomos roubados mais uma vez, e por mais voltas que dêem ou tentem disfarçá-lo, esta é a verdade incontornável. Mas saí do Estádio do Ladrão com a renovada confiança de que vamos ser campeões esta época. Mesmo que me tentem vender a ideia de que o prostituto de Mirandela é um grande treinador, que a Meretriz Uruguaia é uma grande contratação, ou que o herói Marvel é o melhor jogador do mundo (a seguir ao Harry Potter). Eu sei que somos melhores, e vão ser precisas muitas mais 'Providências' para nos afastarem do título. Pelo menos o dobro das que já nos ofereceram este ano. Hoje senti-me orgulhoso da minha equipa, e dos nossos adeptos. Fomos abalados, mas não derrotados, pela batota. Mas a batota terá que morrer um dia. E eu lá estarei, para escarrar sobre a sua lápide.

42 Comments:

At 2/09/2009 8:53 da manhã, Anonymous Índio Ruço said...

Grande vitoria!
Ganhamos tacticamente, fomos muito superiores como equipa, fomos muito melhor individualmente e tivemos um a abordagem madura e fria ao jogo.
Espiritualmente superiores.
Derrotamos uma equipa de propaganda, com uma aura alimentada pelos media mas mesmo assim um grupo forte, só que não tão forte como nos querem fazer crer. Recuperando um velho dito maoista " São um tigre de papel", e ontem conheceram o seu patamar de incompetência, encontraram o seu muro.
Os jogadores estiveram todos a um nivel fabuloso, embora alguns pelas funções que desempenham estivessem mais em jogo, e acabem por ser os mais falados em diversas análises. Para mim no entanto quero saudar o Moreira que esteve muuuuiiito bem. Teve uma serenidade e uma confiança que me impressionou e aquando dos primeiros ataques dos adversários vi logo que seria muito dificil batê-lo.É pena que no penalty não tivesse aguentado a posição só um décimo de segundo mais...
De resto foram todos bravos, havendo sempre um que personifica o espirito do guerreiro supremo, o mais bravo dos bravos, o inesgotavel, o magnifico, David Luiz.
Parabens ao Quique, que mostrou que sabe o que está a fazer, e que como ele disse na conferência de imprensa "é muito dificil ganhar uma mentalidade de vitória e muito facil ter uma mentalidade de derrota". É esse o Caminho e ontem demos um grande passo...embora seja certo que iremos passar por fases menos boas.
Parabens ao Costa por saber que é este o Caminho e não deixar de apoiar o "seu" treinador quando "chove".



PS- Alguem viu o Hulk?

 
At 2/09/2009 9:16 da manhã, Blogger Mr. Shankly said...

"Mas a batota terá que morrer um dia. E eu lá estarei, para escarrar sobre a sua lápide."
Mais nada. Saber que um dia isto vai acabar é a única coisa que me anima depois destes jogos.

 
At 2/09/2009 9:52 da manhã, Anonymous djeiti said...

As palavras do Andrés Madrid (contratado apenas há 1 semana pelo Clube Recreativo da Associação Criminosa do Norte) são suficientemente esclarecedoras para quem não se tenha apercebido ainda: “o clássico não é para jogar, mas sim para ganhar”…ou seja, traduzindo, ele já sabe que para aquelas bandas da Camorra do conluio da província batoteira não é preciso jogarem para conseguirem ganhar….seguramente que alguém já terá tratado disso por eles!
Na nossa equipa gostei da atitude e esforço no geral, mas destaco a actuação do Maxi, que conseguiu mais uma vez secar a Meretriz Uruguaia Cebola Mal Cheirosa que apenas conseguiu passar uma vez pelo Maxi no início do jogo e não mais o conseguiu ultrapassar. Não gostei foi de o Quique ter posto o Suazo a jogar pois obviamente ele não estava em condições físicas como depois se viu em campo. Pior mesmo, só a entrada do atrasado mental do Di Maria (porquê meu Deus, porquê metê-lo a ele?????), como não podia deixar de ser…a partir daí era previsível que todas as jogadas que passassem pelos pés do caramelo iam resultar em contra-ataques dos tripeiros…um dos quais deu oportunidade ao palhaço do apito inventar o penalty decisivo e que lhe garantiu certamente uma viagem a uma ilha paradisíaca nas próximas férias do Carnaval (isto se por acaso o palhaço não tiver de ir trabalhar nalgum circo).
Cada vez me desiludo mais ao não conseguir ver verdade na classificação desportiva. Terminado o jogo no Ecoponto Azul tb vejo renovada confiança de que tínhamos tudo para ser campeões esta época…mas ao contrário do D'ARCY cada vez tenho mais receio de não teremos forças para lutar contra tanto resultado combinado!
Saudações Benfiquistas!

 
At 2/09/2009 10:01 da manhã, Anonymous koelhone said...

"Eu, na bancada oposta, a mais de cem metros do lance, e não sendo especialista de arbitragem, consegui ver que era um mergulho."

Eu até cheguei a pensar que o blogue tinha sido tomado por um louco fanático a escrever barbaridades com os olhos raiados de sangue e a espuma a correr pela boca, mas quando li esta frase não consegui conter a gargalhada. Foi só nessa altura que percebi que era um texto cómico...

Boa, D'Arcy! Continuas em forma.

 
At 2/09/2009 10:18 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Clap, clap, clap, etc.

Muito bem, D'Arcy.

São tipos como tu que me fazem conseguir ter ainda um bocadinho assim de esperança de que toda esta bandalheira acabe um dia. Por mim falo: afastei-me voluntariamente dessas "lides" porque tenho família a cargo e, sendo apesar de tudo uma pessoa ponderada, tenho sincero receio de fazer algo de que possa vir a arrepender-me mais tarde.

Pela ordem natural das coisas, o filho de um grandessíssima meretriz do bufas há-de bater a bota antes de mim. E, como alguém já aqui um dia lembrou, espero que quando tal vier a suceder, o Benfica dispute na sua Casa o jogo para o qual as autoridades (in)competentes não deixarão certamente de decretar o minuto de silêncio da praxe. Será nesse dia que regressarei a um Estádio de Futebol, para, em conjunto com mais sessenta e cinco mil companheiros, entoar - até que a voz me doa - um sentido "ó pinto da costa vai para o caralho". Vai ser mesmo lindo de se ouvir, e de ver.

 
At 2/09/2009 11:54 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Podes acreditar no que quiseres, koelhone. Mas quando o Proença apitou eu até pensei que ele ia dar amarelo ao Malandro Lopéz. A falsidade do lance foi por demais evidente.

 
At 2/09/2009 12:29 da tarde, Anonymous koelhone said...

Ó D'Arcy, eu até acho que não foi penalty. Este penalty foi como os dois do sporting contra o fcp: muito complicados para o árbitro. Há contacto, escusadíssimo, dentro da área, e o avançado resolve "facilitar" ainda mais a vida do árbitro atirando-se para o chão. Para mim, é maior a idiotice do defesa (nos 3 casos) do que o erro do árbitro.

Agora, tu achares que a 100 metros de distância e a tua parcialidade natural (todos a temos, por muito que a tentemos combater) consegues ter certezas absolutas... só me dá para rir.

Para além de que te "esqueceste" de referir o penalty sobre o Lucho. E se achas que não é penalty só porque ele não caiu...

Ou seja, penalty por penalty, qual é o motivo para tanta escandaleira, tanta conversa de ladroagem e tanta raiva?


O que mais me entristece é mesmo o tom dos teus últimos posts. Estava habituado e vir aqui ler uma análise em que se sentia um esforço pela objectividade e imparcialidade, o que naturalmente é sempre complicadíssimo de conseguir. Parece-me que nos últimos tempos esse esforço foi abandonado.

Continuo a gostar de te ler, tens uma escrita sempre muito interessante. Mas já não tenho o mesmo prazer.

Abraço

 
At 2/09/2009 1:14 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Não posso opinar sobre os lances do jogo do Porto contra os lagartos na Taça da Liga, porque por regra não vejo jogos dos outros clubes, particularmente jogos em que um dos intervenientes é o Sportém. Agora, quanto ao de ontem, não sei de que contacto falas, porque eu não vi nenhum. E apesar de estar a 100 metros do lance, ele foi directamente à minha frente, pelo que foi possível ver o espaço existente entre o Yebda e o Malandro, e a não existência de qualquer toque. Eu demorei alguns segundos até perceber que o Proença tinha mesmo assinalado penálti, porque achava impossível que o tivesse feito naquele lance.

E não, não acho que não é penálti sobre o Lucho só porque ele não caiu. Acho que não é penálti porque o toque do Reyes foi tudo menos o suficiente para o derrubar. E não há nada nas regras que diga que não pode haver contactos entre jogadores. Aliás, para mim o 'penálti' sobre o Lucho só existe por ser tão evidente o escândalo do lance do Malandro, de forma que seria sempre necessário arranjar um lance de compensação. Este comportamento faz parte da operação habitual de branqueamento que entra em acção sempre que o Benfica é claramente prejudicado num jogo.

Quanto à alteração do meu tom de escrita, é simples: cansaço. Estou cansado e farto de ver que nada muda, e de ver isto acontecer há mais de duas décadas. A minha ingenuidade já morreu há algum tempo, e deixei de acreditar que coisas como a que vi ontem são meramente obra do acaso.

 
At 2/09/2009 2:06 da tarde, Anonymous koelhone said...

D'Arcy,
se tiveres oportunidade de assistir a alguma repetição do lance, olha para o braço do Yebda. Para a mão dele. E vê lá se não há contacto entre a mão dele e a barriga do Lisandro.

Volto a dizer que para mim não é suficiente, ao contrário do lance do Lucho em que o contacto é suficiente para ele tropeçar, só que o rapaz achou que havia de continuar a jogada ainda assim. Se ele se tem deixado cair, era o penalty mais limpinho do mundo. Como eu acho que os jogadores não têm que se deixar cair, para mim é penalty claríssimo.


Quanto às campanhas de branqueamento, como lhes chamas, se há clube em Portugal que tem uma comunicação social benigna, éo benfica. É que nem faz sentido comparar o tratamento dado ao benfica com o que é dado aos outros clubes. Especialmente nós, portistas, já nem estranhamos a falta de relevo dado a toda e qualquer conquista do porto.

Mas claro que estas percepções variam consoante o observador. Posso estar a ser traído pelos meus sentimentos...

 
At 2/09/2009 2:27 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Eu vou fingir que não afirmaste que por exemplo a Controlinveste dos Oliveiras, que domina a maior parte da comunicação social em Portugal, dá um tratamento preferencial ao Benfica.

O que vocês sentem não sei. Mas o que nós, benfiquistas, sentimos, é uma animosidade e má intenção geral de toda a imprensa em relação ao Benfica. O Benfica é, hoje em dia, dos três o mais mal representado na comunicação social. Para além de tudo o que pertence aos Oliveiras, há ainda o Record, que é claramente pró-sportém e, consequentemente, notoriamente antibenfiquista. Resta A Bola, que todos gostam muito de associar ao Benfica. Mas depois abres o jornal e as secções dedicadas a cada um dos clubes estão a cargo de jornalistas que não escondem a sua parcialidade por eles. A Bola pode usar a sua fama de pró-benfiquista para aumentar as vendas. Mas lá dentro é tão benfiquista como portista ou sportinguista.

Contacto do braço do Yebda? Sim, vi agora a repetição e existe. Existe porque é o próprio Malandro que o provoca.

 
At 2/09/2009 2:29 da tarde, Blogger Xelb said...

O título do "post" devia de ser:
"tudo normal";
E já gozas porque, coisa rara naquele lugar, não foi nenhum jogador para a rua...

 
At 2/09/2009 2:39 da tarde, Anonymous koelhone said...

Ok, podes interpretar as intenções dos jogadores como quiseres, mas há contacto. Dois jogadores em sentido contrário, na área, o Yebda abre as asas e há contacto. Se pensares calmamente, acho que consegues admitir que é complicado para o árbitro decidir. Isso é muito diferente de batota.

Li agora n'O Jogo que o Sidnei escapou a um vermelho por entrada por trás sobre o Lucho. Confesso que não vi a jogada nem tinha sequer ouvido falar dela, mas ainda mais estranha fica para mim esta conversa de ladroeira e batota.

Mas tirando essas minudências, acho que é justo dizer que o Quique ganhou tacticamente ao Jesualdo. O Jesualdo, coitado, tem os seus méritos. Poucos. Decididamente, não é lá grande estratega.

Eu não vi aquele que me dizem ter sido o melhor período do porto, a primeira meia-hora, portanto o que vi foi um porto a atacar sem plano, com cada jogador e agarrar na bola e a tentar sacar alguma coisa da cartola. O único que fazia alguma ligação entre os demais jogadores era o Lucho. O Fernando esteve muito encostado à defesa, enquanto que o Rodriguez estava muito encostado à linha e apenas o Lisandro ia ajudando o meio campo. Ou seja, era mais ou menos Lucho e Raul Meireles contra Aimar, Ruben Amorim, Yebda e Katsouranis.

Vi sempre o benfica com mais controlo dos acontecimentos e quando o primeiro golo aconteceu, já se adivinhava...

Já ouvi muita gente dizer que foi um grande jogo, mas a mim não me pareceu. Foi emotivo, é verdade, mas esperava bem mais de jogadores como Lucho, Lisandro, Hulk, Reyes, Aimar, Suazo (que belos trios de jogadores, quando jogam o que sabem). Quando o Jesualdo tira o Meireles, achei que ia ser o descalabro e que o benfica só não ganhava se não quisesse. No entanto, pareceu-me que não quis fazer por isso.

Ou seja, apesar de controlar o jogo, o benfica não fez por acabar com as dúvidas. A vitória fugiu num lance que o árbitro podia perfeitamente ter decidio de forma diferente, e isso custa a engolir, mas mesmo assim não consigo entender tanta raiva e tanto sentimento de injustiça. A sério que não...

Quanto aos jornais, acredito que não abras O Jogo há muito, mas acontece exactamente o mesmo que dizes acontecer n'A Bola: cada secção dos três grandes tem a abrir um colunista mais que parcial, e o próprio tratamento das notícias de cada clube são um pouco enviesadas.
E se comparares os destaques dados aos clubes nas capas dos jornais... :)

 
At 2/09/2009 3:46 da tarde, Blogger D'Arcy said...

No lance do penálti, o que eu quero dizer quando digo que o contacto é provocado pelo Malandro é que este acontece quando ele já se atirou, e é na queda que embate com o braço do Yebda. O Proença está a dois metros do lance, tem mais que obrigação de ver aquilo. Enfim, já sei que não vamos concordar nisto, porque cada um de nós vê o lance através de óculos da sua cor preferida.

O lance do tal vermelho ao Sídnei que mencionas faz precisamente parte da campanha de branqueamento que referi. Aliás, estive a ver agora a gravação do jogo, e essa operação de branqueamento começou durante o próprio jogo (eu até vou fazer um post sobre isso). Basta ver o que o comentador disse sobre o lance do Lucho na primeira parte, e a forma como inverteu o discurso sobre o mesmo lance após o penálti, passando de uma situação em que o Lucho deveria ser aplaudido por ter tido uma atitude desportiva e não ter tentado alterar a verdade do jogo para um penálti nãop assinalado pelo árbitro. Ah, e se o lance do Sídnei é vermelho (que para mim é amarelo), então pelo mesmo critério o Malandro também teria que ver vermelho pelo pisão no joelho do Katsouranis (e eu também não acho que seja lance para vermelho, mas se vamos adoptar um critério minimamente uniforme, então essa seria a conclusão lógica).

Quanto aos jornais, é verdade que não compro O Jogo. Há tempos tinham lá um colunista muito bom (sob o ponto de vista benfiquista) chamado Ricardo Lemos. Pelos vistos era tão bom que foi posto a andar. Mas vou vendo o Record, e ponho as mãos no fogo pelo antibenfiquismo primário que grassa naquela redação.

 
At 2/09/2009 3:49 da tarde, Blogger Passaralho said...

Para os cegos, porque se o D'Arcy ainda consegue manter o nível e suposto respeito por alguns, eu não:

São todos iguais, chulos, hipócritas, mentirosos, ladrões, corruptos e enormes filhos de enormes putas da Santos Pousada. Sim, onde trabalhava a mulher do Reinaldo e a tua mãe koelhone. É para ti também

Virem com alegações de "ai e tal, penalty do lucho"... IDE-VOS FODER TODOS!
Se o do lucho é penalty, o Benfica tinha ganho em Belém por 4 e muitos outros jogos por mais!
Se o do lizandrete é penalty, o Benfica tinha mais 10 pontos e vocês menos uns 5 ou 6.

Pá real puta que vos pariu, pá!
Conheço-vos bem, convivo com vocês todos os dias bem de perto, e não há um, UM SÓ, e conheço algumas centenas, que não seja grande mentiroso, cabrão, corrupto e filho da puta!

 
At 2/09/2009 4:38 da tarde, Anonymous koelhone said...

Passaralho,

ainda bem que exprimes a tua opinião com tão fino recorte literário. Dá sempre prazer ler opiniões bem fundamentadas e com respeito pelo próximo. E bem escritas, cum caneco! Que regalo!...

Bem, depois de ler os teus argumentos vou com certeza aperceber-me que as minhas opiniões estão erradas, mudar de ideias, renegar o meu passado e tornar-me adepto do slb.


Enfim... as melhoras!

 
At 2/09/2009 4:48 da tarde, Blogger Passaralho said...

Quilhone:

Podes tentar, durante o tempo que quiseres, passar por fino e educado.

Na verborreia das tuas análises, vem sempre ao de cimo o que realmente és: mais um morcão a espumar pelos cantos da boca contra tudo o que é vermelho; mais uma voz do dono.

Há coisas que não se compram, ao contrário de árbitros e campeonatos.

Passar bem, sua excª.

 
At 2/09/2009 4:51 da tarde, Blogger Passaralho said...

Ah!
E desculpa, D'Arcy, por ter baixado o nível.
São anos demais a conviver com esta podridão, chega-se a um ponto que tens mesmo que falar a linguagem deles, embora escusadamente, porque mesmo assim não entendem.

Cumprimentos,

 
At 2/09/2009 5:20 da tarde, Anonymous JFilipe said...

D'Arcy não dês trela a corruptos criminosos. Eu tenho que aturar porcaria dessa todos os dias aqui em Gaia. Depois de uma roubalheira daquelas vem aqui armado em condescendente.

Koelhone vai emporcalhar os blogues do esterco azul e branca, corrupto de merda.

 
At 2/09/2009 5:26 da tarde, Anonymous Índio Ruço said...

Se alguem pretender discutir futebol sériamente não pode dizer que "é penalty porque há contacto" ou porque "sofreu um toque", isso é não compreender o jogo, pior é não compreender o espirito do jogo.
Quem já jogou futebol sabe que aquilo é tudo teatro. No caso do Lucho e ao contrario do que afirmam ele decidiu não cair não por honestidade, , ele decidiu não cair porque pensou que dali não conseguia tirar nada,decidiu não cair porque ele escorregou, e o pé que escorregou foi o oposto ao que tinha sofrido o "toque".

Ontem não houve absolutamente nenhum penalty, como aliás não costuma haver em cerca de 50% das vezes em que são assinalados.
Este analfabetismo é induzido pelos media e principalmente pelos comentarios televisivos.Todos os treinadores já sabem a tactica do Mourinho que um jogo começa na sexta-feira e acaba na 2ª feira, ie,tão ou mais importante do que o prórpio jogo em si é o que é dito e concluido pelos habituais cumentadores, e a verdade que fica "impressa" é a verdade oficial desse jogo, jornada ou campeonato.É tudo uma grande mentira.
depois vem o habitual convencionalismo salomónico à Portuguesa (se o Salomão tivesse sido Português de certeza que tinha mesmo dividido o bébé em dois, e mesmo assim seria enaltecido o seu exemplo) se o resultado final foi um empate então vamos dizer que o resultado está certo e arranjamos uma total igualdade de oportunidades, de lances duvidosos,etc... isto alem de ser de uma desonestidade gritante é de uma cobardia suprema.

 
At 2/09/2009 5:42 da tarde, Anonymous Índio Ruço said...

Scolari saiu do Cheslsea, Madaíl ainda estás a tempo.

 
At 2/09/2009 5:45 da tarde, Anonymous koelhone said...

Passaralho,

fino, não sou. Tento ser educado e dar a qualquer ser humano o respeito que ele merece, seja qual for a sua condição social, física ou psíquica. Pode ser-te difícil de perceber, mas nem toda a gente tem a mesma atitude perante a vida e os outros que tu tens.

Se vim aqui dar à letra, não foi por alguma necessidade básica de achincalhar o próximo, ou para verter a minha sabedoria para proveito do povo ignaro. Foi por gostar de futebol, por gostar de trocar umas ideias sobre o assunto, e por achar que há por aqui pelo menos uma pessoa que partilha deste gosto e desta forma de estar.

Não te vou pedir desculpa por não partilhar das tuas preferências, da tua mundivisão ou da tua forma de interacção com quem pensa de forma diferente de ti. Nem sequer me irritas com essa tua conversa. Não me provocas nenhum sentimento para além de pena.

 
At 2/09/2009 6:24 da tarde, Anonymous koelhone said...

Índio Ruço

«Se alguem pretender discutir futebol sériamente não pode dizer que "é penalty porque há contacto" ou porque "sofreu um toque"».

Não foi isso que eu disse. Resumidamente:

-«Ó D'Arcy, eu até acho que não foi penalty. Este penalty foi como os dois do sporting contra o fcp: muito complicado para o árbitro. (...) Para mim, é maior a idiotice do defesa (...) do que o erro do árbitro.»

- «vê lá se não há contacto entre a mão dele e a barriga do Lisandro.Volto a dizer que para mim não é suficiente,»

- «podes interpretar as intenções dos jogadores como quiseres, mas há contacto. Dois jogadores em sentido contrário, na área, o Yebda abre as asas e há contacto. Se pensares calmamente, acho que consegues admitir que é complicado para o árbitro decidir. Isso é muito diferente de batota.»



E então, Índio, qualifico-me para a discussão séria de futebol, ou basta ter uma preferência diferente da tua para que a minha opinião não seja aceitável?

 
At 2/09/2009 6:25 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Eu ainda hoje faço um post com a inversão brilhante no sentido dos comentários que o tipo da SportTV faz ao lance do Lucho. É lindo, e é o branqueamento esperado a entrar em acção ainda antes do apito final. A diferença entre o que o homem diz na altura do lance, e o que passa a dizer sobre o mesmo lance depois do penálti inventado é como da noite para o dia. Mas era o Rui Orlando, e com esse já nós sabemos o que é que a casa gasta. A avença é tão grande que, mesmo sendo a sede da SportTV em Lisboa, e havendo naturalmente diversos jornalistas cá, quando o Porto vem jogar a Lisboa eles fazem este mesmo Rui Orlando vir desde lá de cima para fazer os comentários ao jogo. Este está bem amestrado, e sabe abanar a cauda sempre que lhe mostram o osso.

Pessoal, isto aqui não se trata de dar trela a alguém ou não. O koelhone é leitor deste blog praticamente desde o primeiro dia. Temos quase sempre opiniões diametralmente opostas sobre estes assuntos da bola, mas as suas argumentações sempre foram feitas de forma cordial. E, confesso, não costumo encontrar frequentemente adeptos do Porto (salvo raras excepções, que conto entre o meu círculo de amigos) com quem eu consiga manter uma conversa minimamente civilizada sobre bola. Eu sei que não o vou conseguir convencer sobre os meus pontos de vista, e ele provavelmente sabe que não me vai conseguir convencer a mim. Mas pelo menos nunca foi preciso andarmos a atirar pedras um ao outro.

 
At 2/09/2009 6:32 da tarde, Blogger D'Arcy said...

koelhone, dado o conhecido historial deste nosso consócio sempre que apita os nossos jogos (e tens aí um link que mostra algumas decisões dele), onde ele sistematicamente decide contra nós, não ficarias também de pé atrás quando ele toma mais uma decisão destas? É o que eu disse no início: estou cansado. A minha ingenuidade esgotou-se, e deixei de conseguir acreditar em meros 'erros'. Sobretudo quando determinados árbitros parecem 'errar' sempre para o mesmo lado.

E sim, se calhar já sou mais um maluquinho das conspirações, mas não me admiraria mesmo, mesmo nada que na próxima jornada, frente ao Paços na Luz, aparecesse um erro escandaloso a nosso favor. E nesse caso, podes ter a certeza que nem por um instante pensarei que esse erro foi apenas uma obra do acaso.

 
At 2/09/2009 6:37 da tarde, Blogger Harry Lime said...

D' Arcy,

És completamente maluco :):):):)

Eu por mim não posso falar dos casos do vosso jogo. É que depois de acabar o meu jogo fui vomitar para a casa de banho. Não me apetecia ver mais "futebol" ontem à noite (apesar do Braga ter marcado um bonito golo à PES :):):) ).

 
At 2/09/2009 6:53 da tarde, Anonymous koelhone said...

D'Arcy, o problema é ser tudo tão terrivelmente subjectivo. Se calhar eu também conseguia arranjar uma compilação de situações em que a mesma pessoa beneficiou o Benfica. E se calhar algumas delas nos mesmos jogos...

Eu acredito que a natureza humana tem um largo espectro, cabendo lá dentro falsidade, velhacaria, vingança, orgulho, ambição, inveja e incompetência. Os erros que acontecem todos os fins de semana acontecem por todos esses motivos, alguns reais outros imaginados - como um árbitro acreditar erradamente que se beneficiar certa equipa vai ver a sua carreira avançar mais rapidamente. Há casos que são por demais gritantes, com o do Bruno Paixão. Como é que se deixa um árbitro destes aproximar-se a menos de 50m de um apito é coisa que não me entra na cabeça...

Agora, acredito que 90% dos casos sejam por incompetência e não devido forças ocultas ou outras urdiduras. Claro que a mim me fica na retina um erro contra o fcp, a ti contra o benfica, ao Paulo Bento contra o sporting.

A consequência são árbitros como o Lucílio Baptista, em que os adeptos dos 3 grandes juram a pés juntos que ele os prejudica muito mais que aos outros!


Hoje em dia, quando vejo situações confusas ou nas quais há um motivo para dúvida, tenho muita facilidade em desculpar os árbitros. Ainda ontem no jogo do sporting fiquei muito contente que o 3º golo do braga fosse validado, mas não fiquei totalmente convencido... E no 1º é capaz de haver uma entrada faltosa de um jogador do braga... Mas são lances muito complicados, e tenho que aceitar a percepção que os árbitros conseguem ter naquele momento.

Até porque já tive a experiência de arbitrar uns jogos num torneio inter-empresas de futsal e, pese a minha boa vontade, as opiniões sobre o meu desempenho não foram muito elogiosas...
:)
É muito complicado ser árbitro!

 
At 2/09/2009 7:03 da tarde, Anonymous Índio Ruço said...

"Volto a dizer que para mim não é suficiente, ao contrário do lance do Lucho em que o contacto é suficiente para ele tropeçar, só que o rapaz achou que havia de continuar a jogada ainda assim. Se ele se tem deixado cair, era o penalty mais limpinho do mundo. Como eu acho que os jogadores não têm que se deixar cair, para mim é penalty claríssimo."

Koelhone, podemos começar por aqui.
Não existe penalty nenhum sobre o Lucho e para mim é tão penalty um como o outro. Simples, é ou não penalty. O resto é apenas "aparato" ou se quiseres o "parecer" ou "percepções".
A manipulação começa aí , na gestão de percepções.
Ademais sou um Índio do que eu gosto são de opinioões diferentes, gosto da "luta" e não alinho em manadas, gosto é de lutar com "honra" e já não tenho muita pachorra após tanto tempo de arbitragens medíocres e manipuladoras de acabarmos por discutir sempre com os mesmos "argumentos".

 
At 2/09/2009 10:09 da tarde, Anonymous JFilipe said...

"E, confesso, não costumo encontrar frequentemente adeptos do Porto "

Pois eu vejo-os todos os dias. A tese por estes lados é que o Porto é que foi roubado pois ficou um penalti por marcar! A falta de vergonha suprema é ver um portista a defender isso num blogue do benfica.

O koelhone é um monte de esterco corrupto como os outros. Essa do educado é só para deixar a mensagem mentirosa sem que seja apagada.

 
At 2/09/2009 10:19 da tarde, Blogger Seguidor Gloriosasfera said...

vídeo "Árbitro ajuda FCP a empatar com o Glorioso Benfica" em http://gloriosasferatv.blogspot.com

 
At 2/09/2009 10:23 da tarde, Anonymous JFilipe said...

A eurosport considerou Lisandro e Pedro Proença o pior momento desportivo da semana.

E ainda queres que sejamos educados com um gajo que vem aqui insultar toda a gente com as mentiras que cospe daquela cloaca que tem no lugar da boca?

Ninguém que não seja fundamentalmente desonesto pode ver outra coisa que não uma simulação naquela jogada.

 
At 2/09/2009 10:39 da tarde, Blogger Passaralho said...

Não se trata de dar rela ou não, além de que o espaço é teu e concordo plenamente com a forma como o diriges.

Aliás, quem esteve mal e baixou o nível fui eu, e por isso me penitencio.

O problema (para mim) e o que torna certas coisas insuportáveis, é que são certas 'mentes' com visões diferentes e distintas, quiçá mitómanas, que continuam a dizer, por exemplo, que o golo do Amaral nas Antas para a supertaça de há uns anos foi bem anulado, que o golo do Kandaurov para o campeonato foi bem anulado, etc, etc, etc....

Cansa-me. Mas não me demove.
De qualquer forma as minhas desculpas a todos, em especial a ti, D'Arcy e ao visado, pela linguagem.

Cumprimentos,

 
At 2/09/2009 11:23 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Ninguém tem que andar a pedir desculpas pelo que quer que seja. Nem eu estou a dizer a algum de vocês como se deve comportar. Tudo o que aqui aparece, aparece porque eu quero e deixo que apareça, portanto sou tão responsável por aquilo que vocês dizem como qualquer um de vocês. O koelhone também já é crescido, e saber-se-á defender, não precisa da minha ajuda.

 
At 2/10/2009 8:56 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Este mesmo senhor que apitou este jogo, e que dizem ser benfiquista desde que andava de colhão para colhão, o ano passado, e se não me engano, num Futebol Corruptos de Portugal X Sporting, conseguiu inventar a poucos minutos do fim do jogo, um livre dentro da área do Sporting para os Corruptos conseguirem ganhar por 1 X 0. Por isso, não me estranha o que possa ter acontecido connosco, uma vez que desde que se conheceu que este senhor ia apitar que algo de estranho ia acontecer para os Corruptos não conseguirem perder.

 
At 2/10/2009 9:13 da manhã, Anonymous Índio Ruço said...

A arbitragem não tem nada de subjectivo, embora possa ter situações de duvida e como qualquer actividade humana não possa eliminar o erro.
A questão é que pelo menos cá, as leis do jogo foram alteradas pela percepção mediatica dos lances, o que os arbitros por vezes apitam já não tem muito a ver com o que vêem mas com a possibilidade daquilo que possam ou não ser julgados pela subsequente discussão.E aqui entra na equação a força mediática dos clubes e a capacidade de fazer valer as suas opiniões junto dos devidos poderes.
O toque, o contacto são tudo noções que não fazem parte de uma análise séria, mas fizeram o seu caminho e hoje em qualquer zona do campo as regras são um misto de futebol e basquetebol, e Karaté para o BAlves.
É curioso ver que nunca houve tempo em que os futebolistas estivessem tão fortes ou melhor preparados do ponto de vista fisico como hoje e que simultâneamente haja mais quedas por toques ou contactos.
Depois existe uma total impunidade para os infractores, desde os árbitros aos jogadores.
Não poderia o Lisandro ou qualquer outro ser julgado à posteriori pela simulação?
Podia.Mas não o que se pune são as afirmações do Katso, que ingenuamente disse a verdade.
Será o árbitro realmente punido?
Não. possivelmente ficará uns jogos sem apitar até a "onda" passar e depois voltará como se nada tivesse acontecido.E possivelmente ainda apitará até final da época um ou dois jogos importantes, onde se mostrará devidamente competente para mostrar que o "castigo" teve efeito e poder ter algum crédito para poder fazer o mesmo na época que vem.
Isto é tudo um circo.


PS-Curiosamente ou não, jogadores que se portam assim em Inglaterra são apelidados de "cheaters" e/ou "divers" por cá enaltece-se a normalidade, ie, a pretensa honestidade do Lucho. Lá pretende-se "punir" a anormalidade, cá como é tudo mais ou menos anormal, subjectivo, aleatório...elogia-se a normalidade. Se não existe aqui uma "doença" qualquer ...


"Até porque já tive a experiência de arbitrar uns jogos num torneio inter-empresas de futsal e, pese a minha boa vontade, as opiniões sobre o meu desempenho não foram muito elogiosas...
:)"

Koelhone, devias extrapolar isto para as tuas opiniões sobre os desempenhos dos árbitros.

 
At 2/10/2009 10:27 da manhã, Anonymous JFilipe said...

Já agora, penalti claro por marcar foi aos dois minutos. Uma das situações contempladas pelos regulamentos para penalti é dar ou tentar dar um pontapé num adversário. O Burro Alves aos dois minutos tenta dar uma patada no Suazo, não há qualquer dúvida quanto à intenção.

A campanha de branqueamento dos corruptos tem sido das coisas mais asquerosas que já vi. Não se deixem iludir e lembrem-se que os oliveirinhas só mostram coisas a favor do Benfica se não houver forma de o evitar.

Neste jogo houve várias agressões e ninguém fala delas. A porkostv na primeira volta fez um show com um cotovelo do Luisão. Agora estão calados que nem ratos. Suazo e Reyes foram agredidos neste jogo.

Estou à espera que o Benfica peça vários sumaríssimos relativos a este jogo.

 
At 2/10/2009 10:30 da manhã, Anonymous koelhone said...

JFilipe,

"A tese por estes lados é que o Porto é que foi roubado pois ficou um penalti por marcar!"
Ui, que tese tão fraquinha. Tens a certeza que tens falado com portistas ferrenhos? Qualquer portista minimamente ferrenho consegue alinhavar uma tese mais engraçada.

Queres um exemplo? Cá vai.
TESE:
"A- Vermelho perdoado ao Sidnei aos 26 minutos, por entrada por trás ao Lucho
B- Penalty sobre o Lucho que o árbitro não marcou quando ainda estava 0-0 (é diferente o fcp ter que pressionar para o empate do que poder jogar em contra-ataque, para o qual até está muito mais talhado, ainda por cima contra uma equipa reduzida a 10)
C- Penalty bem marcado sobre o Lisandro, uma vez que há contacto dentro da área, que impede a progressão do Lisandro
Por A+B+C se prova que mais uma vez o fcporto foi indecentemente roubado por um árbitro que até é sócio do adversário, e para cúmulo da desfaçatez vem logo uma campanha na comunicação social a querer atirar-nos areia para os olhos ao dizer que o prejudicado foi, pasme-se, o benfica!!!"


Queres agora a minha opinião, ou sendo "um monte de esterco corrupto" não tenho direito a uma?
Se achas que não tenho direito a opinião, então não leias as próximas linhas, assobia para o ar e continua a insultar-me. Ao menos fazes terapia.

Na minha opinião:
A- Não vi o lance, apenas li sobre isso no jornal O Jogo. Confesso que já não tenho muita paciência para os programas desportivos com painéis dos 3 clubes, portanto os resumos que vejo limitam-se aos principais noticiários e neles este lance nunca apareceu (o que até vai ao encontro da tese do branqueamento)
B- É penalty, mesmo que o Lucho não caia. Há contacto que faz o atacante tropeçar. Se isto não é penalty então não há penalties.
C- Não há penalty. Apesar de haver contacto, não é suficiente sequer para fazer o Lisandro abrandar. O Lisandro aproveita o contacto para cavar um penalty, o que conseguiu. Mas caramba, todas as semanas há penalties mais grosseiros marcados por essa europa fora. Os meninos da Eurosport deram uma distinção especial a esta jogada? Bem, a campanha de branqueamento assume proporções ainda maiores do que eu pensava!
Por A+B+C, acho que toda a gente devia deixar o árbitro em paz, porque num jogo de tantas emoções e tanta competitividade acabou por haver poucos lances duvidosos e as decisões não prejudicaram grandemente nenhuma das equipas.


"Ninguém que não seja fundamentalmente desonesto pode ver outra coisa que não uma simulação naquela jogada."
Esta é complicada. Com tantas negativas encadeadas, deixas-me fundamentalmente confuso. Vamos por partes:
"Ninguém que não seja" -> Alguém que seja
"pode ver outra coisa que não" -> pode apenas ver
Resultado: alguém que seja fundamentalmente desonesto pode apenas ver uma simulação naquela jogada.

Era mesmo isso que querias dizer?

 
At 2/10/2009 10:34 da manhã, Anonymous JFilipe said...

Até o próprio Proença reconhece o erro.

"Pedro Proença reconheceu que errou ao marcar a grande penalidade que possibilitou o empate (1-1) do FC Porto no clássico de domingo, diante o Benfica, tendo, logo após o final da partida, pedido desculpas a toda a comitiva encarnada"

in Correio da Manhã.

 
At 2/10/2009 10:39 da manhã, Anonymous koelhone said...

Índio Ruço,

"A arbitragem não tem nada de subjectivo"
Tem, sempre que as regras deixam a resolução ao critério do árbitro. Isso acontece, está nas regras. O que não deve acontecer é esse critério alterar-se de jogo para jogo ou, pior, dentro do mesmo jogo, como é tristemente comum nas arbitragens poruguesas.

Quando falas na "força mediática dos clubes", suponho que tens a noção que em Portugal o clube que tem, de longe, mais força mediática é o benfica!

"devias extrapolar isto para as tuas opiniões sobre os desempenhos dos árbitros."
Mmmm, agora que falas, realmente a malta não me tem dirigido muitos elogios nem encorajamentos. Bolas, agora fiquei triste!
:)

 
At 2/10/2009 10:58 da manhã, Anonymous Índio Ruço said...

O Scolari já sacou mais 17 milhões...tenho a impressão que deve ter conhecido o Ronald Biggs.


De qualquer forma quero aqui declarar publicamente a minha total disponibilidade para tomar conta dos destinos do Chelsea.
Do que a equipa precisa é de uma total renovação dos valores espirituais, deixar de comer carnes vermelhas e consumir mais good spirits. Prometo alegria no trabalho e que não haverá mais um dia triste em Stanford Bridge.
Não me importo de ser despedido 15 ou 30 dias depois porque não estarei de todo agarrado ao lugar. Nunca chego atrasado.A minha disponibilidade é imediata, o único senão é precisar de um visto especial da Cofidis e da GE Money para poder sair do País, pois poderia agravar fortemente a situação económica destas empresas a nivel internacional.

 
At 2/10/2009 12:12 da tarde, Anonymous Índio Ruço said...

Koelhone,

"A arbitragem não tem nada de subjectivo"
Tem, sempre que as regras deixam a resolução ao critério do árbitro. Isso acontece, está nas regras."

Tens razão está nas regras, mas não é regra, só em situações excepcionais.
Ora cá o que se tornou regra é a excepção, como tu bem explicas com as mudanças de critérios de jornada para jornada.
Tudo o que se pede com o critério do árbitro é o bom senso, mas bom senso inerente ao conhecimento do espírito do jogo e das restantes regras a aplicar.Não é a meio -campo valer o Karate e dentro da area o basquetebol.

Discordo quando dizes que o Benfica é o clube de maior força mediática, se analisares qualitativamente as notícias que dizem respeito ao Benfica verás que na sua maioria são negativas.
Na inclinação clubistica nem é preciso falar, basta veres a SportV (portista até à medula), a SIC (Sportinguista), a RTP (ultimamente está melhor mas quando as peças são feitas no Monte da Virgem...Jesus), etc...
Esse é outro mito que não cola à realidade igual ao clube do fascismo e do Calabote, etc...

Se reparares os jornalistas televisivos e radiofónicos eram na sua maioria sportinguistas e portistas, e isto foi deliberado, não foi por acaso. Diz-me lá um comentador benfiquista num Canal de Televisão... o Freitas Lobo? o João Pinto? o Rui (aarrrggh) Santos, o outro da SIC que esteve em itália (não me lembra o nome)o Tadeia? ...não ves nem um.

Não fiques triste Koelhone, de mim diziam o mesmo como futebolista e como vês nunca desanimei:)))

 
At 2/10/2009 1:03 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caro koelhone, o facto d'O jogo ser presença obrigatória em qualquer lar portista que se preze, é um bom indicador dos seus "critérios editoriais".

O falatório acerca desse lance do Sidnei e o do suposto penalty sobre o lix...lucho, não passam de tentativas de atirar areia para os olhos ainda incrédulos pela eficácia (?) do teatro do argentino da barbicha.

Já que não viste (?) informo-te que nesse lance do Sidnei, há uma normalíssima entrada lateral (com o pé direito do Sidnei a atingir, pela frente, o pé, também direito, do outro jogador) em conjugação com carga de ombro. Na minha opinião há apenas lugar para cartão amarelo, no máximo. Acho pior atingir as costas do adversário com os pés, por exemplo, como certo jogador tem, impunemente, o hábito de fazer.

 
At 2/10/2009 11:16 da tarde, Blogger Rod The Leven de Portugal said...

Esperem lá! Então... as leis da física mudaram?

Vou experimentar isso... hummm

tem piada, quando se empurra alguém na barriga, esse alguém cai para trás! então quando cai para a frente é porque o empurraram na barriga?!

Desculpem, mas cada vez mais percebo porque é que os exames nacionais de Física (onde se estuda as leis dos movimentos de corpos) as médias andam na lástimas que andam.

Que diabo, está tudo parvo ou quê?

Ainda se discute? Mas qual discussão? E penálti por marcar sobre o LuchO?! Épá, então o toque é num pé e o tipo desiquilibra-se pelo outro?!

Cá para mim, os jogadores do SLBenfica andam a aplicar mal os seus dotes de mágica. Só pode.

Pelo amor da Santa! Tenham decoro, pelo menos.

 

Enviar um comentário

<< Home