terça-feira, fevereiro 03, 2009

Decisão

A Liga lá se decidiu, e resolveu ditar o Vitória de Guimarães para nosso adversário nas meias finais da malfadada Taça da Liga. Se eu estivesse na posição da Carlsberg, patrocinadora da competição, pensaria duas vezes antes de manter o meu nome associado a tão prestigiada prova. São clubes a apresentar equipas secundárias, a ameaçar não comparecer a jogos, a apresentar recursos, a jogar sob protesto, enfim, nada que surpreenda quem já esteja minimamente habituado ao lodaçal que é o futebol português.

Também nada surpreendente é a justificação da Liga para não dar provimento aos recursos do Belenenses: refugiou-se num detalhe técnico (a pessoa a quem foram dirigidos os recursos), fugindo assim a ter que tomar uma decisão. Ainda assim, e porque convém manterem as costas quentes uns aos outros, lá foram avisando que, caso tivessem que decidir alguma coisa, "
entendíamos que a expressão goal average significava a normal diferença entre golos marcados e sofridos. Portanto, seguiríamos a interpretação da Liga".

Não é que eu sinta qualquer tipo de simpatia pelos de Belém - afinal, um clube que exorta a sua massa adepta a aplaudir um sujeito condenado por corrupção não pode gerar simpatia em mim (embora, reconheça-se, se os próprios deputados da nação o recebem na Assembleia da República e organizam almoços em sua homenagem, o acto de lambe-botas do speaker dos pastéis até esmorece face a tamanho despropósito) - mas esta interpretação não deixa de ser curiosa. Quer ela dizer que, no futebol português, o que interessa não é a letra da lei, mas sim o espírito dela. O que, obviamente, depende da pessoa que a escreve e, naturalmente, significa que o que hoje tem escrito 'preto' pode ser amanhã interpretado como 'branco'. Percebe-se, portanto, a ténue linha que pode separar 'corrupção' de 'coacção', por exemplo, e consequentemente, 'palmadinha nos dedos' de 'descida de divisão'.

O nosso futebol é, de facto, único. Tão único é, que até já consegue redefinir a língua inglesa.

6 Comments:

At 2/03/2009 5:22 da tarde, Anonymous Índio Ruço said...

É claro que uma Taça com o nome Carlsberg só podia dar nisto, é obviamente uma questão de spirits.
E claro que tinha que ter um ou outro anglicismo para dar credibilidade à cerveja, que é Carlsberg mas é fabricada em Santarem. Até aqui a jogada não me parece mal delineada. Agora com o anglicismo é que a coisa deu para o torto, já que não precisava ser usado nos regulamentos, mas sim num sítio mais visivel...sei lá...nos spots e placards publicitários.
Qualquer coisa como " Aumente o seu golo average bebendo Carlsberg". Dava logo a percepção de uma cerveja mais leve e que se pode beber à vontade, fazendo o contraponto com a Sagres da concorrência cujo slogan é "golo" e é uma cerveja pesadona, apesar do rejuvenescimento recente muito por causa das tipas boas que entram nos spots.

Os tipos do Belenenses até são capazes de nem ter tido nada a ver com o protesto, mas sim os seus padrinhos do Norte que os alertaram para a questão, basta ver a quem eles obedientemente endossaram o protesto.
E aqui por debaixo da superfície existe uma outra guerra (que excepcionalmente foi focada ontem pelo Seara) surda entre o Porto e seus satélites e o Hermínio da Liga. O Benfica não pode politicamente fazer o jogo do Porto e encontrou uma solução equilibrada que foi jogar sob protesto, criticando a "palhaçada" mas não dando azo a uma fragilização excessiva do Hermíno, pois isso seria dar um tiro nos pés.
Do outro lado o escocês Franco prepara-se para calculisticamente fazer o que todos já sabiam quando se "foi embora", que é recandidatar-se.
Segundo me disseram no seu programa constará uma medida totalmente inovadora, que é o de refrescar os símbolos do clube, que pela sua idade, já não são tão apelativos ao sentir dos seus adeptos.
Por isso, o Leão será substítuido por um Carneiro.
Tempos interessantes estes.

Já agora e a talhe de foice ou de foda-se, custa-me a entender como os Benfiquistas de Lisboa e arredores vão festejar os títulos numa praça debaixo de um monumento encimado por um Marquês e um Leão. Este simbolismo custa-me a engolir.

PS- D'Arcy, houve quem te visse um dia destes com uma brasileira, coño!

 
At 2/03/2009 11:21 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Calúnias! Eu até prefiro europeias :)

Festeja-se no Marquês porque:

1- É praticamente o coração de Lisboa. Começa-se por paralisar o Marquês, e a partir daí paralisar o resto da cidade são favas contadas.

2- Celebrar ali ao pé do leão e do marquês é só mesmo para chatear o bicho e o nobre. Todos sabemos que eles ficam doentes com as vitórias do Benfica, por isso é uma espécie de 'In your face, bitch!'.

De qualquer forma, acho que isto é uma moda recente. Só me lembro da Taça de 2004 e o Campeonato de 2005 serem celebrados ali. Em 1994 não me lembro disso - até porque na altura éramos uns nababos que encarávamos a conquista de um campeonato como apenas 'mais um para a colecção'. Bons tempos...

 
At 2/03/2009 11:23 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Ah, já agora, eu nunca fui para o Marquês celebrar. Moro mesmo aqui a dois passos do Estádio da Luz, por isso não estou a ver porque razão haveria de ir para outro sítio festejar. Há algum sítio melhor do que a nossa casa?

 
At 2/04/2009 8:59 da manhã, Anonymous Índio Ruço said...

Não sei se as razões para se festejar no Marquês serão assim tão ponderosas...lembro-me que os primeiros a festejarem naquela praça foram os sportinguistas aquando da conquista de um título e , na altura, tambem muito saudados por alguns benfiquistas que tambem se juntaram à festa.A onda era de uma vitória anti-sistema.
A partir daí a comemoração de qualquer vitória é (por inércia e flagrante falta de respeito aos aspectos mais simbólicos) festejada naquela inóspita praça.
É inegável que é de melhor acesso a quantos chegam de fora...mas caramba não é todos os dias que se festeja um título, e para ocasiões excepcionais devemos cumprir os rituais com todo o simbolismo.
Como índio seria o mesmo que festejar a vitória numa batalha em casa do grande Pai branco. Nunca!!!
Como índio tambem estou de acordo contigo!Nada melhor que festejar uma vitória em Vossas casas!with good spirits!:)))

índio apreciador de todas as coisas do mundo e depois da Lei bosman, não ter preferência squaw ser europeia, brasileira ou qualquer outro canto da Terra, índio só querer que squaw ser boa jogadora.:))

 
At 2/04/2009 11:32 da manhã, Anonymous Índio Ruço said...

Hoje bravo guerreiro Mantorras molhar sopa outra vez!!
Mantorras grande jogador,para ele tudo ser fácil, fazer golo com uma perna às costas!!!

 
At 2/04/2009 5:33 da tarde, Anonymous Índio Ruço said...

vais lá acima ao dragom-ue no domingo?
põe-te a pau que os tipos já devem ter uma foto tua na carteira...a sério.

 

Enviar um comentário

<< Home