sábado, janeiro 21, 2006

Sete

E vão sete. Sete vitórias consecutivas no campeonato (nove no total das provas). Hoje só não deu para manter a inviolabilidade da nossa baliza, mas não se pode ter tudo.

Koeman voltou a mexer na equipa em relação ao último jogo. Dadas as diversas opções de que dispõe, ele quase que pode 'baralhar e voltar a dar' em relação a diversas posições na equipa. Na defesa entrou o Alcides para o lugar do Léo, passando o Nélson para a esquerda. Eu confesso-me dividido em relação ao Alcides. Por vezes tem intervenções brilhantes, conseguindo cortes em lances de antecipação que proporcionam contra-ataques rápidos. Outras vezes sobe no terreno como uma barata tonta, deixando um buraco do seu lado da defesa. Além de que às vezes tem uma tendência natural para descair para o centro da defesa, deixando muito espaço livre do lado direito. Mas no cômputo geral, a prestação do brasileiro neste jogo foi bastante positiva. Talvez por conhecer estes 'esquecimentos' do Alcides, o treinador do Gil Vicente colocou o Carlitos (que normalmente actua sobre a direita) do lado esquerdo do ataque, e a verdade é que ele foi sempre o maior perigo para a nossa baliza, aparecendo diversas vezes liberto de marcação. No centro, mais uma mudança com a entrada do Anderson para o lugar do Ricardo Rocha, mas isto é quase natural dado que ao nosso treinador parece fazer pouca diferença jogar um ou outro. Parece-me que ele opta pelo Ricardo em jogos onde sabe que o Léo vai ter mais liberdade para atacar, já que o Ricardo fecha melhor a esquerda.

No meio-campo, e face à suspensão do Beto, surgiu com naturalidade o Manuel Fernandes. Parece-me que ele deve estar um pouco nervoso com a perda da titularidade. Ele está um jogador quezilento, e sobretudo na fase inicial do jogo foi muito complicativo na participação no jogo ofensivo da equipa, para além de falhar alguns passes fáceis. Depois foi melhorando com o tempo, terminando o jogo em bom nível. Na frente entrou o Manduca para o lugar do Miccoli, e o Geovanni para o lugar do Robert. Ao contrário do que eu esperaria, o nosso treinador optou por adiantar o Nuno Gomes para ponta-de-lança, colocando o Manduca nas suas costas e o Geovanni na direita, embora os jogadores se mantivessem pouco presos às suas posições, efectuando diversas trocas durante o decorrer do jogo.

Perante uma equipa como o Gil Vicente que, como infelizmente nós sabemos pelo que se passou na primeira volta, sabe defender agressivamente com quase a equipa toda metida no seu meio-campo, e que se necessário utiliza o anti-jogo como uma arma temível, o pior que nos podia acontecer era mesmo o penalti concedido pelo Simão logo aos oito minutos, e que significou o fim da inviolabilidade da nossa defesa ao fim de 638 minutos. Só que a equipa reagiu muito bem e foi para cima do adversário, tendo chegado ao empate menos de dez minutos depois, também na conversão de um penalti. Desta vez o super Jorge Baptista da primeira volta não apareceu, e o Simão marcou mesmo golo. Ao fim de vinte e cinco minutos estava consumada a reviravolta no marcador: fuga do Nuno Gomes pela direita, centro atrasado para a entrada da área, e remate de primeira do Geovanni a marcar um golaço. Conforme já escrevi aqui algumas vezes, eu gosto muito do Soneca, por isso fico sempre particularmente satisfeito quando é ele a marcar. Em desvantagem no marcador o Gil Vicente assumiu uma estratégia de risco, optando por subir a defesa no terreno e defender em linha. Isto significou que o Benfica passou a dispor de imenso espaço nas costas dos defesas gilistas, onde podia solicitar as entradas dos rápidos homens da frente.

O reatamento do jogo deu-se praticamente com um golo (bem) anulado por fora-de-jogo ao Nuno Gomes (que já tinha tido uma situação em que ficou isolado no final da primeira parte, só que infelizmente o lance foi mal cortado por fora-de-jogo), a ilustrar os riscos que o Gil corria defendendo desta forma. Mas eles entraram com uma atitude muito pressionante, e com vontade de inverter o rumo dos acontecimentos. Felizmente a sorte sorriu-nos, e num lance infeliz do Marcos António vimo-nos a ganhar por 3-1, num autogolo em que o guarda-redes Jorge Baptista também não ficou bem na fotografia. Definitivamente o super guarda-redes que apareceu na Luz no jogo da primeira volta ficou em casa esta noite. Daqui para a frente limitámo-nos a gerir o resultado, tendo a nossa qualidade de jogo decaído bastante, principalmente depois das trocas do Manduca e do Geovanni pelo Robert e o Marco Ferreira (não quero no entanto com isto dizer que estes dois jogadores tenham jogado mal). O Gil Vicente teve maior iniciativa atacante durante este período, e até poderiam ter marcado, mas o Benfica também dispôs de boas oportunidades para aumentar a contagem, particularmente através do Nuno Gomes. No final mais uma vitória, e a pressão a passar para o lado do FC Porto, já que assumimos a liderança à condição. Não foi uma exibição brilhante, mas foi q.b. para atingirmos os objectivos propostos.

No Benfica os destaques do costume para a defesa, com sobretudo o Luisão em bom plano. O Nuno Gomes também jogou bem, esteve muito movimentado, mas esteve particularmente infeliz na finalização, tendo apenas conseguido marcar no lance em que estava deslocado. O Simão também já subiu bastante em relação ao último jogo, apesar de ainda não ter atingido o nível que lhe conhecemos. O que me agradou mais na equipa hoje foi a forma como pareceu não acusar o golpe de sofrer um golo tão cedo, ainda para mais com o 'trauma' do que aconteceu na primeira volta, tendo dado a volta ao resultado de uma forma aparentemente fácil. Ao contrário do que tinha acontecido nos últimos dois jogos, em que praticamente entrou a ganhar, desta vez vimo-nos na situação inversa, e se não estou em erro julgo que foi a primeira vez neste campeonato que começámos a perder um jogo e conseguimos inverter totalmente o resultado. A equipa mostra-se muito confiante, e por vezes até parece uma equipa italiana no 'cinismo' com que aborda os jogos: aparentemente está a ser controlada pelo adversário, e de repente cria uma oportunidade de golo flagrante, construida rapidamente e quase do nada.

Segue-se o derby (esta é a semana que eu mais odeio em toda a época, e posteriormente farei um post a explicar porquê), e reza a tradição que normalmente ganha a equipa que está pior. Não é difícil concluir quem é que está pior neste momento, pois não?

P.S.- Ainda bem que o Marcos António (que provocou um penalti e marcou um autogolo) pertence aos quadros do FC Porto. Senão ainda eram capazes de dizer que o tínhamos comprado. Mas não me surpreenderá que alguns alucinados venham afirmar que o Gil Vicente nos facilitou a vida em troca dos empréstimos do João Pereira e do Vilela ;)

20 Comments:

At 1/21/2006 2:55 da manhã, Blogger JoaoLynch said...

os Alucinados ainda se vão queixar do relvado e que o responsável pela Relva do GIl Vicente é do Benfica e... (sabe-se lá)

 
At 1/21/2006 11:04 da manhã, Blogger dezazucr said...

curioso sería a reacção àquele penálti cometido sobre o Carlitos se ele ainda jogasse no Benfica.

 
At 1/21/2006 12:17 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Já se sabe que o critério para a avaliação dos penaltis por parte dos adeptos dos outros dois tem tendência a variar radicalmente consoante se trate de um lance a favorecer o Benica ou outra equipa. Concretamente, se o penalti sobre o Carlitos fosse assinalado a nosso favor, para eles seria um escândalo (já agora, diga-se que eu até considero que o penalti é bem assinalado).

 
At 1/21/2006 2:02 da tarde, Blogger Quetzal Guzman said...

Finalmente, uma frangada a nosso favor!!! (isto esquecendo a preciosa colaboração do mais benfiquista jogador lagarto: Labreca) E logo por um dos guarda-redes que nos costuma fazer a vida negra.

 
At 1/21/2006 3:28 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Com a sorte com que estamos até o Marco Aurélio vai acabar por frangar nesta segunda volta. Agora daqui até ao jogo com o scp não leio jornais desportivos nem vejo noticiários desportivos na televisão.

 
At 1/21/2006 3:31 da tarde, Blogger Pedro Neto said...

Quando vi o banco do Benfica até me benzi!!

Que luxo!

 
At 1/21/2006 4:59 da tarde, Blogger tma said...

D'Arcy, focaste dois aspectos que me parecem extremamente importantes:
- a capacidade para o Benfica "virar" o resultado negativo (1º vez que tal acontece neste campeonato - nesta época, tal proeza só tinha sido conseguida frente ao... Man Utd!);
- a forma "italiana" (pelo menos, é o que aparenta) como o Benfica gere os jogos, nomeadaemte o resultado e o ritmo do jogo (e por conseguinte, esforço).

O jogo de ontem foi, em quase tudo, a antítese do que sucedeu na primeira volta. A excepção foi o penalty inicial, mas de alguma forma, essa infelicidade até acabou por realçar a felicidade que o Benfica acabou por ter no resto do jogo: o penalty a favor, resultante de um lance infeliz do Marcos António, o (execelente) golo do Geovanni, numa das raras oportunidades, e um dos momentos mais hilariantes deste campeonato, com o autogolo do Marcos António, após uma frangalhada do Jorge "quase-intransponível-contra-o-Benfica" Baptista. Pagava para ver o Marco "cabeça-de-louvadeus" Aurélio fazer o mesmo (contra o Benfica, claro!)...

Quanto ao "derby", e apesar da "tradição" que referes (que na prática, corresponde a casos pontuais, como a derrota na Luz por 1-2, na penúltima jornada de 85/86, deixendo o título fugir para o FCP ou a vitória em alvalade por 1-0 em 2000, também na penúltima jornada, com golo do Sabry de livre directo, adiando a decisão do campeonato, da qual o Benfica já estava "arredado", para a última jornada), prefiro acreditar mais na "tradição" mais realista: a equipa que está em melhor momento ganha!

 
At 1/21/2006 6:13 da tarde, Blogger tma said...

Já agora, há também a destacar, pelo menos a julgar pelo som da transmissão televisiva, que a presença de adeptos benfiquistas em Barcelos superou claramente os próprios gilistas. Mais uma demonstração de que não é só no Algarve que o Benfica joga como se fosse em casa (para além da Luz, claro)...

Acrescento ainda que em penalties a favor do Benfica, os adeptos dos rivais normalmente utilizam as regras do rugby para os avaliar...

 
At 1/21/2006 6:25 da tarde, Blogger Harry Lime said...

É óbvio que voces compraram o Marcos António. O polvo está em todo o lado.

 
At 1/21/2006 6:31 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Quais regras de rugby. A regra é só uma: a favor do Benfica, todos os penaltis são inventados.

 
At 1/21/2006 6:55 da tarde, Blogger tma said...

D'Arcy, como no rugby são permitidas placagens e a bola pode ser jogada à mão, foi o que me ocorreu. Mas acho que tens razão, a regra que enunciaste é a que melhor se aplica...

 
At 1/22/2006 11:15 da manhã, Blogger antitripa said...

quer dizer que o giovanni assassina 2 de seguida...para a semana é o jogo dele...

não percebi...o liedson não foi expulso?????hummmm...estranho

 
At 1/22/2006 12:03 da tarde, Blogger Pedro said...

Liedson não foi expulso mas bem fez por isso tantas chapadas deu nos defesas do Maritimo...

Mas isso agora não interessa nada...

É desta q o Luisão se vinga do baixinho!!!!!

 
At 1/22/2006 7:58 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Saindo um pouco de fora do tópico:

D`Arcy, achas mesmo que o Paulo Bento é igualzinho ao Shrek?

É que acho que ele parece outra coisa (que não nomeio aqui porque o D`Arcy não gosta que a malta use palavrões nos comentários).

 
At 1/22/2006 10:06 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Meu, o gajo tem os olhos muito juntos no meio da cara, uma granda penca, boca de sapo, orelhas salientes, e é verde. Que mais queres que te diga? Aliás, acho que por aí na blogosfera já houve alguém que sobrepôs a foto do Paulo Bento ao Shrek e aquilo encaixava perfeitamente.

 
At 1/23/2006 9:20 da manhã, Blogger JP said...

Eu acho que não ha verdinho nenhum que não se pareça ao Shreck lol

 
At 1/23/2006 10:09 da manhã, Blogger Harry Lime said...

No entanto, há um lado bom nesta alegada semlhança entre o PB e o Shrek: dá-me um motivo para ver os jogos do sporting à procura das parecenças entre os dois.

É que se eu quiser ver futebol é melhor procurar noutro lado.

 
At 1/23/2006 10:12 da manhã, Blogger D'Arcy said...

A única coisa que safa o Paulo Bento é ser magrinho. Se ele fosse mais gordo era mais fácil ver as semelhanças.

 
At 1/23/2006 11:02 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Por falar em penaltis e SCP, o Sá Pinto pelos vistos pode fazer os que quiser, o adversário nunca marca. O homem tem sido de uma regularidade impressionante, é um penalti por jogo. Vamos lá a ver se ele faz o jeito ao Benfica (prá estreia do Marcel).

 
At 1/23/2006 11:08 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Acho que contra o Benfica é mais fazer-se ao penalti, em vez de fazê-los.

 

Enviar um comentário

<< Home