domingo, janeiro 09, 2005

Aftermath

Bem, acho que tenho que escrever alguma coisa sobre o jogo de ontem à noite. E o que é que se pode dizer? Quando não se quer ganhar um jogo, é difícil que isso aconteça. E custa muito mais quando se vê que tivemos tudo para ganhar o jogo. Mas faltou-nos ambição e querer, o que infelizmente já começa a ser norma nesta equipa. O nosso treinador deve ser uma espécie de vampiro, que no espaço de meses conseguiu sugar toda a energia vital e força de vontade que esta equipa parecia ter quando tinha Camacho ao leme. Cada vez mais estou convencido que o bom início de campeonato se deveu apenas ao 'balanço' com que a equipa vinha da época anterior.

O jogo começou relativamente equilibrado, mas com o Benfica muito recuado, dando a iniciativa de jogo ao adversário. Não sei porque insistem em chamar aquela táctica de 4-3-3, quando o que vi foi um 4-5-1, com o Nuno Gomes praticamente entregue à sua sorte. Ficámos a perder num lance em que foi dado todo o tempo do mundo ao Rochenback para centrar, e depois os nossos centrais foram batidos de cabeça por um jogador bem mais baixo que eles. De uma forma algo feliz, chegámos ao empate, e pouco tempo depois o Rui Jorge foi expulso. Daí até ao intervalo, o Benfica pegou no jogo, e insistiu (bem) sobre o lado direito, uma vez que o Peseiro deixou apenas o Hugo Viana a fechar o flanco. Criámos uma excelente oportunidade para sairmos para o intervalo na frente, que foi desperdiçada pelo Simão.

Na segunda parte, quando esperava que a equipa caísse em cima do adversário, nada disso. O que eu vi foi uma equipa sem chama, e aparentemente descrente na possibilidade de ganhar o jogo. Como é possível que uma equipa em superioridade numérica passe o tempo a correr atrás da bola, quando o que deveria suceder seria exactamente o contrário? Mas não, os nossos jogadores, em vez de trocarem a bola, ou sairem com ela controlada, optaram por despejar a bola directamente para o Nuno Gomes. O Quim, nesse particular, revelou-se excelente. Para além de evidenciar uma calma irritante na reposição de bola, parecendo estar satisfeitíssimo com o empate. Durante todo o tempo em que estivemos em vantagem numérica, não me recordo de ver um único remate do Benfica à baliza adversária!

Num derby, quase sempre que um jogador de uma equipa é expulso, o árbitro acaba por expulsar um da outra equipa para compensar. Era óbvio que alguém do Benfica seria expulso, e acabou por ser o Alcides (a expulsão pareceu-me, de onde me encontrava, correcta). Trapattoni demorou uma eternidade a reagir à expulsão. Enquanto discutia com o Álvaro, o Fyssas (uma exibição absolutamente disparatada em termos ofensivos, pois conseguia sempre entregar a bola a um adversário) foi para o centro fazer de central, e ninguém compensou o lado esquerdo da defesa. Uma perda de bola infantil do João Pereira do lado direito, cruzamento para o lado esquerdo onde o Carlos Martins estava completamente sozinho, e acabou por sair um remate torto, que foi bem emendado pelo Liédson. E a partir daí, sabia que o jogo estava perdido. O Benfica reagiu timidamente, mais com o coração do que com a cabeça, e ainda viu uma bola ser salva sobre a linha de golo, julgo que pelo Polga.

Dois clássicos, duas derrotas. E agora senhor Trapattoni? Tem alguma bola que esteve dentro da baliza que não foi assinalada para servir de desculpa? É absolutamente desesperante ver esta equipa jogar. Sobretudo tenho uma sensação de impotência, por estar absolutamente convicto que a pessoa no banco não tem capacidade para inverter o rumo dos acontecimentos quando as coisas estão más para o Benfica.

6 Comments:

At 1/09/2005 8:53 da tarde, Blogger Ahab said...

Muito boa análise.

Só uma nota: o Liedson arrumou o Alcides com uma pinta do caraças. :))

O Liedson é uma mistura de Jardel (mas sem a sua fixação em alcool e noitadas) com o velho Acosta (mas sem a famosa ciática).

 
At 1/09/2005 9:24 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Não digas disparates. No primeiro golo quem estava a marcar o Liédson era o Ricardo Rocha (que foi o marcador directo dele durante o jogo), e no segundo o Alcides já nem sequer estava em campo. Nesse lance o Ricardo Rocha saiu ao encontro do Carlos Martins, e foi o Fyssas quem ficou com o Liédson. O Alcides estava a fazer um bom jogo até ser expulso.

 
At 1/09/2005 10:20 da tarde, Blogger Ahab said...

Já viste na TV a forma como o Alcides foi para a rua?

 
At 1/09/2005 11:57 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Já, e por acaso agora acho mesmo que a expulsão dele foi no espírito da compensação. O vermelho naquela jogada é um exagero, mas o público berrou muito, e já andava a pedir cartões para os jogadores do Benfica há muito tempo.

 
At 1/10/2005 10:52 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Um Derby é um Derby...
E...Um Derby com um BENFICA sem ambição...é um gozo !!!
E...é só mais um ano..talvez para o ano :-)))

É só bom para relembrar que o Benfica não é, nem será neste ano ainda um clube com futuro..é somente..um clube com um passado !!!

 
At 1/10/2005 7:59 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Sou Sportinguista e não me chateia muito o facto de estar na frente :-). Mas também tenho a consciência da volatilidade do 1º lugar. A exibição do Benfica foi realmente pior do que estava à espera. De facto esperava uma vitória do SLB após ter visto alguns dos recentes encontros do SCP.
Mas é muito cedo para dizer que este ano isto ou aquilo. A diferença é muito pequena e o próprio SCP já andou mais para baixo na tabela, por isso ...

 

Enviar um comentário

<< Home