sexta-feira, fevereiro 25, 2005

À italiana

P: Como é que se faz para dar a volta a um resultado negativo de 2-0 numa primeira mão de uma eliminatória europeia?

R: Bem, isso depende muito do ponto de vista. Segundo uma arcaica corrente táctica transalpina, a solução será pegar num avançado com pouco poder de choque e fraco jogo aéreo; pregar com esse mesmo avançado no meio de uma defesa constituida por torres muito mais altas que ele e deixá-lo entregue à sua sorte; finalmente, passar o tempo a bombear bolas altas na direcção genérica desse avançado, e repetir até à exaustão. Quando, ao intervalo, perante 45 minutos de evidência que a táctica não está a resultar, insistir casmurramente, até que o adversário marque um golo, e a eliminatória fique irremediavelmente perdida. Nessa altura, começar a mexer na equipa para pelo menos dar uma leve impressão que se está a tentar ganhar o jogo. Mas atenção, que isto tem que ser feito com muito cuidadinho! Mete-se um avançado, mas tira-se o médio ofensivo que estava a jogar mais perto do único avançado até então, que isto de abdicar de dois trincos é que não pode ser. Trocar um defesa direito por um lateral mais ofensivo? Que disparate! Tira-se outro médio ofensivo, que isto de arriscar muito no ataque não é para todos. E depois troca-se um avançado por outro, que assim podemos ir para a conferência de imprensa dizer que metemos todos os avançados disponíveis em campo.


Agora mais a sério. Já o disse, e volto a dizer: é doloroso ver este Benfica do Trapattoni a jogar. Nunca, desde que acompanho os jogos do Benfica, vi um treinador cuja mentalidade fosse mais desajustada ao Benfica. O Pal Csernai era um Johan Cruyff ao lado deste homem. O Trapattoni disse uma vez que percebia um bocadinho mais de futebol do que os adeptos. OK, aceito que sim. Mas por amor de Deus, que vá verter a luz da sua sapiência para outra freguesia! Isto está a tornar-se insuportável! A única coisa que aprendi a ver o futebol trapattoniano é que, ao contrário do que diz o velho chavão do futebol 'A melhor defesa é o ataque', este homem acredita que o melhor ataque é a defesa.


Eu passo noventa minutos sentado no meu lugar a contorcer-me de nervos ao ver o que o italiano está a fazer à minha equipa. E enervo-me ainda mais quando penso no meu masoquismo, porque eu paguei por aquele lugar, para passar o ano a sofrer assim a cada quinze dias. No estado actual da equipa, quando os vejo jogar apenas espero que sejam capazes de marcar um golo na sequência de uma bola parada, ou se surpreenderem o adversário num contra-ataque, uma vez que a equipa não tem a capacidade de pegar e mandar no jogo, e construir jogadas ofensivas de qualidade. E tendo em conta que o Benfica joga na maior parte das vezes contra equipas fechadas na defesa, de quantas oportunidades de contra-ataque é que dispõe durante um jogo? Eu já estava à espera do que aconteceu hoje (bastou ter em atenção as declarações tipicamente pouco ambiciosas do Trapattoni sobre a sua preferência em ganhar a Superliga), mas ainda assim lá cumpri o meu ritual masoquista, e fui ao estádio na vã esperança que, perante uma situação de do or die, algo mudasse. Mas não. A burro velho não se ensinam truques. E ainda tenho que aturar declarações dele que me irritam, nas quais ele nega aquilo que é visível, como por exemplo dizer que a equipa está mais forte e confiante, quando o que eu vejo é precisamente o contrário. Isto para não falar da mentira descarada de dizer que os sócios exigiram a troca do Moreira pelo Quim, e que agora exigem o contrário... gostava de saber onde é que ele inventou esses sócios. A troca de guarda-redes foi apenas mais um prego no caixão da popularidade dele entre os sócios.


Estou muito desmoralizado. Nem sequer me apetece escrever sobre o jogo em si, porque foi tudo tão mau que nem quero estar a recordar-me do que se passou. Ao fim de poucos minutos já estava tão irritado que acho que passava uma boa parte do tempo a deitar olhares de ódio à distância para o banco do Benfica, como que para me certificar que aquilo não era um pesadelo, que aquele homem estava a ver o mesmo que eu e não reagia, continuava como se o resultado fosse o mais satisfatório para nós, quem sabe até a pensar 'ao menos não perdemos'. Se não perdemos foi porque anularam dois golos ao CSKA (não sei se bem ou não), o Daniel Carvalho fez o favor de falhar duas oportunidades claras, e ainda fiquei com a sensação que o árbitro fez vista grossa a um penalti do Petit. Caramba, aos 20 minutos de jogo já dava para ver que aquilo assim não ia! Não é vergonha nenhuma admitir um erro e emendar a mão. Porquê insistir naquilo que se vê estar errado? E como é possível que uma equipa que tem que dar a volta ao resultado fique a ver o adversário jogar? Apenas os dois trincos pressionavam o adversário na tentativa de recuperar a bola, enquanto que um jogador nosso que a tivesse era imediatamente pressionado pelos russos.

Enfim, estou para ver de que forma o italiano vai alterar o disco riscado que usa como discurso, uma vez que já não pode dizer que o Benfica ainda 'está nas três frentes'.

7 Comments:

At 2/25/2005 12:18 da tarde, Blogger JAT said...

Completamente de acordo. A minha paciência tambem já chegou ao limite.
Porque não apostar no A.Magalhães, ao menos esse sabe o que é a cultura Benfiquista.

http://conversasdatanga.blogspot.com/

 
At 2/25/2005 3:37 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Que saudades do meu Camacho....

 
At 2/25/2005 7:11 da tarde, Anonymous cromito said...

Estava a navegar e dei aqui com fotos que são de uma amiga minha, mas vejo que cortam o nome dela. Não é nada boa política pá. Se querem usar o material dos outros, o minimo que podem fazer é respeitar quem o fez.


Saudações benfiquistas

 
At 2/25/2005 9:09 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Conforme está escrito no fundo da página, se houver alguma objecção às fotos que utilizo, não terei qualquer problema em retirá-las.

A razão pela qual eu apenas utilizo secções das fotos é porque as originais são demasiado grandes para se adaptarem ao template do blog, e por isso selecciono normalmente a parte central da foto. Como o nome da Isabel Cutileiro aparece normalmente nos cantos, grande parte das vezes ele é excluido. Mas não o faço intencionalmente com o propósito de retirar mérito ao autor. Aliás, já a creditei quando me perguntaram onde é que obtinha as referidas fotos.

De qualquer forma, obrigado pela chamada de atenção. Vou alterar a mensagem no fundo da página, enquanto não descubro uma foram eficaz de dar o devido crédito à autora em cada foto individualmente.

 
At 2/26/2005 3:42 da manhã, Anonymous cromito said...

Ok, sem stress. Só dou a dica porque a minha amiga está em início de carreira e todos sabemos como é dificil vencer em qualquer área que seja, e teres o crédito atribuído nas coisas que fazes torna-se ainda mais importante nas fases em que estás a provar o que vales, não é? Só isso, sem stress. Afinal, é bom que estejas a usar as fotos dela porque é sinal de que não estão más lol
E como estamos entre benfiquistas, estamos sempre bem.


saudações benfiquistas

 
At 2/26/2005 3:27 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Sim, de facto para um fotógrafo em início de carreira todo o reconhecimento deverá ser bem vindo. E de facto, se uso as fotos dela é porque gosto delas :)

 
At 11/04/2006 6:50 da tarde, Anonymous Tancredi said...

Se calhar antes de escrivir alguema coisa sobre o futebol precisa verificar-la. Sou um jornalista desportivo italiano e li aquelo que dizes sobre o Trapattoni. Tu preguntas:"como se faz a dar de volta um 2-0 en ma primeira mao de taça europeia?" Bom, o Trap lo sabe como se faz: no 1990-91 quando entrenava o Inter, perdeu 2-0 no Villa Park contra um grande Aston Villa de David Platt. No jogo da volta conseguio de ganhar 3-0 con um jogo que ainda todos los interisti se lembram. E naquela taça UEFA tambien fizeu o mesmo contra o Rapid Wien.Resultado:a Inter ganhou a sua primeira Taça Uefa. Agora somos no 2006/2007,mas nos ultimos 12 anos Trapattoni foi l'unico entreinador que consegui ganhar a Liga cum o Benfica.Agora percebes porque nunca voçes ganha?!

 

Enviar um comentário

<< Home