segunda-feira, julho 13, 2009

Shakhtar

Foi, à semelhança de ontem, um jogo com duas partes bastante distintas. Mas desta vez, até o 'Plano B' correu melhor, e mesmo perante um adversário bastante mais forte do que o de ontem, não deixámos fugir a vantagem conquistada.

Mais uma vez, os jogadores da frente estiveram em destaque na primeira parte, em particular o Di María e o Aimar. O Cardozo, como habitualmente, apareceu no sítio certo para marcar, e o Saviola, mais discreto que ontem, fez a assistência. Após 4571 tentativas, o Carlos Martins (esteve um pouco melhor que ontem) marcou um golo de livre directo, e assim se fez o resultado. Gostei dos dois novos laterais, particularmente do Shaffer, que pareceu bastante entrosado com os argentinos do ataque e subiu bastante bem. Bom jogo do Miguel Vítor, e também do Roderick, embora desta vez, talvez por excesso de confiança, tenha tido alguns deslizes evitáveis. Yebda também melhor que ontem, a tentar jogar mais simples. Gostei particularmente de, durante esta primeira parte, ter visto por diversas vezes o Benfica conseguir pressionar bem no meio campo adversário, resultando daí recuperações rápidas de bola e períodos extensos em que o Shakhtar mal conseguia sair organizado para o ataque. Na segunda parte, excelente o Moretto, e boas entradas do Coentrão e do Fellipe Bastos.

Ainda faltam vários jogadores importantes, mas apesar destes dois jogos terem sido apenas uma espécie de treinos mais a sério, acho que já se notam diferenças para a época passada. Para melhor. Estou a ficar com grandes expectativas para aquilo que jogadores como o Di María ou o Aimar, neste novo esquema, poderão fazer.

24 Comments:

At 7/13/2009 10:32 da tarde, Anonymous Filipe said...

Acho que Jesus já mostrou mais inteligência só por estes dois jogos que a que vi no Joaquim Flores a época passada toda. Aimar a organizar o jogo...partindo muito de trás, Di Maria como desiquilibrador, a procurar espeços no 1 para 1, Cardozo bem acompanhado...Assim sim, senhor Joaquim!!!

 
At 7/13/2009 10:42 da tarde, Anonymous djeiti said...

Começamos a ficar entusiasmados... :)
Não há dúvida que pode ser que se consigam coisas bonitas com esta equipa que se está a formar. E saliento a grande diferença para o ano passado em que a equipa parece estar a apreender melhor as ideias do treinador e a ganhar mais ritmo que no ano passado.
Em 2 jogos 4 golos e mais algumas outras ocasioes de marcar é bom sinal.
Desta vez não sofremos golo e para isso contribuiu Moretto surpreendentemente... ;)
Shaffer meteu Pepsi no bolso.
Força Benfica! 5a feira há mais!
Cuidado com as lesões!

 
At 7/14/2009 8:52 da manhã, Blogger Índio Ruço said...

Eheheh dois jogos de pré época a feijões e já se conseguem fazer comparações e extrapolações mirabolantes por essa blogoesfera benfiquista fora. O que pode a fé, coño. A famosa associação de treinadores benfiquistas de bancada e meios digitais está de volta.

As melhores descontratações do Benfica para esta época chamam-se Lucho Gonzalez e Lizandro Lopez e (a ver) Bruno Alves.
O Di maria sempre foi um desequilibrador e sempre foi um potencial grande jogador e não foi em 2 jogos que de repente isso se revelou, bem a não ser para algum membro mais distraido da famosa associação, dos que andaram todas as jornadas a dizer que ele não prestava e que devia ser vendido por um preço irrisório.Ele até nem fez nada que não tenha feito anterioremente, mas como o treinador é Jesus o caso muda de figura.
O Aimar a "organizar" o jogo? Bem isso tambem pode ter o seu reves, já que aquele miolo e meio campo é demasiado macio na recuperação de bolas e com o andamento do campionato, a ver vamos se aguenta...por outro lado o jogo é mais rapido do meio-campo para a frente, beneficiando do mutuo conhecimento cultural futebolistico dos jogadores sul americanos. Mas é menos seguro defensivamente.

O Roderick é um grande jogador e realmente aqui o jesus conseguiu em poucos dias transformar um miudo que não conseguia dar um pontapé no balon num jogador muito promissor.

O que me desgosta é o facto olharmos para o plantel e termos ali uma equipa que podia bem jogar na Taça Libertadores com 2 ou 3 jogadores internacionais portugueses. O Benfica-Porto poderia bem ser uma final da Taça Libertadores.
É que já nem é a questão de não ter portugueses, mas sim jogadores europeus e/ou africanos (com quem temos uma maior proximidade historica/cultural).

Mas o que interessa é ganhar e já temos um Salvador.

 
At 7/14/2009 11:33 da manhã, Blogger VascoRodrigues said...

http://deusesdabola.blogspot.com/2009/07/benfica-cartilha-de-jesus.html
Amigos bom dia...
Gostava que lessem e comentassem...
Abraço

 
At 7/14/2009 1:02 da tarde, Blogger Índio Ruço said...

Ah!e falta nitidamente um ponta de lança, os que temos não chegam, quer por impossibilidade fisica(mantorras) quer por evidente nepotismo (Gomez). O Gomez então parece ser o espia do Vieira no balneario, assim como alguns blogs que por aí pululam.
O avançado deveria ser um tipo europeu, como esse sueco que chegou a ser falado, um tipo objectivo e que não fosse apanhado pelas eventuais recaídas melancolicas do tango.
É evidente que tambem falta um gredes, mas não sei se temos dinheiro para contratar mais alguem...alias eu quero ver a nota de despesa depois do fim da borbulhante e leve pré época, lá para Outubro, mês da Revolução roja.
Me cago en jesus y en dios!
Viva Manitu! Coño!

 
At 7/14/2009 2:21 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 7/14/2009 2:58 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Eu posso admitir muita coisa; mas dizerem que quero ser como o Rui Santos já ultrapassa qualquer limite da decência.

 
At 7/14/2009 4:01 da tarde, Blogger Hattori Hanzo said...

Está tudo louco ... Já temos equipa e o camandro. Mas por esta altura o ano passado também tínhamos o melhor preparador físico do mundo e um técnico muito evoluído tacticamente e adaptado ao futebol moderno. Se querem alguma coisa dêem algum tempo para depois a decepção não ser maior. Isto ainda são jogos a brincar. Claro que são importantes, mas só se poderá dizer alguma coisa da equipa quando começarem os jogos a sério. Não se esqueçam que o ano passado também parecia tudo estar a correr bem até à passagem para a fase de grupos das UEFA. Se é verdade que o Aimar nesta táctica parece ganhar maior importância continuo a achar que o losangonão é a tática perfeita para o nosso campeonato (embora se perceba que o losango de Jesus se vai transformando à medida que o jogo vá decorrendo, não sendo portanto tão afunilado como o de Paulo Bento ou como era o do Fernando Santinhos).

 
At 7/14/2009 8:57 da tarde, Blogger D'Arcy said...

A equipa será, essencialmente, a do ano passado, com dois ou três reforços nas posições em que estávamos realmente carenciados (Saviola, Ramires e Shaffer). Tendo em conta que o treinador também está farto de conhecer o campeonato português, julgo que não será necessário grande tempo de adaptação. O Porto, por exemplo, é capaz de ter que suar um bocado mais para se adaptar à perda dos dois argentinos (claro que eles têm outro tipo de suportes, que não os costumam deixa cair nas alturas certas).

Eu julgo que a jogarmos assim, poderemos ter uma situação semelhante à do Nandinho, em que as equipas pequenas raramente nos roubavam pontos. Depois ver-se-á como é que a táctica se adaptará nos jogos mais difíceis, porque com o Nandinho não mudava nada. Além do problema dele usar os mesmos 12/13 jogadores durante a época toda, que depois chegavam ao final de rastos.

 
At 7/14/2009 10:30 da tarde, Anonymous Filipe said...

D'Arcy, o Nandinho tb só tinha 12 ou 13 jogadores em termos...a n ser q ainda se ache que os Fonsecas daquela época pudessem dar em alguma coisa.

Indio, o que mudou no di Maria, é que provavelmente vai-lhe suceder a ele, o q sucedeu com o Simão com FS, passará a jogar mais no meio, e isso para mim faz toda a diferença, dado que para mim essa posição pertence a alguém com as características que ele tem e não a um organizador como o Aimar. Esses querem-se mais atrás, de preferência com a companhia de um trinco e de um box to box para dar a consistência defensiva necessária.

 
At 7/14/2009 10:36 da tarde, Anonymous Filipe said...

Em relação ao Di Maria posso acrescentar que aquela jogada que ele faz pela direita para dar o golo ao Cardozo, com Joaquim Flores só aconteceria se este o tivesse colocado ali de inicio, pq para o espanhol rei da táctica estática, qualquer troca de posições entre extremos seria um atentado...

 
At 7/15/2009 8:43 da manhã, Blogger Índio Ruço said...

Filipe, provavelmente não estas recordado mas inumeras vezes o Di Maria mudava de flanco durante o jogo e jogava à direita desde o inicio.

O problema é que tu tens uma cassete e adaptas a realidade ao teu discurso e não o contrario.

Um dos golos mais bonitos que ele fez na época passada foi contra o Braga e apesar de ser pela esquerda, já lá estava tudo o que o "descobriram" agora.
Já agora vê o golão contra o P.Ferreira bem do meio...

 
At 7/15/2009 10:19 da manhã, Blogger Hattori Hanzo said...

Filipe, o problema do Fernando Santos foi só ter jogado com esses 12 ou 13 jogadores durante o ano e queimado os restantes, não só por os colocar raramente a jogar como através do seu discurso que só os desmotivava. Ou não te lembras como entrou por exemplo o David Luiz. É que se não fosse a lesão dos principais centrais hoje o David Luiz já deveria estar de volta ao Brasil segundo ele. Quanto ao futebol jogado pela equipa com ele ao leme não era nada de especial. Se foi verdade que não perdemos jogos em casa também é verdade que os jogos com as equipas mais difíceis não os ganhávamos. E naquela série onde recuperámos em relação ao adversário ganhámos vários jogos, mas nunca sem convencer: lembro-me por acaso dos 2 jogos contra o Belenenses (por acaso do Jesus) onde ganhámos facilmente, mas onde o Belenenses jogou claramente mais do que nós(o Danny fartou-se de falhar golos num deles). Por as coisas não terem corrido bem nos últimos 2 anos não queiram fazer do homem uma coisa que não é. Nos últimos anos o Koeman foi para mim o treinador que tentou colocar mais a equipa a jogar à bola quando arriscou por poucos jogos com 3 centrais, mas depois acobardou-se devido aos resultados não aparecerem aí. Quanto à patranha do losango, os resultados que o Benfica teve nunca foram com essa táctica, mas sim com o 4-5-1 tendo 2 jogadores que faziam à vez o papel de trinco e três médios mais avançados, táctica essa que começou a ser utilizada pelo Camacho na sua primeira passagem, e que o Trapatonni depois aproveitou. Quanto ao Dimaria deixem-no crescer: a 2ª época dele foi claramente superior à primeira,ele ainda só tem 21 anos. Eu continuo a dizer que nos faz falta um Guarda-redes: Moreira ainda não me parece ter a confiança necessária para voltar em absoluto, Quim já se percebeu que acabou e Moretto na baliza só se gostarem de emoções muito fortes durante todo o jogo. A posição de trinco acho que temos jogadores suficientes para a fazer. Eu até preferia que o Romeu Ribeiro tivesse voltado já pois poderia já ter algumas oportunidades este ano naquela posição.

 
At 7/15/2009 2:44 da tarde, Blogger Treinador de Sofá said...

Bem...daqui a pouco tanto o Jupp Heynckes e o Paulo "pirilau" Autori foram tecnicos mal intrepertados. F. Santos foi uma anormalidade táctica com um 4-4-2 em losango tão rígido e estático.

O 4-4-2 do JJ nada tem a ver com o 4-4-2 do Santolas. Mais, e sendo obrigado a concordar com o Indio Ruço, embora a equipa aparenta mais fluidez ofensiva, porque Aimar está mais solto e porque ajuda "existir" mais "tango" no quadrante ofensivo da equipa, a parte defensiva está mole e pouco elástica.

Fiquei feliz por ver a equipa pressionar, mas também soube ver que o Shakhter não jogou metade daquilo que sabe e que a defesa "ucraniana" deixou-se pressionar mais do que foi pressionada. E foi isso a primeira parte, Shakhart a jogar a ritmo de passeio e o Benfica a mostrar vontade (enquanto houve pernas). Miguel Vitor está um sr jogador.

Dizer que Shaffer meteu Sepsi no bolso é das coisas mais idiotas que se pode dizer de um atleta que a espaços conseguiu combinar jogadas de ataque com os compatriotas (por exemplo ver a jogada do golo) mas que a defender foi inexistente. Um lateral que não saiba defender não serve e SHaffer deixou muito a desejar nesse capitulo. Patric, por exemplo, pareceu mais raçudo mais concentrado defensivamente, mas ofensivamente pouco confiante e mais interessado em fechar espaços no meio defensivo do meio-campo (ao lado de yebda).
Já que falo de reforços, Saviola parece interessante, mas parece também acomodado. Já veremos se teremos um Suazo ou um Micoli.

É verdade, o ano passado, eu fui dos poucos (senão o único) que aqui disse que a pré-epoca do Queque não inspirava confiança, porque a pouco tempo (que faltava para) o campeonato ainda não existia uma ideia de como é que o benfica e qual seria o 11 base. Pelo o que leio e li, houve muita gente a engolir sapos. Pelos vistos, estamos a ir bem para engolir mais alguns...

 
At 7/15/2009 5:26 da tarde, Blogger Índio Ruço said...

Dos dois jogos que o Benfica realizou, a equipa que quanto a mim teve o melhor plano de jogo e o que explorou melhor as nossas fraquezas foi o Sion. Nomedamente quando lançavam as bolas em diagonal para tras das costas dos laterais, aparecia ali uma auto-estrada que com jogadores rapidos e mais esclarecidos poderá ser uma dor de cabeça. Nada que não se possa trabalhar e melhorar, tambem tendo em conta que a nossa defesa estava longe de ser a que ira assumir a titularidade. No entanto estes jogos servem para isso mesmo, para o treinador detectar erros, e é preferivel que os cometam e detectem agora do que em competição. Não vale a pena encarar estes jogos como de vida ou de morte para construir imagem, saltando etapas. Por isso não me entusiasmam estes resultados, até porque alem de um ou outro pormenor tecnico não vi nada colectivamente que deslumbrasse.
Temos uma equipa de Verão com tracção bem puxada à frente e isso é bonito de se ver, agora quando for a doer e se não houver cobertura mais eficaz no meio-campo, as coisas podem não funcionar muito bem. Mas ainda é muito cedo para dizer o que quer que seja de definitivo, se é que alguma vez o será.

 
At 7/15/2009 5:30 da tarde, Blogger D'Arcy said...

O Benfica neste momento joga em 4-1-3-2. Nem sequer se pode chamar aquilo de losango.

Se não houver vontade dos três médios mais ofensivos, arriscamo-nos a ver a equipa com 5 a defender e 5 a atacar. O Ramires será muito importante nesta táctica, já que tem muita disponibilidade defensiva.

 
At 7/15/2009 5:46 da tarde, Blogger Passaralho said...

A equipa joga e irá jogar no 4-1-3-2.
Ramires, Amorim e o 6 que está a chegar, vão fazer com que a equipa se una e não se fique pelos 5 a defender e 5 a atacar.

Tenho gostado, mas há que ter calma e deixar andar o barco. Há muito trabalho pela frente.

Cumprimentos,
Benfica Sempre!

 
At 7/15/2009 7:17 da tarde, Blogger Índio Ruço said...

Hum...O 6 cheira-me a Paulo Assunção.
Era uma boa contratação e uma vingançazinha.

 
At 7/15/2009 7:42 da tarde, Blogger Treinador de Sofá said...

Não me parece um 4-1-3-2, nem coisa que o valha...

Parece sim um 4-4-2 mais ao estilo britânico com dois jogadores nas aulas que abre mais o leque do meio-campo. Existe sim são dois meio-campistas com funções distintas em campo: o organizador ofensivo (aimar) que está em toda a parte, a pegar no jogo e a ditá-lo e um organizador defensivo (yebda) que tem de ir apagar os fogos a toda a largura do meio-campo defensivo. Mas como não jogamos em inglaterra, nem as equipas portuguesas gostam de jogar de forma aberta, é um pouco imprudente jogar desta forma. Basta qualquer outra equipa julgar com dois avançados moveis rápidos para jogadas de contra-ataque e vai ser o ai jesus defensivo benfiquistas e ainda por Yebda não é um trinco puro, é um "Box-to-Box" logo as imensas dificuldades em ocupar sozinho melhor os espaços quando a equipa defende. Sem esquecer que convém quem ocupa as laterais defensivas tem saber defender.

 
At 7/16/2009 9:37 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Os tais jogadores das alas parecem-me ter bastante liberdade para flectirem para o centro. Vi o Di María e o Martins diversas vezes a aparecerem na zona central, mesmo junto da área, em combinações com os avançados. Junte-se a isso o facto do Yebda se manter quase sempre bastante recuado, junto aos defesas, e parece-me um claro 4-1-3-2.

Não me parece que baste qualquer equipa jogar com dois avançados rápidos em contra-ataque para nos causar problemas. Aliás, isso é a forma como quase todas as equipas se apresentam a jogar contra nós em Portugal. Com o Quique jogávamos com dois médios mais recuados e não foi por isso que deixámos de ter problemas. A disposição táctica não me parece ser o factor importante aqui, mas sim a disposição dos próprios jogadores para pressionarem o adversário e recuperarem a bola, não lhe dando tempo para organizar ataques. Parece-me mais perigoso ficarmos com dez jogadores no nosso meio campo quase estáticos, na expectativa em relação ao que o adversário irá fazer, do que ficarmos só com seis, e termos outros quatro em cima do adversário no seu próprio meio campo.

 
At 7/16/2009 11:19 da tarde, Blogger Treinador de Sofá said...

O facto dos alas surgirem no meio por vezes no meio do terreno não é sinal que se trate de 4-1-3-2. Carlos Martins sempre se colou mais no interior do terreno do que numa ala, por isso veres mais ele no meio, que, comparando com, Di Maria. Alias, as jogadas passaram mais pelo lado esquerdo do que o corredor direito, por causa dessa movimentação de Martins e porque Patric não ter nem confiança nem caracteristicas para subir sozinho pelo corredor (com Maxi já foi diferente). Não se trata de indicação táctica, mas sim pelas próprias movimentações (de forma consciente ou de forma inconsciente) do jogador. Di Maria as vezes que surgio mais no miolo, foi em situações de contra-ataque em que pressão alta dos dois avançados tem algum fruto.
Quanto a Yebda, o mesmo surgiu por algumas vezes no ataque, não muito longe de Aimar, nem muito encostado à grande área nem muito retraído no meio-campo, sempre dando algum apoio. Caso a equipa funciona-se num 4-1-3-2, seria
mais o ala oposto onde se desenrola o ataque que faria esse papel, descaindo mais para o interior e mais para tràs, o lateral ocuparia a faixa no seu todo e seria Yebda o jogador que fecharia essa mesma lateral para impedir qualquer contra-ataque por essa posição e isso nunca aconteceu nestes dois jogos de preparação.

Por acaso foi com Quique que nos aproximamo-nos mais num 4-1-3-2 que rapidamente mudada ora para um 4-4-2 mais classico com os alas mais subidos ou com um 4-5-1 (ou 4-1-2-2-1) com uma tentativa de carrosel ofensivo com os meio-campistas a alternar as posições e com o jogo sendo geralmente sempre lançado pelo jogador mais recuado (Katsouranis).

PS: Acabei de ver Benfica-Atletico Bilbau, espero pela cronica do D'Arcy para dar a minha percepção do que foi o jogo.

 
At 7/16/2009 11:34 da tarde, Anonymous Filipe said...

Indio, com Quique os lances pela direita, com Di Maria, e tal como disse no meu comentário, só aconteceriam se ele o pusesse lá de inicio! Trocas ocasionais entre extremos com Quique n aconteciam!

Hatori, F.S. queimou quem? Manu? KAryaka? Fonseca? Paulo Jorge? n me lixem...F.S. fez o que pode com o q tinha!

 
At 7/17/2009 10:07 da manhã, Blogger Hattori Hanzo said...

Sim Filipe, quer queiras quer não queimou esses mais o Miguelito e o João Coimbra.Eu não estou a dizer sequer que são bons ou maus, mas o que é certo é que os queimou. Se queres que te dê exemplos que confiança se dá como ele fez com João Coimbra, naquela altura um miúdo de 20 anos a colocá-lo aos 85 minutos algumas vezes e depois colocando-o num jogo a eliminar a titular (Varzim para a taça) tirando-o ao intervalo para depois nunca mais o colocar? Ou a Miguelito que veio porque ele queria concorrência para Leo e depois nunca lhe deu uma verdadeira oportunidade. E podes falar de Paulo Jorge, sim que começou a temporada bem, mas depois da lesão nunca teve um verdadeira oportunidade. O próprio Karagounis, que a certa parte da temporada foi o salvador do Benfica só teve oportunidades na equipa quando o Nuno Assis foi castigado devido ao doping (e compara o que jogava um e outro, ou vais-me dizer também que o Nuno Assis é superior ao grego?) Não estou a dizer que sejam grandes jogadores, mas pensa se sendo motivados não poderiam servir para a equipa. E não foi só isso, o próprio discurso dele que chegou a dizer que o Benfica tinha só 13 jogadores, ou quem não se lembra de ele chamar gordo ao Miccoli? Compara estas acções por exemplo com o que Paulo Bento fazia com um plantel inferior ao nosso (que por acaso teve melhores resultados) dando oportunidades aos mais fracos quando era preciso e por um lado motivando-os, por outro fazendo descansar os principais. Se são tão maus como pelos vistos inferes porque é que João Coimbra por exemplo nos juniores era titular da seleção em detrimento do Moutinho e já agora vê porque é que na Russia despacharam o Vuckcevic para o Sporting quase dado (caso não saibas ele era suplente do Karyaka, já que este era quem resolvia grande parte dos jogos da equipa deles). Mas se calhar para ti o Bergessio também era mau quando verdadeiramente ele não teve uma oportunidade no Benfica.Eu é que digo, não me lixem com o Fernando Santos: eu nem falo de resultados, mas quantos jogos é que a equipa jogou verdadeiramente futebol (que é diferente de ganhar)?. O nandinho só veio porque era um treinador conformado e facilmente domável por quem o trouxe (Veiga), se não basta ver a forma como saiu e como reagiu. Ou à forma como era tratado pelos jogadores com mais nome? Quanto à sua qualidade vai falar com adeptos do Sporting e mesmo do Porto que eles dizem-te muito bem dele de facto. Olha, o Nandinho é tão bom que é o único treinador com um excelente record: foi o único treinador em Portugal a treinar os três grandes que conseguiu em cada um deles ser eliminado por uma equipa de uma divisão secundária.

 
At 7/17/2009 10:27 da manhã, Blogger Índio Ruço said...

Olha Filipe vê as imagens do ultimo jogo contra o belenenses em casa, e repara no sitio onde ele sofre a falta que expulsou o tipo do belem. bem à direita. E estava a jogar à esquerda. Estas movimentações são normalissimas num jogo de futebol e nem sei qual é a questão. Bem a não ser que o jesus que foi o tipo que inventou a defesa à zona, agora tambem tenha inventado mais essa...

 

Enviar um comentário

<< Home