domingo, janeiro 24, 2010

Segunda

E pronto, era preciso ganhar em Vila do Conde para garantirmos a passagem às meias-finais da Taça da Liga, e foi-se ganhar a Vila do Conde pela segunda vez no espaço de duas semanas. Isto perante a fantástica massa adepta benfiquista do norte do país, que encheu as bancadas do Estádio dos Arcos mais uma vez.

Já escrevi antes sobre a pouca importância que dou a esta competição, mas o Benfica quando entra seja em que competição for, tem que jogar para ganhar, e foi portanto uma equipa praticamente titular aquela que iniciou hoje o jogo. Alterações ao onze padrão apenas o Moreira na baliza, o Carlos Martins no lugar do Ramires, e o Fábio Coentrão no do Peixoto. O Rio Ave deu ideia de ter entrado um pouco melhor no jogo, mas ao fim do primeiro quarto de hora já o Benfica tinha invertido isto, pegando no jogo e partindo na procura da vitória de que necessitava.
Ao contrário do jogo para a Liga, em que a primeira parte tinha sido fraca, desta vez o Benfica não ficou à espera do intervalo para impor a sua superioridade. Sem deslumbrar, o Benfica ia dominando e criando situações de algum perigo, que na sua grande maioria acabaram desperdiçadas devido à pouca inspiração no momento do passe final. Ou os centros eram demasiado largos, ou os passes demasiado curtos, ou então demorava-se um segundo a mais a decidir, e o remate acabava por não surgir. O Aimar esteve desinspirado esta noite, e isso notava-se, e mesmo o Saviola não estava nos seus melhores dias. Por isso, e apesar do jogo mostrar uma cara diferente da do jogo da Liga, o resultado ao intervalo era o mesmo: um nulo no marcador.

E tal como no jogo a contar para a Liga, após o intervalo não foi preciso esperar muito para vermos um golo do Benfica. Foi aos quatro minutos, num bonito remate cruzado do Carlos Martins, sobre a direita, após passe do Cardozo. Dada a superioridade que o Benfica já mostrava antes do golo, depois de obtida a vantagem pensei que pudéssemos assistir, mais uma vez à semelhança do jogo anterior, ao Benfica a gerir tranquilamente a vantagem. Mas as semelhanças com esse jogo terminaram abruptamente cinco minutos depois, quando o árbitro descortinou uma falta do David Luiz num desarme de carrinho dentro da área, e o Rio Ave aproveitou o respectivo penálti para empatar (pena que o árbitro não tenha tido o mesmo critério ou coragem para apitar em duas outras situações, passadas dentro da área do Rio Ave). O Benfica abanou um pouco com o golo sofrido, e durante alguns minutos não conseguiu ter o mesmo controlo no jogo, mas voltou a reassumi-lo para dominar completamente durante os vinte minutos finais. Logo a seguir a de um susto, quando o Rio Ave obrigou o Moreira a fazer a única defesa digna desse nome durante o jogo, acabámos por marcar praticamente na resposta, com o Di María, desmarcado na esquerda pelo Cardozo, a isolar-se e a rematar cruzado. Faltavam nesta altura quinze minutos para o final, e durante este período foi sempre o Benfica quem esteve mais perto de voltar a marcar, sendo o momento de maior perigo quando o estreante Kardec conseguiu acertar duas vezes consecutivas no poste.
Pena que não tenhamos conseguido voltar a marcar, já que mais um golo significaria a vantagem de jogarmos a meia-final em casa.

Destaco o Cardozo, que apesar de não ter marcado fez as assistências para os nossos dois golos. Também gostei do Di María, que foi dos mais activos no jogo, criando situações de perigo e sendo recompensado com o golo decisivo. Também gostei de ver o Maxi, sobretudo na segunda parte, em que controlou o seu lado à vontade e apoiou várias vezes o ataque com perigo. Quem esteve menos bem hoje foi o Aimar, que teve algumas perdas de bola e demasiados passes errados para aquilo que lhe é habitual.

Nas meias-finais já estamos, agora lá teremos que ir jogar o acesso à final a casa do sportém ou dos andrades, já daqui a duas semanas e meia. É mantermos a mesma atitude desta noite, e jogarmos para ganhar.

7 Comments:

At 1/25/2010 12:02 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Ganhámos e foi o mais importante.

Estaria a aguardar um Benfica mais forte, mais incisivo, nomeadamente na 2ªparte, pois o Rio Ave vinha de um jogo a meio da semana com prolongamento.

Os jogadores do Benfica estiveram abaixo das suas capacidades, mas repitindo-me, ganhámos e foi o mais importante.

Mas teria sido benéfico a marcação de mais um golo e aquela oportunidade do Kardec, nenhum jogador profissional que joga a ponta de lança pode falhar.

Agora teremos uma meia final na condição de visitante que certamente trará algum desgaste em diversos aspectos.

 
At 1/25/2010 10:08 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Benfica- Académica ainda é possivel...

 
At 1/25/2010 11:35 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Sim, mas seria preciso muita sorte...

 
At 1/25/2010 7:42 da tarde, Blogger joão said...

Fantástico como tem sido habitual.

O jogo não foi mais forte e incisivo porque aquele golo sofrido alem de causar mossa sobretudo foi o grande balão de oxigénio que eles não tinham tido até ai e não fosse a invenção do árbitro e o jogo poderia ter facilmente acabado com 2 ou 3-0.

Alguns jogadores estiveram abaixo das suas capacidades.

Não comecem já a criticar o Kardec, primeiro jogo, entra quando o resultado não é favorável, teve dois ou três pormenores interessantes, estava bem colocado, teve azar conseguiu mandar duas vezes a bola ao poste, eu já vi jogadores mais credenciados falhar oportunidades mais escandalosas inclusive de baliza aberta que de resto não era o caso.

 
At 1/26/2010 10:32 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Aquela situação do Kardec não é "azar",.. isso não existe.

O que é claro e evidente é que não vamos fazer, seja que avaliação for ao jogador, com base naquele lance.

 
At 1/26/2010 10:34 da manhã, Anonymous Anónimo said...

«Off topic»

Mantorras promete conferência de imprensa "bombástica"
Será desta que vamos deixar de ter, numa equipa profissional, um atleta que não tem condições para desempenhar as suas funções ?

 
At 1/29/2010 3:38 da tarde, Anonymous JFilipe said...

"Off topic" o Mantorras merece sair campeão, e espero que jogue na esterqueira das Antas.

 

Enviar um comentário

<< Home