domingo, novembro 06, 2011

Pouco

Não sei dizer se ganhámos um ponto ou perdemos dois, sei apenas que não estou satisfeito com o resultado, nem particularmente impressionado com a nossa exibição, embora reconheça a dificuldade do jogo e ainda a influência dos vários factores desestabilizadores que ocorreram.

Algumas alterações no onze, sendo a mais surpreendente a titularidade do Rúben Amorim na direita do meio campo, saindo o Bruno César do onze. Na frente, desta vez foi o Cardozo quem começou o jogo, ficando o Rodrigo no banco. E quanto à primeira parte, sinceramente, não me é possível dar uma opinião pormenorizada. Quando decorrem oitenta minutos desde o apito inicial do árbitro até à saída para intervalo, devido a constantes falhas de luz, o mais natural é perder interesse no jogo, porque o ritmo é constantemente interrompido e a qualidade sofre com isso. Pelo que me consegui aperceber, o jogo foi equilibrado, disputado sobretudo na zona do meio campo, e com muito poucas oportunidades flagrantes de golo - da nossa parte apenas me recordo de um cabeceamento do Cardozo, que passou muito perto do poste. Mesmo a fechar os oitenta minutos, surgiu uma obra de arte do nosso amigo desdentado Proença, a dar continuidade à sua longa história de assinalar penáltis contra nós, e nunca os assinalar a nosso favor (não vá alguém acusá-lo de ser benfiquista). Lá descortinou uma mão intencional do Emerson, e o Braga saiu para intervalo na frente.

Na segunda parte a aposta arriscada foi retirar um médio para entrar um segundo avançado (Rodrigo), e pareceu-me que o Braga tirou partido disso para ganhar superioridade na zona do meio campo. O jogo continuou a ser mais disputado que bem jogado, com muito poucas oportunidades de golo, e sinceramente pensei que só mesmo numa jogada fortuita é que conseguiríamos evitar a primeira derrota da época. Irritou-me um pouco o facto de me parecer que explorámos pouco as alas, sabendo-se que o Braga tinha sobretudo um problema na esquerda da defesa - curiosamente, o Maxi até foi dos que mais arriscou atacar por aquele lado, e acabou por fazer um jogo abaixo do seu habitual, com diversas perdas de bola no ataque e passes errados. O golo do empate acabou mesmo por surgir de uma forma algo feliz, com um remate enrolado do Rodrigo, aproveitando um mau alívio da defesa, a ser desviado por um defesa e a trair o amuadinho da baliza. Até final, apesar de ambas as equipas mostrarem vontade em conseguir mais, mostraram também falta de inspiração para fazer melhor - no caso do Benfica, só mesmo na última jogada do encontro é que voltei a ver uma boa ocasião de golo, num remate cruzado do Rodrigo.

Fiquei com a impressão de que houve jogadores importantes que hoje passaram ao lado do jogo. Já citei o Maxi, mas também não gostei do que jogou o Aimar, Cardozo ou Gaitán (com a excepção da boa jogada em que ofereceu o golo ao Cardozo, no tal cabeceamento que passou perto do poste), por exemplo. Não estou a dizer que estiveram muito piores do que os colegas, porque acho que a equipa toda até esteve mais ou menos homogénea em termos exibicionais. Apenas esperava mais destes jogadores num jogo importante como este.

Um empate em Braga é melhor do que aquilo que conseguimos nos dois últimos anos. E tal como nesses dois anos, com o Sousa e o Xistra, o Braga voltou a contar com um reforço de peso (Proença) - sempre tão estrito em tudo o que seja contra o Benfica, sempre tão permissivo no que seja a favor. Por isso mesmo talvez o empate acabe por ser um mal menor. Mas, obviamente, sabe-me a pouco, porque desejava mais.

8 Comments:

At 11/07/2011 12:38 da manhã, Anonymous JFilipe said...

Sair da Pedreira sem derrota não deixa de ser uma melhoria. Pelo que contei no estádio, o Benfica rematou apenas uma mão cheia de vezes. O JJ tem que mudar urgentemente o modelo de jogo do Benfica, o ataque produz muito pouco e a defesa está sempre intranquila.

A média de aproximadamente 2-1 em golos por jogo irrita-me sobremaneira. Temos uma equipa demasiado boa (e cara) para isso.

 
At 11/07/2011 2:38 da tarde, Anonymous Filipe said...

Jesus à Quique Flores.

Aimar como segundo avançado. Ruben Amorim a extremo. Falta só o Garay a defesa esquerdo.

Gostava de ter um treinador preguiçoso! Depois de ter sido campeão, se o Jesus continuasse a fórmula de sucesso que utilizou naquele ano era excelente. Iventar para quê?

 
At 11/07/2011 4:43 da tarde, Anonymous SLB4EVER said...

Agora até de apagões se lembram, já não bastava o ladrão desdentado!
Como se esses factores não bastassem joga-se com um meio campo com 2 jogadores sem ritmo (Javi, Amorim) e Witsel em péssima forma, realmente nunca tinha visto uma equipa tão fresquinha!
Aimar a continuar a fazer de avançado e sem acertar um passe para o Cardozo, patético. Na 5ª parte lá jogou no seu lugar, já desgastado e sem exister velocidade no meio campo, o único jogador capaz de desquilibrar foi o 1º a ser substituido, aposta arriscada D'Arcy? Praticamente tudo na mesma apenas se baralhou as peças.

Filipe, tem calma pq na volta contra os lagartos vai ser essa a 'inovação', quanto á formula de sucesso precisa dos jogadores certos q ñ temos no plantel, tens o exemplo da última época. O plantel é muito bom e tem a obrigação de render muito mais embora nas alas se esteja mal servido (+ na defesa mas tb no ataque).

Empurrados para a desvantagem que só se anulou com muita sorte, a estrelinha que acompanha a equipa é a única nota positiva, não tenho é a ilusão que a desmotivar jogadores e com más opções ela acompanhe a equipa por muito mais tempo.

Estou muito desanimado, as coisas estavam a funcionar e a equipa crescia, desde o Beira Mar tem sido o contrário graças a invenções.
Mantendo este processo ñ podemos esperar mais do que uma taça da liga ou Portugal, pensar em mais é ilusão a mais.

 
At 11/08/2011 9:16 da manhã, Anonymous JFilipe said...

Ena tanto desalento. No ano em que fomos campeões perdemos em casa dos corruptos A e B. Continuo a acreditar no título, não percebo é o porquê da maioria dos jogos ser tão sofrida. Empates até o Barça concede.

 
At 11/08/2011 6:08 da tarde, Blogger joão carlos said...

Mais uma analise com selo de qualidade.


O que mais me irritou foi não termos tirado partido da adaptação que eles fizeram no flanco direito com um jogador que não defende bem e que estava sempre adiantado mesmo tendo sido obrigado a tirar o Gaitan não se percebe como é que ele colocou o Ruben que alem de não ser agressivo era também uma adaptação e quando colocou finalmente um jogador agressivo já não tínhamos frescura no meio campo para tirar partido disso.

JFilipe o ter menos caudal ofensivo resulta de este ano em grande parte dos jogos sermos uma equipa mais de contenção do que de puro ataque como era o ano passado o que eu não percebo é como sendo uma equipa mais de contenção sofrermos quase tantos golos como no ano anterior.

Filipe discordo completamente o treinador o ano passado continuou a usar a táctica do primeiro ano e terá sido precisamente por isso que os resultados não apareceram porque não tínhamos jogadores para essa táctica, o mal não esta em mudar de táctica ou deixar de mudar o mal esta em não utilizar a táctica que se adequa mais as características dos jogadores que temos. Na minha opinião a táctica que mais se adequa as características do nosso plantel deste ano é a táctica usada por quase todos os clubes portugueses mas não sei porque teima-mos em não a utilizar.

SLB4EVER discordo que a estrelinha ande a acompanhar a equipa agora já concordava contigo era se o Rodrigo tivesse marcado naquele lance já nos descontos.

 
At 11/09/2011 1:40 da manhã, Anonymous SLB4EVER said...

João Carlos, se o Rodrigo marca no final apostava já que o título era nosso! Mas isso já era mais do que estrelinha era deus a descer á terra.
Falo de estrelinha pq em especial desde que se anda a jogar mal ela tem acompanhado, Aveiro golo cáido do céu, nesse jogo não me lembro de oportunidades flagrantes, Olhanenense na luz podia ter feito o empate nos descontos(mau Maxi, bom Luisão), um filme nada novo mas que desta não aconteceu e contra o Braga tb sem jogar ponta o golo surgiu aos trambolhões. Já houve alturas em que a sorte não queria mesmo nada connosco e é um factor que embora mínimo faz parte do jogo.

A maior 'coincidencia' dos apagões foi estes começarem logo a seguir ao lateral deles se lesionar, ñ é coincidencia só no dia a seguir ao jogo dois ascos que deviam ter sido expulsos por conduta violenta e antidesportiva virem com o racismo como manobra de distração.
Tudo um nojo políticos, dirigentes, futebol, o país está claramente entregue aos bichos...

 
At 11/09/2011 1:52 da manhã, Anonymous JFilipe said...

João Carlos uma equipa de contenção é o Braga e mesmo assim remata mais do que nós. O Benfica não estuda os adversários e não sabe visar a baliza de forma colectiva. A forma desorganizada como fazemos os ataques vê-se depois na falha de marcações a defender.

Uma equipa que quer ganhar um jogo não pode fazer apenas 5 remates à baliza. A diferença em relação ao ano passado é ilusória, o resultado tipo é o mesmo: 2-1.

 
At 11/09/2011 2:14 da tarde, Anonymous diogo bernardo said...

"Deus seria Pablito Aimar"

http://cuatidiano.wordpress.com/2011/11/07/deus-seria-pablito/

 

Enviar um comentário

<< Home