quinta-feira, dezembro 08, 2005

Coração

Antes do jogo começar, tinha pedido uma vitória, mas se tal não fosse possível, queria poder sentir-me orgulhoso do esforço dos jogadores. O Benfica deu-me ambas as coisas. Hoje o Benfica foi único, foi enorme. Aqueles jogadores no relvado, mais o Estádio da Luz e as 62.000 almas que ajudaram a lotá-lo uniram-se debaixo do símbolo da águia, e ajudaram a criar um Benfica gigante, mas sempre com muita humildade. Poucas vezes a nossa divisa et pluribus unum terá feito tanto sentido.

Conforme escrevi no anterior post, hoje tudo ajudava. Por isso quando avistei o HMémnon no sector ao lado do meu, fui até lá cumprimentá-lo, e aproveitei para verificar que, de facto, ele não tinha levado o relógio para o estádio. Não sei se todos os outros cumpriram as suas obrigações, mas eu pelo menos levei comigo o 'cachecol dos 6-3', que só sai de casa em ocasiões muito importantes. Antes do jogo começar, ao ouvir a constituição das equipas não tive qualquer supresa: quer o Benfica, quer o Man Utd apresentavam os onzes esperados.

Foi ao iniciar-se o jogo que verifiquei a 'surpresa' que o Koeman reservara. Estava à espera de ver o Nuno Gomes como avançado, suportado pelo trio Geovanni/Nuno Assis/Nélson, com o Nuno Assis no apoio directo ao ponta-de-lança, e o Geovanni na esquerda. Em vez disso surgiu um Geovanni a jogar 'à Miccoli', como elemento mais avançado, tendo o Nuno Gomes nas costas. O Nuno Assis fazia o lado esquerdo, e o Nélson o direito. Quanto ao Man Utd, apresentava um 4-4-2 clássico, com dois extremos criativos e bastante ofensivos, e uma defesa em linha que parecia ser propícia para solicitações ao Geovanni nas suas costas. E o jogo começou praticamente com um enorme balde de água fria, pois o Man Utd chegou ao golo logo aos 6 minutos, num grande frango colectivo da equipa. Primeiro o Beto perdeu a bola numa posição proibitiva. O Léo seguiu o Ronaldo enquanto este veio para o centro, e o Giggs fez um passe estupendo para o lado esquerdo da nossa defesa, por onde entrou o Neville sem que ninguém o acompanhasse (o que é que andava o Nuno Assis a fazer?). Finalmente surgiu o centro para o segundo poste onde apareceu o Scholes isolado vindo de trás, mais uma vez sem que ninguém o seguisse (os médios defensivos deviam estar a dormir), a empurrar de forma atabalhoada para a baliza. Era impossível começar pior.

Mas o público reagiu de forma positiva ao golo, e começou imediatamente a puxar pela equipa. E não vi jogadores de cabeça baixa, vi sim jogadores como o Luisão, o Petit ou o Nuno Gomes a motivarem os colegas e a pedirem garra. Que se viu em campo: o Benfica partiu para cima do Manchester, e oito minutos depois o jogo estava empatado. Foi uma jogada em que a bola circulou toda a frente de ataque, com o Geovanni a variar o flanco da esquerda para a direita, onde o Nélson recebeu a bola enquanto que o Geovanni fazia a diagonal para o centro. O cruzamento do Nélson saiu perfeito (já começava a ter saudades disto...), e o Geovanni, nada dorminhoco, antecipou-se ao Neville e marcou um belo golo, cabeceando a bola num mergulho perfeito. Acho que uma das coisas que mais gostei neste golo foi que, assim que a bola saiu do pé do Nélson, olhei para a área, vi a posição do Geovanni, e comecei a gritar golo mesmo antes dela lhe chegar. Fiquei contente com este golo do Geovanni. Já disse aqui que ele é um jogador que admiro, por considerar que é dos poucos no Benfica com a capacidade de resolver um jogo por si só. Depois de momentos difíceis com o público da Luz devido a más exibições nos últimos jogos, o golo era o melhor que podia acontecer para o motivar. Até porque, mesmo antes do golo, ele já tinha mostrado que hoje o Soneca tinha ficado em casa, e tínhamos em campo um grande Geovanni. Começava aqui a 'noite dos patinhos feios'.

Com o golo voltava tudo à estaca zero. Mas o Benfica queria mais, só a vitória interessava. Por isso continuámos a pressionar os ingleses, que ainda assustaram num par de remates de longe do Scholes. Só que a noite era nossa, e pouco depois da meia-hora de jogo, após um alívio da defesa inglesa a um cruzamento do Nélson, apareceu o Beto a rematar de primeira, com a bola a tabelar num adversário e a entrar na baliza. Foi a vez do outro 'patinho feio' ser feliz (diga-se de passagem que, ao contrário do Geovanni, o Beto voltava a estar numa noite pouco inspirada, particularmente ao nível da construção de jogo, com imensos passes disparatados). O Manchester, que parecia atordoado a partir do primeiro golo do Benfica, não conseguiu reagir ao golo. Os jogadores que eu mais temia (Ronaldo, Giggs, Rooney, e sobretudo o Van Nistelrooy) não conseguiam libertar-se das marcações e ter espaço para jogar, devido à forma compacta como o Benfica defendia, sempre com os jogadores a formar um bloco muito sólido (passe a expressão, o Benfica esta noite defendeu 'à Mourinho'). No caso particular do Ronaldo, o Léo tinha instruções para o seguir por quase todo o terreno, de forma a que ele não tivesse oportunidade de se voltar para a baliza e atacá-la com a bola controlada. Nas poucas vezes em que ele conseguia uma situação de 1x1 aparecia quase sempre o Petit na ajuda ao lado esquerdo, e as jogadas perdiam-se sempre. Além disso o Ronaldo pareceu afectado pelo público da Luz, demasiado nervoso e a complicar muito as coisas. É estranho, dado que ele deveria estar habituado a ambientes adversos, porque em Inglaterra é sempre um dos alvos favoritos do público afecto aos adversários do Man Utd. Se calhar ele ainda não percebe os insultos em inglês, e quando os ouve em português custa mais ;) Com um Man Utd inoperante no ataque, o intervalo chegou assim sem grandes sobressaltos para o nosso lado.

Na segunda parte foi o sofrimento total. O Benfica encolheu-se no segurar da vantagem, e o United agradeceu a iniciativa do jogo que lhe era dada e lançou-se sobre a nossa defesa. Mas diga-se que apesar de passarem a maior parte do tempo no nosso meio campo, practicamente não criaram uma oportunidade flagrante de golo, porque o Benfica deu um verdadeiro recital de bem defender. Foi aqui que a nossa equipa demontrou um coração enorme, com os jogadores a ajudarem-se uns aos outros e a entregarem-se até à exaustão. Aliás, os três jogadores que foram substituidos (Geovanni, Nuno Assis e Léo) foram-no porque estavam completamente esgotados. As melhores oportunidades de golo acabaram inclusivamente por pertencer ao Benfica, em contra-ataques rápidos (Geovanni e João Pereira). O Benfica manteve sempre o mesmo esquema táctico de 4-2-3-1, enquanto que o Man Utd acabou por alterar para 4-3-3 após a saída do Giggs, encostando-se o Rooney ao lado esquerdo. Foram 45 minutos que nunca mais acabavam, porque tinha sempre medo de que alguma bola perdida acabasse por sobrar para o inevitável Van Nistelrooy, não porque o United criasse alguma oportunidade concreta de golo. O Estádio da Luz de súbito encheu-se de treinadores, e toda a gente gritava instruções e incitações aos jogadores das bancadas (tenho a certeza que o Anderson fez um desarme ao Van Nistelrooy porque eu o avisei da movimentação dele). Quanto mais perto do fim o jogo estava, maior era o sofrimento. Bem vistas as coisas, agora parece um bocado injustificado, porque a verdade é que à medida que o tempo passava o Man Utd parecia atacar cada vez pior e sem nexo. Mas foi com um enorme suspiro que ouvi o árbitro apitar para o final, e garantir a passagem aos oitavos-de-final.

É difícil destacar jogadores num bloco tão consistente como foi a nossa equipa hoje. Mas o Luisão foi um esteio na defesa como sempre. O Nuno Gomes foi grande, muito grande, e mereceu como nunca envergar aquela braçadeira. O Geovanni foi enorme, correu quilómetros, desmarcou-se, foi sempre o primeiro a pressionar os defesas e o guarda-redes adversários, e marcou um grande golo (foi escolhido como Man Of The Match pela UEFA). Mas para mim, brilhante mesmo esteve o Petit. Ele tapou todos os buracos que havia para tapar no centro da defesa, foi uma carraça atrás dos adversários que apareciam na sua zona, ajudou na esquerda a anular o Ronaldo, e ainda era o primeiro a pegar na equipa para lançar os ataques. Ele teve um coração enorme, suficiente para ele e para os dez colegas em campo... e se preciso fosse, para os 65.000 benfiquistas que sofriam nas bancadas. Ele muitas vezes passa discreto nos jogos, porque o trabalho dele dá pouco nas vistas, e até me irrito amiúde com ele devido aos livres e cantos mal marcados. Mas hoje ele foi Grande.

Para aqueles que, jocosamente, há um par de meses diziam que a segunda equipa do Man Utd tinha vencido o Benfica, hoje podemos dizer com orgulho que foi a nossa 'segunda equipa' (uma equipa a que faltaram Simão, Miccoli, Karagounis, Manuel Fernandes e Moreira) que venceu a equipa de elite do Man Utd, com todas as suas estrelas. O Ronaldo é um puto mimado e o Van Nistelrooy ainda deve andar à procura da saída de dentro do bolso do Anderson. E sei que esta vitória deve estar a provocar uma barulheira de ranger de dentes a uma série de adeptos que recentemente descobriram a sua paixão clubística pelo Man Utd (não Harry, não me estou a referir a ti - sei que gostas de nos atazanar o juízo, mas que não és assim mesquinho. Aliás lembrei-me de ti antes do jogo, porque o livro que levei para ler enquanto esperava o início do jogo era o 'The Third Man', que começa praticamente com o 'teu' funeral. Tomei isso como um bom augúrio ;)). Mas não os conseguimos ouvir. O barulho dos nossos festejos abafa tudo o resto.

Agora venha o Diabo e escolha. Claro que quero que o Benfica siga o mais longe possível na prova, mas para mim o mínimo exigível está conseguido. Só tenho um desejo: italianos não, por favor!

(E agora deixo-vos, que vou ver a repetição do golo do Geovanni pela 37ªvez no site da UEFA - está logo na página de entrada, e relatado em inglês dá mais gozo)

25 Comments:

At 12/08/2005 2:51 da manhã, Anonymous Anónimo said...

D'Arcy,
antes de mais, gostaria de realçar mais dois jogadores que estiveram muito grandes: Andersson e Alcides. Aliás, o Alcides tem sido para mim uma surpresa muitíssimo agradável.
Já agora e pela negativa, só referir que o Nélson anda muito complicativo e errou em demasia (talvez penalizado pela sua posição?) e o Beto tem que melhorar a entrega de bola (tantos passes falhados, porra).
Hoje, o Koeman voltou a inventar mas as coisas sairam bem. Talvez por isso é que não serão tanto as tácticas que definem os resultados mas sim a atitude dos jogadores na interpretação da mesma. Talvez por isso e até contrariamente áquilo que eu próprio disse, o Koemam não tenha tido tantas culpas em alguns resultados menos conseguidos nesta Liga.
De facto, provou-se hoje que o que interessa é atitude, é querer, é unir esforços, é ajudar o colega, é correr, é desmarcar-se...
Quanto a atitude, o Geovanni (com quem já tinha perdido a paciência) mostrou que também a pode ter e que diferente que ele esteve! Aliado a essa atitude, o Geovanni acabou por confessar numa entrevista à RTP que é nessa posição que ele jogava no Brasil e é aí que ele pode render mais, agradecendo inclusivamente ao treinador por conceder-lhe a oportunidade de poder jogar nessa posição. Se calhar, não seria má ideia ter em conta estas palavras. O que é facto é que não me lembro de ver o Geovanni a correr desta maneira. Espero que isto tenha continuidade.
Para concluir, esta foi de facto a vitória dos mal-amados. Coincidências do destino...
Que grande alegria que estes rapazes me deram.
VIVA O BENFICA!
PS: Que atitudes reprováveis e irreflectidas de Cristiano Ronaldo. A fama não lhe andará a fazer muito bem.

 
At 12/08/2005 3:34 da manhã, Blogger JoaoLynch said...

Foi uma noite Brilhante, Magistral e Sublime e com exibição do público a condizer pq as vaias e assobios qdo os jogadores do MU tinham a bola foram desconcertantes, até o puto mimado deve concordar :D

e Desculpa discordar D'Arcy, mas que venham os Italianos !!
Então tu não vês que o Koeman é exímio na arte de matar Borregos ;)

 
At 12/08/2005 8:41 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Citius,Altius,Fortius(MU) vs Et Pluribus Unum(Benfica).
O ideal olimpico da antiga grecia e em que se fundamenta o futebol anglo-saxão e continental, poderoso atleticamente, com jogadores "formatados" em ginasios e com um futebol demolidor não resistiu ao latino e benfiquista "um por todos todos por um" ,um futebol de atitude, sofrer e sobretudo querer ganhar, um futebol desprogramado onde os milagres são possiveis.
Foram todos grandes, mas continuo a ter um fraquinho pelo Nelson. Que grande jogador. Não tem medo, nem liga a vedetas, não se deixa impressionar e vai para cima deles. Não jogou muito bem, mas tem atitude.
Grande Noite:

 
At 12/08/2005 11:43 da manhã, Blogger tma said...

Sem dúvida, uma vitória memorável, verdadeiramente, uma vitória da humildade e cheia de ganas!
Já no jogo do Marítimo (que por falta de "disponibilidade mental", não tive oportunidade de comentar), o grande trunfo do Benfica havia sido a atitude humilde e batalhadora.
Neste aspecto, há que elogiar o Koeman: perante ausências de vulto, ele teve necessariamente que fazer experiências, e parece ter encontrado um modelo adquedo para jogar sem o Simão e sem o Miccoli (o Karagounis não sei muito bem onde encaixá-lo no 4-2-3-1...). Mas acima de tudo, e à semelhança do que aconteceu no ano passado com o Trappatoni, conseguiu unir o balneário e mesmo apesar da série de maus resultados e exibições sofríveis (a 2ª parte em Braga foi a pior), fica a sensação que os jogadores nunca perderam o ânimo.

O público foi indiscutivelmente o 12º jogador, e a atitude grosseira do Ronaldo comprova a eficácia da participação do público (já agora, o PdaC podia queixar-se à UEFA que o Ronaldo anda a fazer gestos provocatórios...).
Curiosamente, e em relação ao posicionamento do Geovanni, eu também utilizei uma expressão semelhante: "Hoje o Geovanni está a 'fazer de' Miccoli..." E, diga-se, fê-lo muito bem! O golo foi suberbo e pleno de oportunidade, digno de um verdadeiro ponta-de-lança (ando a ouvir demasiados clips do Gabriel Alvez ;-) ).
E considerando que ocupando o Geovanni esta posição, é o Nuno Gomes quem recua, não há dúvida que ele é um verdadeiro Capitão de equipa, pois joga onde é preciso jogar, e com grande atitude.
Na primeira parte, gostei também muito do Nélson, que apesar de por vezes inventar um pouco, foi por ele passaram as melhores iniciativas de ataque (inclusivamente, as jogadas dos dois golos). Na 2ª parte, com a equipa mais recuada, teve, por vezes, de se desenvencilhar sozinho, e nem sempre da melhor forma.
De resto, só é mesmo pena que o Beto continue a estragar a jogadas em que ele recupera a bola (algo que deveria ser treinado, digo eu...)
Facto curioso (falando em treino específico): o Mantorras não foi apanhado uma única vez em off-side!!

Em suma: um grande vitória, digna de um CAMPEÃO NACIONAL!!

 
At 12/08/2005 1:59 da tarde, Blogger antitripa said...

eheheh...vai lá ver o que eu disse às 17.26. Os orixás nunca me falham...uélélé...Benfiiiiiiiiiiiiica!

 
At 12/08/2005 5:18 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Cristiano Ronaldo portou-se ontem como um autêntico Palhaço! Um puto cheio de dinheiro que se recusa terminantemente a comportar-se como um homenzinho! Será por ter nascido na Madeira de Alberto João e por ter crescido no Sportem? Saiu sem honra nem glória de um jogo que ficará para a história. Viva o Benfica!

 
At 12/08/2005 5:22 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Ridículo foi mesmo ele tentar justificar o que fez com 'se o público me tivesse tratado melhor'. Ele estava à espera de quê? Agora só espero que o Pinto da Costa se arme outra vez em donzela ofendida, e vá fazer queixa dele ;)

 
At 12/08/2005 6:05 da tarde, Blogger T-Rex said...

Harry Lime onde estáaaaaaaaaaaaaaaas? Bem no fundo da toca pelos vistos a escrever mais um dos seus fantásticos romances...

 
At 12/08/2005 6:40 da tarde, Blogger dezazucr said...

Esqueceste-te do Alcides que como lateral adaptado fez um jogo espectacular, pôs o Giggs no bolso primeiro, obrigando à sua substituição e posteriormente o Saha, sendo que fez destro da área um desarme espectacular, tirando literalmente o pão da boca ao mesmo Saha.

 
At 12/08/2005 6:54 da tarde, Blogger Harry Lime said...

eu não vi o jogo e na prática ainda nem sequer vi os golos (estava a jogar à bola com o pessoal do meu projecto à hora do jogo).

É nestas alturas que um homem tem de enfiar a viola no saco e sair de cena. A vitória e vossa e pelo que li foi merecido...

Por isso parabéns! Neste momento penso mais na felicidade dos benfiquistas (entre os queis se contam muitos amigos meus) do que na Grandeza do Benfica (clube mundialmente conhecido por ser um clube da treta).

Mais uma vez reepito: esta mensagem tem muito mais a ver com os meus amigos benfiquistas do que com o Benfica.

 
At 12/08/2005 6:58 da tarde, Blogger Harry Lime said...

fonix, aparentemente sou um gajo popular como se vê pela reacção do T-Rex...

Sinceramante, gostaria de gozar da mesma popularidade junto das mulheres!

 
At 12/08/2005 7:31 da tarde, Blogger MB said...

D'Arcy

Não só levaste o cachecol do 6-3, como o Manchester também levou o treinador do 6-3! Grande talismã!

 
At 12/08/2005 9:30 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Harry: Toma lá, por exemplo, a forma como na cobertura ao jogo feita na eurosport.com foi feita a introdução:

"And the players come out into the magnificent Estadio da Luz...the original was impressive, but this is something else. Welcome to eurosport.com's LIVE coverage of this crucial Group D game...I'm Ian Holyman and I'll be with you every step of the way as at least one of these European giants falls.

Mas depois nós é que temos a mania das grandezas. Porque lá fora ninguém sabe quem somos ;)

 
At 12/08/2005 10:54 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Lá fora as pessoas não sabem o que é o Benfica.

Pergunta a qualquer gajo com menos de 50 anos o que é o Benfica e ninguém sabe. a audiência média do Eurosport pertence a esse escalão etário e por isso o comentador tem de dizer ao publico o que ele quer ouvir. :)))))

Só vou ter algum respeito pelo SLB no momento em que voces vencerem a CL. Espero que já tenham dado uma vista de olhos pelos tubarões que se arriscam a apanhar nos 1/8 de final...

 
At 12/08/2005 11:43 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Por acaso ate ja demos uma vista d olhos aos tubaroes. Tu é k nao devex ter percebido mt bem a kem é k o BENFICA ganhou... O Man. United tax a ver?! Akele clube onde jogam C. Ronaldo, Rooney, Van Nistelroy, Giggs, Scholes... nao xei xe tax a ver... Poix xe calhar nao... Vcx inda so devem ter na cabeça o Halmstad, a Udinese e o CSKA... esses colossos do futebol europeu...
Poix é... Paciencia!!!

*BENFICA FOR THE ETERNITY*

 
At 12/08/2005 11:49 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Afinal tinhamos mais um ponta de lança no plantel e andávamos a pedir para contratarem outro...parece que esse assunto dos avançados tá resolvido :)
Agora se tivermos sorte que venha o Inter que me parece o tubarão mais acessível, e afinal de contas nós também somos um tubarão!

 
At 12/09/2005 12:36 da manhã, Blogger MB said...

Harry Lime

Alguma vez saíste de Portugal?
Alguma vez falaste com algum estrangeiro sobre futebol?

É que parece que não!


Apesar de saber que só fazes esses comentários para provocar, não resisti a uma posta.

 
At 12/09/2005 1:16 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Harry Lime,
és parvinho só para provocar ou és mesmo assim?

 
At 12/09/2005 1:44 da manhã, Blogger tma said...

Harry Lime,
há uns anos atrás (em 1998), uns holandeses (da nossa idade - portanto, ainda a uns bons anos de chegar aos 50...) vieram a Portugal no contexto de um projecto de parceria entre várias empresas/universidades europeias (no qual a empresa onde eu trabalhava na altura também participava), e sem lhes ter perguntado nada, pediram-me para os levar a um jogo do Benfica... (Por felicidade, o Benfica até jogava na Luz nesse fim de semana, e claro que tive todo o gosto em levá-los a ver jogar o Benfica, gosto esse que foi correspondido: o Benfica fez uma exibição agradável e ganhou por 2-0 ao Vitória de Setúbal, golos do Pembridge e do Nuno Gomes).

 
At 12/09/2005 9:09 da manhã, Blogger Superman Torras said...

Eu cá só tenho a dizer que não tenho bolsa para muitos mais jogos destes! Em 5 dias lixei 15 euros. E estou felicíssimo!! E rouco tambem.

Não tenho a menor duvida de que uma parte da vitória de quarta-feira (já passaram 2 dias?!?) é minha e dos outros 60 mil que ajudaram a reavivar o inferno da Luz. Não será por acaso que no fim do jogo eu estava todo partido, doíam-me as pernas, doía-me a voz, doía-me tudo, menos a alma.

É notável a quantidade de pessoas conhecidas, às vezes amigos que já não via há muitos anos, que se reencontra no estádio da Luz. Cada vez mais se faz jus à expressão de estarmos todos no meio de uma grande familia. Foi a melhor noite europeia que já vivi no Estádio da Luz.

Até a onda mexicana se chegou a fazer! E voltou-se a ouvir o célebre bater com os pés no chão, fazendo estremecer o estádio...

E tudo isto sem estar minimamente à espera de ser feliz, quem a mim me dissesse antes do jogo que o Benfica desfalcado de 5 das suas principais unidades iria vencer o Man.Utd na sua melhor força e em nitida subida de forma tal como os ultimos resultados da Premier League deixavam antever, e com golos de Geovanni e Beto, o minimo que lhe chamaria era sonhador.

Penso que acima de tudo acabou por ser uma chapada sem luva dada a todos nós que muitas vezes criticamos em excesso certos e determinados jogadores quando no fundo todos os que envergam aquela camisola fazem o seu melhor para não a desprestigiar. Às vezes há inspiração, outras vezes nem por isso, mas estou em crer que mesmo quando as coisas estiverem menos bem se lhe juntarmos um decilitro de água e misturarmos muito bem com 60 mil indios, as coisas podem ir ao lugar.

Ao nosso lugar. Ao lugar dos CAMPEÕES e dos clubes MITICOS.

p.s t-rex, chegaste a tempo?

 
At 12/09/2005 10:08 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Já disse o mesmo em relação ao jogo com o Marítimo e volto a dizer: espero que a partir de agora os benfiquistas comecem a acreditar mais na equipa e no clube em vez de criticarem e comprarem bilhetes para irem assobiar os jogadores...neste jogo ficou provado a importância que o público pode ter nos adversários, mesmo quando se trata de jogadores mais do que habituados a estádios cheios e a assobiá-los...o inferno da luz faz a diferença!

 
At 12/09/2005 10:33 da manhã, Blogger T-Rex said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

 
At 12/09/2005 10:35 da manhã, Blogger T-Rex said...

Infelizmente não, Superman Torras!

Tive que saír no Carregado e fugir do entupimento em Vila Franca + Alverca, proocados por acidentes. Vi o jogo num bar com uns amigos. Foi excelente, mas nada como no estádio... Infelizmente não estive num dos melhores momentos dos últimos anos da nossa equipa, mas paciência... Se formos à final até vendo o carro para passar umas semanas de (merecidas) férias e ver o jogo!

 
At 12/09/2005 2:00 da tarde, Blogger Apre said...

Parabéns, um feito desproporcionado com o destaque dado, mas não deixa de ser uma enorme alegria para (quase) todos os Portugueses.

É pena é o senão...

 
At 12/09/2005 4:34 da tarde, Blogger Quetzal Guzman said...

:)

 

Enviar um comentário

<< Home