sexta-feira, abril 22, 2005

Estoril

Hoje, nos jornais desportivos, é possível lermos declarações do presidente do FC Penafiel, António Oliveira, em que admite mudar o local do jogo contra o Benfica na 32ª Jornada, de forma a poder tirar os dividendos financeiros resultantes da disputa do jogo num estádio com maior capacidade que o Estádio 25 de Abril. António Oliveira, ex-jogador do clube do Lumiar e do FC Porto, é, conforme se sabe, um homem sobejamente conhecido pelas suas tendências marcadamente benfiquistas, pelo que só pode estar envolvido na enorme conspiração destinada a levar o Benfica ao título. Ou como consequência do seu benfiquismo latente, ou por se ter deixado comprar pelo José Veiga.


Entretanto o Estoril regozija-se com uma receita relativa ao jogo do próximo Domingo de cerca de 600 mil euros, que é a maior do seu historial, enquanto que o Estádio do Algarve vai registar a maior lotação de sempre. Estes dados só vêm reforçar a escolha da SAD estorilista, que desde o início sempre admitiu ser a componente financeira a razão maior para a alteração do local do jogo. Aliás, em declarações prestadas ontem, António Figueiredo foi claro ao dizer que se o FC Porto ou o clube do Lumiar fizessem chegar ao Estoril, antes de um jogo a disputar com eles, a quantidade de pedidos de bilhetes que o Benfica fez chegar, não pensaria duas vezes em mudar o jogo contra o FC Porto para o Bessa, ou o jogo contra o clube do Lumiar para o Municipal de Leiria.

Sinceramente, confesso que o facto do jogo se realizar no Algarve não me agradou. Excluindo o factor puramente pessoal (se o jogo fosse na Amoreira teria a possibilidade de assistir ao jogo ao vivo, e assim não), o que me aborrece nisto é o Benfica sujeitar-se à maledicência da miríade de antibenfiquistas que está sempre à espera de uma oportunidade destas. Quem pediu a alteração do local do jogo foi o Estoril, pedido esse a que o Benfica acedeu, mas quem ouvisse falar os que criticam todo este processo pensaria que toda esta operação teria sido congeminada e executada nos gabinetes do Estádio da Luz.

Alterações do local de jogos que envolvem os clubes grandes são comuns no nosso campeonato (o Gil Vicente ou o Moreirense são clubes que já fizeram isto por diversas vezes), mas basta envolver o Benfica para que se faça logo um escarcéu. Alguém se recorda da barulheira feita o ano passado por causa do adiamento de um jogo do Benfica contra a Académica? Na altura, as justificações para a indignação geral foram centradas numa razão tão estapafúrdia como o Benfica estar a ser beneficiado porque o adiamento permitir-lhe-ia defrontar a Académica numa fase da época em que os seus jogadores estariam em melhor forma, e em que alguns dos seus jogadores já estariam recuperados de lesões. Convém dizer que, mais uma vez, a iniciativa de pedir o adiamento do jogo partiu da Académica, tendo o Benfica aquiescido ao pedido, mas para variar tentaram fazer do Benfica o mau da fita nesta história.


Navegando na crista da onda da indignação em situações destas, aparece invariavelmente o clube do Avozinho*, quase sempre na figura do seu presidente Dias da Cunha (embora às vezes secundado por alguns vice-presidentes de quem nunca se ouviu falar, e que aproveitam estas alturas para se darem a conhecer). É uma obsessão que eles têm. Mas considerando o que se passou este ano em relação ao jogo da Taça com o Pampilhosa, cuja data foi alterada de forma a poderem limpar a suspensão de um jogo ao seu melhor jogador para que este pudesse defrontar o Benfica, estas críticas soam, no mínimo, a hipocrisia. O referido jogador até acabou por ser decisivo no derby, marcando os dois golos com que o Benfica foi derrotado. Em relação a tudo isto, alguém viu o circo de imprensa a que temos assistido desde que se soube que o jogo do Estoril seria disputado no Algarve? Mais: alguém viu alguma manifestação pública dos dirigentes do Benfica em relação a este processo? São estas subtis diferenças de comportamento que às vezes me deixam a pensar se na verdade quem mais fala sobre o assunto estará mesmo interessado em pacificar o futebol português.




*Para os que não sabem porque razão utilizei o termo 'Clube do Avozinho', passo a explicar. A história tem a ver com a fundação do clube do Lumiar. Em 1906 existia um clube chamado Campo Grande Football Club, que tinha sido fundado por um grupo de rapazes da alta sociedade (que no início do século passado o futebol era um desporto 'bem'). Estes rapazes um dia zangaram-se uns com os outros e formaram-se duas facções dentro do clube: uma que defendia que o clube deveria dedicar-se sobretudo à organização de eventos desportivos, e a outra que defendia que o clube deveria dar mais importância à componete lúdica, com a organização de festas e bailes. A zanga culminou na organização de um piquenique por uma das facções, para o qual a outra facção não foi convidada. No meio destas discussões o senhor José de Alvalade, numa atitude bastante típica de menino mimado, bateu com a porta, e ao sair proferiu a célebre frase: "Vou ter com o meu avozinho, e ele dar-me-á dinheiro para fundar um novo clube!". Esta frase lapidar ficará, para mim, para sempre associada à génese do clube do Lumiar.

17 Comments:

At 4/22/2005 11:37 da manhã, Blogger Tiago Xunga said...

É isso D'Arcy. Eu também não concordo com esta alteração. Não pela questão de ir ou não ao jogo, pois se fosse na Amoreira n iria na mesma. Percebo que o Estoril vai conseguir diminuir bem o seu passivo. Mas discordo com esta dicisão em 2 pontos:
1 - O Sport Lisboa e Benfica é sempre usado para salvação dos outros. Eles são os jornais que vendem mais, eles são os rivais que só veem numa hipotética vitória sobre o Benfica a salvação de uma época inteira e os outros clubes a salvação financeira. Lembro-me de esta época no Restelo terem pedido 30 euros por bilhete. Os mais baratos estavam esgotados. Depois constata-se na Tv que havia muitos lugares vazios correspondentes a preços mais baixos. Ou seja, o nome Benfica vale muito e de facto merece respeito e assusta quem dele não gosta!
2- Na defesa do velho futebol ( 1 a 11; tardes de bola, etc) penso que se tem que precaver estas situações. Até concordo que o jogo possa ser dentro do mesmo distrito, concelho do clube que pretende a alteração. Mas uma alteração destas é disvirtualizar o futebol, a essência que é ir a casa do adversário e ganhar! na minha opinião tem que se legislar sobre esta matéria. Situações destas não podem voltar a acontecer. Até para evitar suspeições!
Em defesa do futebol!!!!

 
At 4/22/2005 11:57 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Eu estive nessa noite no Restelo, e lembro-me de também ter ficado indignado com o preço dos bilhetes.

Não ponho em causa que a alteração do local do jogo possa ser considerada imoral. Mas é como dizes: não existe legislação sobre esta matéria, e é uma situação que acaba por repetir-se todas as épocas. O que me irrita neste caso particular é todo este circo que se monta apenas quando o Benfica está envolvido. Conforme disse, até parece que foi o Benfica quem pediu a alteração do local do jogo.

 
At 4/22/2005 12:24 da tarde, Anonymous Anónimo said...

um lampião com moral e principios é tão comum quanto um porco andar de bicicleta....mas pronto! O real é o que é!

 
At 4/22/2005 6:13 da tarde, Blogger S.L.B. said...

Duas questões:

- Alguém protestou com o Moreirense-clube regional em Braga, Gil Vicente-clube regional em Guimarães e Moreirense-SLB em Braga e Guimarães (no ano passado e este ano, respectivamente)? Porquê?

- Se os lagartos produzem o "melhor" futebol de mundo e arredores, e basta-lhes ganhar todos os jogos até final para serem campeões, por que é que estão tão preocupados connosco?

E, respondendo ao último post, que princípios tem alguém que se esconde no anonimato para dizer barbaridades? Experimentem comemorar os vossos golos cantando outra música que não a vossa versão do "Glorioso SLB" e garanto-vos que sentir-se-ão menos pequeninos...

 
At 4/22/2005 6:48 da tarde, Anonymous EXERCITO RUBRO said...

E a primeira medida da direcção do clube dos meninos bem? ir buscar o onze do Benfica da altura! como hoje e sempre,até a dormir sonham com o grande Benfica!

 
At 4/22/2005 6:58 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Desde o primeiro momento da sua existência que nos tentaram fazer mal - esse 'roubo' de quase toda a primeira equipa do Benfica quase acabou com o clube. É por coisas dessas é que eu nunca poderei simpatizar com aquele clube.

 
At 4/23/2005 2:51 da manhã, Anonymous cg said...

Alvíssaras! Dão-se alvissaras! Procura-se lampião médiamente inteligente e que consiga fazer calcular distâncias...identificar relações dominantes...identificar relações promíscuas...com noção de principios e moral...e que, depois de levar na cabeça do ep, não digam "tanto barulho por isto..até perdemos".
Valor: um garrafão de vinho!

 
At 4/23/2005 12:28 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Alguém 'médiamente' inteligente saberia que o advérbio se escreve sem acento. Mas se calhar a professora ainda não deu essa matéria na escola...

Moral é... subornar um adversário para alterar a data de um jogo, e essa alteração ter influência desportiva directa no jogo seguinte do campeonato. Isso sim, é moral, e da boa.

 
At 4/23/2005 11:17 da tarde, Blogger Ahab said...

D`arcy, não metas os sportinguistas todos no mesmo saco. E não digas disparates em relação "os rivais que só veem numa hipotética vitória sobre o Benfica a salvação de uma época inteira", ok?

Tu conheces sportinguistas que não são assim. Aliás eu estou-me nas tintas se o SCP ganha ou perde ao SLB. Toda a gente sabe que o Campeonato é uma prova de regularidade e que se perde mais quando se perdem 2 ou 3 pontos contra o Gil Vicente (porque é um daqueles clubes contra os quais os rivais vencem quase de certeza) do que num jogo contra o SLB (uma equipa de valor equivalente).

Isto não é ser benfiquista nem sportinguista. Isto é pensar com a cabelça em vez de pensar com o coração ou com as emoções ou com a mistica. Aliás pensar com a cabeça é algo que me parece estar fora das capacidades de todos os benfiquistas... Aliás, neste particular parece-me que os benfiquistas se limitam a pensar que os adeptos dos outros clubes pensam como os benfiquistas. Errado! Se pensassemos como benfiquistas ou tivessemos inveja vossa faziamos uma coisa muito simples: tornavamo-nos benfiquistas. É DIFICIL PERCEBER ISTO?

Em relação ao Estoril, qualquer pessoa minimamente inteligente percebe que as razões que levaram o Estoril a mudar o jogo para o algarve foram estritamente financeiras. Eu não os levo a mal em aproveitarem uma oportunidade destas.

Da mesma forma, em relação ao Papilhosa eu não tenho qualquer duvida que o Benfica não teria qualquer problema em proceder da mesma forma que o SCP.

A não ser que tu ainda acredites na inocencia e virgindade de Luis Filipes Vierias, Veigas e Companhias. Se ainda acreditas nisso então pertences a uma classe bem pior do que a dos benfiquistas: a dos totos.

Em relação, "aos avozinhos" é apenas mais um episódio caricato. Acredito que os dirigentes e adeptos do S.L.B se tenham sempre regido pelos mais elevados padrões morais...

Esta história dos avozinhos só serve para os benfiquistas defenderem a sua condição de clube dos pobrezinhos, para sempre no coração do Bom Povo Portugues...

 
At 4/23/2005 11:42 da tarde, Anonymous cg said...

Obrigado!
Fui ver as regras gramaticais. Tens razão. O advérbio não tem acento. Uff! Felizmente que há bons samaritanos, digo, lamps que sabe as regras gramaticais. Por uns momentos senti-me com o sindrome lampionico, digo, lampiónico! Afinal a civilização naõ está perdida!

p.s.: em vez do naõ deve-se ler não. vi agora no dicionario, digo, dicionário!

 
At 4/24/2005 4:32 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Sabes bem que eu não ponho os adeptos do clube do Avozinho todos no mesmo saco. Até porque tenho diversos grandes amigos que são adeptos desse clube (tu incluído), que são pessoas que eu respeito muito. Achas que ia meter essas pessoas no mesmo saco, por exemplo, do troll anónimo que frequenta este blog? Esse é daqueles que envergonha qualquer adepto por apoiar o mesmo clube que ele.

E muitos dos comentários que referes não foram sequer feitos por mim. Não sei se já reparaste, mas fazes o comentário endereçado a mim, e no entanto comentas afirmações feitas em comentários de outras pessoas. Por favor presta um bocadinho mais de atenção antes de escreveres, OK?

Quanto ao Pampilhosa, não estou a discutir se o SLB faria o mesmo ou não. O que eu estou a notar é a diferença de atitudes: o SLB até acabou por ser lesado nesse processo, que foi todo engendrado pelo teu clube, e não disse uma palavra. Neste caso do Estoril, foi o Estoril quem decidiu mudar o local do jogo, o Benfica concordou, e os dirigentes do teu clube vieram a público tentar fazer do Benfica o mau da fita. O mínimo que eu esperaria deles era que tivessem a mesma atitude que os dirigentes do Benfica tiveram, e se mantivessem calados (ou, se tinham mesmo que falar, que se referissem ao Estoril e deixassem o Benfica fora disto).

O episódio do Avozinho não tem nada a ver com moral e bons costumes. É apenas um episódio fulcral e ligeiramente anedótico na história da fundação do teu clube (já agora, por acaso conhecia-lo?), que me permite poder arranjar mais um eufemismo para me referir ao clube cujo nome não gosto de escrever ;)

A história de logo a seguir terem ido gamar mais de metade da nossa equipa, aproveitando o facto de serem um clube com posses, já é ligeiramente diferente - muita gente defende que foi aí que a grande rivalidade entre os dois clubes nasceu. Independentemente do que se passa agora a verdade é esta: aquando do seu nascimento, o SLB era na verdade um clube pobre: andava com a casa às costas, não tinha campo, e a sede era nas traseiras da Farmácia Franco (aquela que é agora uma agência da CGD, e que sempre que vamos a Belém eu te digo que foi ali que o SLB nasceu). Quanto ao teu clube, pode-se dizer que nasceu em berço de ouro, e que nunca lhe faltou nada. É daí, mesmo dos primórdios da história dos dois clubes, que vem a história do SLB ser o 'clube dos pobrezinhos', e os outros o 'clube dos ricos'.

 
At 4/24/2005 4:32 da manhã, Blogger D'Arcy said...

P.S.- E já agora: BRIOOOOOOOOSAAAAAA!!!! (fui lá ver o jogo) ;)

 
At 4/24/2005 8:50 da manhã, Anonymous Anónimo said...

E fui eu que disse que a vitória sobre o BENFICA era a salvação da época!!! E é VERDADE!!! os meninos do lumiar e das antas só nos querem ganhar!!!! E nem fico contente de empatarem. Dar-me-á mais gozo decidir na Luz! Contra o Lumiar!!!!

 
At 4/24/2005 8:00 da tarde, Blogger Ahab said...

D`Arcy,

Devo dizer que não conhecia esse episódio do "avozinho". É um episódio curioso "that`s all". De resto toda a gente sabe que o Sporting é o clube aristocrático de Lisboa. Tal como o Inter de Milão (clube de que tu gostas!) em Milão, a Juventus em Turim ou o Real Madrid em Madrid.

Este história de clubes dos pobrezinhos e dos avozinhos não é nova nem é exclusiva da Sporting.

Em relação ao episódio do "roubo de jogadores" à nobre e proletária equipa do SLB. Há algumas questões interessantes a fazer. Por exemplo, o que é "roubar" nese contexto? É agarrar nos coitadinhos do Benfica, acorrenta-los, chicotea-los e atira-los para as masmorras de alvalade? Ou é chegar ao pé deles e dar-lhes melhores condições do que o SLB: melhor salário, melhores condições de treino, melhor estádio, etc, etc?

Eu desconfio (e tu vais-me corigir se eu estiver errado) que o que aconteceu foi a segunda hipotese. Ora, se do ponto de vista do SLB a coisa correu um bocado mal, achas que, para os jogadores envolvidos, foi um mau negócio? Eu acho que eles ficaram a ganhar com a situação: foram para um clube que lhes pagava melhor (bem, se calhar limitava-se a pagar-lhes dinheiro, enquanto que o SLB achava que lhes devia pagar em mistica benfiquista) e que tinha muito melhores condições. Se tudo isso foi pago com o dinheiro do avo, da avó, do cunhado ou da tia do vizinho é-me completamente indiferente (tal como foi para os jogadores envolvidos no negocio). Não censuro o Sporting por ter ido buscar metade da equipa do Benfica, nem os jogadores envolvidos por terem mudado, nem sequer censuro os jogadores do Benfica que decidiram ficar (só penso que foram um bocado otarios, mais nada). apenas censuro os benfiquista spor ainda hoje considerarem esse episódio como sintomático da "maldade" do sporting. Eu limito-ma a cahar que o Sporting limitou-se a ser prático e eficiente. Havia dinheiro, com esse dinheiro fez-se um negócio. Tão simples quanto isso.

Para mim, este episódio e a visão que tu tens dele (ie, que é imoral "explorar" os pobrezinhos e que os "pobrezinhos" foram explorados pelos aristocratas) são tipicas das coisas que eu mais detesto no Benfica: o idealismo hipocrita da mistica e do amor à camisola.

Voces acham que é errado envolver o dinheiro, essa coisa suja, imunda e imoral na pureza dos vossos ideais. Voces acham que um jogador tem de jogar por amor à camisola sem exigir nada de volta além da mistica e do amor do clube...

Por mim nada contra, é uma visão um bocado idealista do Mundo. O problema é quando vem alguem e se aproveita dos vossos altos e nobres ideais para ganhar... dinheiro (quem diria, benfiquistas a pensar nessa coisa vil e má)!

Uma certeza que eu tenho acerca do sporting é que nunca ninguem se vai aproveitar do sporting para ganhar dinheiro por uma razão muito simples: todos os nossos dirigentes são pessoas com dinheiro e prestigio social (ok, há excepcoes como o homem dos bigodes, o sousa cintra e o Santana Lopes).

Será que os benfiquistas podem viver com essa certeza?

 
At 4/24/2005 9:24 da tarde, Blogger D'Arcy said...

No princípio do séc.XX, quando esse episódio se passou, não havia profissionalismo. No futebol reinava o cavalheirismo, coisa que não foi respeitada nesse episódio. Sendo aliás, os senhores do clube do Lumiar membros da aristocracia, ainda mais cientes desses princípios do cavalheirismo deveriam estar.

 
At 4/25/2005 12:01 da manhã, Blogger Ahab said...

Tudo isso é muito bonito. Mas a verdade é pura e simples: os jogadores que se mudaram para o Sporting conseguiram, para lá dessas tretas do cavalheirismo, muito melhores condições para praticar o desporto de que gostavam do que os "leais" ao Benfica.

E mais uma vez, os Benfiquistas ficaram escandalizados pela falta de cavalheirismo quando o facto é que o sporting fez um negócio que serviu bem os interesses de duas partes: os jogadores e o Sporting. Especialmente aos jogadores que não deviam ser aristocratas e a quem o dinheiro recebido para jogar no SCP lhes deve ter dado muito jeito.

Mas é óbvio que estas coisas pequeninas não interessam aos benfiquistas, perdidos que estão nos mistérios da mistica e da teologia benfiquista. Eles pensam (e sempre pensaram) que as pessoas vivem com suplementos de mistica benfiquista.

E depois de vez em quando vêm falar em traições e em hora e em cavalheirismo... ´Só há uma palavra para voces: ridiculos.

 
At 4/25/2005 4:19 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Gosto da tua maneira de pensar. Por essa ordem de ideias, da próxima vez que te vir, e apesar de seres meu amigo e de ter a obrigação moral de te respeitar, dou-te uma marretada e gamo-te o PDA. Bem sei que, como parte lesada na transacção, não deves gostar muito disto, mas já percebi que para ti a parte lesada sentir-se magoada ou indignada não passa de um sentimento mesquinho e anacrónico. Como eu fico a ganhar no processo, isso é que conta.

 

Enviar um comentário

<< Home