segunda-feira, abril 04, 2005

Estrelinha

É por estas que eu digo que só acredito mesmo no fim, quando for matematicamente impossível apanharem-nos. Esta noite tivemos todas as condições para um jogo tranquilo, mas quase deitámos tudo a perder devido a uma defesa que hoje se revelou inacreditavelmente permissiva. Isto vai ser sofrimento até ao fim.

O jogo não podia ter começado melhor. O Benfica entrou decidido, e a jogar francamente bem. Creio até que os primeiros 25 minutos do Benfica hoje terão sido do melhor futebol que vi a equipa jogar esta época. Aos seis minutos de jogo já ganhávamos, com um golo do Nuno Gomes após passe do Miguel (e um grande passe do Simão a desmarcar o Miguel). Mas na primeira descida à nossa área, e num lance em que os centrais se revelaram estranhamente apáticos, o Marítimo empatou. Isto no entanto não afectou a equipa, que três minutos depois voltou a marcar, desta vez pelo Miguel. Alguns minutos depois, mais um golo. Desta vez um grande golo do Nuno Gomes, a aproveitar uma boa jogada do Geovanni na esquerda. Com 3-1 aos 23 minutos de jogo, e dada a produção atacante da equipa, as coisas pareciam estar a compor-se.


Mas mais uma vez, a defesa voltou a comprometer. Muita lentidão a afastar a bola, e no meio da confusão o Van Der Gaag a marcar. Justiça seja feita ao Marítimo, que fez um jogo honesto (pelo menos durante a primeira hora). Tentou discutir o resultado, e nunca baixou os braços. O treinador deles foi também inteligente ao se aperceber que se mantivesse a auto-estrada do lado direito para o Miguel, as coisas iriam dar para o torto, e depressa corrigiu isso, com duas substituições ainda na primeira parte. Eles foram ambiciosos, e não são muitas as equipas que eu vi jogarem na Luz num esquema que era praticamente um 4-2-4.


Após o intervalo, o Marítimo regressou na disposição de chegar ao empate, o que acabou por conseguir em mais um lance infeliz da defesa: centro largo do lado direito, o Quim a socar para a frente (mas porque é que ele é tão avesso a agarrar as bolas?), a bola a tabelar nas pernas do Miguel e a sobrar para o Pena. Com 3-3 no marcador, pouco tempo depois o treinador do Marítimo cometeu o que me parece ter sido um erro. O Benfica parecia estar abalado pela recuperação do Marítimo, que aparentava ter o jogo sob controlo. Mas ao retirar um avançado (Pena, autor de dois golos) para colocar um médio defensivo (Bino), devolveu a iniciativa de jogo ao Benfica.

Cinco minutos depois entrou o Mantorras, que teve o condão de acordar os adeptos, que estavam (compreensivelmente) atordoados na altura (é impressionante a empatia que os adeptos benfiquistas revelam ter com o Mantorras - basta ele saltar do banco para aquecer para provocar uma manifestação de alegria). Os adeptos começaram então a empurrar a equipa para a vitória, e agora o jogo praticamente só dava Benfica, com o Marítimo remetido ao contra-ataque (perigoso, diga-se). Sem mais opções, assistiu-se à raridade de ver Trapattoni colocar três avançados simultaneamente em jogo, com a entrada do Karadas para o lugar do Nuno Assis. E foi num período de muita pressão, ao colo dos incentivos dos adeptos, que os dois jogadores entrados construiram o golo da vitória, a cinco minutos do fim: centro muito largo do Ricardo Rocha, o Karadas a ganhar nas alturas, e o Mantorras a rematar de primeira para a baliza. Até aqui foi preciso sofrer, pois o Marcos ainda toca na bola, e ficámos depois a vê-la a rolar muito, muito devagarinho para lá da linha de golo.


Conseguimos assim superar mais uma final, ficando a faltar sete. Não vou destacar nenhum jogador hoje, porque o jogo foi demasiado emotivo para me conseguir concentrar em exibições individuais. Houve jogadores que estiveram bem, outros nem tanto, mas a equipa revelou união, e gostei muito da forma como procuraram a vitória. Hoje ganhámos com muita estrelinha. Estrelinha... de campeão?


P.S.- Entretanto acabei de apanhar de relance na televisão um resumo de jogo do FC Porto. Vi um penalti evidente do Jorge Costa, que não foi assinalado. Até aqui tudo bem, pode-se mais ou menos dizer, porque penalties não assinalados acontecem em vários jogos. Agora quando soube que o nome do árbitro do referido jogo dava pelo nome de... Olegário, já não me senti tão à vontade.

9 Comments:

At 4/04/2005 10:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

o Ponta de Lança Olegário está de regresso.

 
At 4/04/2005 4:00 da tarde, Blogger Renato said...

e os 2 contra o Gil n viste??ai ai essa visão..

 
At 4/04/2005 4:22 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Não sei se terão sido assim tão evidentes, porque a verdade é que o resumo que eu vi (na SIC notícias) não mostrou nenhum desses lances.

De qualquer forma, eu não estou a querer discutir a arbitragem do jogo de ontem, ou a justiça ou não da vitória do FCP. O que eu quero dizer é que depois de ver o Olegário fazer vista grossa a um penalti daqueles (e ele estava mesmo em cima do lance), já torna muito mais difícil acreditar que a arbitragem dele na Luz possa ter sido apenas uma noite infeliz dele. Ou o homem é mesmo muito mau árbitro, ou então ainda mostra muito respeitinho pelo FCP.

 
At 4/05/2005 12:43 da manhã, Blogger Miguel Sousa said...

COM OU SEM ESTRELINHA SOMOS OS MAIORES...JÁ AVISEI NA MINHA ESCOLA QUE DEPOIS DE DEZ ANOS CALADO...MAIS VALE SALTAR COMIGO OU COMPRAR TAMPÕES E COLOCAR...NOS OUVIDOS EH EH EH

 
At 4/05/2005 1:40 da manhã, Blogger Renato said...

é tao mau como um lucilio batista ou um b paixao e esses n mostram respeito ao fcp..

 
At 4/05/2005 3:59 da manhã, Anonymous Anónimo said...

É sempre assim, só se vê aquilo que nos interessa, o penalty sobre o Gil Vicente não viste?
Claro, não interessa, aí o arbitro não foi parcial, errou, penso que é aquilo que deverás afirmar com a tua "douta" opinião.
Mas não és só tu, a imprensa Lisboeta, quando é para analisar o FCP mostra todas as imagens de todos os angulos, mesmo deixando dúvidas, eles não a têm, quando são decisões contrárias, prejudicando o FCP elas aparecem, mas as que não permitem visualizar o erro com precisão.
Assim se faz uma opinião generalizada enviezada.
É preciso mais honestidade e coerência, mas isto é muito dificil neste país onde dizem existir 6 milhões de benfiquistas!

 
At 4/05/2005 10:08 da manhã, Blogger D'Arcy said...

E que tal se te desses ao trabalho de leres o que eu escrevi com mais atenção? No resumo que eu vi NÃO mostraram nenhum lance de possível penalti contra o Gil Vicente. Como posso ver algo que não me mostraram?

Renato: Não sei exactamente quais são os motivos específicos de queixa que o FCP tem do Lucílio. Calculo que tenha a ver com as arbitragens dele em Alvalade, o que não me surpreende porque já fui ver o Benfica a Alvalade arbitrado por esse senhor (no jogo da festa do título em que o Sabry calou Alvalade), e ele conseguiu assinalar dezenas de livres à entrada da área bem ao jeito do André Cruz. Cada ataque de ciática do Acosta dava livre. O Lucílio é um árbitro extremamente caseiro, e facilmente influenciável.

Mas também já fui ver o Benfica às Antas arbitrado pelo Lucílio, e desse jogo de certeza que não ficaram com queixas. Ele até conseguiu expulsar o Ricardo Rocha depois dele ter ficado a meio metro de tocar no Deco.

 
At 4/05/2005 5:48 da tarde, Blogger Ry said...

Já agora, gostava de dar os parabéns à Isabel Cutileiro pelas excelentes fotos que tenho visto neste blog.

Ry
Anti-anti-Benfica

 
At 4/05/2005 5:53 da tarde, Blogger D'Arcy said...

As deste último jogo estão particularmente boas.

Já agora, para quem não saiba, elas costumam estar disponíveis em www.sl-benfica.com.

 

Enviar um comentário

<< Home