quinta-feira, abril 21, 2005

Final

O Benfica assegurou esta noite a passagem à final da Taça de Portugal, a disputar no Estádio Nacional no próximo dia 29 de Maio, frente ao V.Setúbal.


O Estrela pareceu entrar decidido no jogo, e logo no primeiro minuto proporcionou ao regressado Moreira uma boa defesa. Mas a seguir a isso, apenas a cinco minutos do fim do jogo voltou a haver um remate digno desse nome por parte do Estrela, já na fase em que tentava o golo de honra. O Benfica apresentou o onze habitual, com apenas três alterações: entradas de Moreira, Fyssas e André Luís para os lugares de Quim, Dos Santos e Luisão. Longe de ser uma exibição brilhante por parte do Benfica, jogámos no entanto de uma forma segura, e controlámos o jogo do princípio ao fim. O primeiro golo surgiu pouco depois da meia hora de jogo, numa finalização aparentemente fácil do Nuno Gomes após um belíssimo centro do Geovanni na direita.

Na segunda parte, e sem termos que carregar muito no acelerador, o resultado avolumou-se naturalmente. O 2-0 apareceu numa jogada quase a papel químico da jogada do primeiro golo, mas do lado contrário: recuperação de bola a travar uma tentativa de saída de contra-ataque por parte do Estrela, o Manuel Fernandes a abrir na esquerda para o Geovanni, e este novamente a tirar um cruzamento perfeito (com o pé esquerdo) para o Nuno Assis finalizar à boca da baliza. Pouco depois veio o 3-0, num lance de oportunidade do Nuno Gomes após um falhanço infantil do central do Estrela, e o jogo acabou por ali, sendo que até final se assistiu ao Estrela a lutar para tentar marcar o golo de honra.

Hoje gostei de ver o Ricardo Rocha, Miguel, e Geovanni (é para mim o elemento em melhor forma do sector atacante). Foi também bom que os golos tivessem sido marcado pelos Nunos, porque pode motivá-los numa altura em que eles pareciam andar em sub-rendimento. Outra nota positiva, na minha opinião, foi o amarelo do Manuel Fernandes, que assim fica 'limpo' para os últimos jogos do campeonato. Assistimos também à estreia do André Luís. Dado o pouco trabalho que teve, não deu para tirar grandes conclusões, mas pareceu-me ser um jogador tranquilo, que gosta de jogar calmo, tem bom jogo de cabeça (com a altura que tem, não admira) e, ao contrário do Alcides, privilegia o posicionamento no terreno em vez da velocidade, já que não parece ser muito rápido. Hoje deu até para ele fazer uma assistência para o Nuno Gomes no terceiro golo, embora quase sem querer. Provavelmente será o André Luís o substituto natural do Luisão na próxima época.

Um pormenor no entanto continua a fazer-me confusão. Se é verdade que o Simão está lesionado, então porque razão não o poupam nem um bocadinho? Era mesmo necessário obrigá-lo a jogar os noventa minutos? Não se poderia tê-lo sequer poupado aos últimos quinze minutos da partida, quando o resultado já nos era favorável por 3-0?


O Sport Lisboa e Benfica atingiu assim a sua 33ª final em 65 edições da Taça de Portugal, o que significa que estivemos presentes em mais de metade das finais. Das 32 finais jogadas até agora, ganhámos três quartos delas (24), e se conseguirmos vencer este ano, somaremos o mesmo número de conquistas que as do FC Porto e clube do Lumiar juntas. A Taça de Portugal é, sem dúvida, uma competição bem ao nosso gosto. E agora espero uma grande final contra o Vitória, que tem uma grande massa adepta, e que de certeza irá trazer muita gente de Setúbal, para dar um grande ambiente de festa da Taça ao Estádio Nacional. Como bónus este ano não vamos ter que gramar com a lengalenga bafienta do costume sobre o 'Estádio de Oeiras', que nos é proporcionada todos os anos em que o FC Porto chega à final.

11 Comments:

At 4/21/2005 5:01 da manhã, Anonymous Anónimo said...

A final da Taça de Portugal é uma conquista importante e, sinceramente, não vejo possível perdermos a final (quer ganhemos ou não o campeonato). De qualquer forma, parece-me que o renascimento do espírito e renovação do SLB acontecerá apenas com a conquista do campeonato. Como adepto ferveroso, acho que vamos vence-lo. Como adepto racional, vejo a conquista muito difícil. A derrota em Vila do Conde e o empate em casa foram rombos violentos: um jogo de dificuldade média e outro de dificuldade mínima. E falhámos. As próximas duas jornadas vão ser cruciais: um jogo fácil com o Estoril mas depois vem logo outro difícil em casa (com uma equipa que joga bem em contra-ataque). Essa jornada, resta-nos ganhar ao Belenenses e aguardar um precalço dos Lumiares em Braga. Depois, recebemos o clube do Lumiar em casa e vamos ao Bessa: por muito que nos custe admitir, são duas incógnitas. Vendo as coisas desta forma, confirmamos que, caso o SLB tivesse ganho ao Rio Ave e Leiria, seria praticamente campeão. Terá sido feito suficiente trabalho psicológico?
Um abraço
O Lidador

PS: para quando um post sobre as jornadas que virão?

 
At 4/21/2005 5:41 da manhã, Anonymous Anónimo said...

A final da Taça de Portugal é uma conquista importante e, sinceramente, não vejo possível perdermos a final (quer ganhemos ou não o campeonato). De qualquer forma, parece-me que o renascimento do espírito e renovação do SLB acontecerá apenas com a conquista do campeonato. Como adepto ferveroso, acho que vamos vence-lo. Como adepto racional, vejo a conquista muito difícil. A derrota em Vila do Conde e o empate em casa foram rombos violentos: um jogo de dificuldade média e outro de dificuldade mínima. E falhámos. As próximas duas jornadas vão ser cruciais: um jogo fácil com o Estoril mas depois vem logo outro difícil em casa (com uma equipa que joga bem em contra-ataque). Essa jornada, resta-nos ganhar ao Belenenses e aguardar um precalço dos Lumiares em Braga. Depois, recebemos o clube do Lumiar em casa e vamos ao Bessa: por muito que nos custe admitir, são duas incógnitas. Vendo as coisas desta forma, confirmamos que, caso o SLB tivesse ganho ao Rio Ave e Leiria, seria praticamente campeão. Terá sido feito suficiente trabalho psicológico?
Um abraço
O Lidador

PS: para quando um post sobre as jornadas que virão?

 
At 4/21/2005 7:22 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Oh fazchavor....dê uma equipa "nao incentivada" para a mesa do canto"...olhe...pode ser com um "ex-gr" estrábico....e um golo em fora de jogo...obrigado chefe!

 
At 4/21/2005 9:14 da manhã, Blogger koelhone said...

Eu só vi a primeira parte e achei miserável a exibição do Benfica.

Há a conversa do costume, do realismo, do pragmatismo, da segurança defensiva... mas jogar à defesa contra uma equipa da segunda divisão parece-me muito mau.

O Benfica pouco ou nada fez (na primeira parte, volto a dizer), limitando-se a esperar por um erro do adversário.
Funcionou. Fixe. Mas é decepcionante até para mim.

O Estrela lá fez o que pôde, o que não é muito, mas era sempre o Estrela a tentar ter iniciativa de jogo e a empurrar o adversário para trás. Honra aos jogadores de Amadora.

E o Manuel Fernandes ter levado um amarelo para atacar a ponta final do campeonato sem problemas de cartões não me parece mau, mas não seria melhor ter apanhado este amarelo antes, de forma a limpar precisamente contra o Estrela da Amadora?

E se o Benfica não ganhar o próximo jogo, será que não vai ficar toda a gente a pensar que com o Manuel Fernandes em campo o resultado poderia ser diferente?

 
At 4/21/2005 9:46 da manhã, Blogger Lynch said...

Se o jogo com o Leiria tivesse corrido de outra maneira poderia se ter aproveitado para limpar os cartões ao Manuel Fernandes e ao Luisão, mais ao Luisão que nem sequer jogou na Taça.

 
At 4/21/2005 10:03 da manhã, Blogger D'Arcy said...

A exibição do Benfica esteve na verdade longe de ser brilhante. Foi sobretudo pragmática. Conforme disse, limitaram-se a controlar o jogo, na certeza que mais cedo ou mais tarde o adversário erraria, e a verdade é que o conseguiram, porque o Estrela, excepção feita ao lance do Semedo no primeiro minuto, apenas durante os cinco minutos finais, e já a perder por 3-0, conseguiu rematar com perigo à baliza do Benfica. Se calhar o que aconteceu nos dois últimos jogos, com o Benfica a lançar-se em força para cima dos adversários e a ter maus resultados com isso, poderá também ter pesado na atitude apresentada pela equipa.

A questão sobre o amarelo do Manuel Fernandes faz sentido. Julgo que terão considerado que o jogo com o Estrela, por ser uma meia-final da Taça, teria um grau de dificuldade mais elevado do que o jogo contra o Estoril. Mas de certeza que se as coisas derem para o torto com o Estoril, a ausência do Manuel Fernandes vai ser mencionada, e provavelmente apontada como uma das causas.

Na minha opinião, a decisão foi correcta. Dos cinco jogos que faltam para o final do campeonato, o jogo contra o Estoril, que é o último classificado, é em teoria o mais fácil. O Estrela pode ser da Liga de Honra, mas apresentava como factor de motivação extra o facto de estar a jogar uma meia-final da Taça.

 
At 4/21/2005 1:34 da tarde, Anonymous Anónimo said...

RECORD – Vai torcer por qual das equipas?
ANTÓNIO FIGUEIREDO – Espero que o resultado não impeça o Benfica de ser campeão e o Estoril de se manter?

 
At 4/21/2005 2:23 da tarde, Anonymous karadas said...

João Alves, peça demasiado importante na manobra bracarense não joga contra o Sporting. É mais um prego colocado no nosso caixão...

almabenfiquista.blogspot.com

 
At 4/21/2005 6:08 da tarde, Blogger Pedro F. Ferreira said...

Já lá estamos!!! Quanto ao resto... os cães ladram e a caravana passa. Força Benfica!

 
At 4/21/2005 10:00 da tarde, Blogger Ahab said...

A parte gira é que o velho, tão odiado pela ortodoxia lampiã por causa do seu futebol feio e xungoso (imagem fiel da equipa mediocre em que o SLB se transformou), está prestes a conseguir o que o Camacho conseguiu o ano passado... nem mais nem menos do que a conquista da Taça.

Com uma diferença de monta: o Benfica este ano ainda está na corrida pelo titulo algo que não acontecia o ano passado com o São Camacho (eu uso esta linguagem religiosa porque os benfiquismo sempre me pareceu uma seita qualquer obscura, budista ou confucionista).

É curioso, não acham?

Aconteça o que acontecer, o velho vai ser despedido e substituido pelo Messias Alvaro, completamente imbuido do Espirito Santo da Mistica Benfiquista.

Por outras palavras, se não ganharem o campeonato este ano hão-de estar mais 10 anos sem hipoteses de o ganhar.

Boas noticias, portanto!

 
At 4/21/2005 10:24 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Essas comparações não devem ser feitas. Primeiro, o Camacho conseguiu ganhar a Taça ao FCP do Mourinho, o que tens que concordar não é uma tarefa propriamente fácil. Segundo, por comparação directa, o Benfica do Camacho o ano passado por esta altura do campeonato tinha bastantes mais pontos. Aliás, mesmo que ganhemos todos os jogos até ao final, acabaremos sempre com menos pontos do que os que fizemos o ano passado. Na minha opinião, o ano passado o Benfica só não foi campeão porque teve o azar de apanhar o super-Mourinho como adversário.

Eu acho que o Trapattoni vai continuar. E se não continuar, não vai ser o Álvaro a ocupar o lugar dele.

 

Enviar um comentário

<< Home