domingo, novembro 16, 2008

Soporífero

Mais uma vez, o mais importante foi conseguido. Ou seja, a vitória, os três pontos, o manter a vantagem de quatro pontos sobre os andrades, e aumentar para cinco pontos a vantagem sobre os queques possidónios. Por aí não há queixas a fazer. Quanto à qualidade da exibição, isso já é outra história. Esta noite julgo que assisti ao jogo mais aborrecido do Benfica dos últimos tempos. Foi de tal forma que, durante certos períodos (em especial da primeira parte) cheguei a sofrer de sonolência profunda na bancada da Luz.

Afinal o Quique manteve mesmo o losango da Taça, trocando apenas alguns dos jogadores. Em particular, colocou o Nuno Gomes no lugar do Cardozo, e o Katsouranis no lugar do Binya. Na defesa, regressou apenas o número vinte e cinco para o lugar do Léo. E agora, se quisesse ser bastante preciso, não escreveria mais nada sobre a primeira parte. Porque quase nada se passou. O jogo foi feito praticamente a passo, com a maioria dos jogadores a parecerem demasiado relaxados. O maior sinal de perigo até foi dado pelo Estrela, que num cabeceamento obrigou o Quim a fazer uma boa defesa. Esse acabaria por ser o único remate digno desse nome que o Estrela fez em todo o jogo. Da parte do Benfica, uma jogada meio ao calhas com uns ressaltos pelo meio acabou por proporcionar ao Suazo uma grande oportunidade, mas o hondurenho acabou por rematar disparatadamente. Por falar em disparates, nesse particular aspecto houve a preciosa colaboração do Carlos Martins, que durante todo o tempo que esteve em campo empenhou-se em optar sempre pela solução mais complicada para qualquer situação, e foi coleccionando passes disparatados uns atrás dos outros. Zero a zero ao intervalo, e no ar uma sensação de que a equipa estava numa daquelas noites de 'isto vai acabar por resolver-se'. Pode ser que esta época ainda consigamos ver o Benfica marcar um golito antes do intervalo num jogo para o campeonato, para que as reuniões impromptu da Tertúlia durante aqueles quinze minutos não tenham sempre que ser passadas a reclamar dos jogadores, árbitros, treinador, tratadores do relvado ou, pior ainda, a ouvir o Leão Eça Cana a recordar nostalgicamente os belos tempos em que o Manuel José era o nosso treinador e a nossa equipa dava espectáculo a jogar à bola.

Não sei se o Quique terá barafustado muito com os jogadores ao intervalo, mas a verdade é que eles saíram um bocadinho mais espevitados do balneário. O Suazo começou a fazer umas corridinhas que mostravam que ele até era capaz de ser duas vezes mais rápido que os defesas do Estrela, o Katsouranis despertou estremunhado da sestazita que fez durante a primeira parte, e a equipa até começou a fazer uns quantos passes para a frente, em vez de andar por ali a trocar a bola lateralmente o tempo todo. Nem foi preciso esperar muito: após cinco minutos, estava o golo feito. Passe do Aimar para o interior da área, onde o Nuno Gomes recebeu e, de costas para a baliza e marcado por um defesa, atrasou para a entrada da área onde surgiu o Sídnei a rematar de primeira, com o pé esquerdo, para fazer a bola entrar junto ao poste. Estava feito o mais difícil. Diga-se de passagem que grande parte destas dificuldades foram criadas por nós próprios, já que o Estrela quase nunca conseguiu assumir-se como uma verdadeira ameaça durante todo o jogo, limitando-se a manter a organização defensiva e rechaçando os ataques previsíveis que iam sendo construídos pelo Benfica). Depois do golo, as coisas pareciam querer animar. Houve mais uns fogachos do Suazo, mas pouco depois voltou tudo à sonolência anterior, e depois da substituição do Nuno Gomes então foi uma autêntica pasmaceira até ao final. Claro que subsistiam alguns nervos perante a possibilidade de, com uma vantagem mínima no marcador, algum lance fortuito poder proporcionar ao Estrela o golo do empate. Mas conforme disse, o Estrela não conseguiu incomodar-nos durante quase todo o jogo, e por isso nem sequer chegou a haver alguma ameaça de um lance desse tipo poder acontecer.

Menos maus esta noite, talvez o Nuno Gomes, que mesmo durante os momentos de maior marasmo tentou sempre espevitar as coisas. O Yebda também foi dos mais activos, tal como o Maxi Pereira, que tentou inúmeras incursões pelo seu lado. O nosso número 25 também não esteve mal, sendo até dos melhorzitos durante aquela soporífera primeira parte. Quando jogamos em losango, os laterais terão obrigatoriamente que ter uma intervenção mais activa nas jogadas de ataque da equipa, e nesse aspecto ambos cumpriram. Quero também agradecer em particular ao Carlos Martins o facto de me ter mantido acordado durante vários dos períodos mais aborrecidos do jogo. Não fosse a irritação pelas sucessivas opções erradas de passe e remates disparatados, e seguramente teria adormecido.

A verdade é que, mais uma vez, mesmo sem jogarmos particularmente bem conseguimos conquistar os três pontos. Isto é muito importante, até porque, apesar de ainda haver muito campeonato pela frente, é sempre motivador ver os andrades e os queques possidónios a uma distância confortável. Agora falta-nos 'apenas' apanhar o imperturbável Leixões para ascendermos à liderança.

11 Comments:

At 11/17/2008 1:41 da manhã, Blogger joemorales said...

É isso, os 3 pontos. Controlamos o jogo com "dranguilidade" e ganhamos. Para mim foi óptimo. "Chegará o dia das surpresas". Temos é que continuar a apoiar a equipa e ter confiança.

Se fosse eu no banco ao intervalo tinha deixado o Katso no balneário. Pareceu-me mesmo o elemento mais fora do jogo.

 
At 11/17/2008 1:44 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Ele melhorou bastante após o intervalo. E não fez tanta asneiraq como o Carlos Martins, por exemplo.

 
At 11/17/2008 10:05 da manhã, Anonymous Índio Ruço said...

O futebol do Benfica foi chato e estereotipado.Tem que haver mais chispa coño! O resto da época não pode ser um longo mar de tédio, dêem-nos razão para que o sangue rojo bata forte de encontro ao colesterol das nossas artérias,coño.. percam, goleiem..assim não...esta triste normalidade não faz bem a ninguem, isto assim não é vida.

Grande dignidade dos jogadores do Estrela.

 
At 11/17/2008 11:09 da manhã, Blogger Pedro said...

O Kats na segunda parte esteve brilhante. Redimiu-se da primeira parte patética.

Suazo tem tão de bom jogador como de fução.
:)

 
At 11/17/2008 11:41 da manhã, Blogger Harry Lime said...

Agora voces também já jogam no famoso losango?

O meu probçlema com o losango é fica demasiado parecido com o esquema da pila que é uma táctica um bocado gay sem extremos nem medios ala.

Espero sinceramente que alcacem com essa táctica os mesmos resultados que o Sporting. :):):):):)

 
At 11/17/2008 4:49 da tarde, Anonymous Índio Ruço said...

Quer dizer o Quique é que nos anda a narcotizar e os tipos da NN é que são presos?? Há aqui qualquer coisa que não bate certo...
Com uma policia destas amanhã vou já assaltar a Cofidis, pode ser que prendam o Vítor Constâncio.

 
At 11/17/2008 9:29 da tarde, Blogger joemorales said...

Os NN não se pode meter tudo no mesmo saco. Foram detidos 30 mas 3000 estiveram na Catedral a apoiar. Sou a favor do espectáculo das claques, mas quem não cumpre a lei tem que ser julgado, então se envolver drogas e armas... O problema é que a instituição Benfica é que foi lesada com o seu nome na lama quando está desmarcada de qualquer claque.

Já se fala de ligações politicas no seio da claque. Mas seja de extrema direita ou extrema esquerda o que os devia mover era o Benfica e mais nenhum factor. Serem de extrema direita ou esquerda é um direito que os assiste, sendo contra ou não cada qual tem direito às suas escolhas.

Sim o Katso melhorou ao intervalo, mas isso eu não sabia na altura. ;-)

 
At 11/18/2008 3:25 da tarde, Blogger Rocha said...

Gostaria de ver o Cardozo a fazer os jogos na Luz e o Suazo fora. Em jogos em que haja mais oportunidades de contra-ataque o hondurenho faz mais falta.
Meteu-me impressão os avançados saírem da área e centrarem para o.... Aimar !!!!

Nestes jogos acho que precisamos de um gajo mais fixo e outro móvel.

Cumps,

 
At 11/18/2008 3:35 da tarde, Blogger sergonov said...

Joemorales,

..."O problema é que a instituição Benfica é que foi lesada com o seu nome na lama quando está desmarcada de qualquer claque."...

Achas mesmo? Para mim isto é foclore que desaparecerá na próxima vitória no fundo existe sempre quem se aproveite para tentar destabilizar mas não acredito que este assunto melindre o balneário, bem pelo contrário.

O Benfica não pode controlar as pessoas também haverá ladrões, pedófilos, corruptos e muito mais em todos os clubes e depois?
Não devemos confudir as coisas...

 
At 11/18/2008 7:02 da tarde, Blogger joemorales said...

sergonov

Eu não confundo as coisas. O problema é que há quem as confunda e faça estereótipos só porque pertencem a uma claque, que o Benfica não apoia.

Eu não acho que vai desaparecer com a próxima vitória, vai é aumentar a perseguição ao Benfica com a próxima vitória. Incomodamos muito. Para mim não foi por acaso que a imprensa chegou ao mesmo tempo que a psp... Isto foi só um pequeno ataque, virá mais...

Quem foge à lei tem que pagar. Sejam Benfiquistas, osgas ou corruptos. Mas isto foi um ataque ao Benfica e nada mais que isso.

(De certeza que se eu fizesse uma viagem até ao Porto, parasse na Mealhada e saqueasse a área de serviço, antes de chegar ao Porto já tinha sido apanhado...)

 
At 11/18/2008 8:43 da tarde, Anonymous JFilipe said...

Não foi nenhum ataque ao Benfica, foi um ataque a um bando de criminosos. Quer dizer, a MJM quando prende o PC é uma mulher de tomates, mas quando vai atrás dos NN já o faz a serviço de interesses?

Neste momento está a fazer-se justiça. Nos outros casos houve encobrimento e não se fez justiça. Não é por criminosos andarem à solta no Porto que defendo que criminosos andem à solta em Lisboa. E eu até moro em Gaia e levo com eles.

Mudando de assunto, o CRonaldo continua igual a si mesmo. Agora é os três melhores jogadores do mundo.

 

Enviar um comentário

<< Home