domingo, outubro 26, 2008

Mais

Confesso que no final do jogo não sabia se, enquanto saía do estádio, estava mais satisfeito com a vitória ou mais irritado com a nossa exibição. Caramba, ainda estou à espera de ver os nossos jogadores fazerem uma exibição convincente contra uma das chamadas equipas pequenas. Só se motivam contra os adversários com mais nome, ou quê? Acho que hoje merecemos a vitória, isso não se coloca em dúvida, mas na minha opinião os nossos jogadores têm a obrigação de fazer e mostrar mais do que aquilo que vimos durante largos períodos do jogo de hoje. Nós somos o Benfica. Os mais de 45.000 espectadores que se deslocaram esta noite à Luz merecem mais.


A equipa voltou a mudar em relação ao último jogo. No meio campo, regressos de Carlos Martins, Ruben Amorim e Yebda, enquanto que o ataque ficou entregue à dupla Suazo/Nuno Gomes. Acho que já disse várias vezes que não gosto nada quando a zona central do nosso meio campo fica entregue à dupla Yebda/Carlos Martins, e para mim este jogo voltou a demonstrar porquê. Adiante. A entrada do Benfica neste jogo foi frouxa, isto para não utilizar um palavrão para a descrever. Os nossos jogadores pareciam andar por ali a passear, enquanto que os rapazes equipados com as lonas das barracas da sua praia, surpresa das surpresas, até pareciam estar ali para correr um bocadinho. Isto perante os olhares de espanto dos outros, equipados de vermelho. Pelo menos durante quase quinze minutos, pouco ou nada vi da parte da nossa equipa. Depois lá arrebitaram um bocadinho (em especial depois de um grande susto, com a Naval a falhar uma oportunidade de golo clara), e aproximaram-se mais da baliza adversária. O Reyes foi fazendo uns remates, depois conseguimos finalmente fazer uma boa jogada, que terminou numa boa defesa do guarda-redes a remate do Suazo, e as coisas lá animaram. Numa das jogadas em que lá fizeram o obséquio de tentar marcar um golo, e para isso tiveram de entrar na área adversária, o Ruben Amorim foi claramente derrubado, num lance para penálti. Seria até um prémio imerecido para tanta inércia dos nossos jogadores, mas a verdade é que era mesmo penálti. Digo 'era' porque, claro, mesmo sendo o lance nas barbas do auxiliar, nada foi assinalado. Depois do que vimos ontem no estádio do animal imaginário, volta a verificar-se que tudo continua na mais perfeita normalidade. Rui Costa foi eficiente, e se calhar para a semana vem o irmão dele continuar o trabalhinho, a julgar pelos critérios de nomeação para os nossos jogos a que tenho assistido. Enfim, normalidades à parte, o jogo lá se foi arrastando até ao intervalo, polvilhado de algumas tentativas do Reyes que se ficaram pelas boas intenções, e uns falhanços do Suazo.

Para a segunda parte, o Benfica pareceu entrar mais decidido. Um pouco mais de velocidade e agressividade sobre a bola mostraram a diferença que podiam fazer. O Nuno Gomes falhou uma boa oportunidade logo a abrir, e pouco depois marcámos mesmo, mas o Suazo estava claramente em posição irregular. Só que o ímpeto acabou por não durar muito, e após um quarto de hora voltámos à sonolência. O Quique foi fazendo substituições, mas estas pouco mudavam o figurino no jogo, já que os jogadores que entravam iam fazer as mesmas funções daqueles que substituíam. A mim pareceu-me que faltava maior presença e agressividade na zona central do meio campo, onde perdíamos sistematicamente todas as bolas divididas e onde quase todos os ressaltos acabavam nos pés de um jogador da Naval, e portanto esperava a entrada do Katsouranis para o lugar do Carlos Martins (que para mim fez um jogo muito fraco). Só que ele entrou para o lugar do Yebda, e ficou tudo na mesma. As coisas estavam tão paradas que, por mais de uma vez, e perante a apatia dos colegas, que não se desmarcavam para receber a bola, foi o Sídnei a arrancar com ela nos pés e a ir quase de uma área à outra. A coisa só desatou na sequência de uma bola parada. A um livre do Reyes sobre a esquerda correspondeu o Luisão de cabeça, finalmente desfazendo o nulo.

O problema foi que os nossos jogadores pareceram claramente quererem descansar à sobra desta magra vantagem. Faltavam ainda vinte minutos para o final, e a Naval mostrava vontade e capacidade para marcar. Perante tanta parcimónia dos nossos jogadores (total ausência de pressão, e para além disso não consigo perceber como é que um jogador quando é ultrapassado se deixa ficar para trás, parando ou recuando a passo, em vez de perseguir o adversário), a Naval primeiro ameaçou, e depois marcou mesmo, num lance em que o marcador do golo apareceu ao segundo poste, na pequena área, completamente sozinho. Faltavam oito minutos para o final, e talvez aí os nossos jogadores se tenham apercebido que era necessário fazer algo mais do que ficarem a ver a banda passar para ganhar o jogo. Felizmente só foi necessário esperar quatro minutos para resolver um problema que ameaçava tornar-se sério. O Cardozo recuou até perto do círculo central para abrir a bola na esquerda, no Jorge Ribeiro, e depois deslocou-se para a área, para corresponder com um grande cabeceamento ao bonito centro do defesa esquerdo do Benfica (num lance em que houve também uma falha de marcação gritante da defesa da Naval
, embora haja também muito mérito na forma como conseguimos criar uma situação de superioridade na área), fixando o resultado final em 2-1. Depois, nos minutos finais, foi giro ver que a Naval afinal até se preocupava um bocado com a possibilidade do adversário andar a queimar tempo.

Por mais que tente não consigo pensar nos melhores jogadores do Benfica. Alguns estiveram bem a espaços, mas na generalidade o nível exibicional deixou muito a desejar. Posso sempre mencionar os centrais, que não tiveram falhas gritantes, sendo que o Luisão ainda marcou um golo, mas não se pode dizer que tenham estado brilhantes. De igual forma, também é difícil dizer quem esteve pior. Já disse que achei que o Carlos Martins esteve desinspirado, mas não foi o único, já que acabou por acompanhar a mediania geral.

O mais importante acabou por ser o resultado. Vencemos, conquistámos merecidamente os três pontos, e agora estamos à frente dos dois que pensam que são grandes. Estamos a um ponto da liderança e, se pensarmos bem, não nos podemos queixar muito. É que noutras ocasiões, a jogarmos mal perdíamos, e não demorava muito até andarmos a olhar para o primeiro lugar a uma distância considerável.

11 Comments:

At 10/26/2008 11:51 da tarde, Anonymous JFilipe said...

Pois D'Arcy eu também protestava contra o estilo calmo do Quique até ver as exibições do fequepe contra as equipas que nos deram problemas. Este é um campeonato incaracterístico que me faz lembrar o do Trap.

Gostei de ver na jogada do segundo golo os nossos avançados em posição na área mas a uma distância suficiente para não se atrapalharem. Pelo que percebi o Cardozo terá mesmo dito ao Nuno que era dele (o Nuno encolheu-se e olhou para trás). Seis golos, 4 jogos, o Cardozo esta época passa dos 30.

Os nossos laterais, pese a má vontade em relação a eles, de vez em quando sabem centrar. O Maxi mandou uma para o Nuno, o Ribeiro fez três bons centros, um que deu golo.

Finalmente ultrapassámos os lagartos abichanados e os lagartos imaginários. Pensar que à quarta jornada os verde-ranho já falavam em ver-nos a 7 pontos.

 
At 10/26/2008 11:52 da tarde, Anonymous JFilipe said...

Seis jogos, quatro golos... o inverso era bom, mas o Cardozo ainda não atingiu tal rendimento.

 
At 10/27/2008 8:22 da manhã, Anonymous Índio Ruço said...

Estou em desacordo com o "tom" da crónica. Apesar de ser uma exibição 4 estações a equipa hoje jogou melhor e teve mais atitude que nos jogos recentes deste ciclo.
Teve bons momentos de jogo e melhores combinações pelas laterais, tanto o Maxi como o Ribeiro (apesar do atraso no centro do golo) estiveram melhor a descer, embora ainda cometam alguns erros defensivos.
O Reyes é para mim o melhor em campo não só pelo que joga e pela atitude mas pelo que faz jogar abrindo espaços com futebol simples e rápido, rematando com facilidade.
O jogo passou por fases diferentes mas o que interessa neste ponto da época é que a equipa evoluiu em termos de segurança e capacidade de dar a volta ao jogo.
A equipa conseguiu recuperar de um empate a minutos do final indo à procura do resultado, ao contrario de jogos recentes onde a passividade se instalava,e aqui merece realce o grande Inca Cardozo
e tambem o Ribeiro, o futebol é um jogo "simples" de passe,desmarcação e finalização e este golo foi um exemplo disso.
Hoje a equipa cresceu mais um bocadinho e vai sabendo resolver os habituais reveses que tem pelo facto de não saber jogar a gerir a posse de bola e controlar o ritmo quando em vantagem.
Hoje parecendo que não deu mais um passo para ganhar maturidade e confiança.Crescer dói.

O Gomez está a voltar à fase Azeite Gallo. Aquele golo não se falha, nem sei como um gajo que joga há tanto tempo mete o pé à bola daquela forma....

O Inca Cardozo mostrou que é um tipo de fibra e que resolve jogos. não é mobil?..pois não, ele só marca golos.

 
At 10/27/2008 10:09 da manhã, Anonymous Índio Ruço said...

Isto é um pouco off-topic mas passou-me pelo toucado que afinal o Cebola poderá ser um espião benfiquista infiltrado no antro do Dragão. Quer dizer os gajos pagam-lhe os ordenados e ainda por cima o tipo trabalha a nosso favor, fónix o Costa tem uma cabeça que alto lá.É completo, é muito jogo.

O Jesualdo não, esse é mesmo assim , um bocadinho pressão e o gajo borra-se todo, parece um queijinho fresco, é so tremeliques.

O Paulo Bento é um tipo de quem eu gosto, é um tipico alfacinha de bairro, é um puro, de coração ao pé da boca e está sempre preocupado em que não lhe façam a folha. De todos os treinadores é o mais anti-sistema porque se insurge contra o poder cada vez maior dos empresários dentro das equipas.No fundo é um romântico.

 
At 10/27/2008 10:25 da manhã, Anonymous JFilipe said...

O Cebola já apreciou a afabilidade das claques do fequepe. Foi atacado por adeptos que lhe apedrejaram o carro, estilhacando-lhe o vidro. E isto é só o princípio. Um resultado negativo com a naval e em vez de pedras mandam petardos.

 
At 10/27/2008 10:44 da manhã, Blogger Harry Lime said...

Voces têm um jogador do outro mundo: o Reyes.

Lembro-me de um contra-ataque no final do jogo que ele lançou a partir da bandeirola de canto (do lado do Benfica). Uma coisa linda!

O homem é demsiado bom para um clube como o Benfica.

PS. O que os portistas fizeram ao carro do Cebola foi lindo :):):):)

 
At 10/27/2008 10:48 da manhã, Blogger MALUCODOFUTEBOL said...

Caríssimo, foi um belo fim de semana, mas não esquecer que para a semana vamos a Guimarães (vai ser tremendamente dificil).

Quanto ao resto, até acho que Nuno Gomes merece ser titular neste momento. Mas falhou mais um golo escandaloso.

Já o afirmei, Tacuara está também a precisar de banco para ver se se mexe mais um bocadinho ( e viram como foi ele que fez o passe para o Jorge Ribeiro e depois voou e muito bem?).

Quanto ao resto, tudo normal. E José Mota que não se queixou da arbitragem...??? Que mais será preciso para termos um penalty a favor?

 
At 10/27/2008 10:48 da manhã, Blogger MALUCODOFUTEBOL said...

Caríssimo, foi um belo fim de semana, mas não esquecer que para a semana vamos a Guimarães (vai ser tremendamente dificil).

Quanto ao resto, até acho que Nuno Gomes merece ser titular neste momento. Mas falhou mais um golo escandaloso.

Já o afirmei, Tacuara está também a precisar de banco para ver se se mexe mais um bocadinho ( e viram como foi ele que fez o passe para o Jorge Ribeiro e depois voou e muito bem?).

Quanto ao resto, tudo normal. E José Mota que não se queixou da arbitragem...??? Que mais será preciso para termos um penalty a favor?

 
At 10/27/2008 11:15 da manhã, Anonymous JFilipe said...

"PS. O que os portistas fizeram ao carro do Cebola foi lindo :):):):)"

Por acaso não foi. Segundo o Record ele tinha a filha lá dentro.

 
At 10/27/2008 12:36 da tarde, Anonymous Ntiago said...

Por acaso até gostei qb da 1ª parte. Não houve grande discernimento, mas houve vontade e atitude. Pelo menos não entraram a pensar que tinham o jogo ganho. A 2ª parte é que foi um pouco pior, apesar dos golos, o futebol do benfica andava aos tropeções.

Quim esteve igual a si próprio a tentar, por vezes, emular Ricardo, é verdade que fez lá uma mancha de grande nivel, mas é também verdade
que a situação só aconteceu porque fez uma defesa para a frente. No lance do golo pareceu-me displicente a forma como (não) atacou a bola. Será que o tipo não tem reflexos? Para não falar de dois passes à queima para Maxi Pereira.

A defesa não esteve mal, os laterais estiveram melhor a atacar do que a defender. Maxi esteve mais presente que Ribeiro. Os centrais só falharam no golo, de resto foi tudo muito sereno e controlaram as operações. Aliás o golo é uma falha colectiva.

Gostei (para variar) do Yebda. O tipo pode não ser um virtuoso das habilidades circenses, mas lá que mete futebol naquele meio-campo lá isso mete (para mim a melhor dupla que ali vi foi Yebda+Katso). Reyes, não esteve mal. Esteve bem na primeira parte a impor velocidade no futebol ofensivo o pior é que rebentou por completo na 2ª e só se viu-o em 2 ou 3 momentos. Amorim é que teve um desastre, é verdade que jogou (mais uma vez) adaptado mas também houve ali muita burrice. No lance do penalti, ele só tinha que seguir o jogo, visto que o arbitro não apitou, que a bola encontrava-se junto a ele e o seu marcador directo estava de costas a olhar para o arbitro.
Carlos Martins é que continua a ser um jogador do "tanto-faz", a defender não existe e no ataque pouco se viu para além de uns bonitos e supostamente devia ser ele que controlaria o futebol ofensivo do benfica.

Nuno Gomes falhou um golo que não se falha (mas que ele lá o falha à mesma), mas pelo menos esteve bem mais acertado que Suazo. Não me convence o "pantera hondurenho". O tipo tem força (e corpo) e alguma velocidade. Mas ainda não vi nada que faça pensar que uma troca Di Maria<->Suazo seja benéfica. Também não percebi o "Queque" ao por 2 jogadores de características iguais juntos e quando meteu Cardozo, foi este que se tornou móvel.

Di Maria entrou fez um pique e desapareceu. Katsouranis entrou e pouco ou nada fez, também pouco ou nada havia para fazer (rendeu Yebda). Cardozo fez o golo e andou lá pelo meio.

Não houve exibições brilhantes, mas para mim Yebda foi o melhor em campo do benfica (apesar de ter saido antes dos relógio marcar 70'). Queque é que continua um anjinho a fazer substituições. Amorim devia ter saido mais cedo e se calhar devia ter colocado Katsouranis (encostando Martins à direita) e não Di Maria. Foi também frustrante ver um meio-campo (após o golo) deixar o adversário jogar (Carlos Martins andava por lá a passear) e o Queque, invés de dar um puxão de orelhas aos jogadores desse sector estava mais interessado em falar como Nuno Gomes.

Frustração foi também ouvir os comentários do Tadeia.

 
At 10/28/2008 7:44 da tarde, Anonymous Dias Pereira said...

Meus caros,

Embora com algum tempo de atraso, não quero deixar de aqui registar uma opinião sobre o futebol que (não) estamos a jogar.
Devo dizer que concordo, em absoluto, com a análise do D'Arcy. No final do jogo, estava (obviamente!) muito satisfeito pela vitória e pelos três pontos conquistados, mas desesperado (e exasperado!) pelo facto de continuarmos a não ser consistentes, nem particularmente consequentes, no nosso desempenho em campo.
E, meus caros, a verdade é que, hoje, é muito fácil jogar com o Benfica. E qualquer equipa que jogue o jogo pelo jogo, sem preconceitos e sem inibições, pode muito bem ter sucesso nas suas ambições. Como, aliás, se tem podido constatar nos tempos mais recentes (Hertha de Berlim, Penafiel, Leixões, Paços de Ferreira...).
É que, a nossa equipa continua a jogar de forma muito macia, sem exerxer qualquer pressão consistente sobre o adversários, dando sempre espaço de sobra para que joguem e se desloquem com grande à-vontade, e permitindo, de forma displicente, fáceis situações de finalização.
Por outro lado, quando em situação de ataque, fazemos sempre tudo de modo muito previsível, denunciando com grande evidência os nossos movimentos e, invariavelmente, não empregando a necessária agressividade no desenvolvimento das jogadas.

O que me preocupa, seriamente, é que estes não são sintomas que se possam atribuir a uma qualquer fase de construção de uma equipa. Eles são, isso sim, sinónimos de uma falta de postura perante o jogo, de falta de entrega e de atitude, que só a espaços não são notórios. Isso é que me preocupa, verdadeiramente.
Continuo a pensar que os nossos atletas (salvo raras e honrosas excepções...) mantêm uma postura, pouco humilde, de vedetas - que, julgam, mais tarde ou mais cedo, de uma forma ou de outra, resolverão os jogos... - em vez de serem laboriosos e denodados na disputa do jogo.
E nós hoje sabemos que o futebol é bem mais transpiração do que inspiração...

Por outro lado, também não estou convencido da validade de algumas apostas da equipa técnica, nomeadamente do treinador, como seja o caso do Carlos Martins, que me parece que querem transformar, à força (e parece-me que sem grandes possibilidades de sucesso...) num jogador capaz de cumprir tarefas relevantes também no plano defensivo. Acresce que, no caso em apreço, até na construção de jogo, o jogador tem estado, de forma continuada, particularmente mal...
O caso do Carlos Martins não é único. Também o Aimar me parece totalmente desadaptado ao papel que lhe têm querido reservar na equipa, isto é, ao lado (ou logo atrás...) do ponta de lança.
Enfim, creio que são factores negativos a mais nesta fase da época, para mais numa equipa que se quer candidata a vencer em todos os campos e em todas as competições.

Apesar de não ver muito os jogos das outras equipas, tenho apreciado o nível de organização, o desenvolvimento de processos e a consistência de equipas como o Braga ou o Guimarães, e fico a pensar comigo mesmo que, se nós jogarmos como temos estado a jogar, teremos sempre menos hipóteses de ganhar do que essas equipas, mesmo em confronto directo com elas.
(Por falar em Guimarães, o próximo fim de semana será lá em cima...)

Apesar da vitória de domingo, estou, muito sinceramente, bastante apreensivo.
Infelizmente, creio ter motivos para isso...

Um abraço, bem vermelho!!!

 

Enviar um comentário

<< Home