domingo, agosto 02, 2009

Portsmouth

Creio que o jogo desta noite, sobretudo durante a primeira parte, esteve perto da perfeição. Por norma não gosto muito de me deixar levar pelo entusiasmo típico da pré-época, para depois não sofrer grandes desilusões, mas face ao que venho vendo o Benfica produzir, é difícil não me deixar contagiar, e alimentar a esperança naquilo que poderemos fazer esta época.

Na constituição da equipa, de notar a colocação do David Luíz na esquerda, a estreia esta época do Sídnei, o Rúben Amorim no lugar que em princípio será do Ramires, e a escolha do Quim para a baliza. Quanto à primeira parte, ela pode resumir-se a um domínio incessante do Benfica. Os jogadores voltaram a pressionar o adversário bem dentro do seu meio campo, o que não apenas os impediu de atacar, mas também de conseguirem ter posse de bola digna desse nome. Os números ao intervalo ilustravam bem isto: 68% de posse de bola para o Benfica, e nem um único remate do Portsmouth. O Benfica começou desde cedo a ameaçar o golo, e acabou por consegui-lo após um quarto de hora de jogo, quando o Cardozo apontou um penálti transformado em livre pelo senhor Paulo Costa de forma exemplar, colocando a bola no ângulo (tomando um simples passo de balanço; não foi preciso mais). O segundo golo até poderia até ter surgido antes, tamanha foi a produção ofensiva do Benfica, mas apareceu aos 36 minutos, em mais uma bonita jogada de ataque. Após mais uma das inúmeras recuperações de bola logo sobre a linha do meio campo, pelo Di María, a bola passou pelos pés do Saviola, Aimar, Di María novamente, e este centrou para o Cardozo aparecer ao segundo poste a marcar, fazendo o resultado com que se saiu para o intervalo.

Para a segunda parte, já sem o Cardozo, o Benfica surgiu num ritmo um pouco mais pausado, o que até acabou por permitir ao Portsmouth passar do meio campo (só não sei se chegaram a conseguir fazer um remate que fosse à nossa baliza, porque eu sinceramente não me consigo recordar de nenhum). Mas o controlo do jogo nunca nos fugiu, e acabámos por marcar mais dois golos. Deu ainda para vermos a estreia do Keirrison, que jogou apenas um quarto de hora e naturalmente não teve oportunidades para mostrar muito. O primeiro golo surgiu em mais uma boa jogada de ataque, feita de uma forma que até pareceu fácil: sempre pela direita, a bola do Rúben para o Saviola, deste para o Carlos Martins, e depois um bom cruzamento para a boa finalização de cabeça do Weldon. E o quarto golo veio novamente da direita, onde o Di María, desmarcado pelo Coentrão, cruzou de letra para um defesa inglês se antecipar ao Weldon e ao Keirrison ao segundo poste, fazendo um autogolo, a cinco minutos do final, e dando ao resultado uma expressão justa para a enorme diferença de qualidade entre as duas equipas que se viu em campo.

Quando se ganha por quatro golos sem resposta, praticamente toda a gente merece elogios. Mas destaco o enorme Di María, mais uma vez, que está numa forma imparável nesta pré-época. Duas assistências e um sem-número de jogadas a esburacar a defesa inglesa. Cardozo a picar o ponto como de costume, e com o agradável pormenor de ter marcado mais um livre à Cardozo, que eu já tinha saudades destes (espero que continuem a deixá-lo marcar os livres, porque a marcar como ele só me lembro mesmo do Van Hooijdonk - e o livre de hoje fez mesmo lembrar os do holandês). Outro dos grandes responsáveis pelo que o Benfica tem feito de bom é o Aimar. Bem fisicamente, não só organiza o jogo como ainda é dos primeiros a lutar pela recuperação da bola e saídas rápidas para o ataque. As combinações dele com o Saviola, que se movimenta no ataque com uma grande inteligência, são bonitas de ver. Gostei de ver o regresso do Sídnei, jogador que muito admiro e que tem uma técnica nada habitual num defesa central. Javi García praticamente perfeito tacticamente - não é jogador para brilhar, mas é daqueles que de certeza notaremos a sua ausência quando não alinhar. Quanto ao menos bom, apenas a lesão do Maxi, que esperemos não seja grave, já que ele é um jogador fundamental.

Amanhã devem haver várias alterações, mas estou curioso para ver como é que nos sairemos contra um adversário do nosso campeonato, que provavelmente, querendo vencer o 'seu' torneio, utilizará as armas a que estamos habituados para nos travar. Então se o Flávio Meireles jogar, espero bem que o Aimar, caso alinhe, se cuide.

6 Comments:

At 8/02/2009 10:37 da manhã, Blogger joemorales said...

O que me agrada é que não é só ganhar, estamos a jogar um futebol bastante agradável e com constantes jogadas que nos mantêm de sorriso na cara, ao contrario do ano passado em que após 30 min estava a bocejar.

Hoje vai ser mais ao estilo do jogo com o Olhanense, mais paragens e picardias, um jogo mais fechado. Talvez um jogo para ver ao que veio o Weldon.

 
At 8/02/2009 12:39 da tarde, Blogger Hattori Hanzo said...

Jogo fácil onde tudo correu bem, mas com um adversário relativamente macio. Tinha visto parte do jogo deles com o Guimarães e já aí me tinham parecido fracos (pelo menos nesta altura, não sei se ainda estão atrasados na sua preparação). O que eu dizia há já algum tempo parece que o Jesus também se apercebeu - David Luís é bem capaz de ser o melhor a fazer a posição de Lateral esquerdo no plantel. Percebeu-se também que ele não conta já com Patric e não foi muito boa a última substituição dele, pois pode desanimar o brasileiro.

 
At 8/02/2009 1:33 da tarde, Blogger D'Arcy said...

O Portsmouth começa o campeonato daqui a duas semanas, tal como nós, por isso não deverá estar com a preparação atrasada.

O David Luiz perde imenso quando é desviado do centro para a esquerda. Acho que só jogou ontem ali para poupar o Shaffer para hoje, como aliás o deu a entender o Jesus nas declarações que fez. E quanto ao Patric, provavelmente também não entrou para poder fazer os noventa minutos hoje.

 
At 8/02/2009 3:16 da tarde, Blogger Hattori Hanzo said...

Eu não digo que ele (David Luiz) não seja melhor a central, só que ao contrário de Schaffer sabe defender (quando não entra nos seus delírios à frente e depois se esquece de defender), enquanto que a central embora seja possivelmente titular poderemos substitui-lo à vontade por alguém sem nenhum problema. E eu sei que ele disse isso, mas o que é certo é que foi o único dos possíveis titulares na temporada que ficou de fora além do guarda-redes e do atum. E se ele confiasse no argentino não teríamos de levar este ano com aquela amostra de jogador que gosta de andar de modelo em modelo. Quanto ao Patric também penso que vá jogar hoje, mas é certo que ele não confia nele e ontem notou-se mais uma vez isso. Quanto ao Portsmouth eu volto ao mesmo neste momento estão fracos, ainda terão de trabalhar muito. Eu vi parte do jogo com o Guimarães e o Guimarães também fez o que quis deles.

 
At 8/02/2009 5:16 da tarde, Anonymous REDHAWK said...

O problema vai ser mmo a lesão do El Mono, o jogador mais consistente deste Mega-Benfica 09/10.
Fodasse que não temos sorte nenhuma.

 
At 8/02/2009 6:24 da tarde, Blogger Índio Ruço said...

Tens razão Hattori, os ingleses foram muito fracos, então os ultimos dois golos são risiveis. No entanto a primeira parte foi boa, mas não excelente, pelo menos deu para alguns já dizerem que o Di Maria é bom quando o ano passado queriam despachá-lo por tuta e meia. O Inca Cardozo marcou dois grandes golos, o 1º então...de puta madre, embora não houvesse falta nenhuma...mas o que seria dizer bem do Paulo Costa, isso seria contrariar todo o script benfiquista.
existe ali na frente um quadrado das Bermudas (Aimar Saviola Cardozo e Di maria)que combina muito bem, mas que é muito macio nalgumas ocasiões.
Hoje sim é o teste.
Alem disso parece-me que este gas vai ser dificil de manter, há um acelerar da forma cedo demais, lá para Outubro se verá.


PS- realmente pena o maxi.

 

Enviar um comentário

<< Home