segunda-feira, janeiro 03, 2011

Tranquilo

Vitória normal sobre o Marítimo na estreia da Taça da Liga deste ano, num jogo tranquilo em que as diversas ausências e a presença de jogadores pouco utilizados no onze inicial pouco se fizeram notar.

As maiores novidades na equipa forma as presenças do Moreira, Fábio Faria e Airton, sendo que os dois primeiros ainda não tinham sido utilizados esta época em jogos oficiais. No meio campo apareceu o Carlos Martins na posição do Aimar, e na frente de ataque o Alan Kardec regressou, para forma dupla com o Saviola. O jogo iniciou-se repartido pelas duas equipas, com o Marítimo a mostrar-se algo desinibido e sem particulares cautelas defensivas, pelo que o futebol era jogado de forma aberta e a um ritmo agradável. Ambas as equipas ameaçaram marcar, o Benfica pelo Kardec, que falhou um remate sobre a linha da pequena área, e o Marítimo num cabeceamento de um jogador isolado, que poderia ter causado muito perigo se não tivesse enviado a bola à figura do Moreira. O Benfica foi no entanto aumentando um pouco a pressão, e chegou ao golo por volta dos vinte e cinco minutos de jogo, numa transição ofensiva rápida iniciada no Gaitán, que passou pelo Carlos Martins, e terminou na direita do ataque com um bonito remate cruzado do Salvio. O Marítimo pareceu acusar este golo, e a superioridade do Benfica em campo tornou-se então mais clara. Sempre sem parecer forçar muito, chegámos ao segundo golo a cinco minutos do intervalo. Após um livre do Carlos Martins ser defendido com alguma dificuldade pelo guarda-redes, a bola sobrou para o Gaitán na esquerda, que rematou cruzado e a bola seguiria para fora, mas apareceu o Saviola ao segundo poste para encostar e fazer um golo fácil. Com dois golos de vantagem à saída para o intervalo, dava ideia do jogo estar praticamente resolvido.

E foi na verdade o que se acabou por ver na segunda parte. O Marítimo raramente mostrou capacidade para incomodar o Moreira (apenas nos minutos finais do jogo chegou a ameaçar um pouco), e o Benfica, de forma tranquila, foi gerindo o resultado. Não me consigo recordar de grandes oportunidades de golo criadas na segunda parte, embora tenha gostado de algumas jogadas e trocas de bola que fizemos no ataque, e em particular da velocidade que conseguimos colocar em várias transições ofensivas - o que se acentuou um pouco depois da entrada do Jara, que mostrou vontade mas também alguma precipitação na finalização das jogadas. Houve algumas situações em que poderíamos ter feito melhor na altura do remate, mas não estivemos muito inspirados nesse aspecto particular.

Gostei dos argentinos: depois dos cinco golos argentinos com que fechámos o ano, mais dois para abrir o novo ano. Salvio, Saviola e Gaitán deram bastante dinâmica ao ataque. O Salvio mostrou querer manter a dinâmica do último jogo, e o Saviola, para além da muita movimentação no ataque, manteve a tendência para marcar que tem vindo a demonstrar nos últimos jogos (já o ano passado, por esta altura, ele teve um sequência fantástica de jogos consecutivos a marcar). O Gaitán voltou a mostrar pormenores de classe, e esteve directamente envolvido nos dois golos. O David Luiz parece estar a voltar a mostrar alegria em jogar futebol, e tacticamente gostei de ver o Airton.

Importante ou não, a verdade é que a Taça da Liga tem sido nossa nos dois últimos anos, e gostaria de mantê-la. Foi importante começar a vencer, e ainda mais importante que a equipa, muito desfalcada (meia dúzia de habituais titulares ausentes), mostrasse que os sinais positivos que vinha dando antes da pausa de Natal pareçam manter-se. E não sendo propriamente brilhante, ainda assim gostei que estivessem quase 21.000 benfiquistas na Luz esta noite.

4 Comments:

At 1/04/2011 3:04 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Sim, não é brilhante.

Mas para um jogo da Taça da Liga, a 2 de Janeiro, não é mau

 
At 1/05/2011 5:51 da tarde, Blogger joão said...

Mais uma vez muito bom o teu post.

Onde as ausências se fizeram mais notar foi no ritmo de jogo um pouco mais pausado e nos minutos finais do jogo onde metade da equipa já estava completamente desgastada.

 
At 1/05/2011 11:15 da tarde, Anonymous Anónimo said...

E o Aimar continua a ser "baixa". Também par ao jogo com a U. Leiria

 
At 1/06/2011 11:53 da tarde, Anonymous JFilipe said...

Boa análise do jogo. O Kardec continua a deprimir-me, não pelos falhanços mas por uma certa falta de atitude, de jogador satisfeito com o banco. O Jara parece-me ter menos potencial mas que tem vontade lá isso tem.

Se não me engano, nos últimos 12 jogos a nível interno ganhámos 11 (9 para a liga, 1 para a taça da liga, 1 para a taça). Temos uma equipa preparada para despachar autocarros de equipas médio-fracas. Os campeonatos ganham-se contra estas equipas, foi pena o avanço que demos nas 4 primeiras jornadas.

 

Enviar um comentário

<< Home