terça-feira, dezembro 07, 2010

Erros

Na minha opinião, o melhor que houve esta noite na Luz foi mesmo o equipamento alternativo estreado, que é francamente mais bonito do que o laranja que normalmente utilizamos. De resto, foi apenas mais um (o último) capítulo da triste história que foi a nossa participação na Champions League este ano.

Com um onze em que as principais novidades foram as presenças do Carlos Martins e do César Peixoto (Aimar e Gaitán no banco), o Benfica fez uma primeira parte muito fraca, jogando quase sempre de forma demasiado lenta e previsível. A tendência para afunilar o jogo foi muita, e o próprio empenho dos jogadores no jogo deixou muito a desejar. Não era incomum vermos situações em que o jogador que conduzia a bola não tinha quaisquer opções de passe, porque os colegas ficavam simplesmente a olhar para ele sem sequer tentarem desmarcar-se ou movimentar-se para criar linhas de passe. Mesmo assim, conseguimos criar algumas situações de perigo, que os nossos jogadores, mantendo a linha que tem sido habitual na Europa, se encarregaram de desperdiçar. Também na mesma linha, à primeira oportunidade que o adversário criou, fez o primeiro remate à baliza no jogo, e fez também golo. O que só veio contribuir para piorar ainda mais a qualidade do nosso jogo. Os números ao intervalo até poderiam colocar um pouco em causa a justiça do resultado, mas face ao que produzimos, a desvantagem no marcador era perfeitamente aceitável.

Duas substituições ao intervalo, com as entradas do Aimar e do Gaitán para os lugares do Peixoto e do Maxi. Mas o nosso jogo, inicialmente, não melhorou muito, e manteve-se no mesmo registo da primeira parte. Só na meia hora final é que finalmente começámos a colocar um pouco mais de velocidade e agressividade no jogo, e a qualidade subiu um bocadinho por via disso. As oportunidades também começaram a surgir, algumas delas flagrantes (Cardozo e Aimar), mas o jeitinho especial que temos revelado na Champions para as desperdiçar continuou todo lá. Para não variar, a máxima de que quem não marca, sofre voltou a aplicar-se, e a dez minutos do final o Schalke voltou a marcar, revelando um aproveitamento quase total das oportunidades construídas. A nossa defesa foi apanhada desprevenida quando tentava subir, e o adversário, sozinho frente ao Roberto, não teve dificuldades em marcar. Nesta altura o Benfica estava efectivamente fora das competições europeias. Só a três minutos do final, numa jogada de insistência, o Benfica chegou ao golo, através de um cabeceamento do Luisão já perto da pequena área. E já em descontos, o empate poderia ter surgido, mas o livre apontado pelo David Luiz levou a bola a embater no poste. A única notícia positiva que chegou com o apito final foi a do empate do Lyon nos minutos finais.

Posso mencionar o Luisão ou o David Luiz como alguns dos menos maus esta noite, mais sobretudo pela atitude em campo do que pelo que efectivamente produziram. O nível geral da exibição foi baixo, e houve jogadores como o Rúben Amorim ou o Cardozo que praticamente nada conseguiram fazer de positivo no jogo (não foram os únicos).

Os números finais podem parecer enganadores. Afinal de contas, fizemos praticamente o triplo dos remates do Schalke, e acabámos por perder o jogo. E não foi a primeira vez que isto aconteceu connosco este ano na Champions. Ao princípio podemos ficar irritados, mas quando isto acontece diversas vezes, não pode ser apenas obra do acaso ou do azar. A conclusão óbvia é que a nossa equipa, simplesmente, não tem ainda estofo para esta competição. Não se podem desperdiçar oportunidades como aquelas que andámos a falhar nos nossos jogos. Numa competição deste nível, erros destes (e isto são erros tão grandes como um mau atraso de um defesa, ou um frango do guarda-redes) pagam-se muito caros. Não vi os nossos adversários cometerem-nos: a diferença de eficácia deles para nós foi brutal. Na Alemanha passámos mais de uma hora a dominar o jogo e a falhar golos. Assim que lhes permitimos uma oportunidade, eles marcaram. Hoje mostraram a mesma eficácia, e em Israel perdemos da forma que sabemos.

A verdade é que não merecemos passar aos oitavos de final, e sinceramente, tendo em conta o que vi, se calhar ainda bem que não passámos mesmo, porque a acumular erros desta forma dificilmente lá iríamos fazer alguma coisa. Esperemos que as coisas sejam melhores na Liga Europa.

8 Comments:

At 12/08/2010 1:47 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Que época vergonhosa

 
At 12/08/2010 9:55 da manhã, Anonymous slb4ever said...

Já estão a pensar nas férias do Natal. Atitude nula da maioria dos jogadores e opções técnicas duvidosas.
Peixoto a titular pq? Qd retificou isto ao intervalo qual foi a ideia de tirar o Maxi e colocar o Ruben a lateral o qual JJ recentemente admitiu ainda estar a ganhar ritmo. Andar a rodar o Sálvio para o Atlético e abdicar da experiencia e qualidade de Nuno Gomes tb tem nos trazido grandes resultados como se tem visto.
A qualificação para a liga europa ñ satisfaz devido á forma como é alcançada e direção, treinador e boa parte do plantel ñ o merecem.

Realmente o equipamento novo foi das poucas coisas positivas.

 
At 12/08/2010 5:19 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Esta administração tem muito mérito em muitos aspectos, nomeadamente o empreendimento e dinâmica que criaram no clube como é exenplo o que se fez na ultima época.

No entanto, o planeamento da época actual foi tão mediocre que, muito dificilamente alguém faria pior.

O treinador não soube também gerar uma dinâmica de equipa, nem qualquer teor colectivo, o que tem implicado um constante marcar de records negativos no âmbito desportivo.

O número de derrotas da presente época é representativo da incompetência de diversos âmbitos da actual estrutura da equipa senior.

Relembro que muitos elementos dessa equipa e vários jogadores que nunca tinham ganho absolutamente nada de relevante, após UMA ÚNICA conquista (o ultimo campeonato), não perderem tempo e "exigiram" aumentos de vencimento e outras regalias contratuais.

É publico também que o JJ, que era um Zé ninguém até ter chegado ao Benfica, e também após UMA ÚNICA conquista fez chantagem com a Direcção do Benfica (FC PORTO no meio) e viu todos os items do seu contrato melhorados.

Após tudo isso, estamos perante uma direcção, um treinador e vários jogadores a auferirem vencimentos principescos, a delipidarem o patrimonio do Benfica e no Âmbito desportivo a não terem qualidade nem preparação suficiente para ganham a Académicas, nem a Nacionais, nem a Guimarães.
Também não é suficiente para perderem por menos de 4 golos com o FC Porto, nem por menos de 4 golos com o Hapoel.

Depois temos os jogadores indicados pelo treinador que não jogam ou jogam muito, muito mal (ex. Peixoto)

É evidente que, com este cenário desportivo os milhares de Euros perdidos são muitos. Só que os contratos, para estes meninos que jogam muito pouco, já foram muito melhorados.

 
At 12/09/2010 7:23 da manhã, Anonymous JFilipe said...

Não acredito que tenha a ver com o planeamento da época ou com as contratações. Temos equipa mais que suficiente para bater os alemães e dos israelitas nem se fala. A questão está no treinador que tem uma táctica adaptada a enfrentar apenas os clubes da nossa liga.

As debilidades tácticas do Benfica, tinham ficado a nu em Liverpool, e depois no jogo com o fequepe em que a jogar contra 10 perdemos 3-1. O problema é que todos já nos toparam. É irritante mas qualquer treinador competente e com jogadores bons arrisca-se a golear-nos.

O Jesus safa-se muito bem contra equipas bastante fracas, e não acredito que venha a perder muitos mais pontos para a Liga. Continuo a acreditar no campeonato, agora quanto à liga europa e mesmo as taças não tenho a menor confiança no JJ.

 
At 12/09/2010 2:42 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Concordo contigo JFilipe, o JJ é treinador apenas para jogar com equipazinhas cá do Burgo.

Mas o planeamento é mau demais. Recordo-me de ter ter dito a ti, antes da época começar, exactamente numa resposta a um post teu, que a saída do Di Maria e do Ramires iria inquinar a nossa época.

Era por demais perceptível que os nossos gestores não tinahm um plano "b" preparado.

Mas mesmo perante tudo isto, não era razão suficiente para tanta derrota e algumas por números vergonhosos.

Nunca, em toda a história deste clube, nos fomos confrontados com tantas derrotas nos jogos ofíciais actualmenet disputados

 
At 12/09/2010 3:41 da tarde, Anonymous JFilipe said...

Anonymous, mas isto já lá estava no ano passado. Levar 3-1 contra dez não é muito diferente de levar 5-0 contra 11. E o prenúncio da nossa campanha europeia viu-se face ao Liverpool. É verdade que Di Maria tinha mais rodagem que Gaitan, e Ramires garantia mais consistência defensiva que Carlos Martins, mas a nossa incapacidade de recuar e jogar contra equipas que falham poucos passes estava lá.

O JJ fez uma máquina para jogar junto à área de adversários que usam um autocarro para tapar a baliza e que possuem jogadores medianos na frente de ataque. A nível interno o modelo de jogo parece adequado, sobretudo com os regressos de Cardozo e Amorim.

O Braga é para golear.

 
At 12/09/2010 7:42 da tarde, Blogger joão said...

O Dobro das oportunidades do adversário e metade dos golos marcados, contas simples tivemos vinte cinco por cento da eficácia do adversário, tem sido uma nota negativa este ano a nossa eficácia com maior predominância na champions.
Por outro lado cometemos erros infantis na defesa que nos penalizam com golos sofridos.
Continuamos sem capacidade de resposta ás adversidades, quando sofremos um golo a equipa comporta-se como se já tivesse perdido o jogo, neste caso particular a equipa demorou quarenta e cinco minutos desde o golo sofrido até voltar a criar novamente perigo.

Anonymous At 12/08/2010 5:19 PM, só não podes é meter o Guimarães ai nesse bolo nesse jogo só não ganhamos porque não nos deixaram, nesse jogo a atitude da equipa foi boa.

Anonymous e JFilipe a má preparação e as contratações são mais duas coisas a somar ao que já estava mal, continuamos a não ter um plano B, uma táctica alternativa somos sempre demasiado previsíveis na táctica que jogamos.

 
At 12/10/2010 3:46 da tarde, Anonymous JFilipe said...

João, a preparação da época mede-se nos pontos que conseguirmos no campeonato. Se levámos 5-0 deste ou daquele, se fomos arrumados das competições europeias, é-me indiferente. O número "mágico" de pontos é fácil de definir, são 70 pontos. O Jesualdo foi campeão três vezes e não conseguiu ultrapassar esse valor. Se ultrapassarmos esse valor a época foi bem planeada.

Eu continuo a defender o Jesus. A mim o que me interessa são campeonatos e o Jesus é o treinador mais eficiente que tivémos nesse aspecto. Por outro lado não espero nada dele na europa.

 

Enviar um comentário

<< Home