sábado, março 19, 2005

A sorrir

Uma final já está; faltam mais oito.

De regresso à fórmula habitual, com apenas um avançado, apoiado pelo Nuno Assis, conseguimos uma vitória muito importante num campo que nos é tradicionalmente difícil. O jogo até nem nos começou de feição. O Vitória entrou muito forte, a pressionar muito, e com muita vontade de marcar cedo. Para piorar, perdemos o Petit, um dos nossos jogadores-chave, logo aos dois minutos. Mais do que este jogo, preocupa-me que a lesão o possa indisponibilizar para mais jogos nesta altura crítica do campeonato.

Só a partir dos 15/20 minutos é que o Benfica começou a pegar nas rédeas do jogo. Parece ser uma atitude típica do Benfica este ano: entra no jogo com uma imagem um pouco hesitante, a dar a iniciativa de jogo ao adversário. Depois, após este período inicial de estudo, resolve-se então a pegar no jogo. Foi nesta altura que me pareceu que ficou um penalty por marcar, por falta sobre o Geovanni. Um lance típico: avançado e guarda-redes fazem-se à bola, o avançado chega primeiro e toca na bola, e o guarda-redes não consegue evitar o contacto e faz penalty. O árbitro neste caso decidiu-se por dar pontapé de baliza para o Vitória, o que não é muito compreensível. Se não marca penalty, das duas uma: ou mostra amarelo ao Geovanni por simulação, ou marca pontapé de canto por entender que o guarda-redes tocou na bola.

Pouco depois deu-se o lance mais decisivo do jogo: excesso de confiança do Veríssimo, a deixar-se desarmar pelo Simão, e depois a puxar a camisola do mesmo quando este seguia para a baliza. Cartão vermelho evidente. A partir daqui passámos a ter tudo para ganhar, e só faltava mesmo quebrar o nulo, o que aconteceu muito perto do intervalo num remate de longe do Manuel Fernandes, com grande colaboração do guarda-redes Paulo Ribeiro (ironicamente, parece que já está contratado pelo FCP). Marcando nesta altura ideal, o Benfica sai para o intervalo em vantagem numérica e no marcador. As coisas continuavam a sorrir para nós.

Na segunda parte, o Vitória entrou na expectativa, enquanto que o Benfica parecia decidido a matar o jogo. O que acabou por acontecer aos 19 minutos: subida do Miguel pela direita, centro, o defesa do Vitória falha a intercepção, e a bola sobra para o Geovanni que, após alguma hesitação, se decidiu pelo remate com o pé esquerdo, beneficiando de um ressalto no mesmo defesa que falhar o corte. Se a vitória já parecia estar quase assegurada, depois deste golo o jogo ficou decidido. A partir daqui foi apenas gerir o resultado, e na verdade até estivémos mais perto do 3-0 do que o Vitória do 1-2 (a única ocasião de verdadeiro perigo do Vitória de que me recordo na segunda parte foi pelo Bruno Moraes, após uma falha do Luisão).

Esta noite gostei muito de ver o Ricardo Rocha, o Miguel, e o Manuel Fernandes. Em contraponto, achei que o Dos Santos e o Nuno Assis tiveram jogos menos conseguidos. Não jogaram propriamente mal, mas estiveram infelizes a passar a bola, e tiveram algumas perdas de bola desnecessárias.

Agora, quando chegar 2ªFeira, vamos instalar-nos confortavelmente nos nossos sofás, e assistir ao jogo dos nossos rivais. Pode ser que no fim da noite o arguido no processo Apito Dourado tenha que pensar em mais algum estratagema para desviar a atenção dos seus adeptos das asneiras que tem feito esta época. Isto de um arguido num caso de corrupção andar desesperadamente a acusar outros do crime do qual ele é acusado seria digno dos Monty Python. Quanto à minha preferência para o jogo de 2ªFeira: que percam os dois!

P.S.- Algumas pérolas da transmissão televisiva de hoje:

1- Aos 41 minutos de jogo, com o nulo no marcador, mostram o resultado: Vitória de Setúbal 1 - Benfica 0. Isto até nem seria muito escandaloso, mas o pior é que eles arranjaram um marcador para o golo e tudo: Jorginho, aos 40 minutos! Wishful thinking, talvez? Infelizmente para eles, um minuto depois o resultado ficou mesmo em 1-0, mas ao contrário das previsões.

2- A tristeza do repórter de campo após o golo do Geovanni, ao comentar taciturnamente: 'Mais um golo de sorte... é o desalento completo no banco...'

3- A tentativa do repórter nas entrevistas finais de fazer o José Rachão culpar o árbitro pela derrota. Felizmente o Rachão não caiu na esparrela.

11 Comments:

At 3/20/2005 1:03 da tarde, Blogger Ahab said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

 
At 3/20/2005 1:11 da tarde, Blogger Ahab said...

Eu teu post é óptimo. O seu único grande problema é a paranóia que tu, tal como milhares de benfiquistas mantens em relação aos jornalistas.

Os jornalistas estão interessados em criara sensação para aumentar as audiencias ou para vender jornais.

No caso do resultado errado mostrado na TV (que eu não ponho em causa que tenha acontecido...) eu penso que que os jornalistas se limitaram a ser uns incompetentes.

Aliás, esse caso não e muito diferente do do titulo do artigo acerca do Belenenses-Sporting no site da tsf há uns dias (e cuja existência tu puseste em causa).

Deixem os jornalistas em paz, eles não pasam de uns pobres diabos a tentar fazer pela vida.

Os benfiquistas em vez de recorrerem às explicações mais simples e lineares saltam logo para a paranoia pura e dura das teorias da conspiração. Isto num jogo que voces até venceram sem problemas. Voces estão a jogar bem, estão tranquilos e confiantes. Por isso têm é de se estar nas tintas para estas tretas e continuar o vosso caminho.

Mas eu acho que é mais forte do que voces. Mesmo quando jogam bem, vencem e estão na frente têm de se armar em coitadinhos...

O Benfica é o clube dos coitadinhos, dos pobrezinhos e dos oprimidos... chuif...chuif... já estou a verter uma lágrima...

 
At 3/20/2005 2:10 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Pá, uma coisa é mostrar um resultado errado, porque é um erro fácil de fazer. Agora, mostrar o resultado errado, e dar um nome para o marcador do golo, e o tempo de jogo em que o golo aconteceu, isso é incompetência a mais. Alguém teve que estar lá no computador a escrever 'Jorginho,40'. É absolutamente ridículo.

Eu sei que os jornalistas são incompetentes. Se não o fossem conseguiriam esconder as suas preferências, e passar para o público uma imagem de imparcialidade, que é o que se pede a um jornalista. As expressões e o tom do repórter de campo após os golos do Benfica 'Grande frango do guarda-redes...', 'Mais um golo de sorte...' mostram claramente a insatisfação do repórter perante o que aconteceu. E nem posso alongar-me muito, porque eu vi o jogo quase todo sem som. Eu acho os comentadores tão maus que carrego no 'Mute', e só ligo o som após os golos, ou alguma jogada mais polémica, para me deliciar com as pérolas jornalísticas.

Estes comentários que faço no final à transmissão televisiva não são nenhum manifesto conspiracional, nem estar a fazer-me de coitadinho. São precisamente uma crítica à incompetência jornalística a que te referes, e o gozo que me dá ver essa incompetência contrariada. Um bom jornalista deve conseguir passar um imagem imparcial, mesmo que odeie o Benfica com todas as forças. eu estou-me nas tintas para se os jornalistas são benfiquistas ou não, o que eu quero é que eles façam o seu trabalho como deve ser. Os de ontem não o conseguiram, e por isso considero-os incompetentes.

 
At 3/20/2005 7:31 da tarde, Blogger Ahab said...

Os jornalistas começam a estar com problemas porque, para tristeza deles (e minha!), o campeonato parece estar muito perto de estar resolvido...

Assim, eles tentam a todo custo criar tensão onde ela não existe.

PS. Eu não ponho em causa a vitória do SLB mas tens de reconhecer que os golos de ontem foram um frango monumental e um golpe de sorte. Agora o que eu penso é que o jornalista de televisão não deve usar o mesmo tipo de linguagem que o homem da rua usa quando comenta o jogo na tasca da esquina. A incompetencia do jornalista neste caso não está em dizer que o golo foi consentido mas na linguagem que usa para o ffazer.

 
At 3/20/2005 8:09 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Esse é precisamente o cerne destes meus comentários. Os tipos têm que se lembrar que enquanto estão de serviço no estádio são jornalistas, e não adeptos de futebol. Ainda para mais quando se comportam assim num jogo cuja grande maioria de telespectadores é do Benfica, é muito mais provável que estes reparem no seu mau profissionalismo.

 
At 3/20/2005 10:08 da tarde, Blogger Nuno M. S. Aleixo said...

Amigo benfiquista, curvo-me perante a tua análise! Quanto aos jornalistas portugueses... olha não me apetece dizer nada porque dá-me vómitos!
Abraço benfiquista! E só faltam 8 finais...e eu acredito! E sonho com a festa! Com calma, vamos acreditar!

Pl@ka
http://www.oqueeuvejodaquibyplaka.blogspot.com/

 
At 3/20/2005 11:30 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Obrigado pelo elogio :)

Sinceramente, eu ando a fazer um esforço tremendo para não acreditar demais e entrar em euforias, porque tenho medo da desilusão. Mas se me distraio, dou comigo a sonhar como será a festa se nós conseguirmos...

 
At 3/21/2005 12:47 da manhã, Blogger karadas said...

Estamos no bom caminho mas ainda temos muito sofrimento pela frente. São 8 finais qual delas a mais difícil. façamos votos para que hoje o F.C.Porto não ganhe porque se tal acontecer tudo se torna mais complicado.

http://almabenfiquista.blogspot.com

 
At 3/21/2005 10:36 da manhã, Anonymous Porco said...

Acho q começa a ser fácil entrarmos em euforias. Mas temos q manter a cabeça fria. Eu lembro-me sempre q para nós a superliga termina com 2 jogos dificilimos: boabista e spórtééémmm. O ideal era chegar lá já campeões! Espero q o spórtééémm ganhe hoje. Era + 1 passo nessa direcção...

 
At 3/21/2005 11:05 da tarde, Blogger Renato said...

bem dárcy do resto n falo..ams o lance do Geovanni n é penalty, repara q é ele q se atira p cima do GR..o Paulo Ribeirto mantem-se na mesma posiçao de cortpo e é o Geovanni q o procura..nao se queixem q fica mal!!!

 
At 3/22/2005 12:08 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Mantenho que é penalty. É um lance em que em 99% das ocasiões os árbitros marcam penalty. Ainda há duas semanas na Madeira, contra o Nacional, o Benfica teve um penalty contra assim. E também na Madeira, Liedson sacou um penalty desta forma, mas ainda mais descarada: tocou a bola para a direita, e correu para a esquerda, na direcção do Hilário. E o árbitro marcou penalty.

É óbvio que o Geovanni não tentou evitar o contacto. É o que os avançados todos fazem.

 

Enviar um comentário

<< Home