segunda-feira, outubro 05, 2009

Resposta

Depois do desaire na Liga Europa, o Benfica deu esta noite a melhor resposta, e graças a uma primeira parte quase perfeita conquistámos a vitória num campo tradicionalmente difícil. E para quem ainda duvida do potencial deste Benfica, a vitória foi conseguida 'apenas' sem o Aimar, o Di María e o Maxi, três titulares indiscutíveis, mostrando que temos diversas soluções no plantel para suprir as ausências de qualquer jogador importante.

Foram cinco as alterações em relação ao onze de Atenas. Para além dos três já citados, que foram substituídos pelo Carlos Martins, Fábio Coentrão e Rúben Amorim, entraram o Quim e o Shaffer para os lugares do Júlio César e do César Peixoto. E, correspondendo ao discurso do nosso treinador sobre a necessidade de sermos agressivos neste jogo, o Benfica entrou a matar. Eu gosto muito de ouvir os comentários carregados de esperança dos comentadores da TV. Contra o Leiria, eram eles que não sofriam golos há trezentos e não sei quantos minutos. Aguentaram quatro contra nós. Agora o Paços ainda não tinha perdido em casa, e até o fóculporto já lá tinha empatado e tal. Foram menos de três minutos até estarem a perder. Após um canto (cedido numa jogada em que o Fábio Coentrão, em boa situação para marcar, acabou por complicar) marcado pelo Carlos Martins, o David Luiz entrou ao primeiro poste e cabeceou cruzado para o segundo, sem hipóteses de defesa (segundo o repórter de campo da SportTV, com 'muita passividade dos defesas do Paços'... pois).

O Paços reagiu bem ao golo, e tentou levar o jogo para a nossa baliza, mas o Benfica continuou a criar mais e melhores oportunidades de golo, com o Cardozo, após um erro de um defesa adversário, e o Saviola, depois de uma grande jogada individual, a verem o golo ser-lhes negado por boas intervenções do guarda-redes do Paços. Mas pouco depois dos vinte minutos, o golo surgiu mesmo, num grande remate do Carlos Martins, ainda a uma boa distância da baliza. Este segundo golo pareceu acabar com as veleidades do Paços, e o Benfica passou a controlar o jogo à vontade, mesmo sem necessidade de acelerar muito. Adivinhava-se que o Benfica ainda pudesse aumentar a sua vantagem, já que o Paços parecia incapaz de atinar sobretudo com as movimentações do Saviola, que aparecia sempre à vontade no espaço entre a defesa e o meio campo do Paços para receber a bola e virar-se, e estava a dar uma liberdade quase total para que o Carlos Martins pautasse o nosso jogo. O terceiro golo acabou por surgir aos quarenta minutos de jogo. Foi um livre assinalado por falta sobre o Saviola que, na minha opinião, deveria ter dado um vermelho directo ao defesa do Paços, já que este agarrou o Saviola (mais uma movimentação brilhante) quando ele se ia isolar, mas a benevolência do árbitro valeu-lhe apenas o amarelo. Indiferente a isto, o Cardozo marcou o livre de forma monumental, colocado e em força para o ângulo da baliza. Com este golo, o Cardozo introduziu também uma nova variável no jogo, que foi o deixar de se assinalar qualquer falta a favor do Benfica a menos de trinta metros da área, não fosse o Cardozo passar das marcas e fazer outra igual. E como castigo por ter feito aquilo, o Cardozo passou a ser escadote e saco de pancada para os defesas do Paços (em especial o cepo do Ozéia) até ao final do jogo.

Com três golos de vantagem ao intervalo, havia dois cenários possíveis na segunda parte: ou o Benfica mantinha o ritmo e saía daqui outra goleada, ou então optava por gerir o resultado. O que se viu foi o segundo cenário, o que não foi descabido tendo em conta que poderia haver alguma fadiga por causa do jogo com o AEK. A troca do Carlos Martins pelo Felipe Menezes também não nos beneficiou. Houve um nítido baixar das linhas da nossa parte, e vimos o Benfica no seu meio campo à espera do adversário, o que é atípico de uma equipa que estamos habituados a ver pressionar o adversário no seu próprio meio campo. Houve mérito do Paços nesta segunda parte, que a perder por três não baixou os braços, acreditou e pressionou o Benfica, o que resultou em muito pontapé para a frente da nossa parte, e muito pouca posse de bola. Insistindo sobretudo sobre a esquerda da nossa defesa, onde agora tinham colocado o Cristiano, eles conseguiram criar-nos dificuldades e algumas oportunidades de golo, sendo recompensados com um merecido golo de honra, quando faltavam pouco mais de vinte minutos para o final. Depois de mais de meia hora neste cenário, só durante os dez minutos finais é que o Benfica voltou a subir - muito por culpa da entrada do Weldon, que pressionou bastante os defesas do Paços na saída para o ataque, obrigando-os a recorrer ao pontapé para a frente - e o Paços deixou de ameaçar tanto, sendo então o jogo gerido de forma mais tranquila até final.

Começo por mencionar o bom regresso do Carlos Martins à equipa. Foi um jogador muito importante no bom futebol que apresentámos durante a primeira parte. Fez a assistência para o golo do David Luiz, e marcou também ele um grande golo. No trabalho do meio campo colocou-se sempre bem, o que lhe permitiu diversas intercepções de bola, e jogou sempre simples e eficazmente. A queda de produção do Benfica na segunda parte não me parece ter sido alheia à sua saída do jogo. Bom jogo também dos nossos centrais, que tiveram bastante trabalho na segunda parte. Já mencionei o Saviola, que é para mim importantíssimo pelas movimentações que tem e os espaços que cria. Não marcou, mas esteve no segundo e terceiro golos. Cardozo também bem, sobretudo na primeira parte, a conseguir fugir nas costas da defesa do Paços por diversas vezes, e a tabelar bem com os colegas. O Coentrão esteve hoje menos exuberante do que quando entra em jogo vindo do banco. Trabalhou bem defensivamente, mas no ataque esteve discreto e complicativo. Também menos brilhante que o costume esteve o Ramires, que até ficou ligado ao golo do Paços, ao perder a bola à entrada da área. Fez no entanto um jogo de muito trabalho, acabando a lateral direito.

Foi importante responder à derrota com o AEK desta forma. Sabemos todos a quantidade de abutres esfaimados que andam por aí à espera de deslizes do Benfica. Assim, terão que ficar silenciosos mais um bocado, enquanto nós mantemos a vantagem sobre a andradagem e, vergonhosamente, aumentamos para oito os pontos de vantagem sobre a lagartagem. E, volto a dizer, a importância desta vitória aumenta ainda mais por ter sido conseguida na ausência de jogadores nucleares do plantel. Agora segue-se, apenas daqui a três semanas, o Chicharro e a sua habitual frota de autocarros.

18 Comments:

At 10/05/2009 11:57 da tarde, Anonymous Filipe said...

Ganhámos, mas o Paços era fraquinho. Quando vierem as equipas a sério é que se vai ver...

 
At 10/06/2009 12:25 da manhã, Anonymous JFilipe said...

Espero bem que o Braga quando jogar contra o Benfica também seja classificado de fraquinho. O que sei é que equipas "fraquinhas" como Paços e Belenenses tiraram pontos a osgas e andrades.

O Meneses e o Ramires não se adaptaram lá muito bem ao "futebol de inverno" da segunda parte. A paragem que vem aí até é capaz de dar jeito.

 
At 10/06/2009 12:49 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Assim, sim.
Um jogo com querer, entrega e atitude.
Mesmo sem alguns dos jogadores mais utilizados a equipa mostrou capacidade e empenho na abordagem a um jogo cheio de "rastreiras"...
3º encontro em 8 dias e piso pesado.

Na ultima meia hora, alguns jogadores, com o Javi Garcia à cabeça, já mostravam níveis elevados de fadiga

Weldon mostrou mais uma vez a sua mais valia.

César Peixoto continua a mostrar pouco.

 
At 10/06/2009 2:54 da tarde, Blogger Mr. Shankly said...

Pois era, Filipe. O Belenenses tamnbém era, e o Setúbal nem merece estar na primeira. Mas o Sporting empatou com os primeiros e o Braga podia até ter empatado com os segundos. E o Paços empatou com o Porto (podia ter ganho perfeitamente).
Já agora, o Benfica o ano passado perdeu demasiados pontos com os fraquinhos. Assino já 4 derrotas com Porto e Sporting se ganharmos os outros.

 
At 10/06/2009 3:53 da tarde, Blogger Filipe said...

Eu estava só a ser irónico, ok? :D

 
At 10/06/2009 3:59 da tarde, Blogger Filipe said...

É que há muita gente que está à espera que o Benfica perca um jogo para se iniciar o declínio do Benfica. Há muita gente, que pensa que esta forma de jogar é fruto do acaso e que quando ganhamos um jogo é somente porque o adversário é fraco!
Nós vamos perder jogos de certeza absoluta. Vão aparecer jogos em que iremos jogar mal. Calha a todos. Mas a verdade é que esta atitude, esta forma de jogar, tem sido um padrão, tem sido a regra e não a excepção e por isso podemos perder na grécia e ir a Paços, um campo difícil, e sem 3 titulares fazer aquela primeira parte que fizemos! Estamos fortes!

 
At 10/06/2009 5:51 da tarde, Blogger Hattori Hanzo said...

Filipe não te esqueças do campo. Quando começassem os terrenos pesados é que o Benfica se veria aflito. Aquilo é combinado e à vez? As bocas vieram primeiro do Pinto da Costa, depois do Domingos seguido pelo Bettencourt ... Hoje foi de novo o Pinto da Costa. Amanhã será o Domingos ou será o Salvador? Eu aposto no 2º e vocês?

 
At 10/06/2009 11:03 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Filipe,

Perder na Grécia é que não, e não... :-) ainda não "engoli".
Se ganharem todos os encontros que faltam na Liga Europa, aí sim, talvez eu os desculpe.
Estamos a precisar MUITO de pontos no Ranking dos clubes da UEFA.
Quando formos à Liga dos Campeões não podemos ir parar ao pote 4.

 
At 10/07/2009 11:28 da manhã, Blogger D'Arcy said...

É altamente improvável que acabásemos no Pote 4. O Benfica neste momento está classificado em 21º no ranking da UEFA. O super-brilhante fóculporto, por exemplo, está apenas quatro lugares mais acima, no 17º. E a lagartagem, que tem a mania que faz melhores figuras na Europa do que nós, está num honroso 29º lugar. Claro que se tivermos uma prestação semelhante à do ano passado, para o ano caimos a pique, mas ainda assim não será suficiente para irmos parar ao Pote 4.

 
At 10/07/2009 11:45 da manhã, Blogger Hattori Hanzo said...

O anónimo tem uma certa razão. É verdade que para o ano caso entremos na Liga dos Campeões deveremos continuar no Pote 2, mas é certo que os resultados nas competições europeias não têm sido bons. Já não se ganha fora há algum tempo e isso é preocupante.

 
At 10/07/2009 11:57 da manhã, Anonymous Petição said...

POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL:
http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/

 
At 10/07/2009 6:33 da tarde, Anonymous JFilipe said...

O nosso Urreta marcou um golo ao Brasil (mas o Uruguai acabu derrotado por 3-1).

 
At 10/07/2009 11:12 da tarde, Blogger SouBenfiquista.com said...

Já se encontra a funcionar o Portal Glorioso, com links para os blogs, sites, fórums, twitters Benfiquistas e muito mais.
O Portal Glorioso está em http://soubenfiquista.com

Saudações Benfiquistas
SouBenfiquista.com Muito Orgulho

 
At 10/07/2009 11:35 da tarde, Anonymous Anónimo said...

D'Arcy,

A analise elaborada apenas para a próxima época é muito limitativa. Terá que ser feita mais além, até porque uma eventual participação na Liga do Campeões terá um factor de dificuldade maior, logo com menores probabilidades de fazer "tantos" pontos.

Consulta este link que contém a projecção da época seguinte:
http://www.xs4all.nl/~kassiesa/bert/uefa/data/method4/trank2011.html

E depois este, com a projeccção daqui a 2 épocas (nesta até o Braga está à nossa frente)
http://www.xs4all.nl/~kassiesa/bert/uefa/data/method4/trank2012.html


Bem sei que são projecções com os actuais pontos conquistados, mas apenas somando muitos pontos alteramos este cenário

 
At 10/13/2009 3:42 da manhã, Blogger rearviewmirror said...

era engraçado darem uma vista de olhos neste texto

"Brasugal a caminho do Mundial" em

www.averdadedaliga.blogspot.com

 
At 10/13/2009 5:19 da tarde, Blogger Hattori Hanzo said...

D'arcy o que é que achas que se deve fazer com o andebol ou a situação vai ficar assim o ano inteiro? Gostei hoje das palavras de Pedro Gama, mas não vejo muita coisa e esta situação é péssima para todos.

 
At 10/15/2009 1:32 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Não sei qual vai ser a solução a adoptar, mas sei que, por uma questão de princípio, o Benfica não vai deixar cair este caso.

 
At 10/15/2009 3:41 da tarde, Blogger Radagast said...

Em relação às equipas "fraquinhas":

"No início da temporada diziam que o Benfica só ganhava a grandes equipas, que o problema seria quando jogasse com as pequenas. Agora, ganha às pequenas por abadas e diz-se que o Benfica ainda não teve nenhum teste a sério. Se ganha os jogos é porque os outros são fracos, se não ganha é porque o Benfica é fraco.

A única forma de o Benfica ser considerado bom pelos demais é ganhar todos os jogos por goleada, mesmo que seja campeão, ganhe a taça e a Europa. O Benfica já perdeu e empatou esta temporada.

Podem, então, estar descansados, é oficial, o Benfica não presta para nada."

http://obrigadosapinto.blogspot.com/

 

Enviar um comentário

<< Home