domingo, novembro 01, 2009

Confiança

Peço desde já desculpa por não fazer uma crónica detalhada. Mas acabei de chegar de Braga, e sinto-me exausto, tanto física como mentalmente. A vontade e inspiração para escrever não pode, portanto, ser muita. Sinto que me falta também objectividade, porque não consegui estar sentado a ver o jogo com a atenção devida. Fui apenas mais um benfiquista na bancada, a sofrer pelo meu clube, e sem grande capacidade para estar a prestar muita atenção aos detalhes do jogo.

Perdemos pela primeira vez esta época numa competição interna. Alguma vez haveria de acontecer, e perante dois adversários fortes, a noite de hoje era uma ocasião propícia para que tal acontecesse. Um grande benfiquista uma vez disse-nos para prestarmos atenção à forma como as coisas se passavam no futebol português, e como quando a nossa equipa estava a crescer, em momentos em que poderíamos dar passos importantes e decisivos, se ergueriam sempre barreiras para nos bloquear. Hoje comprovei mais uma vez que é assim que as coisas se passam.

O Benfica entrou mal no jogo de hoje - ou poderíamos dizer que foi o Braga que entrou bem, mas a mim só me interessa o Benfica e estou-me nas tintas para as outras equipas, cuja existência ou acções são apenas olhadas de forma relativa ao Benfica. O resultado dessa má entrada foi sofrermos um golo logo aos sete minutos de jogo, resultando de um livre muito lateral sobre a linha de área. Não quero estar a apontar culpas, nem a discutir este tipo de coisas numa altura em que o mais importante é a união. Digo apenas que não gostei da forma como sofremos este golo, que me pareceu poder ser perfeitamente evitável em circunstâncias normais. A reacção da equipa ao golo foi boa. Imediatamente o Benfica carregou sobre o adversário, e entrou num período em que desenvolvemos diversas jogadas de ataque perigosas, e rematámos à baliza adversária. Numa dessas jogadas, e após uma saída idiota do Eduardo da baliza - algo que repetiu em praticamente todas as saídas a cruzamentos que efectuou durante o encontro - chegámos ao golo do empate, com alguém (lamento, mas no estádio não me consegui aperceber de quem foi)
a cabecear para a baliza vazia, mas o cabraozinho (peço desculpa pelo termo, mas neste momento isto é o mais correcto que consigo ser) do Jorge Sousa, solícito, anulou o golo por algo que ninguém no estádio pareceu conseguir ver. Este tipo só precisa que lhe seja dada uma oportunidade para nos lixar. E nós demo-la, tendo ele aproveitado para a agarrar com unhas e dentes. Não foi só por aí que a coisa correu mal. Podemos queixar-nos de nós próprios, sobretudo de alguma precipitação no ataque. Houve muitos passes finais que não saíram, ou saíram sem qualidade, o que nos levou a desperdiçar situações de potencial muito perigo. O Braga foi fazendo pela vida, defendeu como podia e sabia, e sobreviveu até ao intervalo.

À saída para o intervalo houve confusão à entrada do túnel - mais uma vez, neste jogo, vi os adversários cheios de vontade de provocar e causar picardias com os nossos jogadores (pareceu-me que tudo terá tido início numa situação em que, segundos antes, os jogadores do banco do Braga andaram a esconder a bola do Di María, que a queria para efectuar um lançamento rápido) - e no regresso descobri que o Sr.Sousa tinha mais uma vez demonstrado o seu excelente sentido de oportunidade, e excluído do jogo o melhor marcador do campeonato. Também houve alguém do Braga expulso, e com 10 de cada lado o Benfica voltou a entrar forte, encostando o Braga à sua área durante largos minutos. Mas mais uma vez, houve precipitação na finalização, e falta de qualidade no último passe. Por volta dos 70 minutos de jogo pareceu-me notório que a nossa equipa perdeu gás, e o Braga aproveitou então para se libertar da pressão e subir no terreno, vindo a marcar o segundo golo, que sentenciou o jogo, aos 77 minutos, isto num lance em que me pareceu haver demasiada passividade do lado esquerdo da nossa defesa e falta de decisão para simplesmente aliviar a bola daquela zona. Nos minutos que decorreram até final, o Braga aproveitou para controlar o jogo bem longe da sua área, e se calhar convencer-se que até tinha jogado muito bem.

O Cardozo fez uma primeira parte péssima, e para piorar foi expulso ao intervalo. A aposta no Coentrão não me pareceu bem sucedida hoje. O Saviola foi dos mais esclarecidos na primeira parte, mas foi baixando de rendimento ao longo de todo o jogo, chegando a níveis fracos na segunda parte. O Aimar esteve mal precisamente no já referido último passe. O Keirrison continua a parecer-me um corpo estranho à equipa, aparentando muita falta de confiança para rematar. O Di María e o Maxi pareceram-me dos mais empreendedores, mas tal como toda a equipa foram perdendo esclarecimento à medida que o jogo caminhava para o final.

Quando o jogo terminou, a equipa foi aplaudida por todos os adeptos presentes, e despedimo-nos dela com gritos de 'Benfica! Benfica!'. Esta derrota em nada abala a minha confiança e determinação. Perdemos um jogo. Mas vamos ser campeões.

16 Comments:

At 11/01/2009 12:56 da tarde, Blogger Hattori Hanzo said...

Parece-me que perdemos o jogo principalmente na 1ª substituição, a partir daí perdemos a predominância no meio-campo que tínhamos até aí. Percebo a ideia do Jesus (precisávamos de alguém no centro da área claramente), mas quanto a mimnão era Javi que devia ter saído e o Keirrison ainda mostrou muito pouco este ano e parece-me ter a confiança muito em baixo. D'arcy para toda a gente "não houve golo anulado já que ele apitou antes do Luisão cabecear", claro que se esquecem que a bola entrava de qualquer maneira mas isso parece não contar (e se aquiilo do Cardoso é falta então o jogo era interrompido de 5 em 5 segundos, se agora já há interrupções nem quero pensar como seria). Quanto ao intervalo, pareceu-me que começou o problema pelo Dimaria ter chutado para o banco do Braga (na tv não dá para ver isso de o banco do Braga ter escondido a bola ao argentino), no entanto não eram de certeza aqueles dois que iriam para a rua (havia gente muito mais nervosa pelo que se viu na tv, só se foi depois lá dentro). Gostaria de ver o que js vai inventar no seu relatório. Quanto a exibições pareceu-me que Aimar e Dimaria não estiveram ao seu nível: o primeiro falhou muitos passes e nunca apareceu sequer no jogo, o segundo parecia muito nervoso (a situação do intervalo é prova disso), querendo fazer tudo depressa demais, acabando por falhar, e o lance do 2º golo começa com uma perda de bola infantil dele.

 
At 11/01/2009 2:36 da tarde, Blogger Filipe said...

Perdemos o jogo, paciência. O braga não foi mais forte, mas foi mais eficaz.

Andar a jogar 10 contra 10 na segunda parte implica correr mais, pq há mais espaço. Ora o Benfica a perder, teve que encostar o Braga e correr bem mais. Depois nós últimos minutos pagámos a factura disso mesmo.


A equipa tem que entrar em campo mais calma. Não se pode deixar contagiar pelo ambiente e eplas picardias. Nos primeiros minutos de jogo os nossos jogadores fartaram-se de fazer entradas fora de tempo! Há que ter calma. Jogar de forma agressiva, não implica entrar aos lances de qualquer maneira.

Pá semana há mais!

 
At 11/01/2009 4:23 da tarde, Blogger PiareM said...

novo blog benfiquista:

purobenfiquismo.blogspot.com

saudações benfiquistas!

 
At 11/01/2009 6:42 da tarde, Blogger joão said...

Para mim foram cometidos dois erros o primeiro é que o braga ia apostar tudo no lado esquerdo para tirar partido do Fábio Coentrão, logo o Ramirez de inicio devia ter trocado com o Di Maria de flanco para ajudar mais o Coentrão, o segundo é que o treinador tardou muito a segunda e terceira substituição quando claramente o Benfica estava a perder força e a perder o meio campo o que resultou no segundo golo.
O quim mais uma vez esteve mal, e outra vez em Braga a três anos foi a mesma coisa.
O Coentrão não esteve tão bem porque não foi tão ajudado, pelo David Luiz, Javi Garcia e pelo Ramirez como com o Nacional porque neste jogo estes jogadores tiveram outras preocupações.
No segundo golo deles mais que hesitação houve medo de fazer falta ambos os jogadores já tinham amarelo.

O Cardozo leva duas chapadas e nenhum dos jogadores é expulso.

Hattori Hanzo o erro não é a saída do Javi Garcia só ele é que podia sair, não te esqueças que ele já tinha um cartão amarelo e na primeira falta levava o segundo amarelo, agora se devia entrar o Keirrison o Nuno ou o Weldon ai já é discutível a opção feita.

 
At 11/01/2009 7:39 da tarde, Blogger Hattori Hanzo said...

João, eu percebo isso, mas o que é certo é que perdemos o meio-campo a partir daí. Teoricamente ele até pode ter pensado bem (e de facto a estória do cartão amarelo ao Javi muda muita coisa, muito provavelmente ele não o tiraria se não o tivesse), mas pareceu-me que foi a partir daí que se notou que não íamos lá.

 
At 11/01/2009 10:15 da tarde, Anonymous JFilipe said...

Perdemos em casa da equipa que repartia o comando, e que anda a jogar bem. Parabéns ao Braga.

 
At 11/02/2009 12:46 da tarde, Anonymous JFilipe said...

Retiro os parabéns ao Braga. Vi as imagens do Cardozo a levar estalos de duas bestas nas barbas do bandeirinha e nada. O Ramires também levou um estalo e nada.

É óbvio que aquelas provocações eram a ver se os nossos reagiam para não jogarem em casa dos verde-ranho. Uma pouca vergonha e o clube tem que reagir.

 
At 11/02/2009 7:51 da tarde, Anonymous Petição said...

POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL:
http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/

 
At 11/03/2009 9:02 da manhã, Blogger Filipe said...

O facto de estarmos em falência técnica é algo que preocupa. Não me agrada o facto de estarmos dependentes de uma boa época desportiva para invertermos a situação. É demasiado arriscado.

 
At 11/03/2009 11:01 da manhã, Blogger D'Arcy said...

A questão é que não estamos dependentes de uma boa época. A 'falência técnica' é o resultado de uma opção consciente de investir na equipa e não vender nenhum dos jogadores importantes. Bastaria vender um, como o Di María, por exemplo, para inverter a situação.

O dinheiro do Benfica Stars Fund, ou a integração da Benfica Estádio na SAD, serão suficientes para mudar a situação de falência técnica.

 
At 11/04/2009 10:20 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Depois da 4ª decepção da época (depois de Marítimo, Poltava e Atenas), jogamos amanhã em Goodison Park, com o 13º classificado da Premier League, onde até agora, para o campeonato Inglês, o Everton apenas conseguiu ganhar em duas ocasiões.

A importâcia deste encontro vai muito além da pertinência do apuramento para a próxima fase.
No coeficiente da UEFA respeitante apenas à presente época, à data de hoje, o Benfica é o 49º classificado (Porto é 9º e Sporting é 30º).
É este o resultado dos pobres resultados que o Benfica tem tido nesta competição,... e fracos pecúlios neste coeficiente, pagam-se muito caro nas épocas seguintes.

 
At 11/05/2009 11:06 da tarde, Anonymous JFilipe said...

Anonymous, e se deixasses de elogiar os corruptos e os verde-ranho submissos?

As equipas da champions têm um bónus de 4 pontos Não é à toa que os 15 primeiros são da champions. O máximo que podíamos ter era 9.0332 pontos (1.0332 pontos de bonificação para as equipas portuguesas).

Pontos conquistados, sem bonificações apenas 11 equipas fizeram mais de 6 pontos.

 
At 11/06/2009 12:01 da manhã, Anonymous Anónimo said...

JFilipe,

Tens que ler com mais atenção.
Não elogiei ninguém, apenas referi (sem dar sequer opinião), como está actualmente estabelecido o ranking da UEFA.
Relativamente às regras inerentes ao cálculo do coeficinte, são as que a UEFA determinou e com as quais teremos que "viver", pois são essas mesmo que são utilizada na constituição dos cabeças de série e na constituição dos grupos da Champions.

Depois da jornada Europeia desta semana, o no coeficiente da presente temporada, Porto está em 9º, Sporting em 27º e Benfica em 38º

 
At 11/06/2009 9:23 da manhã, Blogger Dylan said...

O País entrou em êxtase com a derrota do Benfica em Braga, a contar para o campeonato nacional de futebol. O País? Não, talvez os adeptos do 2º maior clube nacional: os anti-benfiquistas. Sei que 200.000 sócios devem fazer doer a cabeça a muito boa gente e reduzem alguns à sua pequenez, mas não sabia que na cidade dos Arcebispos se tomavam as dores dos outros. Os caciques do futebol nacional que se cuidem: a mística encarnada que enche estádios está de volta, pronta a triturar esta espécie de aspirantes a papas que fazem do desporto uma guerra e que criam ambientes de inspiração siciliana. Quero acreditar que o apito tendencioso calar-se-á, quando for exposto no exterior e cair no ridículo. Com ele, os lacaios de serviço espalhados pelas diversas áreas da sociedade, agudizarão a caminho do exílio. Portanto, rejubilem enquanto podem...

http://dylans.blogs.sapo.pt/

 
At 11/07/2009 1:12 da manhã, Anonymous JFilipe said...

Anonymous e tu a dares-lhe, deves ser pessimista por natureza. Se reagi mal é porque isso é desinformação ao pior estilo afegão. Apresentas essa classificação como se fosse algo negativo quando não é.

Nessa classificação os clubes não começaram todos empatados com os mesmos pontos.

Quando começámos, das equipas qualificadas paras as fases de grupos, tínhamos 55 equipas acima de nós (32 delas com mais 3.5 a 4.5 pontos). Essas 55 eram as equipas da champions e dos países com bonificações superiores às de Portugal. Ao fim de 4 jogos subimos 17 lugares.

Antes de te mostrares preocupado espera pelo menos pelo fim da fase de grupos. E lembra-te que começamos a corrida em 55o. Há muitas equipas para ultrapassar e estamos bem lançados.

 
At 11/09/2009 1:32 da manhã, Anonymous Anónimo said...

:-)

Não é desinformação.
É o actual coeficiente Europeu da presente época, definido e composto com as Regras que a UEFA determinou.
É este coeficiente acumulado das ultimas 5 épocas que define o coeficiente definitivo.

Ora, sabendo nós que o ano passado foi péssimo (apenas 4.3570) e que vamos perder 17,100 pontos conquistados à 5 anos, teremos mesmo que fazer uma época forte neste capítulo. Por isso (mas não só), as derrotas em Poltava e Atenas originaram o meu aborrecimento, atendendo até que a probabilidade de fazer pontos na UEFA será maior que na Champions, onde, espero, estejamos na próxima época (isto não é ser péssimista :-) ).
Mas esperemos então pelo final da fase de grupos, ou mais à frente e voltamos a falar no assunto.

Já agora, não te aborreças, vou dar-te outros números de outra competição.
Nas duas ultimas épocas, no campeonato Português que espero conquistar este ano (isto não é ser pessimista) foram estes os números dessas conquistas.
Boavista 1
Sporting 2
Benfica 3
Porto 14

É ISTO QUE TEMOS QUE MUDAR e não vale a pena "refugiarmo-nos" na gramática ou em sentimentalismos, pois, são os números que reflectem a realidade.
Não me contento com um campeonato de vez em quando. Nós somos maiores que os restantes, logo, temos que vencer mais vezes que "eles".

 

Enviar um comentário

<< Home