domingo, janeiro 30, 2011

Fácil

Vitória muito fácil e obrigação cumprida num jogo em que o desequilíbrio de forças foi evidente, e no qual a nossa segunda linha conseguiu golear, mesmo jogando quase a passo.

A equipa com que o Benfica iniciou hoje o jogo contra o Aves deve ter sido a mais 'secundária' que apresentámos num jogo oficial esta época. Apenas dois dos habituais titulares no onze: Javi e Aimar. Curiosidade nas estreias do Jardel e do Fernandez. Julgo que também terá sido a estreia do Luís Filipe em jogos oficiais esta época - e tendo em conta a lesão do Rúben, creio que será importante que ele vá ganhando ritmo, visto ser a única alternativa ao Maxi que temos no plantel. O jogo em si não tem grande história. A primeira parte foi geralmente mal jogada, e a um ritmo lento, como convinha ao Benfica, a quem o empate bastaria para garantir o apuramento. Apenas o Jara parecia destoar dos colegas, insistindo em jogar a um ritmo mais elevado. O único facto digno de realce acaba mesmo por ser o golo marcado de cabeça pelo Javi García, quando faltavam dez minutos para o intervalo, aproveitando da melhor forma uma má saída do guarda-redes a um cruzamento largo do Fernandez.

A segunda parte trouxe mais do mesmo, estando o jogo a ser mesmo aborrecido de ver. O Benfica não precisava de acelerar, e o Aves não tinha capacidade para fazê-lo mesmo que quisesse. Pouco antes de decorridos quinze minutos entrou o Salvio, e velocidade extra que ele veio trazer ao jogo pareceu ser suficiente para acabar de vez com o Aves, que durante este período já mal conseguia passar do meio campo. Mesmo as nossas segundas escolhas pareceram ter um ritmo muito superior ao do Aves. Três golos acabaram por construir a goleada. Aos sessenta e nove minutos, um merecido golo do Jara, que aproveitou um corte deficiente de um defesa após um boa jogada entre o Sídnei e o Salvio na direita. Sete minutos depois, o terceiro golo, da autoria do Nuno Gomes, que teve uma finalização simples à entrada da pequena área depois de um remate do Salvio que desviou num defesa. E mesmo sobre o final, um bom golo do Felipe Meneses, que encheu o pé esquerdo de fora da área depois de uma combinação com o Nuno Gomes.

O maior interesse neste jogo seria ver as prestações do Jardel e do Fernandez. Sem ter tido muito trabalho, o primeiro pareceu-me ter estado bem. Fez o que lhe competia sem complicações, e isso bastou. Quando ao Fernandez, não deu para ver grande coisa. Pareceu ser trabalhador, e vi-o várias vezes a ajudar nas tarefas defensivas e a lutar pela bola. Acabou por fazer a assistência para o primeiro golo. Quanto aos outros, pareceu-me que o Jara foi o que esteve melhor, e gostei também do Sidnei.

Com uma goleada fechámos um mês de Janeiro 100% vitorioso, e podemos agora começar a pensar no jogo da próxima quarta-feira. Felizmente, após um jogo que dificilmente poderia ter sido mais apropriado para o anteceder. Fácil, sem exigir grandes esforços, e sem lesões. Convém que os nossos jogadores estejam descansados para conseguirem desviar-se eficazmente das pedras e bolas de golfe que os esperam.

1 Comments:

At 2/01/2011 7:19 da tarde, Blogger joão said...

Muito boa a tua análise como nos tens habituado.

Pela negativa o Kardec que esta num péssimo momento de forma, contrariamente ao período em que substituiu o Cardozo em que na minha opinião esteve razoavelmente bem, e o Menezes que infelizmente apenas tem pormenores e passa constantemente ao lado do jogo e pior não mostra sinais de evolução.

 

Enviar um comentário

<< Home