sábado, dezembro 17, 2011

Agradável

Exibição agradável e vitória tranquila e robusta no jogo que fechou 2011 para o Benfica.

Alguma surpresa com a presença do Saviola no onze, o que atirou com o Bruno César para o banco, sendo o Witsel a jogar mais sobre a direita. O Benfica entrou no jogo a praticar um futebol agradável, sendo também rapidamente evidente que o Rio Ave cumpria o prometido pelo seu treinador, e não se apresentava na Luz preocupado em jogar exclusivamente para o empate. O futebol agradável do Benfica não encontrava no entanto expressão em remates ou ocasiões muito perigosas, sobretudo porque o último passe teimava em não sair bem. Além disso as coisas não estavam a ser feitas com muita velocidade, e grande parte dos jogadores estavam algo presos às suas posições, vivendo o Benfica das subidas do Maxi pela direita, das explosões do Nolito na esquerda, e das constantes deambulações do Saviola para criar linhas de passe. Tudo sob a batuta do maestro Aimar. O Rio Ave tentava sempre responder, sobretudo através dos dois alas bastante rápidos que tinha em campo, mas algo contra a corrente do jogo que se colocou em vantagem, após vinte e quatro minutos. Num lance em que o Javi se deslocou até à direita não houve uma compensação eficaz na zona à frente da defesa, e foi aí que surgiu um dos alas solto para rematar colocado de trivela, obtendo um bonito golo.

Nos últimos jogos por vezes parece que o Benfica, assim que se apanha em vantagem, e sobretudo quando isto acontece cedo, abranda imediatamente o ritmo de jogo. Desta vez isso não aconteceu, e até pareceu fazer-nos bem o susto de nos vermos em desvantagem. A reacção da equipa foi boa, a velocidade aumentou, e dez minutos depois estava reposta a igualdade. Depois de já termos ameaçado com remates do Cardozo e do Saviola, o golo acabou por surgir na transformação de um penálti pelo Cardozo, a castigar um corte com a mão. Dois minutos depois já estávamos em vantagem, após um golo improvável do Nolito, que com a raça habitual fez tudo sozinho na esquerda, ultrapassando o defesa, ganhando o ressalto ao guarda-redes, e rematando praticamente sobre a linha final, com a bola a bater no poste antes de entrar. Em vantagem no marcador, desta vez o Benfica não abrandou e foi recompensado com o terceiro golo mesmo antes de sair para intervalo. O lance começou mais uma vez nos pés do Nolito pela esquerda, que fez um passe rasteiro atrasado para à entrada da área, na direcção do Aimar. Depois foi a classe de El Mago a fazer um passe de calcanhar de primeira na direcção do Saviola, que controlou com o peito e rematou para o golo.

O Benfica saiu da primeira parte a marcar, e entrou na segunda a fazer exactamente o mesmo. Julgo que o Rio Ave nem sequer tinha ainda tocado na bola quando esta parou no fundo da sua baliza. Livre descaído sobre a esquerda, após falta sobre o Nolito, marcado pelo Aimar para o segundo poste, onde o Garay ganhou posição sobre o defesa adversário com aparente facilidade, e cabeceou cruzado para o golo. Depois deste golo, aí sim, o Benfica abrandou claramente e passou a gerir calmamente o resultado, sem no entanto deixar de criar oportunidades para o aumentar, quase sempre com o Nolito envolvido nas jogadas. Foi por isso sem surpresa que o espanhol voltou mesmo a marcar, quando faltavam vinte minutos para o final. Recebeu a bola no interior da área após um canto, e com um remate pouco ortodoxo (apareceu ter escorregado na altura do remate) conseguiu que a bola passasse pelo meio de uma floresta de pernas e só acabasse nas redes do Rio Ave. Daí até final, salvo um remate do Rodrigo (tinha entrado para o lugar do Saviola) a obrigar o guarda-redes a uma defesa mais apertada, pouco mais se passou que seja digno de realce.

O homem do jogo é o Nolito. Dois golos e envolvimento nas jogadas de outros dois, para além de ter sido sempre um perigo constante para a defesa do Rio Ave, pela velocidade e objectividade que colocou sempre em jogo. Aimar mais uma vez muito bem - é um privilégio podermos vê-lo jogar com a nossa camisola, privilégio esse que espero que possamos prolongar, e o Maxi muito activo a fazer todo o seu corredor. Gostei também do Saviola: mesmo tendo tido algumas perdas de bola, nunca se escondeu do jogo, esteve sempre em movimento abrindo linhas de passe para os colegas, e foi justamente recompensado com um golo. Menção também para o bom jogo do Emerson, porque é justa e para não falar dele apenas quando erra. No geral, toda a equipa esteve a um bom nível.

Foi uma forma agradável de terminar o ano, garantindo, com a vitória mais expressiva da época até ao momento,
que entraremos em 2012 no topo da tabela da Liga. Apesar de algumas críticas, os números falam por si, e o que eles dizem é que estamos melhor do que quando fomos campeões, há dois anos atrás. Motivo de sobra para nos mantermos confiantes.

4 Comments:

At 12/17/2011 1:05 da tarde, Anonymous Filipe said...

Finalmente a mesma táctica que usámos a última vez que fomos campeões. Mudar o que está bem para quê?

Duvido que o Jesus tenha finalmente percebido que o Nolito é o melhor extremo da equipa. duvido mesmo!

 
At 12/17/2011 1:36 da tarde, Anonymous Toupeira Real said...

O maior divertimento que vou tendo após os jogos do SLB, é ler na "net" as apreciações do "tribunal" do Jogo. Já está na hora de alguém dedicar um post às maravilhosas análises dos ex-apitadeiros, sobretudo do Pedro Henriques, sim, esse mesmo que não viu 3 penalties na mesma jogada a favor do Glorioso mas conseguiu ver uma mão, lembrando que esse jogo marcou decididamente esse campeonato. dediquem, por muito pouco que eles mereçam, 2 ou 3 posts aos cavalheiros, sobretudo comparando análises com os jogos o porto, em situações idênticas.
Quanto ao jogo, não gostei. E sobretudo não gostei porque as "bailarinas" continuam a entender que quando estão a ganhar o jogo deixa de existir (a eliminação da Taça não lhes serviu de lição) e, por outro lado, a condição física da equipa deixa muito a desejar. Ganhamos, é o essencial, mas será que, com estas condicionantes, tal é suficiente para ganharmos o campeonato?

 
At 12/18/2011 5:54 da tarde, Blogger joão carlos said...

Mais uma crónica muito fiel ao que se passou em campo.


Merecidos elogios ao Emerson que fez um bom jogo contrariando o que vinha ultimamente a fazer e melhor que isso terá sido o jogo em que mais atacou, é verdade que quase sempre mal mas pelo menos atacou.
Depois das críticas no último jogo ao treinador por não colocar o Nolito, que vinha a crescer de forma, agora o elogio pela rectificação do erro cometido porque mais vale tarde do que nunca.

Toupeira Real discordo da tua critica neste jogo ao facto dos jogadores terem abrandado o ritmo, se ela é mais do que justo quando a equipa o faz quando apenas esta a vencer por um golo de diferença já que o resultado é insuficiente e nos deixa á mercê de um qualquer lance fortuito ou de um erro, agora criticar a equipa por abrandar o ritmo do jogo quando esta em vantagem por três golos é completamente descabido alias se existe altura em que a equipa deve começar a gerir os índices físicos é precisamente quando tem uma vantagem desta dimensão.

 
At 12/23/2011 4:27 da tarde, Blogger MAGALHÃES-SAD-SLB said...

A MAGALHÃES-SAD-SLB DESEJA A TODOS OS BENFIQUISTAS UM FELIZ NATAL E UM ANO DE 2012 REPLETO DE CONQUISTAS.

BENFICA SEMPRE!!!

 

Enviar um comentário

<< Home