domingo, agosto 03, 2008

PSG

Mais uma exibição sofrível, na mesma linha das do Torneio do Guadiana, só que desta vez fomos salvos da derrota pelos nossos pontas de lança. As experiências ainda continuam, o que leva a que neste momento ainda não seja capaz de imaginar qual deverá ser o onze base na cabeça do treinador para a próxima época, nem sequer qual o esquema táctico que ele pretende apresentar. Na primeira parte o Aimar voltou a aparecer quase como avançado e, a exemplo do jogo contra a lagartagem, quase não se viu. Em apenas cerca de dez minutos na segunda parte, em que o argentino recuou para o meio campo, deu para ver muito mais dele do que em toda a primeira parte. Formando dupla com o Aimar, apareceu o Nuno Gomes, e o que eu vi foi o mesmo que se tinha visto no Guadiana quando experimentámos jogar com o Aimar e o Urreta na frente, ou seja, a linha avançada praticamente não teve intervenção digna de registo no jogo.

Na defesa estreou-se o Sidnei, e devo dizer que fiquei agradado com as primeiras indicações. Infelizmente o brasileiro acabou por borrar a pintura no lance do segundo golo dos franceses, e estragar aquilo que poderia ter sido uma óptima apresentação aos adeptos do Benfica. Mas de qualquer forma fico com algumas expectativas, porque gostei do estilo dele, e até o David Luíz também começou com uma asneira contra o PSG, mas as boas indicações que deixou acabaram depois por confirmar-se. O Jorge Ribeiro apenas confirmou a opinião que tenho sobre a sua mediania como lateral esquerdo - mesmo sendo notória a falta de ritmo, gostei mais de ver o Léo naquela posição durante a segunda parte. No meio campo, que será o sector onde o Quique é capaz de ter mais dúvidas sobre quem dispensar, dois dos 'dispensáveis' parecem-me continuar a mostrar a sua utilidade: Binya e Nuno Assis, embora o camaronês tenha ficado ligado à jogada do primeiro golo do PSG, ao perder uma bola depois de se ter agarrado demasiado a ela - algo que não é muito habitual nele. O Carlos Martins foi o melhor, e o mais inconformado durante todo o tempo que esteve em campo.

Na frente, os dois avançados entrados na segunda parte fizeram a sua obrigação, marcando um golo cada. O Makukula foi em várias situações o trapalhão do costume, mas depois inventou aquele golão, e quanto ao Cardozo (que ainda parece estar um pouco preso de movimentos - foram apenas os primeiros minutos que jogou na pré-época) aproveitou um erro de um defesa adversário, e com apenas dois simples toques fez o empate. Conforme disse antes, ainda não faço ideia de quais serão as intenções do Quique para a nova época, mas espero que não andem muito longe de jogar com dois avançados, e que um deles seja o Cardozo (o outro pode ser o tal avançado móvel, do estilo do Luís Garcia).

E para terminar, volto a dizer algo que já disse depois dos jogos do Torneio do Guadiana: não me agrada nada a ideia de jogar com a defesa em linha. Tenho visto asneiras atrás de asneiras quando o tentamos fazer, e ainda assim temos tido a sorte dos árbitros auxiliares nos nossos jogos serem relativamente incompetentes na apreciação desses lances.

3 Comments:

At 8/04/2008 1:53 da manhã, Anonymous BENFICA MCDM said...

A tua opinião é importante para o Benfica e para todos os benfiquistas.
Participa e divulga no blog benficaomaiorclubedomundo.blogspot.com

Para que o Benfica continue a ser o Maior Clube do Mundo.

 
At 8/04/2008 10:41 da tarde, Blogger Harry Lime said...

O Makakula marcou o golo da vida dele :):):):):)

No resto, a defesa em linha é perigosa e o vosso primeiro golo foi fruto disso.

 
At 8/04/2008 10:41 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 

Enviar um comentário

<< Home