domingo, abril 26, 2009

Compêndio

Um verdadeiro compêndio, foi aquilo que este jogo revelou ser. Um compêndio sobre como um projecto de árbitro, de forma extremamente competente e nada ardilosa, conseguiu equilibrar os pratos da balança de um jogo que, em futebol jogado, chegou a mostrar tamanho desequilíbrio que a única previsão possível para o resultado final era uma goleada, com um desnível comparável ao que vimos na primeira volta entre estas mesmas equipas.

No que diz respeito ao futebol, o Benfica apresentou pela terceira jornada consecutiva o mesmo onze, organizado num 4-4-2 clássico. Isto frente a um Marítimo que apareceu com um 4-3-3, apostando na velocidade de dois ex-jogadores do Benfica para os extremos (Manú e Paulo Jorge). Sem ter tido uma entrada brilhante no jogo, aos poucos o Benfica foi tomando conta do mesmo, e mostrando um futebol com mais alguns dos traços que lhe temos visto nos úiltimos tempos, em particular uma maior velocidade, capacidade de pressão sobre o adversário em terrenos mais adiantados, e bastante mobilidade/liberdade dos seus jogadores no terreno, sendo frequentes as trocas de posição. Quanto ao Marítimo, não me pareceu que se remetesse exclusivamente à defesa, resultando daí um jogo interessante de seguir, mesmo que nem sempre tenha sido bem jogado. Este 4-4-2 do Benfica, como disse, tem mostrado algumas características bastante interessantes, sendo a mais evidente a capacidade para criarmos oportunidades de golo e rematarmos frequentemente. Por outro lado, não é uma táctica isenta de riscos, já que com o meio campo entregue quase exclusivamente à dupla Carlos Martins/Rúben Amorim, parece-me que somos por vezes demasiado 'macios' nessa zona, sendo por vezes evidente o espaço exagerado que concedemos ao adversário para jogar nessa zona (na segunda parte, e face à muito menor disponibilidade do Di María para defender quando comparado com o Aimar, esse pormenor foi ainda mais visível).

Parecia portanto ser bastante provável que o Benfica, quebrando a infeliz tendência desta época nos jogos caseiros, fosse capaz de marcar durante a primeira parte. E isso acabou por acontecer à meia hora de jogo, de uma forma fortuita: houve um cruzamento do David Luíz na esquerda, o Nuno Gomes e um defesa do Marítimo fizeram-se à bola sem no entanto lhe tocar, e esta acabou por descrever um arco, entrando ao segundo poste. Apesar de obtida de forma feliz, a vantagem já se justificava naquele momento, porque nessa altura o jogo já só dava Benfica. Como se costuma dizer muitas vezes, o que custa é o primeiro, por isso foi com uma aparente facilidade que, no espaço de oito minutos, marcámos mais dois golos. O primeiro pelo Cardozo, na conclusão de uma boa jogada em que o Carlos Martins desmarcou o Maxi na direita, e este centrou tenso e rasteiro para a emenda do paraguaio. Foi também da autoria do Cardozo o terceiro golo da noite, desta vez emendando à boca da baliza um cabeceamento vindo do outro lado, após livre do Reyes. Com isto, o Cardozo soma agora seis golos nos últimos quatro jogos. Hoje foram para mim evidentes os benefícios que ele tirou da companhia do Nuno Gomes, cuja mobilidade contribuiu para abrir bastantes espaços para o paraguaio. Conforme disse, nesta altura já cheirava a goleada, mas com a contribuição preciosa do senhor Rui Costa e uma série de livres por ele assinalados, o Marítimo ainda conseguiu finalmente acercar-se da nossa baliza, e marcar sobre o intervalo. Neste particular, confesso que me irrita o facto de defendermos este tipo de lances com onze jogadores dentro da área, e ainda assim ser desta forma que acabamos por sofrer grande parte dos golos. Voltando ao jogo, fiquei logo com a sensação de que foi este golo que evitou o descalabro do Marítimo, porque se fôssemos para o intervalo com três golos sem resposta, o jogo acabaria inevitavelmente numa goleada.

O segundo tempo trouxe-nos uma alteração importante, pois o Benfica surgiu com o Di María no lugar do Aimar. Não sei qual foi o motivo para esta alteração, mas na minha opinião ela reflectiu-se negativamente no nosso jogo. Fez-nos falta a capacidade do Aimar para segurar a bola no meio campo adversário, esperando pela movimentação dos colegas para depois combinar de forma inteligente com eles. Com o Di María as coisas passam-se de uma forma muito mais linear, e além disso ele não esteve numa noite particularmente inspirada, procurando quase sempre resolver as coisas demasiado depressa, com resultados invariavelmente negativos (centrar bolas para a área sem sequer levantar a cabeça para ver o posicionamento dos colegas - ou ver sequer se estão de facto colegas na área - não faz sentido nenhum). O jogo continuava a ser disputado a um ritmo elevado e de uma forma aberta, embora a qualidade do mesmo tenha sido inferior à primeira parte. O Marítimo mostrava vontade de discutir o resultado, lá isso mostrava, mas capacidade para ameaçar a nossa baliza é que nem vê-la. Não sei quantos remates terão eles feito, mas tenho a certeza de que os dedos de uma mão chegam e sobram para contá-los. Não me recordo de ver o Quim fazer uma única defesa.

Mas não nos podemos esquecer do competentíssimo Rui Costa, da família dos competentíssimos Costas, e a quem eu auguro um futuro bastante promissor, prevendo para breve a sua promoção a internacional. Pois este senhor, não contente com o critério estupidamente parcial na amostragem de cartões, e com o facto de decidir 99% dos lances a favor do Marítimo, descortinou numa queda desajeitada de um insular uma oportunidade dourada para assinalar penálti, e não se fez rogado. Ocasião de ouro para o Marítimo rematar à nossa baliza (já que de outra forma parecia ser impossível), e assim, de súbito, verem-se com a possibilidade de disputar o resultado de um jogo que, de outra forma, nunca pareceu estar ao seu alcance. E tanto que não estava que, apesar de dispormos de apenas um golo de vantagem, a meia hora que faltava até ao final decorreu de forma tranquilíssima, não sentido a nossa baliza ameaçada nem por uma vez que fosse. Pelo contrário, pareceu-me sempre que o quarto golo do Benfica poderia surgir a qualquer altura, houvesse cabeça fria suficiente para aproveitarmos as brechas que se abriam na defesa adversária, e concluir de forma satisfatória alguma das diversas jogadas de ataque que essas brechas proporcionaram. O único factor de nervos acabou mesmo por ser a actuação do senhor Rui Costa, que não contente com o que tinha feito até então, continuou a alardear a sua extrema competência e a anunciar a sua candidatura às insígnias de internacional durante o tempo que faltava. Infelizmente para ele, a falta de capacidade do Marítimo para chegar ao empate terá porventura prejudicado essa mesma candidatura.

Apesar de algo desajeitado nos passes longos, gostei da actuação do Carlos Martins esta noite, enquanto esteve em campo. O Maxi esteve no nível elevado que tem mostrado esta época, e o Cardozo continua a mostrar que terá sido um desperdício tê-lo no banco ou a jogar desacompanhado na frente durante tanto tempo. Não gostei francamente daquilo que o Di María fez. Acho que ficámos a perder com a troca do Aimar.

Nos últimos três jogos para a Liga jogámos com este onze, e esta disposição táctica, e em cada um deles conseguimos uma produção ofensiva bastante interessante, sempre com mais de vinte remates por jogo. Em comparação com o autêntico aborrecimento que foi ver diversos jogos do Benfica esta época, isto tem sido uma agradável mudança. Não sei se ainda vamos a tempo de melhorar a nossa classificação, mas espero que pelo menos se mantenha este nível até ao final da época. Uma coisa parece certa: o Zé da Bancada, que insiste que o Benfica tem que jogar sempre com dois avançados, parece neste caso estar a ver ser-lhe dada toda a razão.

18 Comments:

At 4/27/2009 8:29 da manhã, Blogger Índio Ruço said...

Vergonha de arbitragem na Luz.
Boa 1ª parte, 2ª parte desastrada...não se podem falhar tantos e tantos contra ataques...é incrivel!!
A equipa está jogar melhor, mas não sei até que ponto isso tem a ver com a falta de pressão...

O V.Setubal foi uma vergonha...merecem ir já para a 2ª Liga e ficar por lá uma eternidade, o oposto em dignidade e ética do E.Amadora.

Ontem a noite teve dois Costas, um que apareceu com a lição bem estudada e outro que não apareceu...e que só aparece em programas da SIC que o homenageiem ou dêem realce a uma certa e perturbadora vaidade.
Procura-se o DDesportivo do Benfica
que nestas alturas se deve chegar à frente...e chegar à frente não é estar na linha de fundo como no jogo anterior a fazer a eterna figura do "símbolo do benfica", que muito agrada a uma certa faixa de "people" benfiquista mas que não tem efectividade nenhuma, a não ser para fazer um DVD, ou um intro para um programa televisivo de que tanto gosta. Programas que geralmente abundam quando não se ganha nada.
Nem é dizer ao João Gabriel para dizer isto ou aquilo. O que o sr. Costa tem de fazer é pôr o seu nome ao serviço do Benfica e se entende que não o deve fazer, que explique porque não o faz.

A sua capacidade de vir defender o clube nestes momentos é inversamente proporcional à sua capacidade de presença em programas de gosto duvidoso.

DIRECTOR DESPORTIVO QUE DEFENDA O CLUBE PRECISA-SE!

 
At 4/27/2009 9:13 da manhã, Anonymous Filipe said...

A táctica parece ser mais ou menos esta sim...embora gostasse de ver o Aimar declaradamente no meio e o Reyes a alternar entre a esquerda e a direita...Tb tenho dúvidas que em jogos a doer esta dupla de meio campo responda bem ao nível defensivo, mas pronto, enquanto surgirem resultados desta forma há que manter e criar automatismos.
O Quique subestimou muito o Cardozo esta época...Já vai com 13 e espero que consiga mais até ao fim do campeonato.

 
At 4/27/2009 10:02 da manhã, Blogger D'Arcy said...

De cada vez que o Rui mostra a ponta do nariz, a Liga cai-lhe em cima. Todas as semanas somos multados por dá cá aquela palha. Entretanto outros insultam árbitros na sua cara, fazem gestos sugestivos, e não lhes acontece nada.

E sinceramente, a pouca vergonha é tanta que eu já não acredito que falar sirva de alguma coisa. Aliás, dizer o que quer que seja é uma faca de dois gumes: quando algum responsável do Benfica menciona a arbitragem, imediatamente há quem (incluindo benfiquistas) os acuse de estar com isso a desviar atenções da má época que estamos a fazer, ou de erros de gestão.

 
At 4/27/2009 11:04 da manhã, Blogger Índio Ruço said...

D'Arcy ele está lá é para defender o clube e não recear o que os outros possam ou não pensar.

Só faltava que um DDesportivo do Benfica para defender o clube tivesse que pedir licença a alguem, ou não o fizesse com medo de pagar umas multas.Ou ele está ali para defender o clube ou só para defender os seus interesses e gerir a imagem pessoal.Qual faca de dois gumes qual quê... dêem-me a mim e a outros essa oportunidade e nem que a faca tenha trinta gumes...e pago as multas do meu bolso!

Alem disso a unica voz que que pode defender o Benfica é a dele, porque é a unica que é respeitada e tem peso nas estruturas do futebolzinho cá do burgo, e até politicamente, não é a do Vieira a quem ninguem liga nem a do João Gabriel que é denunciadora mas cai facilmente no folclore futebolistico.

Não gosto do Veiga mas confesso que nestas alturas ele não ficava calado, e mal ou bem pelo menos defendia o clube.

Somos prejudicados de alto a baixo, a Norte há um autêntico escândalo com substituições mafiosas, no hóquei em patins fomos roubados até mais não, e o Benfica não diz nada?!!?

Acho o Costa um pouco pusilâneme, talvez tivesse mais jeito para dirigir a Benfica TV já que gosta tanto de shows televisivos.
Esta direcção já entrou na aceitação normal de certos comportamentos e condutas e talvez já não tenha energia para fazer mais do que isso.

Assim não...venham outros, rápido!

 
At 4/27/2009 6:29 da tarde, Blogger Índio Ruço said...

Mais...se o Benfica tivesse um verdadeiro Presidente (e não as amostras que hoje o representam e as que o querem representar) ninguem em ano de eleições legislativas poderia ignorar 4 a 5 milhões de votos, é um potencial lobby poderosíssimo e uma carta que bem jogada poderia levar que parte da agenda do "debate" eleitoral se debruçasse tambem sobre questões desportivas,e a mais muito mais.
Mas não, temos um benfica ensimesmado que só sabe fazer discursos de venda interna, que não sabe aproveitar a Benfica TV se não para o mesmo fim e para vender alguns produtos, etc...a juntar a isto uma massa adepta que só segue a agenda jornalistica em termos de discussão do clube e do fenómeno desportivo em geral.
É um clube mirrado, sem ponta de influência e que parece conformado.
O pior é que não vejo ninguem capaz de o fazer sair disto...

 
At 4/27/2009 11:37 da tarde, Blogger D'Arcy said...

Bem, quando o Vilarinho enveredou levemente por essa via, se bem me lembro, caiu o Carmo e a Trindade...

 
At 4/28/2009 8:28 da manhã, Blogger Índio Ruço said...

O Vilarinho??..D'Arcy por favor...tens desejar mais para o Benfica que a tristeza do Vilarinho ou do Vieira, não??!
Mas alguem leva ou levou a sério o Vilarinho??!! Isso são coisas que não podem ser feitas em frente a uma câmara de TV e ainda por cima daquela forma que mais cheirou a chantagem.As pressões quando se exercem têm de ser aplicadas nos sitios certos e nos momentos certos.É toda uma arte que não se aprende do dia para a noite.
As unicas boas acções do Vilarinho estão hoje nos cofres do BES, já agora não questionas porquê?
E isso de dizeres a qualquer coisa que é preciso ter cuidado e porque cai o carmo e a trindade ou porque são criticados ou porque sofrem multas, isso é o que os tipos que controlam isto querem, e por esse andar o Benfica já não existia há muito tempo.Temor, vitimização?? Não.
Se for para sermos bons somos melhores que eles , se for para sermos maus somos piores que eles.


O que me preocupa é o Benfica e não lideres de facções como o Vieira ou Vilarinho ou o Veiga ou o Bagão, e/ou vacas sagradas como o Costa ou o Gomez ou qualquer outras de ocasião.
Tenta por um momento sair um pouco dessa lógica e tenta ver as coisas fora do quadrado.
Verás que a situação é preocupante, e que o Benfica não exerce qualquer tipo de liderança no desporto português, não tem influência nenhuma, népia.
O Benfica recente foi montado para ser uma máquina de fazer dinheiro.
Nada mais.

 
At 4/28/2009 5:04 da tarde, Blogger Índio Ruço said...

Mais logo vai ser interessante ver qual o plano de jogo do Barcelona contra o Chelsea.O Hiddink já disse que o Bosingwa vai cobrir o Messi, e não só, vai tentar que ele não receba jogo para não poder desequilibrar.O Pep disse que conhecia o Bosingwa, que ele é bom rapaz, que corre muito e centra bem, mas claro, isso só não chega. Estão os dois a jogar ao gato e ao rato.
No entanto não duvido que o Bosingwa vá mesmo marcar o Messi, como milhares de outros jogadores já o marcaram, até eu era capaz de marcar o Messi (aproveitava e pedia-lhe um autógrafo)o problema é pará-lo, o problema é saber de onde ele vem ou para onde vai...essa é que é essa.
No entanto a chave do jogo até poderá não estar aí, acho que os treinadores vão a qualquer momento do jogo ter um plano B, e fazer sobressair outros jogadores, e eles não faltam...no Chelsea atenção a Essien (que ganda jarda) e ao incontrolavel homem do marfim Drogba (Jarda Maior)...e do outro lado Iniesta Eto Henry,etc...fónix, já estou em pulgas...
O Zé Bosingwa já ligou ao Pepe e tudo, e perguntou-lhe "Como é possivel parar o messi?" o madrileño disse-lhe "Hum...interessante questão, mas agora não estou para aí virado, cara""

 
At 4/28/2009 7:04 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Para logo, eu aposto no Chelsea apesar das estrelas do Barça... Mas pronto, acho que a minha fezada tem mais a ver com o facto de eu gostar dos jogadores do Chelsea (apesar de não gostar muito do clube). O Chelsea é uma equipa de operários (em plena contradição com o background aristocratico do clube)... que por acaso se chamam Drogba, Malouda, Bosingwa, Terry e o maior de todos:Frank Lampard. São estrelas mas tambem trabalham. E isso é que eu gosto.

Os do Barço (especialmente aquele tridente de doidos varridos da frente: Henry, Etoo e Messi) são estrelas e fazem coisas muito bonitas mas não trabalham tanto como os do Chelsea.

E eu acho que o Bosingwa é gajo para deter o Messi mas vai ter de ser pela velocidade ou pela antecipação.

Pela porrada não vai lá, a não ser que faça como o Pepe e espere para o apanhar no chão para lhe enfiar 3 pontapés nas costelas, 2 murros no queixo (uppercuts para a demolição) e 3 joelhadas nos tomates.

 
At 4/28/2009 7:17 da tarde, Blogger Harry Lime said...

Mais...se o Benfica tivesse um verdadeiro Presidente (e não as amostras que hoje o representam e as que o querem representar) ninguem em ano de eleições legislativas poderia ignorar 4 a 5 milhões de votos, é um potencial lobby poderosíssimo e uma carta que bem jogada poderia levar que parte da agenda do "debate" eleitoral se debruçasse tambem sobre questões desportivas,e a mais muito mais.Indio Ruço,

Acho que estas a ir pela via errada. O que distingue os adeptos dos clubes grandes de Lisboa do FCP é que conseguem distinguir entre futebol e politica. Cada clube pode ter as suas origens sociais distintas. Mas há adeptos de esquerda, de direita, de centro, fascistas e comunistas em ambos os clubes.

O que os une? O facto de serem adeptos do seu clube e acharem que a clubite acaba no ambito do desporto. O dirigentes do Porto não são nada assim, vêm-se como representantes da região e usam de facto o poder desportivo para influenciar outras areas da sociedade. E o problema é que as elites economicas e politicas do Porto engolem a treta.

Veja-se como exemplo, os presidentes da camara do Porto (o Fernando Gomes e o Nuno Cardoso, especialmente) que se submeteram dusrante anos ao PC a pensar que isso lhes traria votos. O Rui Rio teve pelo menos a virtude de mostrar que os portuenses são pessoas civilizadas e que conseguem separar a politica do futebol e votar num presidente que faz frente aos privilegios do FCP. Porque no Porto tambem vivem benfiquistas, sportinguistas, boavisteiros, salgueiristas e até, suspeito, adeptos dos Dragões Sandinenses.

Eu sou a favor da separação de poderes: a Maradona o que é de Maradona, a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus.

Bola, politica e religião são universos que não se devem misturar (apesar de eu ser o pastor da Igreja Maradoniana na paroquia de Queluz/ Massamá)

Rui Silva

 
At 4/28/2009 7:18 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O campeonato já está ganho á muito por encomenda, desde o jogo n estádio do ladrão q qq dúvidas q tinha dissiparam-se, este arbitro fez por agradar ao seu fétido senhor assim como muitos outros têm vindo a fazer.
A credibilidade desta liga da treta: ZERO
Enquanto ñ existir uma reestruturação e limpeza das competições profissionais de futebol em Portugal isto ñ muda, com os caras de pau de apito na boca é igual; LIMPEZA.
O papel do director desportivo ñ é andar a fazer de D. Quixote INDIO, essa cruzada contra ele já começa a cheirar mal.
Enorme SLB e grande Rui Costa sempre

 
At 4/29/2009 10:36 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Bem, Índio, se querias que o Rui Costa se chegasse à frente na defesa do clube, ele fez-te a vontade. E três dias depois ficou suspenso pela Liga até final do campeonato :)

Eles ao Rui Costa e ao Benfica não perdoam nada. Todas as semanas, mas todas mesmo, o Benfica é multado por esta ou aquela razão. Somos nós quem, em grande parte, anda a pagar os ordenados a toda aquela malta.

 
At 4/29/2009 11:09 da manhã, Blogger Índio Ruço said...

D'Arcy, o que o Costa fez demonstra amadorismo embora lhe atribua uma medalha pelo feito.
O que eu defendo é que ele defenda (passse o eventual pleonasmo)o Benfica mas não na cabine do árbitro ou a mandar bocas no túnel de acesso, isso não funciona, não é efectivo e é próprio de um delegado ao jogo do Damaiense.
A forma como ele deve defender o Benfica deve ser atraves da Benfica TV, ou se o quiser, em canal aberto, criticar as nomeações
e outras situações que se passam no futebol português.
Ele deve comunicar com os adeptos e simultâneamente com os tipos da arbitragem e da Liga.Ele nem deve dar confiança aos arbitros quanto mais se lhes dirigir.Para isso temos o Martir de Gaia, que é mil vezes mais eficaz.

 
At 4/29/2009 11:23 da manhã, Blogger D'Arcy said...

Bem, ir à cabine do árbitro ou fazer pressão no túnel é uma táctica que anda há anos a ser aplicada com sucesso pelos corruptores ;)

Mas na verdade não me agrada que o Benfica vá por esse caminho. O que eu acho é que, sendo o Rui Costa como é, não se deve ter contido ao ver aquela roubalheira no passado Domingo, e mandou umas bocas. Depois, como ao Benfica não perdoam nada, o homónimo dele deve ter feito um relatório bonitinho e detalhado, e o resultado está à vista.

Eu por acaso acho que para o tipo de acções que sugeres, o João Gabriel é o mais indicado. Até porque tanto se nos faz que ele seja suspenso ou não (nem sei se ele cai sob a alçada disciplinar da Liga).

 
At 4/29/2009 12:00 da tarde, Blogger Índio Ruço said...

Harry, o que eu defendo é o lobby não o tráfico de influências, e o lobby é legítimo em todas as sociedades democraticas, porque é uma forma de os interesses serem dirimidos. E espero não te estar a dar uma má notícia quando te digo que os lobbies funcionam todos os dias e legitimamente embora não apareçam nos Jornais Televisivos Nacionais, ou quando aparecem o fazem sob outra roupagem.
Devo tambem informar-te que o actual sec.Estado desporto teve conversas (antes das eleições claro) com o "teu" ex-presidente D.da Cunha para "coser" as linhas da nova Lei de base do desporto, que o "teu" ex denunciou claramente num programa de televisão porque o dito sec. Estado "roeu" convenientemente a corda depois de eleito.
O que eu quero e defendo é que o Presidente do Benfica tenha capacidade de influência da agenda politica no que concerne à corrupção desportiva e outros temas, porque o caso do Porto não se resume, como tu dizes a dois Presidentes da Câmara do Porto, vai longe muito mais longe, desde os almoços na AR, até ao aceitar tácito por parte de tipos que eu considero decentes e alguns até benfiquistas de que afinal "o tipo até é corrupto mas teve muito mérito no que conseguiu".
Não tenhas duvidas de que a corrupção é um grande mal em Portugal e a sua aceitação ainda o é mais.

Quanto aos clubes, adeptos e cores politicas, basicamente concordo contigo mas temos que ver a génese e a cultura de cada um deles. Eu tenho muito orgulho no facto do Benfica nunca ter sido conivente com o fascismo, nem ter tido dirigintes colaboracionistas e se ter recusado fazer a saudação fascista quando desfilava, ter tido sempre eleições democráticas, etc...nem todos se podem orgulhar disso.
E a génese e cultura dos clubes como a das pessoas marca indelevelmente o seu comportamento e atitude perante a vida.Basta ver a politica de alianças feita entre o Sporting e o Porto, de que lado da barricada se encontram quanto a certo e determinados assuntos como a corrupção e o seu aceitamento tácito e o seu conúbio tactico para
impedir que o Benfica ganhe alguma coisa de forma legítima.
Por muito que a vida tenha mudado desde há um século atrás existem traços de nascimento que se tornam dificeis de ocultar e não concordo que pelo facto de agora vivermos numa sociedade mais aberta se queira como que "branquear" e nalguns casos até inverter a historia e cultura dos clubes, comparando-os a meras marcas comerciais.

 
At 4/29/2009 12:07 da tarde, Blogger Índio Ruço said...

Ontem o Hiddink foi frio como um russo, juntou as linhas e mandou o bom futebol às urtigas.
As habituais tabelinhas do Barça pouco resultaram e o Messi não conseguiu desequilibrar.
O Barcelona corre o risco de numa semana perder tudo ou quase tudo.
No sábado recebe o Real Madrid, se perder vai ser muito difícil...
Ainda por cima perdeu o Marquez...o gajo é mexicano coño, será que a gripe suína afectou o balneário dos blaugrana?

 
At 4/29/2009 12:15 da tarde, Blogger Índio Ruço said...

É isso mesmo que eu digo, se ele quer mandar bocas pode-o fazer, mas primeiro esfria a cabeça e fala no dia seguinte. Não pode descer ao nível dos árbitros.
Depois ao menos que seja castigado por alguma coisa de jeito, não por uma coisa pífia.

Eu acho que no final da época o Costa devia fazer um apanhado dos erros e situações mais que duvidosas que aconteceram este ano e na Benfica TV, falar aos adeptos, e dizer que o sr. Pedro Proença, mais o sr.Henriques, mais o sr.não sei quantos, tiveram influencia directa na classificação final da Liga.
Eles têm que ficar com a nódoa e não julgar que ela passa com o tempo.

 
At 4/29/2009 5:25 da tarde, Blogger Harry Lime said...

O Rui Costa é demasiado benfiquista... quer dizer, eu sou suspeito para dizer uma coisa destas. Para mim, um gajo que goste de andar com camisolas vermelhas já é demasiado benfiquista para mim :):):)

anyway, Barça-Chelsea de ontem foi tacticamente uma coisa gira...mas suspeito que se o Barça tivesse metido um golito que fosse, o Chelsea ia acabar por siar de lá com um cabaz... ou então ia ser um daqueles jogos malucos à inglesa que acabam a 5-3 ou a 4-4 :):):):

 

Enviar um comentário

<< Home